Resenha - Todos os nossos ontens

Resenha - Todos os Nossos Ontens
Sinopse: "O que um governo poderia fazer se pudesse viajar no tempo? Quem ele poderia destruir antes mesmo que houvesse alguém que se rebelasse? Quais alianças poderiam ser quebradas antes mesmo de acontecerem? Em um futuro não tão distante, a vida como a conhecemos se foi, juntamente com nossa liberdade. Bombas estão sendo lançadas por agências administradas pelo governo para que a nação perceba quão fraca é. As pessoas não podem viajar, não podem nem mesmo atravessar a rua sem serem questionadas. O que causou isso? Algo que nunca deveria ter sido tratado com irresponsabilidade: o tempo. O tempo não é linear, nem algo que continua a funcionar. Ele tem leis, e se você quebrá-las, ele apagará você; o tempo em que estava continuará a seguir em frente, como se você nunca tivesse existido e tudo vai acontecer de novo, a menos que você interfira e tente mudá-lo..."
A vida como conhecemos pode ser mudada com o clique de um botão. Isso é possível desde que o Doutor criou Cassandra, uma máquina do tempo que o ajuda a controlar o mundo. Desastres naturais foram impedidos, mas muitos outros aconteceram por obra do Doutor. O caos e o medo dominam as ruas e alguém precisa fazer com que isso pare.

Em e Finn são os únicos que podem acabar com os planos do Doutor. Os dois amigos conhecem Cassandra como ninguém e já tentaram mudar o curso da história catorze vezes... e falharam. Em sente que essa é sua última chance de consertar os estragos provocados pelo aparelho, mas ela e Finn estão presos, há dias sem se ver, conversando apenas por uma parede entre eles. Todos os dias eles são torturados pelo Doutor, que deseja saber onde estão os documentos que Em escondeu, documentos estes que são de suma importância para que o Doutor atinja os seus objetivos.

A obsessão de Em por um ralo dentro da cela se mostra produtiva quando ela finalmente consegue abri-lo. Dentro, a garota encontra um pedaço de papel com informações rabiscadas por ela mesma, apesar de não se lembrar de tê-las escrito. Ali, estão elencadas as inúmeras tentativas de impedir o Doutor, quase todas riscadas após não terem dado certo. A derradeira oportunidade deles está naquela folha e, para conseguirem ser exitosos em seus objetivos, Em terá que matá-lo.

Assim, com a ajuda de um soldado, Em resgata Finn e os dois voltam quatro anos no tempo, para encontrar a versão jovem do Doutor e assassiná-lo, antes que Cassandra seja criada. Claro que essa jornada não será nada fácil para os dois, tendo em vista a relação que eles têm com o Doutor antes de tudo acontecer.

Na linha do tempo para qual Em e Finn viajam, quatro anos antes, conhecemos Marina. Tudo que a garota almeja é que seu melhor amigo James, um jovem superdotado que aos 18 anos está cursando seu doutorado, perceba os reais sentimentos dela por ele. Marina sente-se distante de sua família e as únicas pessoas que a entendem são sua babá e James.

Certa noite, num jantar importante, o irmão de James, o congressista Nate, é baleado e fica em estado grave. Marina, James e um outro amigo presenciam tudo e logo James surta, sentindo-se culpado pelo que aconteceu ao irmão, determinado a encontrar uma forma de reverter isso. Assim, a vida de Marina começa a virar de cabeça para baixo, já que ela e o outro amigo de James são os únicos que podem ajudá-lo, e ela nem sabe o que está por vir.

Em e Finn estão de volta ao passado, mas o Doutor também está e sabe dos planos dos dois. Dessa forma, Em e Finn precisarão correr contra o tempo para obterem sucesso em sua empreitada, mas quando seus caminhos cruzam-se com o de Marina, questões mal resolvidas e sentimentos antigos podem colocar tudo à prova.

Querem saber o que vai acontecer? Então não deixem de ler!

***

Sabem aquele tipo de livro em que a capa nos seduz, a sinopse nos instiga e quando a gente o lê, ele é tudo o que nós esperávamos e mais um pouco? Esse é o caso de Todos os nossos ontens, com certeza a melhor história publicada em 2015 pela editora Novo Conceito. Logo que o ganhei da Mirelle, me joguei na leitura e cada detalhe foi imprescindível para me fazer amar essa distopia.

A escrita de Cristin Terrill é maravilhosa. Sou apaixonado por viagens no tempo e a autora conseguiu criar uma trama envolvente e original, o que é bem difícil de se encontrar nos dias de hoje. Cada cena tem a sua importância no contexto e o leitor precisa prestar atenção para não perder nenhuma pista do quebra-cabeça.

A narrativa é feita em primeira pessoa, sob os pontos de vista de Em e Marina, alternadamente. Duas personagens tão diferentes e ao mesmo tempo tão iguais. Em é uma guerreira. Ela já sofreu muito nas mãos do Doutor e de Cassandra e quer impedir que Marina sofra tudo isso também. Já Marina é doce e está mais preocupada em proteger James do que a si mesma. 

Amei a forma como Terrill inseriu essas duas personagens no enredo, mostrando ao leitor o quanto a vida pode mudar num piscar de olhos e que por mais que estejamos determinados a manter nossos princípios, eles podem ser modificados mediante alguma situação de risco. Fora o fato de que dois polos opostos nem sempre se atraem...

Todos os nossos ontens é inteiramente de tirar o fôlego, mas o final foi o mais surpreendente para mim. Terminei a leitura com aquele gostinho de quero mais e, ao pesquisar sobre a sua continuação na Amazon, tive uma grande surpresa: se trata de um volume único. A autora fechou sim todas as pontas soltas no texto e, por isso, não teve a necessidade de escrever um segundo livro, mas eu AMARIA saber o que aconteceu depois daquele epílogo maravilhoso.

A edição física do exemplar é bem simples, naquele padrão da Novo Conceito. A revisão está ótima, apesar de ter encontrado alguns erros de digitação durante a leitura, mas nada muito gritante. A diagramação é comum, as páginas são amareladas e a fonte é grande.

Todos os nossos ontens é uma obra maravilhosa e que merece uma grande atenção por parte dos leitores. Há tempos que eu não lia uma ficção tão boa, que me prendesse da forma como ele me prendeu. Super recomendo a todos!

Todos Os Nossos Ontens - Cristin Terrill
Editora Novo Conceito
352 páginas
Comprar: Saraiva / Amazon

5 comentários

  1. Oi Leonardo!

    Cara, esse livro é ótimo mesmo! Li ele ano passado e não me arrependo, foi uma das minhas melhores leituras! Me apeguei tanto na história que cheguei a sonhar com os personagens!!!! rsrsrsrsrsrs

    Adorei sua resenha, me fez relembrar pq gostei tanto d livro!

    Bjo bjo^^

    ResponderExcluir
  2. Leonardo,fiquei muito interessada em ler essa obra ,pois amo histórias de viagem no tempo.Após ler a resenha fiquei bastante curiosa para saber se Em e Finn conseguem impedir de o Doutor criar Cassandra e também após o surto de James ,como os caminhos de Em e Finn cruzam com o de Marina.Legal saber que a trama é envolvente e original.Amei saber que a narrativa é feita em primeira pessoa sob o ponto de vista de Em e Marina.Pena não ter continuação.É quase sempre desejamos que haja,ansiosa para conferir!

    ResponderExcluir
  3. Oi Leonardo!
    Gostei muito da sua resenha,quero muito saber mais sobre Em e Finn e o que mais gostei de saber é que não tem continuação..estou tentando fugir de séries...

    ResponderExcluir
  4. Estou louco para ler esse livro, a premissa é diferente de tudo que já li e a história parece prender e cativar o leitor de uma forma perfeita. Todo mundo fala muito bem dessa ficção, quero ler o quanto antes.
    Abraços!
    bookdan.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. estou louca para ler esse livro!
    parece ser bem diferente dos livros que eu ando lendo e depois dessa resenha eu fiquei: quero esse livro para ontem ;)

    ResponderExcluir