Resenha - Filme Orgulho e Preconceito e Zumbis

Resenha - Filme Orgulho e Preconceito e Zumbis
Sinopse: "Um surto de zumbis se abateu sobre a Terra nesta releitura do conto clássico de Jane Austen que trata das relações e enlaces amorosos entre amantes de diferentes classes sociais na Inglaterra do século XIX. A resoluta heroína Elizabeth Bennet (Lily James) é mestre em armas e artes marciais; e o belo Mr. Darcy (Sam Riley) é um feroz assassino de zumbis e símbolo máximo do preconceito inerente às classes superiores. Mas à medida que o surto zumbi se intensifica, os dois devem deixar o orgulho de lado e unir forças no campo de batalha encharcado de sangue, a fim de acabar com o exército morto-vivo de uma vez por todas."
Europa, século XIX.

Uma doença mortal se espalhou, fazendo com que os mortos retornassem à vida e, com isso, famílias inteiras foram destruídas. Zumbis se alastram pelo planeta e seu exército de mortos-vivos cresce incontrolavelmente a cada segundo que passa, obrigando a população se proteger a qualquer custo.

Desse modo, crianças passam a ser enviadas ao Japão ou à China para aprenderem artes marciais com o intuito de se defenderem. É assim que conhecemos as cinco irmãs Bennet, grandes amigas e excelentes espadachins.

Armadas literalmente para matar, elas escondem suas espadas e apetrechos sob seus volumosos vestidos de baile e vão a festas à procura de maridos e de um pouco de diversão, afinal, isto ainda é um tradição da época, exceto para Elizabeth, que é a única das irmãs que não quer se casar. Entretanto, em um dos festejos, ela conhece Mr. Bingley e seu amigo Mr. Darcy, um orgulhoso, arrogante e inigualável caçador de zumbis.

O rico e charmoso Mr. Bingley se apaixona instantaneamente por Jane, uma das irmãs Bennet e, enquanto ambos lutam para ficar juntos, Elizabeth e Mr. Darcy digladiam para manterem-se afastados. Mas tem algo maior acontecendo ao redor: os cavaleiros da morte chegaram, os zumbis estão se reunindo e querem dominar a Europa. Resta a eles salvar o mundo ou, pelo menos, atrasar o apocalipse final. 

***

Orgulho e Preconceito e Zumbis é uma adaptação cinematográfica do livro homônimo de Seth Grahame-Smith e foi inspirado no romance Orgulho e Preconceito, de Jane Austen, lançado em 1813. Orgulho e Preconceito e Zumbis é mais uma obra que entrou para minha lista de desejados depois de eu ter assistido ao longa nos cinemas, que estreará dia 25/02/2016 em todo país.

É importante ressaltar que o filme em questão, no fim, não se trata exatamente sobre zumbis, apenas os possui em seu argumento, já que o foco principal continua sendo a história original de Orgulho e Preconceito, com a relação do amor e ódio entre Elizabeth e Mr. Darcy, porém, com um elemento extra: mortos-vivos aparecendo por aí.  Nesse sentido, não esperem por uma trama em que todos procuram por uma cura para a doença. Nesta ocasião, a sociedade quer apenas sobreviver, ao mesmo tempo em que as moças querem casar. Foi interessante ver que, mesmo acontecendo ataques zumbis nas ruas, a população continuava tentando manter seus costumes e tradições habituais, indo a bailes, cortejos, arranjando casamentos, etc.

Fiquei com medo de ver uma sátira com piadas loucas e idiotas nas telonas, com zumbis escrachados e toda aquela baboseira de besteirol americano. Felizmente a película não é assim. É claro que possui um ar de gozação, mas não existem chacotas mal feitas ou cenas para rirmos até não conseguirmos mais, tendo em vista de que o script contém um pouco de humor, mas na medida certa, portanto, não o assistam pensando se tratar de uma comédia, pois ele não é.

Depois que saí da cabine de imprensa, fui correndo assistir ao filme Orgulho e Preconceito, ao qual não tinha visto ainda. Meu objetivo era comparar os dois e ver de qual eu gostaria mais. Surpreendi-me positivamente ao perceber que Orgulho e Preconceito e Zumbis conseguiu manter-se fiel ao desenrolar dos fatos comparado à história original, retratando muito bem todos os personagens de Orgulho e Preconceito de Austen.

Muitas das falas, cenas e características de personagens mantiveram-se iguais, no entanto, algumas modificações foram feitas para que fossem inseridas batalhas zumbis no contexto. A única grande diferença que notei de uma produção para a outra (afora os zumbis) se deu pela personagem de Lady Catherine que, em Orgulho e Preconceito, é representada com mais idade, enquanto que em Orgulho e Preconceito e Zumbis, é mostrada mais jovem e é inclusive a melhor matadora de zumbis do filme. E, sobre os personagens, confesso que prefiro o elenco desta adaptação! Já deu para perceber que eu gostei muito mais dessa versão apocalíptica do que do clássico, né?

Aqui, Elizabeth Bennet mantém-se uma personagem forte, à frente do seu tempo e deixa sempre bem claro que só quer se casar por amor, diferentemente de todas as outras moças que continuam vivas e estão desesperadas para encontrar um marido. Por esse ângulo, fico feliz de terem explorado a imagem de uma mulher  guerreira, que sabe se defender sozinha, que é uma ótima matadora de zumbis e que pode inclusive ajudar a salvar o mundo.

Finalmente as mulheres estão deixando de ser vistas apenas como uma donzela em perigo, a citar obras cinematográficas mais recentes como, por exemplo, Jogos Vorazes e Star Wars Episodio VII, que possuem em seu roteiro mulheres protagonistas, corajosas e lutadoras, que estão no controle de várias situações.

Porém, como nem tudo são flores, na minha opinião algumas atuações foram mal executadas, bem como alguns zumbis foram mal feitos. Acostumada com a caracterização deles em séries como The Walking Dead, eu achei que pecaram nesse ponto... faltando maquiagem de terror em muitos dos mortos vivos.

Os zumbis de Orgulho e Preconceito e Zumbis são um pouco distintos dos zumbis mais tradicionais. No longa, após a pessoa ser mordida, ela começa a se transformar em um zumbi, mas só completa a transição depois de comer um cérebro humano. Enquanto não comer, continuará sendo uma pessoa quase que comum, com sentimentos, ações e memórias de sua vida pregressa. O infectado tem o desejo de comer o cérebro, mas pode resistir à tentação. Fisicamente, a pessoa em mutação apresenta uma pele morta e até ferimentos visíveis, e entra em um processo de decomposição. Mas ao menos a forma de matar um zumbi se manteve a mesma: explodindo a sua cabeça!

Quanto à decoração dos ambientes, a equipe não poupou esforços, sem falar nos figurinos, que estão lindos (vestidos longos e volumosos são ótimos para esconder armas, mas péssimos na hora da batalha!).

Orgulho e Preconceito e Zumbis é perfeito para os amantes de Jane Austen que têm uma mente aberta para assistir ao clássico de maneira repaginada e muito divertida. Mas não esperem por uma aventura épica. E para aqueles que não conhecem o filme original, assim como eu não conhecia, essa é uma ótima chance de se apaixonar pelo Mr. Darcy.

E um aviso legal: tem uma cena pós-créditos! Então, nada de se levantarem da cadeira antes da hora :P

(e... será que teremos uma continuação?)

* Agradeço ao Espaço/Z por ter me proporcionado assistir ao filme em primeira mão, numa cabine de imprensa. 

Título original: Pride and Prejudice and Zombies
Roteiro: Burr Steers, Jane Austen e Seth Grahame-Smith 
Direção: Burr Steers
108 minutos

TRAILER


5 comentários

  1. Gostei para caramba dessa proposta, principalmente depois de saber que ela seria transformada em longa. É óbvio que prefiro o livro, mas ver uma história tão maravilhosa e inovadora nas telonas é encantador e animador. Bom saber que o filme não acabou virando um besteirol, e manteve-se fiel, até certo ponto, ao enredo original, bem como dosou as sátiras e o humor dentro do longa. Também não assisti a Orgulho e Preconceito de Austen, porém achei interessante e esclarecedora a tua comparação. Enfim, estou ansiosa pela estreia!

    ResponderExcluir
  2. Oi Ellen!

    Amo o livro e o filme Orgulho e Preconceito. Mas como ainda não li esse com zumbis, fiquei em dúvida, mas gostei tanto da sua resenha, que acho que darei uma oportunidade. Parece que o filme foi bem feito e não tem sátiras que menospreze o livro original.
    Adorei sua resenha viu!

    Bjo bjo^^

    ResponderExcluir
  3. Ellen,amo Orgulho e Preconceito,mas essa mistura com Zumbis é bem horripilante,não?Nesse caso Mr.Darcy e Elizabeth Bennet se unem para combater Zumbis.Ver as irmãs Bennet,além de amigas,excelentes espadachins,foi bem divertido e interessante.Gostei da premissa e da base da história de Jane Austen ser mantida.Gostei de saber que a sociedade mantém seus hábitos mesmo em presença de Zumbis.Que bom que não se trata de uma comédia.Amo as características da personalidade forte de Elizabeth ,de uma mulher forte a frente de seu tempo.Amo Mr,Darcy ,detesto Zumbis,amei o trailer.Beijos!!!

    ResponderExcluir
  4. Amei.
    Ainda não li, mas estou super ansiosa para assistir esse filme, amo The Walking Dead e tenho certeza que vou amar Orgulho e Preconceito zumbi.

    ResponderExcluir
  5. Ainda não li nem assisti nada sobre zumbi, mas também nunca procurei muito saber, fiquei curiosa pelo filme mais pelo fato de quem luta são mulheres e não homens que é o convencional.

    ResponderExcluir