Dica de filme - Mães de cinema

E aí pessoal, hoje é Dia das Mães e eu não podia deixar essa data passar em branco porque hoje é o meu primeiro (de muitos) Dia das Mães com a Úrsula, a minha filhinha, e não estou cabendo em mim de tanta felicidade.

Ser mãe não é uma tarefa fácil, principalmente quando somos marinheiras de primeira viagem. Basta o nosso nenê nascer para as dúvidas, inseguranças e medos nos assolarem, e eu garanto a vocês, esses sentimentos serão para sempre, acrescidos de um que se torna o nosso nome do meio: a culpa. 

Cotidianamente nos culpamos por tudo, do que acontece ao que deixamos de fazer, passando por aquilo que inclusive não temos controle. A questão é, com a cobrança que sofremos da sociedade e de nós mesmas, nós queremos ser perfeitas! Mas será que existe perfeição na maternidade?

Pensando nisso, escolhi 5 personagens fictícias do mundo do cinema para ilustrar alguns tipos de mãe. Aproveitem também essas dicas para assistirem aos filmes com as suas amadas neste dia e divirtam-se :)


1. A ABNEGADA:

Não podia começar esta lista sem falar de Joquebede, a mãe de Moisés de Os Dez Mandamentos. Nunca conheci uma mãe tão abnegada, lutadora e de tanta fé como ela. Joquebede abriu mão de Moisés não só uma, mas diversas vezes, sempre pensando no seu bem e na sua sobrevivência. Não consigo e nem quero imaginar o que é ficar longe de minha filha, ainda mais por decisão própria, mas o amor de mãe é maior que o mundo e, quando incondicional, transcende os sentimentos egocêntricos, nos fazendo agir pensando sempre no que é o melhor apenas para as nossas crias. Admiro muito essa mulher!


2. A MATRONA:

Quem aqui se lembra da saudosa Molly Weasley, mãe de Rony, Gina e de toda a trupi Weasley da série Harry Potter? Molly é a clássica matrona, com um coração enorme onde sempre cabe mais um para cuidar e amar. Zelosa, mas severa quando necessário, Molly defende seus filhos com unhas e dentes se preciso for. Infelizmente este é o tipo de mãe que está em extinção e que muito nos lembra das nossas avós, que não mediam esforços para nos entupir de comida caseira e que sempre nos presenteavam com roupas tricotadas à mão nas datas festivas.


3. A CIENTISTA:

Desde que as mulheres se libertaram do seu papel exclusivo de esposa, dona de casa e mãe e saíram dos seus lares para estudar e buscar a realização profissional, ficou cada vez mais comum termos mães como a Dra. Alice, de Para sempre Alice, que precisam dividir o seu tempo entre várias tarefas e ainda cuidar da família. Por ser simplesmente genial e muito ambiciosa, Alice cobra bastante dos filhos, exerce pressão para que eles façam o que ela acha certo e não aceita que eles sejam medíocres ou fracassados, gerando uma carga extra no ombro deles que tentam, a todo custo, agradar e ser motivo de orgulho da mãe. Entretanto, o destino prega uma peça em Alice quando ela é diagnosticada com Alzheimer e começa a esquecer de tudo e de todos. Eu convivo com uma mãe parecida com a personagem e não acho nada fácil viver conforme os altos padrões dela, do que ela idealiza para mim. Acho muito complicado quando as nossas mães não nos deixam viver as nossas vidas e espero não criar expectativas para a Úrsula. Agora, imaginem que coisa mais horrível que deve ser se esquecer do nosso ente mais querido? Que doença maldita essa. Deveria ser proibida para todas as mães!


4. A INEXPERIENTE:

Se ser mãe já é algo difícil quando estamos maduras, quando somos jovens e inexperientes, então, socorro! Rosie, de Simplesmente Acontece, foi mãe por acidente. Engravidou de uma maneira tosca e, por ter um futuro brilhante pela frente, decidiu levar a gravidez adiante, mas sem ficar com o bebê. Porém, bastou senti-lo mexer e chutar para que as suas convicções fossem por água abaixo e, assim, se anulou por completo na tentativa de ser uma boa mãe. Ela era completamente amorosa e dedicada, não podemos negar, mas caiu no erro que muitas mães cometem (estou quase lá) de ser apenas mãe. Nada contra em sermos mães em tempo integral, aliás, nem sei se é possível não ser, mas quando deixamos de lado os nossos sonhos e nos conformamos com pouco dando a desculpa de que não podemos algo por causa dos nossos filhos, bom, aí é que mora o perigo.


5. A ESPERANÇOSA:

Quem aqui sempre quis ser mãe, mas por algum motivo nunca conseguiu? Eu levei 3 anos para engravidar da Úrsula, passando por algumas perdas no caminho. Nem sempre é tão fácil quanto gostaríamos, e para Rosemary, de O bebê de Rosemary, não foi muito diferente. Depois de ter uma gestação interrompida, foi dominada pelo luto a ponto de interferir na sua vida e no seu casamento, que ficou por um fio. Mesmo sem saber, firmou um pacto com o diabo para ter a sua tão sonhada gestação. Se ela soubesse, teria levado esse plano adiante? Confesso que não a condeno, porque sei que existem mulheres que vão atrás desse desejo de ser mãe até a última consequência. Até onde vocês iriam para ter um filho?

***

Gostaram das dicas de filme? Se identificaram com algum tipo de mãe? Pois é gente, existem mães para todos os tipos de gosto e, independente da perfeição, o que importa é percebermos que, como mães, fazemos o possível para criarmos os nossos filhos da melhor forma e, sendo humanas, vamos errar sempre, mesmo querendo acertar, mas o faremos com a melhor das intenções. Portanto, valorizem as mães que vocês têm em casa e aprendam a admirar as suas qualidades e as boas coisas que vocês aprenderam com elas para, quando tiverem os seus próprios filhos, saberem o que vão querer ou não reproduzir.

E, para terminar, gostaria de desejar um Feliz Dia das Mães para todas as minhas queridas leitoras! Lembrem-se, nós não estamos sozinhas. Não se cobrem demais e sigam o que o seu coração mandar <3

6 comentários

  1. Oi Mirelle!

    Feliz dia das mães atrasado! rsrsrsrsr

    Bem, acho que me identifiquei com Rosemary. Estou tentando ter um filho a mais ou menos 6 anos, e depois de duas perdas, sei como é difícil. Mas ao contrário da protagonista, eu não iria tão longe qto ela foi!

    Já assisti Simplesmente acontece e adorei! Tenho o livro aqui e quero lê-lo tbm. Adoro os livros da autora.

    Quero assistir Para Sempre Alice, tenho certeza que vou chorar horrores!

    Adorei o post! Parabéns!

    Bjo bjo^^

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Que post mais fofo <3
    Feliz dia das mães atrasado viu!
    Eu quero muito ser mãe, mas daqui alguns aninhos hahaha
    Só conheço duas das mães destas que você citou, mas quero ver os outros filmes também, principalmente Para sempre Alice.

    ResponderExcluir
  3. Mi,realmente ser mãe de primeira viagem,não é fácil.Mas na realidade ser mãe é uma árdua maravilhosa tarefa.Realmente Joquebede é uma mulher abnegada,lutadora e de enorme fé.Sim a Molly era a clássica matrona,sempre cabe mais um.Não assisti a Alice de Para Sempre Alice.Realmente a Rosie é um grande alerta para muitas.Não gosto da atitude Rosemary,apesar de compreender seu desespero,apenas a sua direção foi errada.Amei as dicas.Feliz dia das mães atrasado,mas de coração.BEIJOS!!!

    ResponderExcluir
  4. Pra mim,a mãe cientista de Para sempre Alice é a que mexe mais comigo..minha mãe faleceu dessa doença e te afirmo que é cruel .. e quanto ao que voc~e disse de não criar expectativas quanto a sua filha,é praticamente inevitável.

    ResponderExcluir
  5. Oi Mi.
    Feliz dia das mães atrasado.
    Mas vamos combinar dia das mãe é todo dia isso sim.
    Não tenho filho, mas me identifiquei bastante com algumas coisas que disse, lido com crianças diariamente, sou babá desde os 11 anos, e ho tarefinha difícil, costumo dizer para minha mãe que tenho mil e um motivos para não engravidar entes dos 35, e que se acontecer é por falta de vergonha na cara, passei por muitos momentos de desespero, chorei horrores, mas hoje eu posso dizer vale a pena.
    É tão recompensador você olhar nos olhos das crianças e ver elas crescendo e tornando-se pessoas de bem e maravilhosas.
    Ano que vem vou me afastar para cursar faculdade, já estou até imaginando como essa readaptação irá ser difícil.
    Mas um dia teria que acontecer.
    Enfim mais um vez parabéns pelo seu dia.
    Boa Tarde.

    ResponderExcluir
  6. Que lindo post, ameeeei!!!
    Realmente tem mães de todos os tipos, mas cada uma é totalmente especial à sua maneira!!! <3
    Desses filmes, só assisti os 10 mandamentos e os de Harry Potter, e concordo que essas duas mamães são incríveis!!!
    Também quero muito conhecer as outras.
    bjss

    ResponderExcluir