Resenha - Coroa Cruel

Resenha - Coroa Cruel
Sinopse: "Duas mulheres — uma vermelha e uma prateada — contam sua história e revelam seus segredos. Em Canção da Rainha, você terá acesso ao diário da nobre prateada Coriane Jacos, que se torna a primeira esposa do rei Tiberias VI e dá à luz o príncipe herdeiro, Cal — tudo isso enquanto luta para sobreviver em meio às intrigas da corte. Já em Cicatrizes de Aço, você terá uma visão de dentro da Guarda Escarlate a partir da perspectiva de Diana Farley, uma das líderes da rebelião vermelha, que tenta expandir o movimento para Norta — e acaba encontrando Mare Barrow pelo caminho. Esta edição traz, ainda, um mapa de Norta e um trecho exclusivo de ‘Espada de Vidro, o aguardado segundo volume da série A Rainha Vermelha."
ATENÇÃO, esta resenha pode conter spoilers de A Rainha Vermelha. Leiam por sua conta e risco!

Olá pessoal! Olha eu de volta aqui \o/ Hoje vou falar sobre uma das minhas séries favoritas da atualidade e já aviso, não será a primeira nem a última vez. Mas chega de enrolação, venham conhecer mais sobre Coroa Cruel.

Spin-off 1.5 da série A Rainha Vermelha, Coroa Cruel traz a junção de dois contos de personagens aos quais fomos apresentados no primeiro livro, mas que não chegamos a conhecer muito a fundo.

Em Canção da Rainha nos deparamos com Coriane Jacos. Para ter uma vida melhor, a única perspectiva para a filha caçula da falida casa Jacos era fazer um bom casamento. É nessa tecla que sua tia Jessamine mais bate quando critica a moça pelos seus maus modos. 

A verdade é que Coriane gostaria de ser livre. Viver montando seus equipamentos eletrônicos que na realidade  não servem para nada, ao menos é o que dizem, e ficar ao lado do seu irmão Julian e de sua melhor amiga Sara. Porém, ela sabe que a sua vida não será tão fácil assim. Quando o irmão de seu pai e até então herdeiro da casa Jacos morre, Coriane é obrigada a enfrentar as grandes casas para o sepultamento do tio. Com isso, ela conhece Tibe, ou melhor, o príncipe herdeiro Tiberius. Por serem tão diferentes, criam um laço forte, uma amizade que se transforma em amor.

A Prova Real que irá eleger a próxima rainha está cada vez mais perto, entretanto,  o príncipe já havia escolhido a sua companheira. Isso fez com que todas as casas reais ficassem em chamas, mas uma pessoa em especial ficou ainda mais indignada com o fato: Elara, murmuradora e filha de um grande governante e uma das que eram favoritas ao trono. Agora, ela está pronta para brigar pelo seu lugar de direito... mesmo após Coriane já ter sido coroada rainha. 

Cicatrizes de Aço nos apresentará à Diana Farley, a voz por trás do pronunciamento que mostrou que Vamos nos levantar, vermelhos como a aurora, dando força aos Vermelhos para enfrentar os Prateados. Ela é uma das Capitãs da Guarda Escarlate e, pela primeira vez, tem uma missão em suas mãos que operará sem a presença do Coronel ao qual é subalterna. 

Além de aprendermos mais sobre as táticas da Guarda Escarlate e sobre como eles conseguem se unir para passarem despercebidos pelos prateados, também descobrimos bastante sobre Diana. Mesmo demonstrando sua total força e coragem a todo tempo, Diana deixa, em alguns momentos, transparecer seus medos e anseios, emoções que a fizeram se alinhar à Guarda; além de pensar muito em sua família.

É na história de Farley que conhecemos Shade Barrow, um vermelho que também apareceu no primeiro exemplar da série. Irmão de Mare e um dos raros vermelhos com poderes, ele traz a ligação para a jovem Mare que, em paralelo à essa história, acabou de descobrir que possui poderes que não são comuns a um humano da sua linhagem. 

***

Coroa Cruel traz dois contos, um anterior à primeira obra da série, outro em paralelo a ela. É interessante ver a narrativa sobre outros pontos de vista e saber mais sobre o que aconteceu com a mãe de Cal com o Rei Tibes, além de descortinar o motivo da crueldade da Rainha Elara

Porém, confesso que, na minha opinião, acho que os contos poderiam ter sido melhores escritos. Senti falta de um pouco de emoção em Canção da Rainha, já que durante muito tempo tive a sensação de que muitas das coisas ali ditas não passavam de pura imaginação da Cori. E em Cicatrizes de Aço penso que a autora poderia ter se aprofundado mais nos aspectos que norteiam a Guarda, dando ênfase em tudo o que fizeram para ser o que são. 

Apesar de eu ter ficado esperando por mais, gostei dos enredos e já estou devorando Espada de Vidro, segundo volume da série, e em breve venho contar tudo o que achei para vocês. Torço para que todas as minhas dúvidas sejam respondidas antes que eu fique louca, haha. 

Espero que tenham gostado. Beijocas e até a próxima!

Coroa Cruel - Victoria Aveyard
Livro 1,5
Um conto da série A Rainha Vermelha
Editora Seguinte
232 páginas
Comprar: Saraiva / Amazon

Confiram o vídeo resenha para verem maiores detalhes da obra:

8 comentários

  1. Bárbara,não li essa série ainda,mas esta na minha lista.Essa obra que traz a junção de dois contos de personagens do primeiro livro,achei interessante,pois nos faz conhecê-los mais profundamente em detalhes.Que pena que você sentiu pena de um pouco de emoção em Canção da rainha.Legal ter gostado dos enredos .Amei o Book Review,gostei muito dos tamanhos serem iguais e dos designers.Beijocas!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá :)
      Também adoro me aprofundar mais em determinados personagens, deixa a história mais envolvente para nós. Fico muito feliz que tenha gostado da resenha. Beijoos :)

      Excluir
  2. Oi Barbara! Td bem?

    Olha, não li sua resenha por causa dos spoilers ta? Tenho o primeiro livro e ainda não li, quero demais o segundo, pois assim lerei um atrás do outro!

    Bjo bjo^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ana. Sem problemas, haha. Depois que ler A Rainha Vermelha passa aqui para me contar o que achou da resenha. Beijos :)

      Excluir
  3. Amei.
    Estou super ansiosa para começar a ler essa série, ouvir e li muitos elogios sobre ela, gostei muito de sua resenha Barbara, espero em breve estar desfrutando dessa leitura.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá :)
      Fico muito feliz que tenha gostado da resenha. É realmente uma distopia maravilhosa e envolvente. Garanto que você não irá se arrepender.
      Beijocas ;)

      Excluir
  4. Hei, Barb!
    Ainda não li o primeiro volume da série, mas confesso que curiosidade é o que não falta. Gosto muito da ideia de contos em paralelo a série, não só por demonstrarem outra perspectiva que não a do narrador principal, mas também porque a partir deles podemos esclarecer muitas atitudes e personalidades dos personagens. Acredito que, apesar de não terem atendido suas expectativas, esses dois contos cumprem bem esse papel de aprofundar o leitor ainda mais no universo da série.

    ResponderExcluir
  5. Só eu que ainda não li nenhum livro da autora? Sério isso? Bem não li a resenha, porque tenho pretensão de ler esse livro, mas já esta na minha lista de leitura todos.

    ResponderExcluir