Resenha - A queda dos anjos

Resenha - A queda dos anjos
Sinopse: "Quando o mundo que conhecemos está prestes a ser arrasado, é preciso apostar tudo na redenção. Os anjos do apocalipse chegaram — e vieram para aterrorizar a humanidade e acabar com o mundo moderno. Gangues de rua tomam conta do dia, enquanto o medo e a superstição dominam a noite. Quando anjos guerreiros sequestram uma menininha indefesa, sua irmã mais velha, Penryn, fará o que for preciso para salvá-la. Até mesmo um acordo com um anjo inimigo. Raffe é um guerreiro caído, que perdeu as asas. Depois de eras lutando suas próprias batalhas, ele é resgatado de uma situação desesperadora pela jovem Penryn, que concorda em ajudá-lo — desde que ele mostre a ela como encontrar sua irmã. Viajando por um mundo sombrio e perigoso, eles podem contar apenas um com o outro para sobreviver. Juntos, vão em direção à fortaleza dos anjos em San Francisco, onde Penryn arriscará tudo para resgatar sua irmã, e Raffe se colocará à mercê de seus piores inimigos pela chance de voltar a ser inteiro."
Há pouco mais de seis semanas a vida de Penryn virou de cabeça para baixo. Já era difícil lidar com as loucuras da mãe e cuidar da pequena Paige em uma cadeira de rodas depois que o pai foi embora, mas quando os anjos desceram à Terra e começaram o Apocalipse, a sobrevivência passou a ser a sua maior preocupação.

As gangues dominaram as ruas do Vale do Silício. Sair de casa se tornou cada vez mais perigoso, seja pelo ataque de humanos ou de anjos. Com  a comida ainda mais escassa, Penryn tem o objetivo de abandonar a região e precisará de toda sua astúcia e coragem se quiser ter sucesso em proteger a mãe e a irmã.

Quando finalmente põe o plano em prática, Penryn tem uma grande surpresa. A intenção dela era de fugir para as colinas e, no meio de seu caminho, surge uma batalha celestial. Cinco anjos aprisionaram um sexto no meio da rua e a luta é cada vez mais sangrenta. 

À princípio, os seres alados não notam sua aproximação, mas quando um deles percebe, cabe a Penryn tomar uma decisão impulsiva para defender a sua família. A espada do anjo enfraquecido cai aos seus pés e ela a joga de volta para ele, com intenção de que o combate alcance níveis extremos outra vez. Mesmo com as asas arrancadas, o anjo consegue causar uma comoção e ferir alguns inimigos, que fogem, mas não sem antes levar a pequena Paige consigo.

Desesperada, Penryn sabe que o anjo caído é sua única opção de resgatar a irmã e por isso o tira das ruas, levando consigo a espada e as asas. A criatura está muito ferida e Penryn não pode deixá-lo morrer antes de ele contar para onde Paige foi levada e, assim, cuida de seus ferimentos, esperando que seu processo de cura sobrenatural tenha efeito.

Quando o anjo acorda, diz se chamar Raffe, e apesar da arrogância, não se mostra hostil para com Penryn. A menina então faz a sua proposta: se Raffe ajudá-la a encontrar a irmã, ela o ajudará a encontrar alguém que possa reconstituir suas asas, de forma que ele possa voar outra vez.

Com o acordo selado, Penryn e Raffe partem em uma jornada rumo aos seus objetivos. O mundo como a menina conhece não existe mais e está gradativamente mais cercado de perigos, sendo ótimo ter um companheiro de aventura com força sobre-humana ao seu lado. Essa parceria renderá também muitas incertezas para Penryn, a cada vez que Raffe mostra ser diferente de tudo aquilo que ela aprendeu a odiar e desperta emoções novas nela...


Querem saber o que vai acontecer? Então não deixem de ler!

***

Lá por meados de 2011, os anjos foram o burburinho da vez. Séries como Fallen, Hush, Hush e Halo estavam em alta e eram as queridinhas do público. Eu vivi essa fase, amava histórias de anjos, mas chegou um certo momento em que elas me saturaram de tal forma que não conseguia mais ouvir falar no assunto. 

Então, quando vi A Queda dos Anjos dentre os lançamentos do Grupo Editorial Record, bateu aquele receio de solicitar, mas a sinopse era tão instigante que resolvi arriscar. Quando o livro chegou, fui deixando de lado, até que me joguei na leitura e o arrependimento bateu... Mas o arrependimento que senti foi o de não tê-lo lido antes.

A escrita de Susan Ee é completamente envolvente e viciante. Logo nas primeiras páginas me vi preso em sua narrativa, desejando saber como os fatos iam se desenrolar e como tudo terminaria. Susan apresentou seu plot já nos primeiros capítulos e conseguiu me convencer de tal forma que me apaixonei por anjos uma vez mais.

A narrativa é feita em primeira pessoa sob a perspectiva de Penryn. Nossa protagonista é uma garota forte e decidida, que precisou esquecer suas preocupações de adolescente e tomar as rédeas de uma família problemática. É linda a afeição que Penryn sente por Paige e tudo que faz para salvá-la. Impossível não torcer pela garota e gostar dela.

Raffe é simplesmente encantador. Suas atitudes são bem pensadas e ele não diz absolutamente nada por dizer. O anjo adora pegar no pé de Penryn, mas também sabe ser sensível e protetor para com ela. O indício de romance dos dois está ali, mas por não ser o foco principal da trama, foi deixado de lado e gostei ainda mais do livro por isso.

A personagem mais peculiar da história é a mãe de Penryn. Ela é doida de pedra e sabe bem disso. A vida inteira ela sofreu com essa condição, mas com o início do Apocalipse, suas atitudes não eram mais julgadas como insanas e seu instinto de autopreservação passou a ser cada dia mais útil. Espero que Susan dê mais destaque para a personagem nos próximos livros.

O enredo é cheio de ação, contando até com figuras macabras cruzando o caminho dos protagonistas. Acho que esse ponto foi o mais positivo do texto, pois mostrou um lado sombrio dos anjos e os posicionou bem como vilões, desmistificando muitas histórias que lemos por aí. Raffe é o cinza nessa guerra em preto e branco e questionar sua lealdade só deixa tudo mais interessante.

O final foi de tirar o fôlego e me deixou extremamente ansioso pela continuação. Ee fechou praticamente todas as pontas, mas deixou um único gancho que vai render muito pano para manga ainda. Espero que a Verus Editora não demore em trazer o próximo volume para cá.

Sobre a edição física, não tenho muito a dizer. A capa é simples, mas muito bonita e tem bastante a ver com o contexto. A diagramação não conta com nenhum detalhe a mais, as páginas são amareladas e a fonte é grande. Sobre a revisão, só tenho uma reclamação a fazer, que é a falta de travessão em alguns diálogos. Não é o primeiro livro da Verus que me deparo com essa falha e espero que nas próximas edições resolvam isso.

A Queda dos Anjos é um livro fantástico, que chegou para agradar até os leitores mais exigentes e mostrar que as histórias de anjos ainda têm muito o que nos contar. Com certeza recomendo a leitura e indico a todos!

A Queda dos Anjos - Susan Ee
Livro 01
Série Fim dos Dias
Editora Verus
380 páginas
Comprar: Saraiva / Amazon


5 comentários

  1. Fiquei muito feliz quando vi que esse livro tinha chegado aqui no Brasil. Lembro de sempre ter visto em muitos blogs e grupos de leitores falando super bem dele há muito tempo atrás. A história parece ser eletrizante e surpreendente! Ansioso p/ ler.
    Abraços!
    bookdan.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Adorei a resenha, Leo! EU AMO ESSE LIVRO, hahahahah! Momento fangirl. Li a trilogia inteira em inglês, e as continuações são melhores ainda. *____*
    Aguardo sua resenha delas no futuro! :D

    ResponderExcluir
  3. Oi Leonardo!

    Não conhecia este livro, mas gostei tanto da resenha que vou adicioná-lo na minha lista de desejados!
    Tbm passei pela fase de anjos lendo tudo que saia, sou grande fã da série Fallen e Hush-Hush. Tenho outros livros na estante com o tema, mas ainda não os li.

    Gostei da protagonista tbm. O que mais me irrita nesses livros, são protagonista fracas e cheias de mimimi, creio que com Penryn será diferente!

    Bjo bjo^^

    ResponderExcluir
  4. pelo menos não foi só eu!!! eu tb fiquei meio abusada daquela leva de livros de anjos, eram todos variação do mesmo tema. e olha que eu adoro livros de anjos, mas eu tava com medo de ler esse livro achando que seria mais um
    mas pelo jeito é totalmente diferente, já gostei da penryn pegar a espada do outro e partir para briga é do tipo de personagem q eu gosto
    é mais um (ou vários, já q é série) para minha lista

    ResponderExcluir
  5. Já havia visto este livro nos lançamentos da editora, mas confesso que passei também por um certo receio em lê-lo. Mas depois da tua resenha acredito que eu precise conhecer mais essa história, principalmente por conta dos personagens tão bem construídos que o enredo possui.

    ResponderExcluir