Resenha - Twittando o amor

Resenha - Twittando o amor
Sinopse: "O Twitter é uma festa que nunca termina onde todo mundo fala ao mesmo tempo e ninguém diz nada... Abigail Donovan é uma escritora de sucesso. Ela quase ganhou o prêmio Pulitzer e até foi elogiada no programa da Oprah. Então, por que ela passa os dias e noites escondida no chiquérrimo condomínio onde mora, na companhia de seus dois gatos, sem conseguir escrever? Quando o seu editor a obriga a entrar no mundo das redes sociais para expandir seus horizontes, Abby imagina que vai ser obrigada a conversar com adolescentes que teclam escondido do porão de casa. Mas ela acaba conhecendo Mark Baynard, um professor britânico sexy, bem-humorado e inteligente que está viajando pelo mundo em busca de aventura. Abby tenta resistir ao seu charme, enquanto Mark começa a quebrar a resistência dela aos pouquinhos... Inclusive a resistência a se comunicar por meio de mensagens curtas. Agora que Abby voltou a escrever e a viver, ela descobre que Mark guarda um segredo que poderá mudar para sempre a vida dos dois."
Abby é uma jovem escritora que fez um tremendo sucesso com o seu primeiro livro a ponto de ser incluída no Clube de Leitura de Ophra e a quase ganhar o Prêmio Pulitzer.

Com uma conta bancária recheada após tal feito, mudou-se para o antigo Hotel Plaza, que fora reformado, para morar com as suas duas gatas.

O problema é que quando se começa do alto, é muito difícil de se manter o padrão e suportar as pressões externas e internas e, por conta disso, Abby fora assombrada pela maldição de ter que escrever uma nova história, já vendida para a sua Editora, que havia inclusive pago um bom adiantamento.

Fazia muito meses que Abby não conseguia passar do quinto capítulo e o prazo estipulado para a entrega da obra já tinha se esgotado há tempos. Para incentivar a autora a se aproximar mais dos seus leitores e a manter o seu nome em alta, a sua agente, arbitrariamente, abriu uma conta no Twitter para Abby e pediu que ela começasse a usar.

Completamente perdida nas primeiras twittadas, Abby acabou conhecendo Mark, que a ajudou a se situar e a ensinou várias artimanhas.

Os dias foram passando e Abby e Mark começaram a ficar cada vez mais próximos. Não demorou muito para que suas conversas se tornassem uma válvula de escape para a escritora, na mesma medida em que Mark passou a ser o seu muso inspirador.

Entre encontros virtuais, confidências trocadas, e passeios cibernéticos românticos, Abby descobriu que Mark não era quem dizia ser.

Será que tal revelação será capaz de fazê-la perder totalmente a fé nas pessoas, ou a fará enxergar o quanto a vida é curta para se lamentar, a impulsionando a seguir em frente e a solucionar os desafios que a aprisionam?

Querem saber o que vai acontecer? Então leiam!

***

Faz anos que este livro está encalhado na minha estante e, finalmente, decidi pegá-lo para ler numa daquelas crises que todo leitor tem de: o que vou ler em seguida? Como se nem tivéssemos opções.

Narrado em terceira pessoa, conhecemos Abby, uma autora frustrada, cheia de inseguranças e neuroses, que se tornou muito amarga depois de ser abandonada pelo namorado e enfrentar um bloqueio criativo.

Abby é o retrato perfeito daqueles que sucumbem às dificuldades cotidianas e preferem se vitimizar à sacudir a poeira e seguir em frente. Entretanto, sabemos que nem todos são fortes o suficiente para enfrentarem as suas dores de cabeça erguida. Nesse sentido, foi muito bonito de se ver a transformação que Mark acarretou na vida da protagonista.

Sabemos o quão comum se tornou conhecer pessoas na internet, na era cibernética na qual vivemos, portanto, não estranhei o quanto a aproximação de Abby e Mark se deu rapidamente. É curioso observar, mas muitas pessoas se soltam mais e acabam até mesmo revelando segredos e intimidades com mais facilidade quando estão protegidas atrás de uma tela. Aliás, foi exatamente o que aconteceu entre meu marido e eu, que começamos a namorar virtualmente para somente depois termos o nosso primeiro encontro e nos beijarmos.

O problema é que igualmente temos a ciência de que na internet podemos ser quem queremos e que nem todos falam a verdade. Abby no fundo tinha medo de confiar em Mark, pois sabia que ele podia estar mentindo em tudo o que dizia, e ela não estava de todo errada. Eu também tinha as minhas suspeitas, mas assim como a personagem, em momento algum imaginei a real situação em que Mark se encontrava.

Fiquei com receio da trama rumar para um dramalhão triste, coisa que detesto, mas fiquei feliz pela autora nunca ter perdido o humor ácido em sua escrita, característica essa que adorei.

Outro diferencial do texto se dá pela forma com que os diálogos de Abby e Mark foram escritos, como se realmente estivéssemos testemunhando uma troca de tweets, algo que pode causar um estranhamento inicial em leitores mais exigentes.

Por ser um exemplar de poucas páginas, tive medo do final ser atropelado e das pontas ficarem soltas, mas a Teresa se saiu muito bem. Twittando o amor não podia ter terminado de modo diferente, por mais fofo e clichê que possa ter parecido.

De leitura fácil e rápida, este é um enredo que nos mostra o quão a vida é extraordinária, podendo nos surpreender a todo instante. Ademais, nos lembra que não podemos controlar o nosso destino e nem saber o dia de amanhã, portanto, não há sentido em nos prendermos ao que passou, o importante é vivermos até o nosso último suspiro.

Twittando o amor - Teresa Medeiros
Editora Novo Conceito
202 páginas
Comprar: Saraiva / Amazon
Nota 4

12 comentários

  1. Oi Mirelle, que bacana o título, muito bem pensado. Sem contar que a capa está muito fofa. Sendo o livro curtinho, acho que consigo ler nessa semana ainda.
    Adorei a dica.
    Beijos
    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir
  2. Pra quem é amo o twitter assim como eu, esse livro vai cair como um presente.
    Eu simplesmente amei, achei leve, divertido e com tiradas fantásticas.
    Li em um dia, queria ler mais... Como tem muito diálogo em forma de tweet, fica mais fácil e rápido de ler. SUPER INDICO!

    ResponderExcluir
  3. oi Mirelle!

    Apesar da capa fofa, é um livro que eu não leria. Não sei porque, mas o enredo não me deixou curiosa.

    Ótima resenha, bjo bjo^^

    ResponderExcluir
  4. Eu tenho e li, mas acredito que a minha leitura poderia ter sido mais proveitosa se eu conhecesse todos aqueles personagens que eles ficavam se chamando durante os tweets, adorei o livro, não é uma obra de arte, mas dá para ter uma boa diversão com ele

    ResponderExcluir
  5. Foi amor a primeira vista por essa capa <3
    Sou viciada em twitter e achei bem bacana esse envolvimento da rede com o livro.
    Ainda mais, como você mencionou, que é uma leitura rápida e fácil.
    Fiquei ainda mais interessada.
    Parece ser uma história bem delicinha.
    Não estava com muitas expectativas em relação ao livro, mas depois do que li aqui fiquei com vontade de conhecer a obra.
    Beijos,
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
  6. Já conhecia esse livro, mas nunca li. Não faz muito meu estilo de leitura ;/

    ResponderExcluir
  7. Oi, Mi!
    Legal a coincidência de você também ter conhecido seu marido assim! Já li livros narrados através de e-mails e gostei bastante, mas não sei bem se me adaptaria a ler através de tweets. Achei a história bem simples, mas que realmente parece ser bem fofinha.

    ResponderExcluir
  8. otimo pra quem ama o twitter e parece ser fofo o livro

    ResponderExcluir
  9. Mi!
    Tive oportunidade de ler esse livro assim que foi lançado e foi uma grata leitura, pude rir um pouco e como falou, não se tornou um dramalhão e teve um final bem satisfatório.
    “Só a mágoa deveria ser a instrutora dos sábios; Tristeza é saber.”(George Lord Byron)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de NOVEMBRO com 3 livros + BRINDES e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  10. Oii Mi,
    faz tempooooo que quero ler esse livro!
    Outro que gostei das resenhas, e da premissa.
    Deu pra ver que é engraçado e real, além de falar sobre uma escritora, que já me ganha, pois tenho muita curiosidade para saber sobre esse meio literário,rs
    Fiquei curiosa para saber o que o Mark escondia.
    Vou ver o compro logo!
    bjão

    ResponderExcluir
  11. Oi.
    O livro está com uma capa fofa! Parece uma leitura rápida e leve. Espero ter a oportunidade de conferir.
    Ótima resenha, como sempre. Obrigada pela dica.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  12. Este livro descreve uma situação muito real (tirando a parte da Oprah) e não ficaria chocado se fosse tirada da vida da autora mesmo. A capa condiz bastante com a história e bem planejada.

    ResponderExcluir