# Esquenta - Profundo e Intenso

Profundo e Intenso de Robin York Editora Arqueiro Vingança Pornô
E aí pessoal, estamos de volta com mais um #Esquenta! que vai pegar fogo pelo assunto de utilidade pública que será tratado. Alguém aqui já ouviu falar em vingança pornô, ou também conhecida como revanche pornô ou pornografia não consensual?

Para quem não sabe, trata-se de uma prática criminosa e nojenta que tem o intuito de expor publicamente imagens sexuais de uma pessoa, sem a sua concordância, com o objetivo de humilhá-la e de denegri-la.

Recentemente, a Editora Arqueiro publicou no Brasil os livros Profundo e Intenso, de Robin York, abordando essa temática.

Confiram a sinopse das obras:

Profundo e Intenso de Robin York Editora Arqueiro Vingança Pornô
Sinopse: "Caroline Piasecki vê sua vida se transformar em um pesadelo quando o ex-namorado espalha fotos dela nua na internet. De uma hora para outra, sua reputação é arruinada e o futuro promissor que a aguardaria após a faculdade já não parece tão garantido. Desesperada, ela tenta fazer com que as imagens sumam da rede e, ao mesmo tempo, procura se defender da multidão de pessoas que a julgam. Um dia, quando um cara que ela mal conhece sai em sua defesa e dá uma surra em seu ex-namorado, tudo muda. À primeira vista, West Leavitt é a última pessoa de quem Caroline deveria se aproximar – ele tem um ar sombrio e ganha a vida de forma ilícita. Ela, por sua vez, é o tipo de garota que West sempre tentou evitar. Rica e privilegiada, jamais entenderia as dificuldades pelas quais ele já passou. Mesmo com todas as diferenças, os dois se tornam amigos. Com Caroline, West sente que fará de tudo para ser um homem melhor, e ela encontra nele a força para reagir. Quando parece impossível resistir à paixão avassaladora, West e Caroline descobrem que às vezes a única opção que resta é ir mais fundo."

Adicione ao Skoob AQUI.

Compre aqui: Amazon / Saraiva

Profundo e Intenso de Robin York Editora Arqueiro Vingança Pornô
Sinopse: "A vida de West Leavitt foi do céu ao inferno em poucos meses. Ele achava que era possível ter um futuro melhor, mas acabou retornando para os dramas diários de sua família. Agora, em meio a uma tragédia, o rapaz não sabe o que fazer para ajudar Frankie, sua irmã caçula. Quando ele está prestes a desmoronar, só uma pessoa lhe vem à mente: a jovem segura e determinada que ele um dia pensou merecer. Longe dali, Caroline Piasecki sonha mais uma vez com West: a pele contra o seu corpo, o cheiro dele, a mão deslizando pela sua barriga... Mas sonhos são apenas sonhos. Ela sabe que o ex foi embora e não vai voltar. Por mais doloroso que seja, Caroline precisa se esquecer do tempo que passaram juntos. Até que seu celular toca e um West transtornado está do outro lado da linha. Sem pensar duas vezes, Caroline vai ao seu encontro. Só que muita coisa mudou desde que eles terminaram. West tenta afastar Caroline de sua vida de todas as maneiras. Ao mesmo tempo, o desejo que sentem um pelo outro parece ter ficado até mais forte no período em que estiveram separados. West ainda sente algo por ela, mas não se considera uma boa companhia para ninguém. Caroline quer estar nos braços de West, mas sabe que deve partir para que ele não sofra. Nesse embate de emoções, eles precisarão encontrar os próprios caminhos e descobrir: por mais intenso que seja o laço que os une, ainda é possível um recomeço?"

Adicione ao Skoob AQUI.

Compre aqui: Amazon / Saraiva

 O LADO RUIM DA INTERNET:

Muito me lembro de quando a internet se popularizou e adentrou na casa dos brasileiros, ainda por meio da conexão discada. Naquela época, ficávamos felizes ao conversarmos com os amigos por e-mail e conhecermos novas pessoas no bate-papo. Era surreal pensarmos que podíamos nos comunicar, de maneira instantânea, por texto, foto e vídeo com outrem em qualquer lugar do mundo.

Mas como tudo tem sempre os dois lados, a internet que, a princípio, é uma ferramenta que pode contribuir e muito para com as nossas vidas, também tem o poder de destruí-las, desde que seja utilizada por alguém mal intencionado.

Uma coisa que tem chamado a minha atenção é o quanto, cada vez mais, as pessoas têm perdido o medo e o pudor de expor publicamente as suas opiniões, independente das consequências. Aliás, no mundo individualista e egocentrista no qual estamos vivendo, as consequências pouco importam, o importante é dizer o que pensamos.

Portanto, se tornou cada vez mais comum presenciarmos lavação de roupa suja, incitação ao ódio, perseguição online, assédio, brigas políticas e é claro que o revenge porn não poderia ficar de fora. Infelizmente, a grande maioria das vítimas ainda é a mulher, que acaba tendo as suas fotos e vídeos nua ou em atos sexuais publicizadas sem permissão, geralmente por um ex-namorado ou ex-marido que, após o fim do relacionamento, decide se vingar.

Aqui a intenção não é discutir por que as pessoas permitem ser filmadas ou fotografadas em momentos íntimos, ou por que decidem elas mesmas fazer isso e enviar para o seu flerte, mas sim o que pode ser feito quando este material cai na rede.

PROTEÇÃO LEGAL PARA AS VÍTIMAS:

Lamentavelmente, invadir, fruir e dispor da privacidade de alguém, além de se configurar uma conduta lesiva, pode gerar efeitos nefastos na vida da vítima, que se torna impotente e se sente completamente objetificada e envergonhada não só do seu corpo, como de seu comportamento, culpando-se por, talvez, ter colaborado para que tal coisa fosse feita.

O grande problema é que a vingança pornô não é tipificada no código penal de diversos países. Justamente por isso que a autora decidiu escrever estes livros. Primeiro, para servir como um alerta e, segundo, para mobilizar o judiciário norte-americano a modificar a lei. Para vocês terem uma ideia, nos Estados Unidos, a vingança pornô, além de acontecer o tempo todo, é perfeitamente legal, exceto nos Estados de Nova Jersey e da Califórnia, que punem tal prática criminosa.

LEI CAROLINA DICKMAN:

No Brasil, desde 2012, foi sancionada uma lei que promoveu alterações no código penal para tipificar os delitos ou crimes informáticos. Isto ocorreu depois que publicaram 36 imagens da atriz, que chegou a receber ameaças de extorsão para que elas não fossem a público.

A lei ainda pode ser muito abrangente e ser taxada por alguns de ineficaz, mas a atitude da Carolina, combatendo o ocorrido, tentando provar o crime que foi cometido contra ela, de cabeça erguida, mostrando que não havia feito nada de errado e que tinha o direito de preservar a sua intimidade, representou um marco na luta contra os crimes cibernéticos no país.

PROJETO DE LEI DO DEPUTADO FEDERAL ROMÁRIO:

Há dois anos, Romário apresentou um projeto de lei que propõe nova alteração no código penal para tratar a vingança pornô como um crime contra a dignidade sexual, contendo uma pena mais severa, tendo em vista o aumento de casos, principalmente entre jovens que, completamente abalados, acabam por, inclusive, tirarem as suas vidas após se tornarem vítimas.

Segundo o deputado, quem comete a infração ainda deveria bancar as despesas da vítima para "mudar de domicílio, instituição de ensino, tratamentos médicos, psicológicos e perda de emprego". O projeto do ex-jogador de futebol também sugere que o autor da ação fique sem usar a internet ou redes sociais por determinado tempo. Fonte.

A CULPA É DA VÍTIMA:

Se não bastasse sofrer por causa de um mau caráter, que se aproveitou de um relacionamento (até então) de confiança para veicular material pessoal privado de outrem, a vítima acaba sendo sempre a culpada, perdendo a razão e o direito de reverter a situação, de algum modo, aos olhos dos preconceituosos e bitolados de plantão.

É triste ver, mas não são só os homens que costumam dizer "bem feito, mereceu, agora não adianta chorar, quem mandou fazer o que fez, mulher direita não se deixa filmar", dentre outras frases completamente machistas utilizadas.

“É fácil julgar a vida sexual de quem está exposto, não é mesmo?! Porque a filmagem é apenas uma das muitas preferências e fetiches sexuais. E o que queremos é justamente garantir o direito à privacidade, inclusive o de gostar de filmar.” Fonte.

Enquanto a sociedade continuar se escandalizando com o sexo e o vendo como uma forma de denegrir a honra das mulheres (lembrem-se da polêmica toda que foi o Cinquenta Tons de Cinza), vamos precisar muito mais do que um punhado de leis para defendê-las.

O PROBLEMA QUE TENDE A CALAR:

Justamente por se sentirem erradas e, por muitas vezes, não denunciarem seus opressores, as vítimas acabam por não conseguirem refazer as suas vidas. É importante que alguma atitude seja tomada o quanto antes, para evitar o compartilhamento demasiado do material divulgado. Para isso, basta ir em qualquer delegacia. Vale também tirar prints das imagens veiculadas e registrá-las num cartório para evitar serem contestadas. Se precisarem de auxílio, já existe vários grupos de apoio e ONGs especializadas, como a Safernet. Entretanto, o mais importante de tudo é falar! Por mais expostos que vocês se sintam, não se escondam. Lembrem-se de que os errados não são vocês. Precisamos falar sobre isso, precisamos dar visibilidade à questão, e precisamos apoiar a criminalização da prática da vingança pornô.

Levando tudo o que foi dito acima em consideração, gostaria de saber se vocês conhecem alguém que já passou por isso, o que houve, ou se vocês mesmos já foram vítimas. Vamos aproveitar este espaço para discutir o assunto e levar apoio às vítimas!

Profundo e Intenso de Robin York Editora Arqueiro Vingança Pornô

E se vocês gostaram desse #Esquenta!, fiquem de olho que em breve o Leo irá trazer a resenha de Profundo por aqui.

6 comentários

  1. Adorei os textos, Mi! Disse tudo, de verdade. É triste.

    ResponderExcluir
  2. acho super válido a editora abrir um espaço para promover essa discussão!
    os casos de exposição pública de algo intimo tem ganhado mais força com as redes sociais e internet em larga escala, ao passo de que as leis precisam ser ajustadas e prever punição, como no caso da nossa lei brasileira, o mais bacana é que essa divulgação maciça leva o diálogo e principalmente a informação!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi Mirelle!

    Eu achei o conteúdo so livro bem válido! Bom saber que ele trás uma história real e que pode nos afetar em algum momento. Tbm gostei muito da ideia da editora de Blogagem Coletiva, participei com meu blog e como não conhecia o assunto, pude me interar mais sobre ele.

    Adorei o post! Ficou perfeito!

    Bjo bjo^^

    ResponderExcluir
  4. Achei muito interessante tratar sobre esse assunto,pornografia não consensual..um livro com fatos reais e história real e a editora promover a Blogagem Coletiva é muito válido para que as pessoas esclareçam suas dúvidas sobre o assunto.

    ResponderExcluir
  5. Achei ótimo esse projeto da editora para com o lançamentos desses livros que tratam de um tema tão delicado. Simplesmente ótimo termos mais discussão sobre esse tema! Abraços!
    bookdan.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. eu achei super interessante esse projeto da ed de blogagem coletiva,
    a proposta do livro de tratar de um assunto tão importante na era da informática é bem legal sem falar de promover discussões sobre o assunto, não sei ainda se seria o tipo de livro que eu leria e estou com medo de acabar abusando antes de dar uma chance, mas isso só o tempo dirá

    ResponderExcluir