Resenha - Garota Desaparecida

Sinopse: "Lauren mora na Inglaterra e sempre soube que é adotada. Mas, quando uma breve pesquisa sobre o seu passado revela a possibilidade de ela ter sido roubada de uma família americana ainda bebê, a vida de Lauren de repente parece uma fraude. O que ela pode fazer para tentar encontrar os pais biológicos? E seus pais adotivos terão sido os responsáveis por sequestrá-la? Lauren convence sua família a fazer uma viagem para o outro lado do Atlântico e, lá chegando, foge a fim de tentar descobrir a verdade. Mas as circunstâncias de seu desaparecimento são sombrias, e os sequestradores de Lauren ainda estão à solta — e dispostos a qualquer coisa para mantê-la calada."
Lauren tem catorze anos e precisa fazer uma redação para a escola. O tema proposto pela professora era "Quem sou eu?", mas a inspiração fugiu e a menina não consegue desenvolver suas ideias. Frustrada, ela joga algumas palavras aleatórias no Google e acaba indo parar em um site de crianças desaparecidas.

Sem a mínima vontade de seguir fazendo o trabalho, Lauren decide pesquisar o próprio nome no site. Para a sua surpresa, ela encontra uma garota que poderia facilmente ser ela. A menina do site fora raptada poucos meses antes de Lauren ser adotada. A grande questão é que Lauren mora na Inglaterra e a jovem, Martha Lauren, desapareceu nos Estados Unidos.

Os pais de Lauren nunca foram muito abertos sobre seu processo de adoção e a mãe sempre pira quando ela tenta trazer o assunto à tona. Só que agora ela está com a pulga atrás da orelha e começa a se perguntar se é mesmo a menina sequestrada. E se for, qual o envolvimento de seus pais com seu sumiço?

Querendo respostas, Lauren convence a família a fazer uma viagem de férias para os Estados Unidos, de modo que possa investigar sobre o seu passado. Com a ajuda de seu melhor amigo, o doce Jam, ela vai enfrentar diversos perigos, até descobrir que algumas verdades devem permanecer escondidas para sempre.

Querem saber o que vai acontecer? Então não deixem de ler!

***

Quando vi Garota Desaparecida dentre os lançamentos do Grupo Editorial Record, logo minha atenção foi para ele. Primeiramente porque a modelo da capa é parecidíssima com uma amiga minha, depois pelo fato de eu ser apaixonado por thrillers e a proposta deste parecer bastante interessante. Contudo, o livro não é nada do que eu esperava. Muito pelo contrário.

A escrita de Sophie McKenzie é bastante fluida e envolvente. Somando isso com as poucas páginas da obra, concluí a leitura em poucas horas. O problema não foi o modo como a autora escreveu e sim as ideias mirabolantes que teve para desenvolver a história. Tinha momentos em que eu simplesmente não conseguia acreditar que certos fatos tinham realmente acontecido.

O que mais me incomodou na trama foi a facilidade com que a autora tirava os personagens das enrascadas. Surgia um clímax em potencial, ela parecia não saber como construí-lo e assim acabava apelando para salvar os personagens magicamente, como se aquilo pudesse realmente acontecer. Fora que grande parte das vivências desses protagonistas não seriam possíveis para reais adolescentes de 14/15 anos.

Falando neles, preciso atestar o quanto eu ODIEI - assim mesmo, em letras garrafais - a Lauren. Que menina mais mimada, egoísta, irritante e sem noção. Ela agia como uma criança de cinco anos a maior parte do tempo e em momento algum se preocupou com as consequências de seus atos. Era cada besteira que ela fazia que tinha vontade de entrar na obra e eu mesmo desaparecer com ela. Jam é aquele personagem que não fede nem cheira, tá ali só pra estar e ser o herói/interesse romântico do enredo.

O desfecho do exemplar deu vontade de rir de tão ridículo. Após milhões de confusões, as coisas terminaram de uma forma tão comercial de margarina que não sabia como lidar. Sério, gente. Garota Desaparecida promete ser um thriller alucinante, porém, ao virar as suas páginas, nos deparamos mais com um filme de Sessão da Tarde. Sabe aquele tipo de narrativa que você tem vontade de "desler"? Então...

A edição física pelo menos está bem trabalhada. A capa está bem mais legal do que a original e a grande questão que ronda é se a minha amiga e a modelo de capa são a mesma pessoa, porque as semelhanças são muitas. Quem sabe esse mistério se revela interessante? Ironias à parte, a diagramação é simples, as páginas são amareladas, a fonte é grande e a revisão está boa, apesar de conter alguns errinhos de percurso.

Como já mencionei, Garota Desaparecida tinha tudo para ser bom, mas foi mal construído e se tornou uma das piores leituras do ano. Infelizmente, não tenho como recomendar esse livro. Mas se quiserem arriscar, preparem-se e escondam todos os objetos pontiagudos e corrosivos da casa. Seus olhos vão agradecer!

Garota Desaparecida - Sophie McKenzie
Editora Verus
238 páginas
Comprar: Saraiva / Amazon
Nota 2

4 comentários

  1. Oi Leonardo!

    Cara, ri demais lendo sua resenha! Odeio qdo isso acontece comigo e neste ano, tive umas 5 leituras assim... uma pena viu? Pq tbm gostei da capa e sinopse!
    Mas foi até bom ler sua resenha, vou ficar longe deste livro! rsrsrsrsrs

    Bjo bjo^^

    ResponderExcluir
  2. Por se tratar de adoção, sequestro e esses esquemas, achei que a história poderia ser boa. A sinopse e a capa do livro chamam bastante a atenção!
    Mas ai vem a sua resenha e o desânimo predomina no leitor haha
    Uma pena ter tantos pontos negativos na leitura.
    Então por enquanto não leria o livro não :(
    Beijos,
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
  3. Nossa Leo!
    Estava com expectativas tão altas para a leitura desse livro e você me joga um balde de água fria, dizendo que foi uma das suas piores leituras do ano... snif, snif...
    “Não existem sonhos impossíveis para aqueles que realmente acreditam que o poder realizador reside no interior de cada ser humano. Sempre que alguém descobre esse poder, algo antes considerado impossível, se torna realidade.” (Albert Einstein)
    FELIZ 2017!
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi Leo, tudo bom?
    O livro pelo visto é decepcionante, não curto protagonistas que agem como crianças, e que triste que o final deu vontade de rir de tão ridículo que é, não pretendo ler o livro.
    Beijos *-*

    ResponderExcluir