Semana Star Wars - Resenha - Filme Episódio VII - O Despertar da Força - Dia 2

Star Wars - Resenha - Filme Episódio VII - O Despertar da Força
Olá pessoal, estão gostando da Semana Especial Star Wars? Espero que sim! Hoje vamos falar sobre o tão aguardado Episódio VII, novo filme lançado pela Disney após longos 10 anos sem produção cinematográfica sobre a saga.

Star Wars - Resenha - Filme Episódio VII - O Despertar da Força
Sinopse: "Décadas após a queda de Darth Vader e do Império, surge uma nova ameaça: a Primeira Ordem, uma organização sombria que busca minar o poder da República e que tem Kylo Ren (Adam Driver), o General Hux (Domhnall Gleeson) e o Líder Supremo Snoke (Andy Serkis) como principais expoentes. Eles conseguem capturar Poe Dameron (Oscar Isaac), um dos principais pilotos da Resistência, que antes de ser preso envia através do pequeno robô BB-8 o mapa de onde vive o mitológico Luke Skywalker (Mark Hamill). Ao fugir pelo deserto, BB-8 encontra a jovem Rey (Daisy Ridley), que vive sozinha catando destroços de naves antigas. Paralelamente, Poe recebe a ajuda de Finn (John Boyega), um stormtrooper que decide abandonar o posto repentinamente. Juntos, eles escapam do domínio da Primeira Ordem."

O Império Galáctico foi derrotado e a Nova República governa a galáxia. No entanto, a alegria não perdura por muito tempo já que das cinzas do Império nasce a Primeira Ordem, determinada a tomar o poder e eliminar de uma vez por todas a existência dos jedi.

Com isso, surge A Resistência, um grupo apoiado pela República e liderado pela general Léia Organa, e uma corrida a procura do último mestre jedi, Luke Skywalker, se inicia pelos dois lados. Luke está desaparecido e sua irmã almeja encontrá-lo antes de seus inimigos para que juntos eles possam vencer mais essa guerra e trazer de volta a paz à galáxia.

Alheia a essa crise galáctica, Rey sobrevive um dia de cada vez no desértico e isolado planeta Jakku, palco de uma grande batalha entre a antiga Aliança Rebelde e o Império Galáctico no passado. Ela não sabe que uma nave imperial orbita seu planeta, e muito menos que um stormtrooper está prestes a tomar uma decisão que poderá mudar os caminhos da guerra.

Querem saber o que acontece? Então corram para assistir ao filme!

***

Embora seja um grande fã de Star Wars, eu nunca antes havia assistido a um de seus filmes no cinema. Quando as luzes da sala se apagaram e o letreiro amarelo, em letras garrafais, saltou na tela ao som da incrível e inigualável música tema composta por John Williams, fui tomado por um grande sentimento nostálgico e, admito: tive vontade de chorar.

Li algumas críticas e comentários sobre O Despertar da Força e pelo que vi ele ou foi amado ou odiado pelo público, sem meio termo. Particularmente, eu o amei, assisti 2 vezes no cinema e só não vi mais vezes porque todas as salas da minha cidade resolveram exibi-lo apenas em 3D, e não gosto de filmes com este efeito. Contudo, reconheço que praticamente não há nada de inovador na nova produção da Disney. Se olharmos bem, O Despertar da Força não passa da história do Episódio IV recontada com uma ou outra novidade. Irei explanar melhor sobre isso no próximo post dessa semana especial. Então fiquem de olho.

Quanto à trilha sonora da película, está aprovada. Acho que o contraste das músicas antigas com as de agora criaram o clima esperado em cada cena e, destaco aqui, em especial, o momento em que vemos o capacete de Darth Vader. Quando a câmera dá o close up nele, com o sutil toque da Marcha Imperial ao fundo, acompanhada da respiração desse icônico vilão/herói, não tem como não se recordar do marco que tal personagem deixou nesse universo.

Também gostei da mescla entre os antigos e os novos personagens. Eu estava com medo de que os novatos roubassem a cena completamente, deixando a velha guarda servindo apenas de enfeite, todavia, acredito que, embora Rey, Finn e Kylo tenham tido um participação maior, o pessoal da trilogia clássica também teve o seu destaque e foram fundamentais para o desenrolar da trama. Sobre os novos personagens, há dois pontos que eu gostaria de destacar.

Li críticas sobre o Finn ter conseguido ativar o sabre de luz mesmo não sendo um sensitivo. O próprio ator Samuel L. Jackson - que viveu o personagem Mace Windu nos Episódios I a III - disse que para o Finn ter conseguido tal feito ele deveria ter midi-chlorians em seu organismo. Para quem não sabe, midi-chlorians foi algo criado pelo George Lucas na trilogia da virada do século (I a III) para tentar explicar de onde vinha a Força. Entretanto, até onde sei, nunca se foi dito que é preciso possuí-las para se ligar um sabre de luz. Inclusive, no Episódio V - O Império Contra-Ataca, Han Solo conseguiu ativar o sabre do Luke, e ele não era um usuário da Força. E nessa época ninguém falava da existência das midi-chlorians. E houve também o general Grievous, que lutava com sabres de luz e não era sensitivo.

O outro ponto que vi criticarem - muito mais do que o anterior -, foi sobre como a Rey fez uso da Força sem ter o adequado conhecimento e treinamento. Ora, o nome do filme se chama O Despertar da Força, e eu, pelo menos, compreendo que esse despertar ocorreu através de alguém, assim como o Anakin Skywalker praticamente nasceu da Força na trilogia da virada do século. Sendo assim, subentende-se que a conexão da Rey com a Força é muito grande. O próprio Kyle Ren menciona em determinado momento que ela, para quem nunca teve treinamento, tem um vínculo com a Força tão forte como ele nunca havia visto antes.

Mas digamos que essa justificativa não seja suficiente, tenho outra para vocês. Na verdade, tenho mais duas. Primeiro caso: Episódio IV - Uma Nova Esperança. Nele, Luke Skywalker, que recém havia descoberto a Força e teve um curtíssimo treinamento jedi com Obi-Wan Kenobi, foi capaz de destruir a Estrela da Morte com a ajuda da Força. Segundo caso: Episódio I - A Ameaça Fantasma. Aqui não vamos entrar no mérito do quanto esse filme foi decepcionante para muitos - inclusive para mim -, falaremos apenas que Anakin Skywalker, com apenas 10 anos, destruiu a nave da Federação do Comércio sozinho, e até acho que ele nem usou a Força ali. A frota de defesa do planeta Naboo, treinada para o combate, não foi capaz de fazê-lo, porém, Anakin, sozinho, adentrou a nave e acabou com a guerra. E já vi pessoas falarem que ele teria usado a Força também para vencer a corrida de pods.

Então, por que a Rey não pode ter feito um uso básico da Força, tendo em vista que ela aprendeu alguns conceitos (poucos, eu sei) da mesma? Além do mais, na batalha contra o Kylo Ren, ele estava machucado e não estava lutando a sério. E quando comparamos os movimentos que a Rey e o Finn fazem com o sabre de luz, fica claro como eles são amadores em relação aos do Kylo, que conduz o sabre com maestria.

Gostaria de comentar aqui também sobre o personagem BB8. Assim que o trailer saiu, que eu vi esse novo modelo de astromech droid, confesso que fiquei com muito medo do destino do R2-D2, um de meus personagens favoritos. Quem viu os outros filmes sabe que o R2, quando entra em cena, é capaz de salvar a galáxia inteira sozinho - tá, exagerei, mas vocês sabem que é assim. Por isso, logo de cara, criei uma antipatia para com o BB8.

Após ver o filme confesso que ainda não gosto muito dele, no entanto também não desgosto mais. Para mim BB8 é o Jar Jar Binks que deu certo. Um personagem criado para conquistar o público - principalmente infantil - sem muita função na trama. Porque, claro, o BB8 tem sua parcela de contribuição. E tá, admito que, como disse uma amiga minha, ele é fofinho. Tudo bem, confesso, eu gosto dele. Mas, convenhamos, BB8 não chega aos pés do R2. Talvez isso tenha sido feito justamente para não causar revolta nos fãs ao apresentar um astromech droid tão eficiente quanto o que conhecemos nos últimos 6 filmes, e, se foi o caso, comigo funcionou, porque em diversas vezes em que os mocinhos estavam em apuros e BB8 estava com eles, eu só pensava: "Se R2 estivesse presente, ele teria feito alguma coisa, ao invés de só ficar gritando e correndo".

Acredito que o Episódio VII foi bem dosado no quesito drama e comédia. Pareceu-me que a Disney capturou a ação, drama e base de conceitos da Força da trilogia clássica e somou à comédia da trilogia da virada do século. Gostei dessa mistura e, a meu ver, o filme soube ser engraçado quando deveria, e também acertou quando tentou ganhar a nossa atenção nas cenas mais densas.

Para fechar essa resenha, gostaria de reforçar que, para mim, a Disney fez um ótimo trabalho em O Despertar da Força. Aliás, até acredito que isso aconteceu justamente porque ela, como eu disse, recontou a história de Uma Nova Esperança. Assim como também estou certo que dificilmente ela teria agradado esses fãs mais rigorosos que criticaram tanto a nova produção. A questão é: Star Wars é um clássico, e todo filme que é clássico quando recebe uma continuação raramente é aprovado pelo público mais fervoroso. Então, segundo a minha opinião, não importa a história que a Disney conte, sempre irão criticar e dizer que arruinaram Star Wars.

Por isso a minha dica é: assistam vocês, tirem as suas próprias conclusões e depois me digam o que acharam.

Título original: Star Wars - The Force Awakens
Roteiro: Lawrence Kasdan, J. J. Abrams e Michael Arndt
Direção: J. J. Abrams
135 minutos
TRAILER

14 comentários

  1. Laplace,ainda não assisti esse filme ,mas me parece bem diferente,apesar da música ser a mesma e nos emocionar com tanta nostalgia de uma época que não volta...Gostei de saber que ainda temos a Léia e o Luke.Que bom que você tenha amado o filme e a trilha sonora .Suas considerações são muito válidas,a cerca dos comentários e comparações,em relação ao BB8,apesar de ´´fofo``,não é de fato o R2. Que bom que gostou do trabalho da Disney,aluns gostam e outros não.Gostei do trailer e de algumas cenas,principalmente a da máscara do Vader. Até a próxima!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado Aciclea!
      E sim, realmente BB8 não é R2. Fui com um grande pré-conceito contra ele para o cinema, achando que ele roubaria o lugar do R2, mas aí ele me conquistou, principalmente por não ter tomado o lugar do melhor astromech droid do universo.

      Excluir
  2. Cara, pensa em uma pessoa perdida nessa historia sou eu, não entendo bulhufas sobre isso, mas espero poder mudar isso esse ano, pois com o intenso marketing que teve sobre esta historia fiquei curiosa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Jessica!
      O universo de Star Wars é bem vasto e com muitos detalhes, então é bem fácil se perder mesmo. Espero que goste. :)

      Excluir
  3. Confesso que eu fiquei com medo, como fã, de um novo episódio sendo lançado. Mas depois de todas as críticas positivas que já li e os comentários animados que ouvi, estou bem empolgada para assistir a produção. Posso dizer que o que eu mais curti nesse novo longa é o reconhecimento que os personagens mais antigos permanecem tendo. Achei que eles fossem ser esquecidos, e isso não aconteceu, o que me agradou muito. O BB8 é um fofo mesmo, mas ninguém jamais superará nosso R2! rs

    ResponderExcluir
  4. Oi Laplace!

    Cara, queria muito conseguir escrever uma resenha de filme assim! Eu tentei escrever uma para este filme, mas surtei demais, afinal, esperei quase 10 anos para ver o episódio VII e confesso que a espera valeu a pena! Amei demais o filme e quero assistir de novo! rsrsrsrsrs

    Parabéns pela resenha! Estou adorando essa semana!

    Bjo bjo^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ana! Suei para escrever essa resenha, visse, se engana não. Eu queria escrever algo sobre o filme desde antes de assisti-lo, mas confesso que acho que a resenha só saiu mesmo por causa dessa semana especial, se não acho que eu ainda estaria tentando escrever. kkkkkkkk

      O filme foi muito bom mesmo, e também quero muito assistir de novo. kkkkkkk

      Muito obrigado, e fico contente que esteja gostando da semana! :)

      Excluir
  5. Gostei da resenha.
    Porem não gosto nem do livro, nem do filme, acho chato sei la, me arrependo de ter gastado meu dinheiro kkk, mais fico feliz que goste.
    Boa Tarde.

    ResponderExcluir
  6. Oi, Laplace!
    Esse filme <3 Eu não sabia quanta falta eu sentia de um filme de Star Wars até ir assistir esse filme! Eu acabei indo ao cinema 5 vezes, mas ainda acho que poderia ter ido muitas mais vezes e a emoção seria a mesma da primeira vez!
    Sua resenha está muito boa, se eu não tivesse visto esse filme ainda, iria correndo vê-lo agora!
    Parabéns, bjs =D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ileana! Obrigado!
      Eu estava doido para ver o filme mais vezes no cinema, mas a minha cidade passou a exibi-lo só em 3D, e não curto, aí assisti só 2 vezes mesmo. kkkkkkkk

      Excluir
  7. Como foi bom ler sua resenha! Me transportei para aquele mundo e me deu uma vontade enorme de assistir ao filme novamente. Como tenho os 6 primeiros, quando a vontade bate, corre e assisto novamente, e é como se estivesse assistindo pela primeira vez. Infelizmente, o cinema não consegue acompanhar a escrita, pois esta está recheada de livros sobre a saga. Parabéns pela resenha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Maristela!
      Havia um tempo que eu havia assistido os outros 6 filmes, acho que quase um ano. Mas com o lançamento do sétimo acabei revendo-os também.

      Excluir