Resenha - A Garota do Calendário: Maio

Sinopse: "Mia Saunders precisa de dinheiro. Muito dinheiro. Ela tem um ano para pagar o agiota que está ameaçando a vida de seu pai por causa de uma dívida de jogo. Um milhão de dólares, para ser mais exato. A missão de Mia é simples: trabalhar como acompanhante de luxo na empresa de sua tia e pagar mensalmente a dívida. Um mês em uma nova cidade com um homem rico, com quem ela não precisa transar se não quiser? Dinheiro fácil. Parte do plano é manter o seu coração selado e os olhos na recompensa. Ao menos era assim que deveria ser... Em maio, Mia vai trabalhar como modelo no Havaí, onde conhecerá Tai, um dos homens mais impressionantes que ela já viu. Com ele, Mia vai descobrir que o prazer não tem limites — e que ela deve aproveitar absolutamente tudo o que a vida tem a oferecer."
ATENÇÃO! Este livro possui cenas de sexo e linguajar obsceno. Não recomendado para os menores de idade. Leiam a resenha por sua conta e risco! 
 
ALERTA! Esta resenha pode conter spoilers dos livros anteriores da série. Leiam por sua conta e risco!

Maio chegou e Mia está animada com o seu próximo trabalho. Ela foi contratada para ser modelo de uma linha de biquínis, que busca abranger mulheres de todos os tamanhos. O melhor de tudo é que a sessão de fotos acontecerá no paraíso litorâneo do Havaí e que ela poderá levar a sua irmã, Maddy, e a sua melhor amiga, Ginelle, para passar uns dias em sua companhia.

Antes de ir para o Havaí, Mia resolve ir para Vegas, para ver como a irmã está e fica chocada com algumas descobertas. Ela sabia que Maddy estava se envolvendo com um rapaz, mas não sabia a quantas andava esse relacionamento, até a irmã revelar que havia perdido a virgindade com ele. Mia sempre teve um instinto maternal para com a caçula e não aceita vê-la crescendo e ganhando asas. 

Se não fosse o bastante, quando Mia vai jantar na casa dos pais de Matt para conhecer o garoto e a família, uma bomba cai em seu colo quando o jovem pede a mão de Maddy em casamento. Como foi que a menina cresceu tão rápido? À princípio, Mia não sabe muito bem como lidar com a situação, mas aos poucos vai aceitando, principalmente ao ver o quanto Matt deixa a irmã feliz e o quanto ele pode protegê-la, já que Mia não está mais lá para cumprir esse papel

Já no Havaí, Mia conhece o dono da grife, Angel D'Amico, um italiano, que também será o fotógrafo das sessões de fotos. Ele é casado com Rosa, uma latina irresistível, e os dois administram juntos os negócios e cuidam do seu casting. Em meio a essa nova experiência, Mia tem a sua atenção desviada para um modelo divo. 

Tai Niko é nativo da região e tem muita presença, tendo em vista que é um homem grande - em todos os aspectos - e absurdamente irresistível. Além disso, Niko tem todo um lado do corpo tatuado e Mia não vê a hora de explorar todas aquelas tatuagens. A jovem acompanhante deseja aquele samoano sexy em sua cama e não será tão difícil de convencê-lo a ir para lá. Juntos, Tai e Mia desbravarão os limites do sexo e do prazer e descobrirão um pouco mais sobre si mesmos.

Querem saber o que vai acontecer? Então não deixem de ler!

***

Decepção. Essa é a palavra que mais define o que senti lendo esse livro. Audrey Carlan se perdeu totalmente no que vinha oferecendo ao leitor e apresentou uma trama rasa e sem propósito. Se eu tinha achado que Fevereiro era resumido a sexo, não sabia o que me esperava em Maio. Sexo do começo ao fim, de diversas formas e em diversos lugares possíveis.

Mia tinha sido contratada para estrelar uma campanha de biquínis, mas a autora quase não focou nisso. Pareceu que Audrey esqueceu qual era a função de Mia ali naquele cenário e quando lembrava, inseria alguns parágrafos sobre, e depois voltava para as relações sexuais entre os personagens. Sei que essa é uma série erótica, mas quando o cerne se restringe apenas ao erotismo, nenhum enredo se sustenta.

E o que falar de Mia nesse volume? Gente, consegui novamente ficar chocado com algumas de suas atitudes. Ao conhecer Tai, ela nem achou necessário flertar muito, já se ofereceu para ir para a cama com ele, assim, sem pudor algum, pura e simplesmente. E se isso não bastasse, todas as vezes em que eles transaram, ela sempre queria mais. Não podia ver o homem que se jogava em cima dele, alegando estar necessitada. 

O que salvou essa narrativa de ser um verdadeiro fracasso foi a exploração da cultura samoana, que achei que a autora soube desenvolver super bem, e a relação de Mia com a irmã. Audrey explorou bem esse lado matriarcal de Mia, mostrando a preocupação que a protagonista tem com a irmã mais nova, além de dar algumas lições sobre sexo seguro e a respeito de pensar bem antes de agir, coisa que ela não faz. Mas enfim

Quanto ao final, foi bem decepcionante. Enquanto em Fevereiro, apesar do sexo excessivo, consegui tirar uma lição, aqui em Maio isso não foi possível. Ou talvez a mensagem transmitida tenha sido realmente "é possível passar um mês fazendo sexo selvagem com alguém para depois virarem grandes amigos, como se nada tivesse acontecido". Fica aí o questionamento.

A Garota do Calendário: Maio foi uma grande decepção e me fez desanimar mais uma vez com o restante da coleção. Já estou com Junho aqui e vou persistir na leitura, mas se não der uma melhorada, acho que vou acabar abandonando a série. :(

A Garota do Calendário: Maio - Audrey Carlan
Livro 05
Série A Garota do Calendário
Editora Verus
144 páginas
Comprar: Saraiva / Amazon
Nota 2

3 comentários

  1. Oi, Leonardo! Tudo bem?
    Tenho encontrado tantas resenhas, assim como a sua, onde há uma decepção com a leitura dessa série. Que pena. Eu, sinceramente, não tenho interesse e nem curiosidade sobre a série. E lendo resenhas como a sua, mais certa estou de que não irei jogar meu tempo fora, ainda mais que minha lista de leituras é imensa! De qualquer forma, sua resenha está ótima, muito bem elaborada. Obrigada! Abraços.

    ResponderExcluir
  2. Ah que peninha que você se decepcionou.
    Não li nenhum livro da série ainda, mas confesso que estou bem curiosa.
    Quero completar toda a série para ai sim começar a ler rs, sou dessas.
    Espero não me desanimar assim como você, gosto bastante do gênero e criei uma certa expectativa quanto a essa história.
    Beijos,
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
  3. Oi Leonardo!

    Não li a resenha por causa dos spoilers, já que ainda não li nenhum dos livros. Ganhei os dois primeiros e estou bem curiosa para conferir a leitura, já que o gênero não faz tanto meu tipo.

    Bjo bjo^^

    ResponderExcluir