Resenha - Rainha das Sombras

Resenha - Rainha das Sombras
Sinopse: "Todos que Celaena Sardothien amou lhe foram tirados. Mas finalmente chegou a hora da retribuição. A vingança promete ser tão dura quanto o aço da Espada de Orynth — a espada de seu pai. Finalmente Celaena retornou ao império; por justiça, para resgatar seu reino e confrontar as sombras do passado. A assassina está morta. Ela abraçou a identidade de Aelin Galathynius, rainha de Terrasen. Mas antes de reclamar o trono, precisa lutar. E ela vai lutar. Por seu primo, a Puta de Adarlan, o general do Norte... um guerreiro preparado para morrer por sua soberana; por seu amigo Dorian, um príncipe preso em uma inimaginável prisão; por seu povo, escravizado por um rei cruel e à espera do retorno triunfante de sua líder; por seu carranam e a libertação da magia. Ao avançar em seu plano, no entanto, Aelin precisa tomar cuidado com velhos inimigos. E abrir o coração para novos e improváveis aliados. Tudo isso enquanto os valg continuam trabalhando nas sombras. E Manon Bico Negro, a Líder Alada das Treze, treina suas bestas voadoras. Mas é de Morath, a fortaleza montanhosa do Duque de Perrington, que uma ameaça como nenhuma outra promete destroçar seu grupo de rebeldes e sua corte recém-formada." 
ALERTA! Esta resenha pode conter spoilers dos livros anteriores da série Trono de Vidro. Leiam por sua conta e risco! 

Em Herdeira do Fogo, Celaena Sardothien partiu para Wendlyn para tentar descobrir com sua tia Maeve informações sobre as Chaves de Wyrd e cumprir a promessa que fez a sua amiga Nehemia. Porém, a viagem mudou a jovem. Seus treinos com o príncipe guerreiro Rowan a fizeram aceitar seu lado feérico que tanto desprezava e seu destino, do qual parou de fugir.

De volta à Forte da Fenda, a garota não é mais Celaena, e sim Aelin Galathynius, a rainha de Terrasen. Ela retornou para recuperar o amuleto de Orynth, que esconde a terceira e última Chave de Wyrd, que foi tirado de si na noite em que ela foi encontrada pelo Rei dos Assassinos. Além disso, Aelin quer vingar-se do rei de Adarlan e de Arobynn Hamel, por todo mal que lhe fizeram.

Só que as coisas na cidade não estão mais como quando Celaena partiu. Após o Rei descobrir sobre a magia de Dorian e matar a sua amada Sorscha, Chaol precisou fugir do palácio e aliou-se aos rebeldes. Dorian foi aprisionado dentro do próprio corpo quando o pai envolveu seu pescoço com um colar de pedra de Wyrd, que inseriu um demônio valg nele. O demônio agora controla todos os movimentos do príncipe sob os comandos do Rei.

O reencontro de Aelin com Chaol não é dos mais agradáveis, pois o ressentimento existente entre os dois ainda é grande. A rainha culpa o capitão pela morte de Nehemia e ele a acusa por não ter revelado quem realmente era e tudo o que aconteceu por conta disso. Mas agora os dois precisam trabalhar juntos para resgatar o primo de Aelin, Aedion, que está aprisionado no Castelo de Vidro e prestes a ser executado pelo Rei, como forma de atrair Aelin para uma armadilha.

Todavia, sozinha, Aelin não conseguirá passar pelas defesas do castelo para resgatar o primo. Para a surpresa da rainha, quem se oferece para ajudá-la é Arobynn. Sem saída, Aelin precisará aceitar a ajuda do Rei dos Assassinos, mas sabe que tudo para Arobynn tem um preço. Estará ela disposta a pagá-lo quando chegar a hora?

Enquanto isso, nas montanhas, a bruxa Dentes de Ferro Manon precisa lidar com os planos do Duque Perrington. Ela se tornou a Líder Alada, que irá comandar as outras Dentes de Ferro na guerra que se aproxima. Só que conforme mais tempo Manon e suas Treze vão passando nas montanhas, mais vão percebendo que existe algo de sombrio e oculto que pode vir a definir a guerra antes mesmo que ela comece...

Querem saber o que vai acontecer? Então não deixem de ler!

***

Depois do choque que foi para eu ler Herdeira do Fogo, não achei que Sarah J. Maas pudesse me surpreender ainda mais. Quando Rainha das Sombras ficou disponível para solicitação em março, pedi meu exemplar assim que possível, mas por conta de atrasos no correio ele chegou apenas esse mês. Quando recebi o livro e comecei a lê-lo, nada me preparou para o que encontrei.

Para começar, Rainha das Sombras possui nada menos do que 640 páginas, cem páginas a mais que seu predecessor. Além disso, a autora dividiu mais ainda os POV's, de forma que abrangesse outros tantos personagens e histórias, sempre narrados em terceira pessoa.

A escrita de Sarah J. Maas é leve, fluida e prende o leitor logo de cara. Me peguei encarando esse calhamaço e nem percebendo o decorrer das páginas. Quando me dei conta, o livro estava terminando e eu não conseguia largá-lo. Sarah desenvolveu muito bem o enredo, preenchendo-o com inúmeras revelações e reviravoltas, nunca deixando a história cair na monotonia.

Entretanto, para mim, os grandes destaques dessa trama foram os personagens. Os antigos cresceram e mostraram do que são capazes e os novos chegaram para acrescentar muito mais detalhes a essa narrativa tão complexa. Obviamente, Aelin continua sendo a minha favorita. Já amava a assassina em seus tempos como Celaena, mas agora que ela aceitou sua linhagem, está mais forte e determinada do que nunca.

Os que mais se sobressaíram além de Aelin foram Nesryn, uma rebelde que ajuda muito a corte da rainha em suas missões por Forte da Fenda; Aedion, que é um excelente guerreiro e tem um humor maravilhoso; Elide, uma escrava nas Montanhas que descobre segredos sobre seu próprio passado e ainda ajuda Manon em suas buscas por informações; e, por fim, Lysandra, a cortesã que tanto fez a vida de Aelin um inferno em sua juventude, mas que agora se mostra uma potencial aliada para derrotar Arobynn.

Minha decepção para com essa obra se deu por conta do meu shipp entre Chaol e Aelin. O sentimento entre os dois ainda está ali, mas encoberto por muitas mágoas e culpa. Fiquei chateado em ver que esse par do qual eu tanto gosto pode não terminar a série junto. Sarah desconstruiu completamente o Chaol que eu conhecia, mas nem por isso deixei de adorá-lo.

Quanto ao desfecho foi, como sempre, de tirar o fôlego. Se eu já achei o texto com bastante ação, nem sei o que dizer sobre o final. Sarah poderia ter encerrado a história aqui e a conclusão seria digna de toda forma, mas a autora deixou um excelente gancho para o quinto volume, que chega às livrarias americanas em setembro e deve chegar no Brasil apenas ano que vem.

Sobre a edição física, a Galera Record seguiu o padrão dos outros exemplares da série. A capa é belíssima e é uma adaptação da versão britânica. A quarta capa é a minha favorita da coleção até agora. O vestido usado por Aelin na imagem, além de lindo, tem um grande destaque no contexto. A diagramação é simples, as folhas são amareladas e a fonte é média. Quanto à revisão, encontrei alguns erros, mas nada de muito gritante. Estava tão inserido no universo de Trono de Vidro que quase nem os percebi.

Rainha das Sombras é uma excelente continuação para uma das minhas séries atuais favoritas e super recomendo essa história a todos. Se joguem e apaixonem-se por esse mundo fantástico assim como eu. É impossível não gostar.

Rainha das Sombras - Sarah J. Maas
Livro 04
Série Trono de Vidro
Editora Galera Record
644 páginas
Comprar: Saraiva / Amazon
Nota 5

3 comentários

  1. Oi Leonardo!

    Não li a resenha por conta dos spoilers. Tenho o primeiro livro desta trilogia mas ainda não o li. Quero comprar os demais livros antes de dar uma chance a obra.

    Bjo bjo^^

    ResponderExcluir
  2. Fiquei um pouco com medo de pegar algum spoilers, mais este livro desde o primeiro que lançou eu fiquei louca para comprar, por que só ouvi resenhas positivas.

    ResponderExcluir
  3. Tenho muita vontade de ler essa série!
    As capas são lindas e parece ser um livro envolvente, bem escrito e viciante, só que é muitooooo caro!kkkkk
    bjs

    ResponderExcluir