Resenha - Nada mais a perder

Resenha - Nada mais a perder
Sinopse: "Na juventude, Henri Lachapelle foi um cavaleiro de raro talento, entre os poucos admitidos na academia de elite do hipismo francês, o Le Cadre Noir. Contudo, reviravoltas da vida o levaram da França a Londres, onde ele agora vive em um simples conjunto habitacional. Sem nunca abandonar o amor pela antiga carreira, aos trancos e barrancos Henri ensina a neta, Sarah, a montar o cavalo Boo, na esperança de que o talento da dupla seja o passaporte para uma vida melhor e mais digna para todos. Mas um grande golpe muda mais uma vez os planos de Henri Lachapelle, e Sarah se vê entregue à própria sorte, lutando para, além de sobreviver, cuidar de Boo e manter os treinamentos. Natasha é uma advogada especializada em representar crianças e adolescentes envolvidos com crimes ou em situação de risco. Abalada emocionalmente e em dúvidas quanto a seu futuro profissional depois de um caso terrível, Natasha ainda tem de lidar com as feridas do fim de seu casamento. Um fim, diga-se de passagem, bem inusitado, já que ela se vê forçada a morar com o charmoso futuro ex-marido enquanto esperam a venda da casa da família. Quando Sarah cruza o caminho de Natasha, a advogada vê na menina a oportunidade de colocar a vida de volta nos trilhos e decide abrigar a adolescente sob o próprio teto. O que ela não sabe é que Sarah guarda um grande segredo que lhes trará sérias consequências."
Em meados de 1950, Henri Lachepelle, um camponês francês, fora aceito no Le Cadre Noir, uma academia de elite para cavalariços, contrariando todas as expectativas.

Apesar de ter muito talento e um futuro glorioso pela frente, abandonou tudo para ficar com Florence, uma jovem inglesa. Desta relação, nasceu Simone, que deu à luz à Sarah, a neta do casal, com quem passou a viver depois que a mãe sumiu no mundo.

Henri carregava dentro de si, secretamente, o arrependimento pela decisão que havia tomado e não queria para a neta um destino como o dele. Sabia que o mais precioso que poderia dar à Sarah era o seu conhecimento sobre os cavalos, um passe para uma vida distante dali. E foi assim que começou a treiná-la.

Sarah passava mais tempo em meio ao estábulo do que fazendo qualquer outra coisa. Suas tarefas diárias incluíam limpar a baia de Boo, levá-lo para esticar as patas e treinar movimentos precisos e muito difíceis para uma garota da idade dela.

Seu aniversário de quatorze anos havia chegado. Sabia que não tinham condições financeiras confortáveis, mas se surpreendera com os presentes que ganhara de , um aparelho de DVD usado e bilhetes para uma viagem para a França, para assistirem a uma apresentação no Le Cadre Noir. Sarah não poderia ter ficado mais feliz.

Entretanto, como nem tudo são flores, sua vida virou de ponta cabeça quando seu vô sofreu um derrame. Sozinha no mundo, Sarah precisou fazer de tudo para se virar e proteger seu cavalo tão amado.

Natasha era uma advogada bem sucedida, com uma conta corrente poupuda, que morava na casa dos sonhos de qualquer um, mas todas essas benesses não vieram sem custo. Após quatro abortos espontâneos e uma carga de trabalho cada vez mais insana, Mac, seu marido, havia desistido da relação, arrasando com o coração não tão frio da moça.

Depois de um ano, quando Tash estava começando a se recompor, Mac estava de volta, para a infelicidade de Natasha. Mac não tinha onde morar, e resolveu pedir abrigo à ex. Se isso não bastasse, impôs que devessem vender a propriedade, pois ele precisava da sua parte no negócio.

Completamente desestabilizada com os novos acontecimentos e tendo que lidar com um caso difícil e de repercussão pública, Natasha se viu envolvida em uma confusão sem tamanho.

Ao entrar em um mercadinho se deparou com uma jovem sendo acusada de furto. Ao tentar ajudá-la, descobriu que a mesma era menor de idade e estava morando sozinha, algo ilegal. Porém, ao acionar o serviço social, ficou sabendo que não havia lar disponível no momento para abrigar a menina, e acabou aceitando acolhê-la.

Aos olhos dos outros, Tash bem que poderia estar brincando de família feliz, tendo que dividir o teto com um quase ex-marido e uma pseudo filha adolescente. Mas será que ela conseguirá manter a sanidade até se ver livre desses problemas? Ou a pressão por ver Mac todos os dias e por não conseguir se entender com Sarah a fará sucumbir de vez?

Querem saber o que vai acontecer? Então leiam!

***

Escrevo essa resenha com o coração aos pulos, aos pedaços e reconstruído, pois fazia muito tempo que um livro não me abalava tanto quanto Nada mais a perder. Já devia imaginar que isso fosse acontecer, afinal, se trata de Jojo Moyes, a autora que sabe escrever como ninguém histórias dramáticas e extremamente reais. Mas dessa vez ela foi longe demais, pois colocou em uma mesma trama elementos que mexem demais comigo: um avô adoentado, uma menina perdida no mundo, um casal desestruturado e prestes a se separar, uma advogada porreta e enregelada pelo sistema, que ainda por cima foi tolhida por não poder ser mãe.

Narrado em terceira pessoa, a obra tem início na década de 60, quando conhecemos o Capitão Lachepelle. Minha afeição por ele foi imediata, pois me lembrou demais do meu falecido avô. Henri era um homem contido, extremamente rígido e que tinha propósitos muito bem traçados. Doeu a minha alma quando ele teve o AVC e foi parar no hospital. Foi horrível vê-lo definhar e presenciar o sofrimento da neta, que só tinha a ele.

Como sempre gosto de dizer, Jojo tem um talento incrível para escrever personagens infantis, e não foi diferente com Sarah. Sua paixão pelos cavalos e em específico por Boo foi demais de se observar. Sarah é uma garota que tem muito a nos ensinar, pois, por mais adversidades que tenha encontrado em seu caminho, se manteve resoluta a ir atrás do seu grande sonho, defendendo seu cavalo com unhas e dentes dos perigos que se fizeram presentes. Eu simplesmente não conseguia parar de ler o exemplar porque precisava saber o que ia acontecer com a jovem e quando a autora lhe criava mais um empecilho, eu quase me jogava para trás de frustração e raiva pensando "e agora Sarah?", e ela sempre dava um jeito. Enquanto lia Nada mais a perder não pude deixar de me perguntar se o nome Sarah foi alguma homenagem ao desenho animado Cavalo de Fogo, porque fala sério, é muita coincidência termos aqui uma Sarah e um cavalo.

O que falar de Natasha, uma personagem tão intragável e detestável que no fim me fez amá-la, por ser tão intrinsecamente humana, cheia de erros, inseguranças e medos? O que mais me incomodou em Tash foi perceber o quanto nós já fomos parecidas, não só por termos a mesma profissão e por termos sucumbido à podridão acarretada pelo Direito, mas, de mesmo modo, por termos quase destruído as nossas vidas amorosas.

Alguns podem achar que é impossível resgatar um casamento depois de muitas mágoas e sofrimento, mas quando ainda existe amor e disposição para tentar, muitos milagres podem acontecer.

Já o Mac, por sua vez, é um personagem cativante e de fácil sedução, e creio que Jojo o escreveu assim de propósito. Por mais que ele tenha um grande destaque no contexto, não tenho muito o que falar, pois para mim ele não foi o foco da narrativa.

A beleza deste texto ocorre no momento em que a vida de todos se encontra. Natasha quer ajudar Sarah, mas não quer se envolver, pois não consegue enxergar além do seu umbigo e se recente por Mac se mostrar tão dedicado à causa; um empenho que ele não demonstrou no que diz respeito a ambos. Sarah está completamente ressabiada, porque percebeu que dizer a verdade pode lhe tirar coisas e fazer com que tudo dê ainda mais errado. Então de menina obediente e exemplar, se tornou uma mentirosa e ladra por não ter mais com quem contar. Mac não entende bem o seu desejo de ajudar a menina, que mais parece uma vontade inconsciente de salvar algo, já que não deu conta de seu casamento. Nesse sentido, foi bonito de ver como cada personagem se tornou o catalisador do outro, trazendo sentimentos e frustrações à tona, para que, com boa vontade, fossem de uma vez por todas resolvidos.

O desfecho se deu de maneira muito tocante e cheia de emoção, e por mais que para alguns possa parecer clichê, não poderia ter acabado de maneira diferente.

Quando cheguei aos agradecimentos, fiquei esperando encontrar um porquê dessa enredo ter sido escrito, e encontrei. Novamente, como sempre, todos os títulos de Jojo são baseados em algo que lhe chamou atenção, lhe tocou o coração e que foi fruto de muita pesquisa. Eu não sabia, mas a autora é maluca por cavalos - e talvez tanto quanto Sarah -, e tem o seu próprio, que mora com ela num sítio, e quem sabe a protagonista tenha um pouco dela mais do que podemos imaginar.

Nada mais a perder é um livro intenso, delicado e cheio de significados que, antes de tudo, fala sobre as relações entre os seres, que devem ser construídas na base da confiança e do respeito. Ademais, aborda a esperança no futuro, tão difícil de se acreditar quando se é mais velho, e no quanto hoje em dia as crianças são abandonadas e desacreditadas, tornando-as um perigo para si e para os outros. Afora isso, Jojo igualmente trabalha o envolvimento entre o homem e o animal, que remonta os primórdios, e que está sendo cada vez mais negligenciado.

Embarquem nessa jornada da vida e descubram o que o homem é capaz de fazer mesmo quando não se tem mais nada a perder.

Nada mais a perder - Jojo Moyes
Editora Intrínseca
400 páginas
Comprar: Saraiva / Amazon 

Nota 5

12 comentários

  1. Oi, Mirelle. Eu amei sua resenha! Jojo realmente sabe escrever livros impactantes e chamativos de alguma forma, eu simplesmente amo a narrativa dela. Eu não vejo a hora de ler o livro, parece-me ser uma maravilha, cheia de emoções!
    Beijo, Leitora Encantada

    ResponderExcluir
  2. Nossa, que história! Agora no final fiquei surpresa com a quantidade de páginas, mas essa realmente é uma história com muitas coisas envolvidas pra ser um livro de tamanho usual da Jojo. Achei interessantíssimos os temas que ela resolveu abordar, principalmente essa junção da Natasha com a Sarah de modo não muito convencional e no momento em que ambas precisavam disso.

    ResponderExcluir
  3. Já fiz uma lista dos livros da Jojo que quero ler, que por sinal são vários e este esta nela. Agora estou lendo Em busca de abrigo. Ela é maravilhosa, pois aborda temas bem realistas. Quero descobrir qual é o segredo de Sarah, quero ver os conflitos e as soluções que Natasha irá enfrentar.
    ronida_sindi@hotmail.com

    ResponderExcluir
  4. Agradeço demais a você e ao blog por terem me dado a oportunidade de ter esse livro rs. Já vai ser uma das minhas próximas leituras.
    A história parece ser bastante intensa, emocionante e apaixonante.
    Já sinto que vou ficar abalada também depois de ler o livro.
    A escrita da Jojo é sensacional. Ela consegue prender o leitor do início ao fim.
    Sua resenha me deixou com ainda mais curiosidade.
    Beijos,
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Linda resenha!
    Como sempre comento, ainda não tive oportunidade de ler nada da autora, mas tenho vontade. Espero em breve, conhecer mais das suas obras.
    A capa está muito bonita e a premissa, emocionante.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Já li e gostei muito. Esse é um daqueles livros que são doces e suaves, sobre uma história de amor.. Uma história gostosa de ler e que aquece nosso coração! Ótima leitura, assim como os outros livros de JoJo! Recomendo.

    ResponderExcluir
  7. Oi Mirelle, a Jojo manja dos paranaue né menina. Acho que quase todos os livros dela que eu cheguei a ler alguma coisa sobre, fiquei com vontade de ler o livro.
    Com esse não foi diferente. Espero gostar tanto quanto você.
    Beijos
    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir
  8. Mi!
    Nem sabia que você era advogada, achei que era jornalista, juro.
    Em relação ao livro, os livros da Jojo tem esse poder de mexer com nossos sentimentos e nos arrasar, para depois trazer um desfecho totalmente inesperado e por vezes até desejado.
    Quero muito poder ler mais esse livro dela.
    “Para saber uma verdade qualquer a meu respeito, é preciso que eu passe pelo outro.” (Jean-Paul Sartre)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oi Mirelle!

    Mulher, fiquei arrepiada lendo sua resenha! Acho que vou gostar muito desse livro, mesmo não sendo tão fã assim da autora!

    Parabéns pela linda resenha, vou adicionar o livro na minha lista de desejados!

    Bjo bjo^^

    ResponderExcluir
  10. Que resenha linda, Mi!
    Nossa, fiquei morrendo de vontade de lê-lo.
    A Sarah pelo jeito sofre demais, mas é também muito forte e determinada, apesar de estar sozinha e ter levado tantas rasteiras da vida.
    A Tash apesar de seus defeitos, parece ser tipo a Celeste kkkk no fim, compreendemos-a e ainda a amamos! rs
    Vou querer ler com certeza!
    E conhecer finalmente um livro da Jojo! kkkk
    bjoss

    ResponderExcluir
  11. Parece um livro muito bom, pela resenha pode-se ver que um vínculo é criado entre o leitor e as personagens. Lendo a resenha eu me identifiquei com a história e pelo que você escreveu tenho certeza que gostarei caso venha a ler.

    ResponderExcluir
  12. Uma das minhas autoras favoritas ♡
    Quero ter e ler todos os livros dela ♡ Tão maravilhosa!

    ResponderExcluir