Resenha - Corra, Abby, corra!

Resenha - Corra, Abby, corra!
Sinopse: "Na corrida pelo amor, Abby tem que ir com tudo. Abby nunca foi de se preocupar com hábitos saudáveis. Aos 28 anos, ela acaba de fundar a própria empresa de web design, e sua rotina parece consumir todo o seu tempo. Ela não tem a menor ideia de quando foi a última vez que deu um beijo apaixonado. E o pior: mal tem tempo para comer, malhar então... nem pensar. Mas quando sua melhor amiga a convida para participar de um clube de corrida, a jovem empresária encontra uma motivação: Oliver, charmoso e bem-sucedido médico que parece estar interessado em suas investidas. Seu primeiro dia de corrida, entretanto, não acaba como imaginou e ela jura que nunca mais vai correr. Até o dia em que sua assistente Heidi revela ser portadora de esclerose múltipla. A partir daí, Abby vê nas corridas uma forma de arrecadar fundos para a pesquisa da cura para a esclerose. Só que ela precisa de muito fôlego para gerenciar a empresa, lidar com sua operadora de seguro para arcar com o prejuízo de um motoqueiro que ela atropelou por acidente, e ainda conquistar o Dr. Sexy. Mas o que Abby não imagina é que pode estar correndo atrás do homem errado..."
Abby é uma jovem empresária de sucesso que em menos de 2 anos alcançou resultados de dar inveja aos seus concorrentes, em época de recessão econômica. Seus dias resumem-se a prospectar novos clientes, pagar contas da firma, fazer apresentações em reuniões e, entre um compromisso e outro, se entupir de junky food e álcool.

Quando a sua melhor amiga, Jess, lhe apresenta Oliver, em um jantar informal, a garota cai de quatro. Ali, ela percebe o quanto a sua vida amorosa tem sido negligenciada em detrimento do seu trabalho e do quanto ela sente falta de se enroscar em alguém. Decidida a fisgar o Doutor Sexy, Abby entra para o clube de corrida, do qual ele e Jess fazem parte, e tenta impressionar. O problema é que Abby, exercícios e vida saudável nunca combinaram, a ponto dela dar o maior vexame e fugir dali, certa de nunca mais voltar.

Mas o destino conspira contra e, certo dia, Abby descobre que Heidi, sua amiga e melhor funcionária, de apenas 23 anos, foi diagnosticada com esclerose múltipla. Com isso, seu mundo vai a chão. Ela só consegue pensar no quanto é mesquinha, reclamando sempre da vida e do quanto nunca tem tempo para nada. Ao contrário de Heidi, Abby tem um futuro promissor pela frente, livre de dores insuportáveis e condições incapacitantes. E quando havia sido a última vez que ela tinha feito algo por si, se cuidado, aproveitado a vida?

Com base nessas indagações, Abby toma uma decisão que irá custar e muito não só a sua saúde física, mas também mental e emocional: ela irá correr uma meia-maratona e levantar fundos para a pesquisa da doença.

Porém, em meio a esse turbilhão de corridas e treinos, Abby descobrirá que nem tudo é como ela sempre acreditou ser.

Querem saber o que vai acontecer? Então leiam!

***

Corra, Abby, corra! foi a minha escolha de março para o Desafio Esquecidos na Estante, que tinha como objetivo lermos um livro que havíamos comprado por causa da capa, e não tem coisa que eu ame mais do que capas de chick-lit. Lembro de que, quando ele foi lançado, decidi não lê-lo, pois tinha acabado de passar por várias decepções com obras desse gênero e não estava a fim de encarar mais uma. Porém, se eu adivinhasse que esta história era tão fantástica e iria me arrebatar de tal forma, jamais a teria deixado esperando.

Narrado em primeira pessoa, compreendemos logo de cara com que tipo de protagonista estamos lidando: Abby vai fazer 29 anos e, como qualquer empresária ambiciosa, é extremamente orgulhosa. Além disso, parece atrair confusão por onde passa e costuma querer estar sempre com a razão e não aceita a responsabilidade por vários dos seus atos. Uma das coisas das quais mais gostei, foi poder presenciar o amadurecimento da personagem ao longo do texto, que vai junto conosco, aprendendo várias lições e quebrando paradigmas.

Se não bastasse eu ter sido pega pelos momentos hilários vivenciados por Abby, que me renderam diversas risadas, ingrediente este que não pode faltar nos chick-lits, fiquei impressionada e tocada com as inúmeras temáticas sérias tratadas na trama pela a autora. A começar pelo alerta e sensibilização em relação à doença esclerose múltipla. Achei sensacional o fato de Abby ter voltado ao clube de corrida e se comprometido em correr uma meia-maratona por uma causa nobre e para apoiar uma amiga, e não por causa de um homem, como achei que fosse acontecer.

Falando em relacionamentos, Abby fica caidinha por Oliver e tenta de tudo para conquistá-lo. Entretanto, a gente nota que o Doutor Sexy não deixa de ser um objeto de ilusão dos desejos mais secretos da garota, que passará por diversas revelações sobre si mesma ao longo do enredo. A autora também discute muito acerca da traição nos casamentos e namoros. Achei bonita a forma como ela encarou a questão, sem incentivá-la, mas também sem julgá-la, deixando claro que todos estamos longe de sermos perfeitos e que o importante é darmos o melhor de nós e tentarmos corrigir os nossos erros.

Por último, mas não menos importante, Jane nos mostrou o quão difícil é gerir o seu próprio negócio e lidar com a selva de pedra do mundo empresarial, principalmente em períodos de complicação financeira, em que não só diversas firmas quebram, como muitos não têm dinheiro para investir. Achei louvável o fato de Abby querer vencer pelas próprias mãos, ao mesmo tempo em que sempre demonstrou dar as melhores condições de trabalho aos seus funcionários, que se tornaram seus grandes amigos.

Quanto ao romance do livro, ele é exatamente do jeito que gosto: não é o foco da narrativa e é desenvolvido ao longo das páginas, de maneira gradual, para se resolver somente no desfecho, de mesmo modo que Sophie Kinsella costuma fazer.

Corra, Abby, corra! foi uma agradável surpresa para mim, que divertiu meus dias, me fez me apegar aos personagens, me emocionou e me deixou com um gostinho de quero mais. Super recomendo a leitura.

Corra, Abby, corra! - Jane Costello
Editora Record
420 páginas
Comprar: Saraiva / Amazon

7 comentários

  1. Oi Mirelle!

    Como vc, tbm tive muitas decepções com livros deste gênero, por isso, parei de comprá-los e os poucos que tenho, estão mesmo, esquecidos na estante.
    Mas, gostei da sua resenha e da premissa deste livro, pesar de não ter gostado muito da capa e do título!
    Vou adicioná-lo na minha lista de desejados, vai que eu gosto tbm neh? rsrsrsrs

    Bjo bjo^^

    ResponderExcluir
  2. Oi, Mi! Tudo bem?

    Que resenha linda, amiga!
    Gosto muito de livros com esta característica de personagens empreendedores. Me inspira demais! :)

    Super beijo!
    Danny

    Participe do SORTEIO de Abril no Irmãos Livreiros

    ResponderExcluir
  3. Oi, Mirelle. Tudo bem?
    Eu adoro livros com um enredo divertido e que ao mesmo tempo abordam assuntos sérios. Achei muito legal a forma como a autora criou a trama, deixando a leitura bem leve e nos conquistando com personagens carismáticos e únicos.
    Corra, Abby, corra! é um livro que tem uma capa linda e eu adoraria ter a oportunidade de lê-lo.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Oi, Mirelle Boa tarde.
    Gostei muito da resenha, é a primeira vez que vejo falar tanto do livro, quanto da autora.
    Me da té medo quando vejo algo com relação a livros esquecidos na estante, por que eu misericordia, tenho uma lista enorme, mas eu amo ter essa lista.
    Fiquei um pouco triste em saber que o romance não é o foco do livro, mas mesmo assim, ainda estou super ansiosa para ler, amei de paixão essa capa.

    ResponderExcluir
  5. nem me fale em livro comprado pela capa ainda bem q os meus eu já consegui ler.
    mas eu desistir de ler chick-lit comecei uns 3 e abandonei ai depois disso nem me interesso muito. tanto q qd eu vi o lançamento desse nem dei bola, mas talvez o fato de tratar de uma amiga doente eu até tente ler e mude de ideia qt a chick-lit

    ResponderExcluir
  6. Parece ser um livro super divertido e emocionante, que realmente marca o leitor de forma positiva. Nunca li nada da autora, mas quero fazê-lo o quanto antes! A narrativa e escrita parecem perfeitas. Ansioso para me surpreender com a história :) Abrçs

    ResponderExcluir
  7. Ai mana quem nunca comprou um livro pela capa, eu de vez em quando faço isso kkk Mas sabe que mesmo a sua resenha falando muito bem desse livro eu não me sentia traída pela história sabe, não teve aquele "uau" que eu espero sentir quando acho que uma história vai me conquistar. Por isso dispenso a leitura.

    ResponderExcluir