Resenha - Fraude Legítima

Sinopse: "Jule West Williams é uma garota capaz de se adaptar a qualquer lugar ou situação. Imogen Sokoloff é uma herdeira milionária fugindo de suas responsabilidades. Além do fato de serem órfãs, as duas garotas têm pouco em comum, mas isso não as impede de desenvolver uma amizade intensa quando se reencontram anos depois de terem se conhecido no colégio. Elas passam os dias em meio a luxo e privilégios, até que uma série de eventos estranhos começa a tomar curso, culminando no trágico suicídio de Imogen e forçando Jule a descobrir como viver sem sua melhor amiga. Mas, talvez, as histórias das duas garotas tenham se unido de maneira inexorável — e seja tarde demais para voltar atrás."
Ao longo da minha vida literária, já tive inúmeras resenhas desafiantes para escrever.  Contudo, não consigo imaginar nenhuma tão complicada quanto esta de Fraude Legítima. Quando solicitei a prova antecipada, inspirado pelo sucesso de Mentirosos, não sabia bem o que esperar. E ao terminar a leitura, ainda não sei bem o que achei da obra.

Nesse livro vamos conhecer Jule West Williams, uma garota na casa dos vinte anos que está tentando seguir sua vida após a morte de sua melhor amiga, Imogen Sokoloff. As duas foram muito amigas na infância e após um tempo afastadas se reencontraram e a amizade seguiu como se nunca houvesse tido esse hiato. Então foi uma novidade para Jule quando Immie se matou.

Jule tem o dom de se adaptar a todas as situações. Capaz de assumir novas identidades, proferir diversos sotaques e ainda ser uma exímia oportunista, a jovem começa o livro em fuga. Não sabemos o que está acontecendo, apenas que ela está se passando por Imogen e por algum motivo estão atrás dela. Mas por quê? E será ela capaz de escapar?

Querem saber o que vai acontecer? Então não deixem de ler!

***

Sabe aquele tipo de livro que te prende, mas você não faz ideia do que está acontecendo? Foi o que aconteceu durante a leitura de Fraude Legítima. A obra é narrada de trás pra frente, ou seja, o primeiro capítulo é o penúltimo, o segundo o antepenúltimo e assim sucessivamente. Fazendo isso, E. Lockhart inseriu o leitor no mistério e foi soltando sutis pistas sobre o que estava acontecendo, até chegar na grande revelação.

Devo dizer que não demorei muito para sacar o que estava acontecendo. Chegou um certo ponto, pouco antes de página 100, que já havia desvendado o mistério da trama e segui até o desfecho do livro só para confirmar que estava certo. Isso foi um tanto decepcionante para mim, já que meio que estragou todo o contexto do livro.

A narrativa é feita em terceira pessoa, focando na perspectiva de Jule. E essa personagem é uma constante incógnita, meu Deus. Eu não sei até agora o que pensar sobre ela. Não posso falar muito, pois seria spoiler, mas que personagem bem construída! Lockhart soube criar bem as nuances da mesma e me fez duvidar das minhas próprias certezas diversas vezes.

O final, como dito acima, foi previsível. Todavia, se atou bem com a construção da trama e encerrou todas as pontas. Depois que concluí a leitura, fiquei horas encarando o teto e refletindo sobre a mesma. Será que é realmente a ocasião que faz o bandido? Ou será que todos nós temos essa vibe do mal dentro de nós?

Em suma, Fraude Legítima é sim um bom livro, mas que não se compara às outras obras da autora. Não sei se recomendo, mas acho que toda tentativa é válida e vocês devem formar sua própria opinião. Vai que né...

Fraude Legítima - E. Lockhart
Editora Seguinte
280 páginas
Nota: 3,5

1 comentários

  1. Leo!
    Já gostei de ver que o livro não é mais do mesmo e a trama é bem intrigada, nos instigando a leitura.
    Personagens com habilidades e caráter duvidosos é intrigante.
    Muito bom ver mais um livro que cria anti heroínas, deve ser cheio de ação.
    É a primeira vez que vejo um livro começar do final para o começo, e por ser diferente, deve mesmo causar estranhamento, mas no mundo literário, gosto quando há inovação.
    Que outubro venha carregado de boas energias!
    “O tempo é teu capital; tens de o saber utilizar. Perder tempo é estragar a vida.” (Franz Kafka)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE OUTUBRO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir