Resenha - Almanegra

Resenha - Almanegra
Sinopse: "Ana sempre foi a única. Marginalizada. Apartada. E, para piorar, após o Escurecimento do Templo causado por seu pai, vários cidadãos de Heart a culpam pela perda definitiva de algumas almas, as almasnegras — e pelas almasnovas que nascerão em seu lugar. SOMBRAS Muitos temem a presença de Ana, um lembrete constante das mudanças irreversíveis. E quando as sílfides começam a se comportar de maneira diferente em relação a ela, Ana terá que aprender não apenas a se defender como àqueles que não podem fazer isso por si mesmos. AMOR Ana aprendeu desde cedo que os sem-alma não podem amar. Mas, e as almasnovas? Mais do que tudo, ela deseja ter a chance de viver e amar como qualquer outro cidadão de Heart, porém mesmo depois de Sam declarar seus mais profundos sentimentos, será que ela conseguirá superar uma vida inteira de rejeição e aceitar o amor? Almanegra explora a beleza e as profundezas sombrias da alma, numa história que é ao mesmo tempo um romance épico e uma fantasia cativante."
ATENÇÃO, esta resenha pode conter spoilers Almanova. Leiam por sua conta e risco!  

Ana era uma almanova que, depois do Escurecimento do Templo, provocado por Menehem, seu falecido pai, passou a ser ainda mais hostilizada pelos cidadãos de Heart, que a culpavam pelo perecimento das almasnegras.

Tudo o que Ana sempre quis era ser aceita como uma cidadã, digna de respeito e confiança, mas essa possibilidade era praticamente remota, principalmente agora, que tantas almasnovas iriam nascer, lembrando o povo para sempre de todos os amigos que perderam por conta delas.

Desde que foi aprisionada dentro do templo por Meuric e conheceu Janan, o todo-poderoso responsável pela reencarnação infinita daqueles que viviam em Range, Ana ficou repleta de dúvidas sobre como a reencarnação funcionava, quem eram as almasnovas, se ela ia reencarnar, como e por que Janan foi detido no Escurecimento do Templo e se isso poderia voltar a acontecer.

Para responder a essas perguntas, foi com Sam até o laboratório secreto de Menehem estudar seus experimentos. Mas mal sabia Ana que descobriria que, por algum motivo, tudo estava ligado às sílfides e, para piorar a desconfiança e o ódio das pessoas em relação a ela, esses monstros incorpóreos pareciam responder ao seu comando.

Lutando para se manter viva, Ana terá que decidir em quem confiar para pôr em prática a sua missão de manter as almasnovas a salvo.

Querem saber o que vai acontecer? Então leiam!

***

Almanegra é uma das minhas vítimas da falta de tempo e está há meses esquecida na minha estante, me olhando com aquela capa holográfica diva pedindo para ser lida. O livro foi, portanto, a minha escolha de fevereiro para o Desafio Esquecidos na Estante, já que fantasia é um gênero que eu não costumo ler. 

Porém, bastou que eu virasse as primeiras páginas para que fosse novamente absorvida para o universo da trilogia Incarnate, me sentindo literalmente em casa. Foi quando me dei conta do quanto senti saudades dos personagens e me questionei por que levei tanto tempo para lê-lo.

A escrita da diva Jodi Meadows segue o mesmo padrão de qualidade do volume antecessor. Narrado em primeira pessoa, testemunhamos os medos e dúvidas de Ana e compartilhamos do seu desejo de fazer a coisa certa.

Aqui, o clima aparenta estar mais obscuro, já que Ana tem que lidar com a sua jornada de autodescoberta, as inseguranças por ser uma almanova vivendo em meio a muitas pessoas que querem vê-la morta e com sentimentos que ela não sabe como lidar, como o amor. Paralelamente à ela, vemos um Sam mais sombrio, ferido por causa dos amigos que morreram, deprimido pelas incertezas que plantam em sua cabeça e mais agressivo por conta de toda hostilidade direcionada à sua amada.

O relacionamento tão perfeito que eles tinham não vai bem das pernas, tudo por causa das intrigas e fofocas que rodeiam a garota, e isso faz questioná-los até onde o sentimento que nutrem um pelo outro pode resistir.

Se isso não bastasse para dificultar a vida de Ana, nos vemos em meio a um mistério, de um motim feito por alguém com a intenção de exterminar as almasnovas. Esse artifício ficou bem legal porque pude brincar de detetive, analisando todas as pistas que me fizeram desconfiar de um monte de inocentes :P

Assim como Ana, começamos a obra com dúvidas e a concluímos com o dobro de perguntas que espero que sejam respondidas no último exemplar. Me cortou o coração várias coisas que aconteceram mas, ao mesmo tempo, me senti inundada pela força de Ana que a vida toda foi tratada como um lixo por ser diferente, mas que nunca desistiu de lutar pelos seus ideais e pelo direito de ser aceita.

Nesse sentido, a autora trabalha de forma análoga, de maneira magistral, o tema relacionado aos preconceitos sociais, também abordando os relacionamentos entre pessoas de idades muito diferentes, comumente vistas com maus olhos; e a corrupção do governo que costuma trabalhar apenas de acordo com os seus interesses. Isso sem mencionar o elemento reencarnação, que nos suscita várias reflexões interessantes.

Almanova e Almanegra são livros que amo demais, que espero que todos vocês tenham a oportunidade de ler um dia. Agora, estou de ressaca e aguardando ansiosamente o lançamento de Infinita.

Almanegra - Jodi Meadows
Livro 02
Trilogia Incarnate
Editora Valentina
336 páginas
Comprar: Amazon / Saraiva

4 comentários

  1. Mi,não li ainda essa série,mas Ana me parece uma personagem bem forte ,pois já passou por muitas coisas.Não gosto muito de histórias de fantasia com o tema de reencarnação.Achei as capas holográficas da série muito lindas!Gostei muito de saber em contrapartida da características do personagem Sam e saber que o amor deles está a prova,isso me parece bem emocionante.Beijos!!!

    ResponderExcluir
  2. Oi Mirelle!

    Não li a resenha pq não li o primeiro livro que é um dos meus mais desejados.
    As capas dessa série me deixam doida! São lindas demais e tenho certeza que a edição deve estar incrível tbm!

    Bjo bjo^^

    ResponderExcluir
  3. Ainda não tive a oportunidade de ler essa série, e apesar de ficar um pouco perdida, gostei muito da resenha, e cheguei a conclusão de que preciso ler essa série.

    ResponderExcluir
  4. Essas são leituras que eu tenho muita curiosidade em realizar. Não cheguei a ler nem o primeiro volume, mas vontade é o que não falta. Eu acho a proposta da trilogia muito inovadora, e a premissa original, cheia de elementos novos e que não são batidos, me atrai muito. Curto a forma como a autora aborda temas paralelos e nos leva a refletir sobre eles, nunca tirando o foco da temática sobrenatural que ela possui nesse enredo.

    ResponderExcluir