Resenha - Cabeças de Ferro

Resenha - Cabeças de Ferro
Sinopse: "Malu foi aprovada no vestibular e prepara-se para encarar o temido trote da Engenharia. Afinal Artur, seu arqui-inimigo de infância, será seu veterano. No dia, ele despeja uma gosma na cabeça de outra caloura, que sofre um choque anafilático e todos fogem. Malu e Artur, apesar de se odiarem, não têm outra saída a não ser se unir para desvendar este mistério. Por que a gosma da garrafa despejada na caloura era a única de cor diferente? E por que as outras garrafas desapareceram? Alguém estaria tentando ocultar provas? Será que os estudantes estão na mira de um assassino?"
Malu era uma menina prodígio. Dotada de uma memória de elefante que remontava ao seu primeiro ano de idade, passava facilmente em qualquer matéria da escola e ficava em primeiro lugar em todos os campeonatos que disputava no colégio. E claro que o fato de ser tão CDF havia lhe rendido alguns inimigos.

Um deles era Artur, que a havia humilhado aos 11 anos por conta de inveja, episódio este que lhe rendeu o apelido jocoso de Pikachu. Desde então, Malu passou a odiá-lo.

Havia chegado a hora de prestar o vestibular. Malu se inscrevera para o curso de Engenharia da Produção, e como não poderia ser diferente, fora a primeira colocada.

Malu descobriu que a Engenharia era famosa por aplicar trotes muito vexatórios nos calouros, mas não era isso que ela temia. De acordo com as regras, Malu deveria receber o trote do veterano que igualmente havia conquistado a primeira posição no semestre anterior que, no caso, era Artur.

Chegara a tão temida noite para a garota. Vestida apenas com trapos, pois imaginava o que a esperava, foi deixada no Bloco 14 da Engenharia pelo seu melhor amigo, Nicolas, para enfrentar o ritual de iniciação da faculdade. Porém, nada a tinha preparado para o que estava por vir.

De posse de uma garrafinha de substância duvidosa, com seu nome etiquetado nela, Artur optou descumprir as regras e despejou tal conteúdo na segunda caloura, Mariana, ao invés de em Malu.

Primeiramente, os veteranos ficaram ultrajados em presenciar tal traição, para em seguida saírem todos correndo do local ao perceber o ocorrido.

Mariana jazia caída no chão, sem respirar, com queimaduras por todo o corpo, cabelos caindo e em choque anafilático. Artur prontamente fez respiração boca a boca, o que salvou a vida da garota.

Malu ainda não acreditava que a vítima deveria ter sido ela, enquanto Artur jurava não ter envolvimento algum com aquilo. O mais curioso é que, contrariando as evidências, Malu acreditava nele.

Após uma análise minuciosa, descobriram que no tal recipiente havia uma quantidade absurda de ácido agressílico. A conclusão mais óbvia é de que alguém havia tentado matar Malu, e candidatos não pareciam faltar.

Agora, Malu teria que se unir ao seu arqui-inimigo para tentar desvendar esse mistério, manter-se viva e limpar a barra de Artur que estava a um passo de ser preso e expulso da UPN. Mas mal sabia ela que essa desventura seria capaz de mudar o seu destino completamente.

Querem saber o que vai acontecer? Então leiam!

***

Nunca havia lido nada da Carol Sabar e, em uma conversa com a Laís pedindo sugestões de leituras leves, este título me foi indicado. Lembro de ter perguntado se tratava-se de um chick-lit, ao passo que ela respondeu que não sabia categorizar bem a história. Então perguntei se ela havia rido e se a personagem era meio pateta e tinha se metido em confusões. Após responder três vezes que sim, decidi me arriscar na leitura.

De início, tive um pouco de preconceito quanto à trama. Explico: por versar a respeito de um trote vexatório que quase resultou na morte de uma estudante, queria que a autora tivesse tratado do assunto com mais seriedade, até para passar uma mensagem importante aos universitários. Tive a sensação de que o desenrolar dos fatos estava sendo escrito de maneira muito surreal e inverossímil.

Além disso, impliquei com a composição dos personagens, que julguei serem muito clichês. Malu é a típica CDF que costumamos ver por aí. A diferença é que ela é popular, tem vários amigos e muito é muito bonita e cuida da sua aparência. E é óbvio que possui um crush que é apaixonado por ela desde que se conhece por gente, mas que ela ignora por não querer estragar a amizade. Do outro lado temos o bad boy mais marrento e gostoso da face da Terra, que enerva e abala as estruturas da moça, que se vê dividida entre os dois partidos. Já vimos essa fórmula em vários lugares, né? Contudo, transpassadas as minhas considerações precipitadas, percebi que a Carol trouxe em seu texto elementos interessantes e um tanto quanto inovadores.

A começar pela própria protagonista, que é forte, corajosa, bem resolvida sexualmente, inteligente e que não se deixa rotular, algo que amei. E por mais que haja um triângulo amoroso no ar do qual podemos prever o final, a autora não tomou o caminho mais esperado e gostei bastante de como tudo terminou entre eles.

Além disso, as duas coisas que mais me prenderam na obra foram a narrativa e o mistério contido no enredo. Escrito em primeira pessoa, em formato de diário, Carol me conquistou por completo com o seu linguajar divertido e despretensioso, e me deixou maluca para descobrir o verdadeiro culpado por todos os crimes cometidos.

Palmas para a autora que criou um quebra-cabeças inteligente, sem nenhuma ponta solta e que me confundiu lá pelas tantas e me fez suspeitar de um monte de gente, apesar de eu ter descoberto o criminoso. Iupi.. kkk.

Me diverti um monte lendo Cabeças de Ferro e fiquei com um baita gostinho de quero mais, até porque o desfecho em aberto deixou no ar inúmeras possibilidades. Depois desse exemplar, já fiz a minha listinha dos próximos livros que quero ler de Carol, e fiquei sabendo que haverá uma continuação desta história. Eba!

Cabeças de Ferro fala sobre a difícil tarefa de se aceitar e de se amar num mundo tão radicalmente competitivo, em que muitos buscam por uma aprovação externa e lutam para se encaixar e se sentirem parte de um grupo. Afora isso, também nos mostra o que acontece quando extrapolamos limites éticos e jurídicos para alcançarmos os nossos objetivos com base no orgulho e na cobiça.

Super recomendo para quem quiser passar uma tarde brincando de detive e suspirando pelos boys magia da narrativa.

Cabeças de Ferro - Carol Sabar
Livro 01
Editora Jangada
304 páginas
Comprar: Saraiva / Amazon
Nota 4

14 comentários

  1. Oi Mirelle!

    Apesar do assunto ser interessante, não leria esse livro por agora. Achei a historia um pouco clichê, mas quem sabe, mais para frente, eu dê uma chance!

    Parabéns pela resenha!

    Bjo bjo^^

    ResponderExcluir
  2. A premissa desse livro me chamou muita atenção desde a primeira vez que li a sinopse. Sua resenha me deu ainda mais vontade de lê-lo, Mirelle.
    Grande abraço.

    Fala C. R!

    ResponderExcluir
  3. Oi, Mi!
    Achei a capa e esse início do livro beeeem estilo Sessão da Tarde, e eu também teria preconceito por aparentemente a autora ir tratando tudo como uma aventura de crianças :/
    Achei mesmo super clichê as características dos personagens, e não vejo bem como a autora conseguiria transformar em algo original e bom. No momento não me interessou muito.

    ResponderExcluir
  4. gostei lindo e meio que parece quase verdade parece ser meio engraçado uma aventura em tanto mi eu tava fazendo isso de ler e comentar para conseguir o livro pra minha mae mais realmente suas postagens sao divertidas

    ResponderExcluir
  5. Olá.
    Ótima resenha, como sempre. Dessa vez deixo passar a dica, não é um estilo de leitura que me conquiste.
    De qualquer forma, agradeço pela dica. Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Primeira resenha que leio sobre o livro e confesso que gostei bastante.
    Me deixou super interessada, ainda mais sendo uma obra nacional.
    A história tem um diferencial que me deixou com uma super vontade de ir na livraria e comprar, sério.
    Fiquei doida pra conhecer um pouquinho mais sobre ele.
    Espero poder ler em breve.
    Adorei a capa também :)
    Beijos,
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
  7. Oi Mirelle, eu vi esse livro esses dias em uma livraria e quando li a sinopse fiquei mega curiosa. Já me identifiquei só por ser um trote da turma de engenharia que é o que eu faço, depois de ler sua resenha então, estou com mais vontade de ler.
    Beijos
    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir
  8. Mi!
    Apesar de não gostar muito de triângulos amorosos, fiquei curiosa porque falou que o final é totalmente inesperado.
    Também juntar um tantinho de mistério e saber que a protagonista é inteligente e forte, me interessou pela leitura.
    “Não há nada que faça um homem suspeitar tanto como o fato de saber pouco.” (Francis Bacon)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de NOVEMBRO com 3 livros + BRINDES e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  9. Confesso que li esse livro em poucas horas e não o larguei até chegar ao final, queria muito saber o que ia acontecer e ainda me divertia com a personagem principal (A trama é muito divertida graças a narração de Malu). Ela conversa muito com o leitor, mostrando os seus medos e as suas vontades. Recomendo!

    ResponderExcluir
  10. Mi! Apesar de não gostar muito de triângulos amorosos, fiquei curiosa porque falou que o final é totalmente inesperado, mas por outro lado achei que não tem muito a pegada que gosto numa leitura. Achei a capa bem sem graça e lembra a algo mais adolescente o que não me faz querer ler! estou em dúvida!

    ResponderExcluir
  11. Já tinha visto esse livro em outro lugar, e achei bem interessante. Já quero ler;.

    ResponderExcluir
  12. Caio Santana
    caio07.santana@hotmail.com

    Oiii Mi!!
    Adorei a resenha, adorei a história só me deu mais vontade de ler já comprei estou ancioso pra chegar

    Bjuss
    #topcomentaristadomes

    ResponderExcluir
  13. Mi, eu amo os livros da Carol Sabar!
    Nossa, são muito divertidos e bem escritos!
    Se bem que tem hora que da raiva das protagonistas de tanta bagunça que fazer kkkk
    Cabeças de ferro parece ser mais série e com todo esse mistério envolvendo os estudantes, não tem cara de ser cheio de comédia quanto os outros dois anteriores da Carol.
    Claro que já quero!
    bjs

    ResponderExcluir
  14. Quando eu vi a capa do livro eu imaginei uma história, lendo a sinopse e a resenha eu fiquei frustrado tanto por ter pouca relação com a capa como quanto pelo o que foi relatado de não ter sido tratado de uma forma mais educativa, acredito que não leria este.

    ResponderExcluir