Resenha - Encontro às cegas

Resenha - Encontro às cegas
Sinopse: "Lucía é uma mulher de 30 anos, com uns quilinhos a mais, que ganha pouco, mora sozinha e leva uma vida meio sem graça. Sua vida até então monótona (casa, trabalho, casa) muda radicalmente quando Irina, sua irmã mais nova - e perfeita - anuncia que irá se casar. Ela teria ficado superfeliz com a notícia, se não tivesse sido vítima de uma aposta entre sua própria mãe e irmã: convencida de que Lucía será uma solteirona, sua mãe diz que pagará toda a festa se ela aparecer no casamento acompanhada por um namorado de verdade. Morta de raiva, Lucía decide desafiar a "profecia materna". Ela tem sete meses e meio para conseguir um namorado e está disposta a fazer qualquer coisa para isso: sair com colegas de trabalho, resgatar velhos amores, tentar encontros pela internet. Encontro às cegas é um diário de uma mulher sobre uma busca cheia de situações inacreditáveis, porém reais, emocionantes, cruéis e divertidas."
Lucía tem 30 anos, é redatora, está um pouco acima do peso e tem o famoso dedo podre de quem nunca atrai o homem certo, ou normal. Todos os seus ex-namorados ou aqueles com quem já teve encontros são esquisitos, grosseirões, machistas, mulherengos ou têm qualquer outra qualidade não atrativa para o sexo feminino.

Para piorar a situação, sua irmã mais nova está grávida e foi pedida em casamento, deixando Lucía ainda mais maluca, afinal, era ela quem deveria ter arrumado um marido primeiro e, pelo visto, estava ainda mais perto de ficar para titia.

Sua mãe, uma pessoa intragável e com uma língua absurdamente ferina, se preocupava com a possibilidade do casamento de Irina ser um desastre, pois tinha certeza de que Lucía iria sozinha, derrotada, se entupiria de comida e ficaria bêbada, dando vexame na festa, atraindo os olhares maldosos dos convidados.

Para provar o seu ponto, fez uma aposta com Irina. Se Lucía fosse ao casório com um namorado de verdade, pagaria por todos os gastos do casamento. O problema é que Lucía ouviu a mãe e a irmã confabulando, e desceu até o fundo do poço. Entretanto, mesmo que de maneira torta, a aposta serviu como um catalisador para que Lucía provasse para a sua mãe que não era um fracasso, como era vista.

Lucía tinha um plano, arrumar um namorado em 227 dias e esfregá-lo na cara da mãe na cerimônia. Parecia algo simples de fazer, mas não era, principalmente quando não se tinha pretendentes decentes à vista.

Mal sabia Lucía que, nessa jornada pelo verdadeiro amor, a vida lhe pregaria várias peças.

Querem saber o que vai acontecer? Então leiam.

***

Decidi ler Encontro às cegas para participar do meu Desafiode Janeiro do Esquecidos na Estante, já que a ideia era ler um livro do nosso gênero literário favorito, e eu sou apaixonada por chick-lit.

Narrado em primeira pessoa, por Lucía, de maneira bem ácida e meio cômica, tive a sensação da trama ser bem promissora, já que fui movida pela curiosidade de o que a protagonista faria, com quem ela ficaria e se iria mesmo acompanhada no casório da irmã ou não.

Entretanto, no decorrer das páginas, me senti incomodada com as atitudes da Lucía. Por mais que eu compreenda o dilema de ser solteira e de encontrar um companheiro que preste, fiquei triste ao vê-la tão desesperada para namorar qualquer um que passasse pela frente só para provar para a mãe que era digna de ser amada por alguém.

Lucía se tornou uma personagem muito amarga, depressiva e reclamona, e isso fez com que a leitura ficasse enfadonha, já que tinha vontades constantes de dar um sacode nela e lhe dizer algumas verdades.

Isso sem falar na mãe insuportável da Lucía. Que raiva que me deu daquela mulher. Como uma pessoa como aquela poderia ser chamada de mãe??? Como nunca ninguém a colocou no seu devido lugar? Minha pena por Lucía só aumentou, na medida em que era óbvio que todos os problemas que a garota enfrentava se deviam à mãe que ela tinha.

De qualquer modo, a autora logrou êxito ao abordar temas importantes para qualquer mulher que já passou dos 30: o medo de ficar solteira para sempre. A questão que vejo por aí é que ninguém está em busca de alguém para amar. As pessoas têm uma visão ilusória e deturpada de o que querem em um parceiro ou parceira e, como não encontram, contentam-se com o menos pior e tentam mudá-lo e moldá-lo até que se deem por satisfeitos, e sabemos que as coisas não funcionam dessa maneira.

Justamente por isso, me frustrei um pouco com o desenrolar do enredo, já que Lucía custou a aprender preciosas lições e a amadurecer, tomando o controle de sua vida pelas suas próprias mãos. Apesar do final ter sido bem fofo, e dela ter finalmente caído na real, achei que a autora poderia ter trabalhado melhor a moral da história.

Para quem é solteiro invicto e está sempre em busca da tampa da sua panela, certamente irá se identificar com esse texto meio maluquinho que nos mostra que o nosso verdadeiro amor pode estar mais perto do que imaginamos, basta darmos uma chance ao improvável e nos despirmos de preconceitos e fantasias. 

Encontro às cegas - Carolina Aguirre
Editora Benvirá
320 páginas
Comprar: Amazon / Saraiva

0 comentários

Postar um comentário