Divagando - Tradições Natalinas em extinção!

E aí pessoal, hoje é véspera de Natal e todo mundo vai à loucura. Provavelmente alguém esqueceu de comprar um presente e deve estar correndo até o shopping mais próximo enfrentar a selva de pedra que o local se torna nessa época do ano. Outros estão trocando mimos no trabalho. As matronas certamente já começaram a preparar a ceia, e a grande maioria fica nostálgico, lembrando daquele amor ou ente querido que já partiu. Entre decorações e celebrações, quase todos se esquecem do real sentido do Natal e, cada vez mais, eu percebo que tradições natalinas que marcaram a minha época, foram deixadas para trás.

Então, na tentativa de resgatá-las, hoje falarei sobre três livros que destacam o verdadeiro espírito natalino, que é confraternizar com quem amamos, ter fé e refletir acerca do ano que passou.  E quem sabe assim, a gente inspira vocês a terem um Natal mais mágico

** Este post foi feito em parceria com a Laís, a pessoa mais aficionada pelo Natal que eu conheço, e os livros foram por ela indicados. Obrigada, amiga!

Atenção, essa postagem contém spoilers! Leiam por sua conta e risco! 

1. CARTINHAS DE NATAL:

Quando eu era criança, todo ano enviava a minha cartinha para o Papai Noel. Todo ano eu pedia um cachorrinho, e o danado do "bom" velhinho me respondia dizendo que não podia atender ao meu pedido, pois o cachorro podia cair do trenó. Poxa vida! hehe 

Brincadeiras à parte, para essa tradição a Laís indicou O Natal do Carteiro, de Allan Ahlberg, publicado pela Companhia das Letrinhas. Um livro perfeito para quem tem crianças em casa, já que ele é interativo e possui diversas surpresas dentro.

Segundo a Laís, essa obra é toda rimada. "Nela, um carteiro sai visitando os personagens de contos de fadas, levando um envelope para cada um. E todos estão naquela expectativa de "o que será que tem em minha cartinha?". O legal desse livro é que os envelopes vêm dentro do próprio exemplar para o leitor abrir e os presentes que os personagens ganham, chegam no envelope para o próprio leitor. Em um envelope, vem um cartão postal. Em outro, a Chapeuzinho Vermelho ganha um jogo de tabuleiro em que a criança precisa jogar para ajudá-la a sair da floresta. No próximo, tem um quebra-cabeça. No seguinte, um almanaque de brincadeiras e desenhos para colorir. No fim, o carteiro ganha um cartão, e além dele ser sanfonado, algo que ficou genial, a gente coloca o olho na fechadura de uma porta, vai afastando o cartão até formar a imagem do carteiro sendo abraçado e presenteado por todos os personagens. O Natal do Carteiro é um livro impossível de ler e de não nos lembrarmos da tradição de enviar cartas, cartões e lembranças para quem amamos. Fora que todos os presentes são brincadeiras que podem ser feitas em família,  ajudando a estreitar laços nessa época. É até uma oportunidade para se arriscar a mandar um cartão para alguém."

2. O CALENDÁRIO DO ADVENTO:

Quem aqui já ouviu falar no Calendário do Advento? Eu mesma só o conheci por meio da Laís. Ele nada mais é do que uma contagem regressiva até o Natal. Existem diversos modelos, nos mais comuns, a cada dia que se passa, a criança ou o adulto abre uma janela, uma gaveta, risca a data com uma caneta, para simbolizar um dia a menos até o Natal. Ele pode conter surpresas, presentes e temas a serem discutidos.

"Em Mistério de Natal, de Jostein Gaarder, lançado pela Companhia das Letras, Joaquim queria um Calendário do Advento e estava cansado de achar sempre os mesmos feitos de Papai Noel. Até que, um dia, nos fundos de uma loja, ele encontra um com a imagem de Maria, José e Jesus. Nem o vendedor sabe como o objeto foi parar ali. Todos os dias do calendário, de 1 à 24 de dezembro, são representados por portinhas seladas. A cada dia, ele abre uma e se depara com uma ilustração e um pedaço de papel contendo a narrativa de uma menininha que está fazendo uma viagem no tempo em busca do verdadeiro sentido do Natal. O legal desse livro é que ele é feito para ser lido como se fosse um Calendário do Advento, ou seja, a ideia é que a gente leia um capítulo por dia. O ruim é segurar a curiosidade. Ademais, as gravuras que o Joaquim vê quando abre as portas do calendário são as mesmas que ilustram os capítulos. Nessa viagem no tempo, a menina vai revisitar personagens marcantes do Natal, a história de alguns símbolos, até chegar no nascimento de Jesus, a essência de toda celebração. Além de resgatar essa mensagem do que realmente é o Natal, o fato de o lermos um pouco por dia faz com que criemos certa expectativa pelo final, principalmente para descobrirmos como o tal calendário parou nas mãos do Joaquim."

3. CELEBRAÇÃO COM OS AMIGOS:

Quem aqui gosta de passar o Natal sozinho? Ninguém, certo? Afinal, essa é uma época não só de comemoração, mas de estar ao lado daqueles que amamos. Aliás, não só deles, porque no meio sempre tem aquele tio mala e um amigo chato. Tá valendo, afinal, precisamos aprender a aceitar as pessoas como elas são e a conviver com elas.

Bom, e para traduzir o verdadeiro sentido da vida e do Natal, não podíamos deixar de citar e indicar o clássico Um conto de Natal, de Charles Dickens. Nele, conhecemos Scrooge, um velho ranzinza que é visitado por três espíritos, do Natal passado, do Natal presente, e do Natal futuro; que lhe mostram como as suas atitudes e escolhas o levaram para um caminho de infelicidade e solidão. Sempre é tempo de repensar e mudar, de se tornar humilde e de estender a mão para o próximo, algo que devíamos fazer sempre.

***

Bom, agora me digam vocês, que tradição natalina não pode faltar nas suas casas?

4 comentários

  1. Mi!
    Bem bacana a postagem, mas vou discordar em um ponto, as cartinhas de natal não estão em extinção não. Falo isso porque faço correspondência e nós temos o costume das doces cartinhas natalinas e recebo várias, inclusive os cartões...
    “Desejo a você e à sua família um Natal de Luz! Abençoado e repleto de alegrias. Boas Festas!” (Priscilla Rodighiero)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de DEZEMBRO ESPECIAL livros + BRINDES e 4 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  2. Achei super bacana as dicas.
    Vou procurar saber mais sobre essas obras.
    Tradição aqui em casa é juntar a família, comer uma bela ceia e a trocar presentes.
    Nada de muito complicado rsrs
    Beijos,
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
  3. Oi Mirelle!

    Minha família é enorme e sempre temos muitas variedades de tradições no dia de natal.

    Eu adoro natal, mas neste ano fiquei um pouco desanimada... espero que ano que vem, melhore!

    Bjo bjo^^

    ResponderExcluir
  4. Adoreei sua postagem, realmente hoje em dia esta difícil, o natal não é mais como antes,as tradicoes foram deixadas de lado, na minha familia a tradição era o amigo oculto, entao tiravamos o nome no começo do mês, e deixávamos uma caixa na casa da vovó, e ai escreviamos uma cartinha para o nosso “ amigo ” só que não colocávamos os nossos nomes, colocávamos nomes engraçados tipo “ da: mulher maravilha para: fulano" era muito bom hahaha. Eu adorei esses livros e fiquei bem curiosa em relacao ao livro que vs tem q ler um.capítulo por dia, deve ser bem legal.

    ResponderExcluir