Resenha - Nova Ordem

Resenha - Nova Ordem
Sinopse: "Jefferson, Donna e seus amigos descobriram que os adolescentes não são os únicos que sobreviveram ao vírus e, em meio ao caos do resgate da Marinha, eles se separam. Jefferson volta para Nova York e tenta levar a Cura para a tribo da Washington Square, enquanto Donna vai parar na Inglaterra, onde se depara com um mundo pós-Ocorrido inimaginável. Mas um desastre ainda maior que a Doença está prestes a acontecer, e Donna e Jefferson só poderão evitá-lo se acharem o caminho de volta um para o outro."
ALERTA! Esta resenha pode conter spoilers do livro anterior. Leiam por sua conta e risco! 

O mundo não acabou, diferente do que pensavam, o planeta não foi dominado por adolescentes que estão com seus dias de vida contados, e que por isso se tornaram homicidas e saem tocando o terror por toda tarde, uma vez que o a morte já os aguarda em breve.

A bordo do porta-aviões Ronald Reagan, Jefferson, Donna e seus amigos tentam absorver a verdadeira realidade do que anda se passando. Se já não bastasse a mentira que lhes fora contada até então, o fato de os tratarem como prisioneiros, ao invés de heróis - pela criação da cura - e sobreviventes da terrível Doença os faz perceber que alguma coisa está errada.

Determinados a regressarem para casa e espalharem a cura para todas as crianças em Nova York, eles tentam escapar. Jefferson e os outros conseguem, e precisam lidar com a suicida e impossível missão de reunir todas as tribos em um único grande grupo, o que se torna mais difícil tendo em vista que uma grande guerra entre o Harlem e Uptown está prestes a estourar, e a própria Washington Square andou passando por maus bocados enquanto ele estivera fora.

Donna é transportada para a Inglaterra onde encontra um mundo que pode ser considerado um insulto ao que ela vinha vivendo até então. Não há Doença, as pessoas sabem que ela existe, contudo, levam suas vidas como se sua grande preocupação fosse pagar a conta do cartão de crédito no final do mês.

Algo não está certo, ela e Jefferson se dão conta, há algo mais por trás da utópica Inglaterra e apocalíptica Nova York em que eles estão. Algo que é muito maior e mais devastador que a própria Doença.

Querem saber como isso termina? Então corram para ler o livro!

***

U-A-U-! Acho que essa é a palavra dita por todas as pessoas que acabam de ler Nova Ordem. Não só pela grandiosidade do que o Chris fez, mas também pela forma como as coisas terminam, e pelas revelações que nos são atiradas sem medo do impacto que elas trarão.

As obras do Chris possuem inúmeros pontos que os tornam fantásticas, mas um dos meus favoritos é a capacidade que ele tem de criar narrativas bem construídas em poucas páginas. Enquanto a maior parte das distopias se vale de, no mínimo, umas 320 páginas para desenvolver toda a trama, Weitz faz isso em meras 200 e tantas, mostrando que não é preciso se alongar para que uma história se torne excelente.

Enrolação é uma palavra que não parece fazer parte do vocabulário do autor, seus capítulos são bem trabalhados para nos serem passadas as informações necessárias sem que haja desperdício de palavras, fazendo com que tenhamos um enredo ágil e nem um pouco entediante.

Os personagens são outro ponto alto dos títulos do Chris. Enquanto todas as distopias que li até então se valem do cenário apocalíptico para criar adolescentes maduros que tomam decisões com a mesma sabedoria e falam iguais a pessoas de seus cinquenta e muitoa anos, os adolescentes apocalípticos do Weitz mantêm a sua essência.

O novo mundo os tornou mais fortes e sábios, vemos isso nos seus discursos, que fariam muita gente por aí em idade escolar sentir que está entrando no ensino médio sem saber de nada. Entretanto, eles não perdem sua juventude, suas gírias, o jeito de falar e comportamento típico dos mais novos, fazendo com que a gente veja que eles, no fundo, não passam de meros adolescentes que tiveram que amadurecer forçosamente.

Isso fica bem claro pelo modo como se expressam e pela forma como isso nos é transmitido, em primeira pessoa. E aqui aponto outro grande detalhe das criações do Chris: a facilidade com que identificamos cada narrador. Seus personagens são tão bem construídos, que ouso dizer que não seria necessária a identificação de quem será o protagonista de cada capítulo para os reconhecermos.

Inclusive, nesse segundo volume nos são apresentados novos narradores, todos personagens já conhecidos nossos, porém, que até então, não tinham tido a oportunidade de ter uma voz. Gosto do cuidado da equipe de edição em destacar uma fonte para cada um dos personagens, fazendo com que isso também nos ajude a diferenciá-los, e aprecio também a forma singular de cada relato.

Crânio, por exemplo, é um dos personagens que tem voz em Nova Ordem, e sua explanação é ao mesmo tempo interessante e intrigante. Intrigante porque nós vemos exatamente como ele pensa, o que torna meio difícil de ler o texto com sua falta de pontuação, uma vez que o Crânio tem o raciocínio acelerado e não para nunca. E interessante justamente por isso, porque mergulhamos na mente desse personagem tão fantástico e enigmático.

Outro destaque que faço vão para as capas. Inicialmente essas cores berrantes causam um certo choque, contudo, o design é tão incrível que logo nos acostumamos. E, devo confessar, acho as capas brasileiras muito mais bonitas do que as originais. Arrasou, Seguinte!

Em Nova Ordem ficou claro que o autor arquitetou tudo com começo, meio e fim desde o princípio, e que está contando o que se propôs sem se deixar empolgar pelo sucesso e sem estender seu argumento, arriscando a perder tudo o que conquistou. A trilogia Mundo Novo está caminhando para um final épico, e todos que lerem esse segundo livro vão querer correr para conseguirem o seu Nova Era.

Nova Ordem - Chris Weitz
Livro 02
Trilogia Mundo Novo
Editora Seguinte
266 páginas
Comprar: Saraiva / Amazon
Nota 5

7 comentários

  1. Oi Laplace!

    Não li a resenha por causa dos spoilers. Vou procurar a resenha do primeiro livro para conhecer sobre a história!

    Bjo bjo^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ana!
      A história é incrível, vale a pena conferir. O link para a resenha do primeiro livro é esse:

      http://www.recantodami.com/2014/10/resenha-mundo-novo.html

      Excluir
  2. Já tinha gostado do que tinha conferido a respeito do primeiro livro.
    Agora, depois dessa resenha fiquei bem mais curiosa, sério.
    Parece ser uma história e tanto, daquelas que prendem o leitor mesmo.
    Já vou colocar na minha listinha de leituras também.
    Achei super interessante as capas. A do terceiro livro que já tem também!
    Beijos,
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Caroline!
      A história prende mesmo o leitor, vale a pena conferir.

      Excluir
  3. Laplace!
    Não entendi bem porque se as crianças acharam a Cura para a Doença, por que foram presos como se fossem marginais?
    É complicado pegarmos o 'bonde andando', porque pelo visto esse é o segundo livro de uma série, ainda assim, parece um livro tenso e cheio de ação...
    “Não pedi coisas demais para não confundir Deus que à meia-noite de ano novo está tão ocupado.” (Clarice Lispector)
    FELIZ 2017!
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rudynalva!
      É o segundo volume de uma trilogia, por isso não entendesse algumas coisas. Tem a resenha do primeiro volume aqui também, nesse link:


      http://www.recantodami.com/2014/10/resenha-mundo-novo.html

      Excluir
  4. Oi, tudo bom?
    O livro parece ser muito bom, e o autor pelo visto é muito genial, conseguindo construir a trama de Nova Ordem em duzentos e poucas paginas, fiquei curiosa para ler o livro (trilogia) e quero ver se ao final eu direi o mesmo que você UAU.
    Beijos

    ResponderExcluir