Resenha - Escola de Vilões

Resenha - Escola de Vilões
Sinopse: "Será que um vilão pode se recuperar? Gilly não se considera exatamente uma garota má... Porém, quando se tem cinco irmãos e irmãs mais novos, é preciso ser criativo para ajudar nas despesas. Ela é uma ladra muito boa, e disso tem certeza e pode se gabar. Até ser pega. Depois de roubar uma presilha, é sentenciada a passar três meses no Reformatório de Contos de Fadas – no qual os professores são aqueles antigos vilões que já conhecemos, como o grande Lobo Mau e a malvada Madrasta da Cinderela. Quando, porém, ela faz amizade com alguns estudantes, como Jax e Kayla, aprende que esse reformatório vai muito além de sua missão heroica. Há uma batalha ganhando forma e Gilly precisa descobrir: os vilões podem realmente mudar? Descubra o Lado B dos contos de fadas."
Todos vocês conhecem a história de Cinderela, certo? E o que achariam se eu contasse que a grande vilã, Flora, madrasta de Ela, se regenerou e se arrependeu de todo mal feito à garota? E se não bastasse, decidiu criar uma escola chamada Reformatório de Contos de Fadas, direcionada aos malfeitores de Encantadópolis, com o intuito de reeducá-los e diminuir os índices de criminalidade da região? E não é que o projeto deu certo? Pois é, com o apoio de toda realeza e da nova polícia de anões patrulhando a cidade, perversos icônicos como o Lobo Mau, a Bruxa do Mar e a Rainha Má refizeram as suas vidas.

"Graças aos nossos ensinamentos, o crime chegou aos índices mais baixos de todos os tempos”, diz Flora, orgulhosa. Desde sua inauguração, o RCF já acolheu em seus dormitórios mais de cem gnomos, trolls, duendes, elfos e outros alunos de contos de fadas, desde a sexta série até o último ano do Ensino Médio, em seu campus na periferia de Encantadópolis, perto da Floresta Profunda."

E foi para lá que Gillian, a protagonista deste livro, foi levada, depois de ter cometido sua terceira infração e de ter recebido uma ordem de detenção do Esquadrão de Polícia, aprovada pela Princesa Ela. Pelo visto, a sua estadia no RCF seria longa.

Gilly é uma dos seis filhos do sapateiro de Encantadópolis. Eles moram numa pequena casinha, em uma das ruas mais pobres do local. O negócio do seu pai não é mais como antes e o dinheiro está cada vez mais escasso. Apesar de ainda fazerem três refeições ao dia, se não fosse pelos seus pequenos furtos no mercado, seus irmãos já tinham definhado de fome. Por causa dela, os gêmeos chegaram a ganhar um pouco de peso e as olheiras profundas de Trixie sumiram. Gilly se empenhava em manter os irmãos alimentados e dar um presente de aniversário a cada um todo ano. Era o mínimo que achava que podia fazer pela família. Pena que o fazia de maneira pouco ortodoxa e muito condenável.

Lá no reformatório, Gillian fez amigos pela primeira vez na vida, dormia no seu próprio quarto, refestelava-se de inúmeras refeições apetitosas e tinha aulas diferenciadas do colégio onde estudava e que a preparavam para um futuro profissional esplendoroso. É, parece que as coisas não eram tão ruins assim no internato.

Mas será que o RCF conseguirá mudá-la como todos esperam, ou um vilão nunca será capaz de se tornar um herói?

Querem saber o que vai acontecer? Então leiam.

***

Escola de Vilões me atraiu primeiramente pela capa e o li sem ter ideia do que se tratava. Quando logo nas primeiras páginas vi o Pergaminho de Felizes para Sempre anunciando o aniversário de cinco anos do Reformatório de Contos de Fadas e a história por trás de sua criação, mal acreditei na originalidade da trama e fiquei morrendo de curiosidade para saber mais.

Narrado em primeira pessoa, por uma garota enfezada de 12 anos, descobrimos que Gillian aprendeu a afanar objetos dos nobres muito cedo, incluindo desde comida a itens de valor que vendia no "mercado negro" para garantir a sobrevivência da família. Nesse sentido, fiquei na expectativa sobre como a autora desenvolveria o tema já que sabemos que roubar é errado, independente do motivo, e péssimos exemplos como esse não devem ser incentivados.

Quando Gillian é presa, se sente furiosa por ter tido que se separar dos irmãos e morre de medo que algo de ruim aconteça com eles já que agora não podem mais contar com o fruto dos seus roubos. Tudo o que ela mais quer é escapar do RCF, mas, para isso, terá que se comportar e dançar conforme a música. 

Na medida em que acompanhamos Gilly em sua jornada de transformação pessoal, também vamos entendendo um pouco mais sobre o funcionamento do internato, sua administração e percebemos que algo de muito sinistro está acontecendo por lá. Gillian, que está desesperada para descobrir algum podre dos ex-vilões para utilizar como moeda de troca para voltar para casa, passa a seguir Flora, a madrasta de Cinderela, e acaba se envolvendo em diversas confusões que chegam a quase custar a sua vida.

Adorei o modo como Jen construiu os personagens. O fez de modo muito realista na medida em que nenhum é perfeito, mas, não é por isso que eles não podem se tornar os heróis de suas próprias histórias. Gillian acredita que nunca será nada mais do que uma ladra, entretanto, com a ajuda dos seus amigos, se dá conta de que é capaz de ter atitudes altruístas, lutando contra os seus defeitos para se tornar merecedora do reconhecimento da família, algo que sempre desejou.

Os ex-vilões estão um show à parte. Imaginem como seria ter aulas de dança com a Bruxa do Mar, ou aprender sobre a Guerra dos Duendes com o Xavier Lobão, mais conhecido por ter comido a vovozinha da Chapeuzinho Vermelho? Mas... nada supera o fato de se ter sessões de terapia em grupo com a Rainha Má, que desejou por tantos anos a morte da Branca de Neve.

Sério, foi muito divertido mergulhar nesse universo de magia e de contos de fadas. Escola de Vilões foi uma leitura rápida e prazerosa e que, em diversos aspectos, acabou me lembrando de Harry Potter e me dando uma sensação gostosa de nostalgia.

No texto, a autora pôs diversas mensagens bonitas a respeito da importância da amizade; sobre pensar antes nos outros do que só em si mesma; em como criamos impressões equivocadas, cheias de preconceito em relação a alguém só por causa do seu passado e do quanto é possível mudar, a despeito do que os outros pensam ou acreditam.

Se vocês estão procurando uma leitura cheia de aventura e belas lições, entreguem-se à Escola de Vilões e aprendam que nem sempre o caminho mais fácil a se seguir é o certo.

Escola de Vilões - Jen Calonita
Editora Única
192 páginas
Comprar: Amazon / Saraiva

5 comentários

  1. Oi Mirelle!

    Tbm fiquei encantada pela proposta da autora. Gostei demais da capa e confesso que foi o que mais me chamou a atenção. Os livros da editora são lindos e cheios de charme neh? rrsrsrs
    Adorei sua resenha, só me deixou mais curiosa e espero poder lê-lo em breve!

    Bjo bjo^^

    ResponderExcluir
  2. Mi!
    Deve mesmo ser muito bom ler um livro que além de fazer uma releitura dos contos de fadas, nos faz rir.
    Gosto demais dos livros do gênero que me transportam para uma realidade de fantasia.
    “Saber é compreendermos as coisas que mais nos convêm.” (Friedrich Nietzsche)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Top Comentarista fevereiro, 4 livros e 3 ganhadores, participe!

    ResponderExcluir
  3. Mi,essa história é bem criativa,onde mostra os vilões se regenerando como Flora ,madrasta de Ela,em combate ao crime.Quero muito conhecer a personagem Gilly uma ladra pronta a ser regenerada no internato(reformatório).Legal os personagens serem realistas.Realmente é um show a parte ver tantos vilões bonzinhos,que bom que você gostou.Amei a autora ter enfatizado a importância da amizade.Beijos!!!

    ResponderExcluir
  4. Eu sempre quis ler esse livro! Adorei a capa. Compraria só por isso! Resenha ficou ótima, muito melhor do que as outras que li.

    ResponderExcluir
  5. Ótima resenha.
    Adoro readaptação de contos de fadas, amei essa capa, espero gostar dessa leitura, vou garantir o meu exemplar...

    ResponderExcluir