Resenha - Nerve

Resenha - Nerve
Sinopse: "Você já se sentiu desafiado a fazer algo que, mesmo sabendo que pode se arrepender depois, acaba levando em frente? A heroína deste livro também. Vee cansou de ser só mais uma garota no colégio, e quer deixar os bastidores da vida para assumir seu merecido posto sob os holofotes. E o jogo online Nerve, febre nacional transmitida ao vivo, pode ser o início dessa trajetória de sucesso. Basta que ela clique no botão “Jogador” em vez de “Espectador” para entrar na disputa, que propõe, a cada etapa, um desafio novo. A adolescente acaba formando uma dupla imbatível com Ian, um garoto desconhecido com quem trava contato ao se inscrever em Nerve. Juntos, vão galgando posições no jogo. Mas, conforme os dois avançam na disputa, os desafios ficam cada vez mais complexos... e perigosos."
Vee era uma garota que nasceu para os bastidores. Tímida, recatada e muito responsável, passava os seus dias entre o colégio, a loja de roupas na qual trabalhava, e o teatro da escola, onde cuidava da maquiagem e do figurino dos atores, seus colegas de aula.

Há cinco meses ela enfrentava um castigo injusto, com toque de recolher, por conta de um acidente que quase lhe tirara a vida e sobre o qual ninguém sabia, fora Syd, sua melhor amiga.

Fazia um tempo que Vee estava a fim de Matthew, o protagonista da peça de teatro, que contracenava com Syd e que tinha uma péssima fama. Mas não importava, pois cada vez mais parecia que ele estava lhe dando bola.

Infelizmente, as coisas não saíram como o esperado. No ato final da apresentação, Matthew beijou Syd por um tempo prolongado e desnecessário, e assumiu ter enviado buquês de flores para a menina, deixando Vee possessa.

Ela estava cansada de ser a garota boazinha, que respeitava os pais, que lambia o chão por onde Syd passava, e que era invisível aos olhos dos outros.

Num impulso, Vee decidiu se inscrever no Nerve, um jogo visto pelo mundo todo, composto por diversos desafios que, quando cumpridos, pagavam prêmios aos jogadores.

Seu primeiro desafio na cafeteria foi mais uma brincadeira, uma forma de se testar, superar suas dificuldades, mas mal sabia ela que faria tanto sucesso, conquistaria fãs e chamaria a atenção do próprio Nerve.

A cada novo desafio aceito, as propostas de Nerve ficavam ainda mais altas, e por mais que Vee soubesse em seu íntimo que tinha que pular fora, sua ganância não permitia. E foi assim que ela colocou os seus amigos, a sua família e a si mesma em risco.

Será que Vee será capaz de salvar a todos e dar um basta nesta competição mortal? Ou estará ela fadada a ser mais uma vítima de Nerve?

Querem saber o que vai acontecer? Então leiam.

***

Escolhi ler Nerve para fugir da minha zona de conforto e passar o tempo com algo diferente, mas não imaginava que ia me deparar com uma leitura tão eletrizante e cheia de ação.

Pensem em Jogos Mortais, com todo o seu terror psicológico, mas sem a carnificina, pois é, Nerve é mais ou menos assim. E numa era em que impera a babaquice mor, não sei como ainda ninguém criou um jogo como esse. Ah, já sei, porque para vermos pessoas se deixando picar por cobras, colocando a mão em formigueiro, bebendo xixi e se humilhando publicamente (nada contra), não precisamos pagar, basta abrirmos o YouTube.

Em Nerve, para participar das partidas e concorrer aos prêmios, o candidato deve realizar algum desafio, ser filmado, e subir o vídeo na plataforma. Os vídeos mais vistos, mais comentados e com mais Observadores, são aprovados.

Para assistir às grandes competições na tela do computador ou celular, os Observadores precisam pagar, e é assustador se dar conta de quanta gente se sujeita a isso. Pessoas sádicas, que têm prazer de bisbilhotar a vida alheia e de ver os outros sofrerem. E o pior é que isso não é restrito à ficção.

Além deles, existem os Observadores presenciais, que pagam pequenas fortunas para seguirem os jogadores e verem tudo em primeira mão, podendo filmar e invadir a privacidade alheia.

Tudo isso mexeu demais comigo, pois achei real demais, possível demais, e a perversidade humana é chocante.

Muito me lembrou um pouco da minha realidade. Por mais que eu não grave desafios, tenho uma certa famosidade, e é incrível como as pessoas se sentem no direito de dar pitacos na sua vida, serem grosseiras e te abordarem ou te seguirem na rua só porque te acompanham online.

Mas enfim, voltando ao livro, Vee rapidamente se vê envolta neste universo que ela nem sabia que existia, tendo que lidar com as dificuldades das provas, a perseguição dos Observadores, e o dilema moral de se o que ela estava fazendo era certo ou errado.

Em dados momentos fiquei com raiva de Vee e do seu lado egocêntrico. Em outros a entendi e também ficaria tentada a participar dos desafios, não só pelo dinheiro, mas pela emoção e superação dos nossos medos.

Fiquei nervosa do início ao fim e mega curiosa com o que ia acontecer. Só não dei nota máxima a essa obra, pois achei o final insosso, comparado a todo resto. Mas para quem gosta de desfechos felizes, com um gancho para algo mais, certamente ficará satisfeito.

Palmas para a autora que criou uma história super original e criativa. Com uma narrativa eletrizante, uma pitada de romance e questionamentos interessantes sobre a nossa vida online, Nerve irá conquistar vocês.

Nerve - Jeanne Ryan
Editora Outro Planeta
304 páginas
Comprar: Saraiva / Amazon
Nota 4

9 comentários

  1. Acabei não dando muita atenção pra esse livro, apesar de que achei bacana o trailer do filme e fiquei com vontade de conhecer a história. Acho que vale a pena ler então, se ele acaba surpreendendo pela agilidade. Deve acabar sendo viciante de ler. E a história é um tanto louca, não é? Achei a ideia dele muito boa. Mas não sei se vou acabar lendo. Acho que vai depender do momento. Ainda não estou muito animada =/

    ResponderExcluir
  2. Mi!
    Nossa! Deve ser um daqueles livros carregados de ação e muito perigo.
    Gosto demais dos livros thrillers psicológicos, porque até nós leitores nos envolvemos de uma forma que parece estarmos vivendo as situações junto com o protagonista.
    “Eu não procuro saber as respostas, procuro compreender as perguntas.” (Confúcio)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de JANEIRO dos nacionais, livros + BRINDES e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  3. eu estou louca para ler esse livro
    um dos motivos é justamente isso, de ver oq as pessoas fazem por min de fama e o que as outras pessoas estão dispostas a pedir
    fiquei ainda com mais vontade de ler quando vc disse que é mais para o psicologico e menos carnificina
    ah, quanto ao jogo, já existe algumas versões tem um que o povo pega alguém na rua e diz: te dou 100 pratas para vc entrar lá e sei lá gritar com alguém, ai se a pessoa topa vai aumentando os prêmios e o que ele tem q ele tem q fazer (não lembro o nome do programa)
    então se procurar já deve existir algum app por ai...

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Nunca tive muito interesse em ler esse livro, mas se tiver uma oportunidade, vou conferir e tirar minhas conclusões.
    Gostei muito da sua resenha, sempre muito bem escrita.
    Obrigada
    Abraços.

    ResponderExcluir
  5. Estou beeeem curiosa em relação a essa história, tanto livro, como filme!
    A história abordada parece ser diferente e muito boa.
    Parece conseguir prender o leitor desde o inicio, meio e até o fim.
    Espero poder conhecer as obras em breve.
    Fiquei mais interessada depois de saber mais um pouquinho sobre a obra aqui :)
    Beijos,
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
  6. Olá, depois de assistir o filme fiquei muito curioso para ler o livro que nos ensina a usar as redes sociais de modo saudável e sem exageros. Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Mi, não tinha dado nada por esse livro mas depois d ler sua resenha fiquei interessada... É realmente chocante o qto as pessoas estão estranhas. Se alegrando com o desespero alheio. Me parece um bom livro pra questionar esse nosso mundo mais virtual do q real em q vivemos

    ResponderExcluir
  8. Muito interessante o seu ponto de vista em comparar Nerve a YouTube.
    Queria ver o filme, mas acho mais interessante ler o livro também.

    Espero conseguir incluir na minha lista de leituras.

    Você viu o filme?

    Abraços, Isis

    ResponderExcluir
  9. Estou com bastante vontade de ler esse livro e assistir ao filme. A premissa é bem interessante, e realmente é uma coisa que poderia acontecer aqui na vida real, mas como você mesma disse, nós temos o YouTube com vídeos pelo menos quase tão noção. O livro já está na minha lista de desejados e vou ler assim que puder.

    Abraços :)

    ResponderExcluir