Resenha - As cordas mágicas

Sinopse: "Francisco Presto nasceu numa pequena cidade da Espanha em plena guerra civil. Com a infância marcada por tragédias, Frankie se torna pupilo de um professor de música cego, que se dedica a lhe ensinar tudo o que sabe. Ao completar 9 anos, ele foge para os Estados Unidos carregando consigo apenas seus bens mais preciosos: um violão e seis cordas mágicas. Com um talento fora do comum para tocar e cantar, Frankie rapidamente alcança o estrelato e influencia o cenário musical do século XX, apresentando-se ao lado de nomes consagrados como Elvis Presley e Little Richards. No entanto, seu dom se transforma em um terrível fardo quando ele percebe que pode afetar o futuro das pessoas: uma corda de seu violão fica azul cada vez que uma vida é alterada. No auge do sucesso, assombrado por seus erros e por seu estranho poder, Frankie sai de cena por anos, apenas para ressurgir para um espetacular e misterioso adeus."
Francisco Presto estava longe de ser uma pessoa comum. Nascido em meio à guerra, foi consolado por sua mãe que lhe cantava Lágrima, de Francisco Tárrega, na tentativa de lhe evitar o choro, para que não fossem descobertos e mortos pelos guerrilheiros. Sua tática funcionou, não só porque a voz de Carmencita era doce, mas porque Frankie logo que abriu os braços, agarrou a Música e tomou para si parte de sua alma, escolhendo o seu talento. Presto seria mais um dos seus filhos, a quem lhe traria muito orgulho e pesar.

Sua vida nunca foi fácil. Por volta de 1 ano de idade, foi jogado ao rio e resgatado por um cão pelado e por um homem que passou a chamar de pai. Muito cedo, passou a ter aulas de violão com El Maestro, um senhor cego e bêbado, mas que um dia fora um violonista espetacular.

Quando menino, seu pai foi arrancado de si pelo Governo tirânico da Espanha, e Frankie se viu novamente sozinho. Ajudado por El Maestro, embarcou em um navio, pagando uma pequena fortuna, com o intuito de chegar aos Estados Unidos e encontrar a sua tia, certo de que seria acolhido. Na viagem, as suas únicas companhias eram seu violão, recebido de presente do seu professor, e suas músicas.

A sorte não parecia lhe acompanhar, e o garoto foi desembarcado na Inglaterra, onde passou seus dias mendigando e tocando por um trocados. E foi assim que a jornada de Presto no meio na música se iniciou. Quem o ouvia dedilhar, se comovia por seu dom e tinha a sua vida, de algum modo, modificada.

Mas não era só a aptidão de Presto para a música que o tornava diferente. Ele no início não sabia, mas as cordas de seu violão eram mágicas. Em momentos decisivos de sua trajetória, ao tocá-las, Frankie alterava a sina de alguém, e uma das cordas ficava azul e se arrebentava.

Mal sabia ele que a sua capacidade de alterar as coisas lhe custaria um preço muito alto, que ele pagou com juros e correção, até acertar as contas com o destino.

Querem saber o que vai acontecer? Então leiam!

***

Meu interesse por As cordas mágicas se deu ao ler a sinopse e ficar curiosa com o mistério envolto ao violão e à vida de Frankie Presto, mas nada, absolutamente nada, me preparou para o que eu iria encontrar nessas páginas.

Logo de início ficamos sabendo que Frankie está morto. Isso não é spoiler, já que a história se inicia em seu velório e a trama é contada por nada mais, nada menos, que a própria Música. Ela faz questão de nos falar todos os pormenores a respeito de um dos seus mais queridos pupilos, a quem foi também prestar a sua homenagem e tomar de volta o pedaço da alma que Frankie pegou ao nascer.

Por Frankie ter se tornado muito famoso, e pela sua morte ter ocorrido de maneira muito suspeita e inexplicável, diversas pessoas vão em seu enterro e uma cobertura jornalística é feita. Alguém, que não sabemos quem, entrevista todos os presentes que em alguma época conhecerem e fizeram parte da vida de Frankie. Estes relatos são intercalados com a narrativa da Música, feita em primeira pessoa, então, assim, viajamos constantemente para o passado, e voltamos ao presente, na medida que vamos descortinando todos os fatos a respeito deste fenômeno da música, que embalou muitos corações e fez história.

Uma das coisas mais sensacionais feitas pelo autor foi ter misturado ficção com realidade. Em primeiro lugar, As cordas mágicas é um tributo à música. Ponto. No enredo, nos deparamos com os grandes nomes do jazz, blues e rock, e suas composições, que são escutadas até hoje. O incrível disso tudo foi que todos os citados no texto foram influenciados de algum modo por Frankie Presto, e vice-e-versa.

Frankie desejou se tornar um astro do rock após ter substituído Elvis em uma apresentação que ele não pôde comparecer. John Lennon adotou o modelo de cabelo que se tornou um ícone depois de ver Frankie usando. Paul Stanley testemunhou uma das audições mais fantásticas já ocorridas no Kiss, e Lyle Lovett escreveu a sua canção de maior sucesso após escutar os conselhos de Presto, seu grande ídolo. Esses são apenas alguns exemplos contidos na obra de que tudo na música está interligado.

Aliás, não só na música. Outra coisa excepcional feita pelo autor foi construir uma narrativa tão bem bolada que ele vai e volta para o mesmo lugar criando um desfecho de aplaudir de pé e tirar o chapéu. Isso sem falar nas reviravoltas ocorridas no enredo que nos deixa de queixo caído.

Isso até me fez esquecer sobre as tais cordas mágicas. Elas deixaram de ser meu foco, algo que só descobrimos o significado lá para o final e que definem bem o poder que temos de mudar tudo ao redor por meio de nossas atitudes e escolhas.

As cordas mágicas foi um dos livros mais inteligentes, poéticos e comoventes que já li, e me dói saber que ele será negligenciado por puro preconceito ou por não saberem que ele existe. Este é uma daquelas joias raras que têm que ser conhecida por todos.

Prendi o choro durante a leitura toda, não só pelo drama vivido por Frankie, mas por todas as frases de efeito contidas no exemplar que mexeram comigo. Se isso não bastasse, o autor também utilizou de analogias incríveis entre a música e a vida nos fazendo pensar.

Todo mundo entra numa banda nessa vida. A maioria vai se desfazer, mas vai ter mudado um pouco você.

Em suma, As cordas mágicas fala sobre como a música nos afeta, nos preenche e nos envolve, e acerca de que, enquanto vivermos, somos capazes de nos reunirmos, nos reinventarmos e de darmos valor ao que realmente importa.

As cordas mágicas - Mitch Albom
Editora Arqueiro
352 páginas
Comprar: Saraiva / Amazon
 
Nota 5

4 comentários

  1. Mi,As cordas Mágicas parece ser um livro fascinante,que mistura música e magia.Quero muito conhecer a trajetória de Frankie Presto e quais alterações sua música causou cada vez que a corda do violão rebentava.Gostei bastante de saber que quem narra a história é a música e a narrativa alterna passado e presente.Legal ter achado o livro um dos mais inteligentes,poéticos e comoventes.😘❤

    ResponderExcluir
  2. Não gosto de biografias mas o que me atraiu foi o diferencial do narrador ser a Música, coisa que amo demais. Por esse fato eu daria uma chance ao livro

    ResponderExcluir
  3. Mi!
    Ganhei esse livro e estou com ele aqui para leitura, só esperando para aproveitar toda poesia e música do Frankie em sua vida e morte.
    Deve ser um livro fabuloso!
    “O saber é saber que nada se sabe. Este é a definição do verdadeiro conhecimento.” (Confúcio)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de FEVEREIRO, livros + KIT DE MATERIAL ESCOLAR e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  4. Oi Mirelle!

    Confesso que a capa foi o que mais me chamou a atenção neste livro. Não cheguei a ler a sinopse e sua resenha é a primeira que leio sobre o livro.
    Gostei muito de saber que o livro supriu sua curiosidade. Parece ser uma história e tanto, espero ter a oportunidade de lê-lo tbm!

    Ótima resenha! Bjo bjo^^

    ResponderExcluir