# Esquenta - Enquanto Bela Dormia

#Esquenta Enquanto Bela Dormia Elizabeth Blackwell
Oi, gente! O Recanto da Mi começou o ano a todo vapor e já tem uma novidade muito legal para vocês. Preparados? Então sejam bem vindos ao nosso #Esquenta!!!!

Calma que não vai ter a Regina Casé e nem colaborador do blog dançando funk. A proposta é a seguinte: quando um livro ou filme muito aguardado estiver chegando, vamos preparar um post antes do lançamento para rufar os tambores e fazer todo mundo entrar no clima. Teremos curiosidades e o máximo de informações para que vocês já se organizem e corram até a livraria ou cinema mais próximo. A partir de agora, vamos fazer um acordo: todas as vezes em que o Recanto da Mi interromper a programação e gritar #Esquenta! é porque tem algo muito bacana a caminho. Fiquem ligados, pois esses posts também podem trazer promoções exclusivas!

***

Agora que fizemos as devidas apresentações, vamos ao que interessa. Nesta segunda feira, dia 11 de janeiro, será lançado no Brasil o livro Enquanto Bela dormia, da escritora norte-americana Elizabeth Blackwell. A obra é uma releitura de A Bela Adormecida e promete trazer uma versão emocionante da história que encantou diferentes gerações ao longo dos séculos. Deem uma olhada na sinopse e se apaixonem junto conosco pela capa. Ficou uma pintura de tão linda!

Enquanto Bela Dormia Elizabeth Blackwell
Sinopse: "Nos salões de um castelo, uma confidente leal guardou por muitos anos os segredos de uma rainha linda e melancólica, uma princesa que só queria ser livre e uma mulher que sonhava com a coroa. Esta é sua história. Ambientada em meio ao luxo e às agruras de um reino medieval, esta releitura de A Bela Adormecida consegue ser fiel ao clássico ao mesmo tempo que constrói uma narrativa recheada de elementos contemporâneos. Nessa mescla, os dramas de seus personagens – um casal infértil, uma jovem que não aceita viver em uma redoma e uma família despedaçada pela inveja – tornam-se atemporais. Quando a rainha Lenore não consegue engravidar, recorre aos supostos poderes mágicos da tia do rei, Millicent. Com sua ajuda, nasce Rosa, uma menina linda e saudável. No entanto, a alegria logo dá lugar às sombras: o rei expulsa de suas terras a tia arrogante, que então jura se vingar. Seu ódio se torna a maldição que ameaça a vida de Rosa. Assim, a menina cresce presa entre os muros do castelo, cercada dos cuidados dos pais e de Flora, a tia bondosa e dedicada do rei que encarna a fada boa do conto original. Mas quando todas as tentativas de proteger Rosa falham, é Elise, a dama de companhia e confidente da princesa, sua única chance de se manter viva. E é pelos olhos dessa narradora improvável que conhecemos todos os personagens, nos surpreendemos com o destino de cada um e descobrimos que, quando se guia pelo amor – a magia mais poderosa do mundo –, qualquer pessoa é capaz de criar o próprio final feliz."

Adicione ao Skoob AQUI.

Compre aqui: Amazon / Saraiva

Como ainda não temos o exemplar em mãos, vamos ter que esperar um pouquinho para conhecer os nomes responsáveis pelo projeto gráfico do livro, mas assumimos a responsabilidade de procurar essa informação para trazer na resenha. Estamos impressionados com a sensibilidade da Arqueiro. A Editora conseguiu criar uma capa com aquele clima mágico e meio provençal que sempre nos remete às histórias que atravessaram o tempo sendo contadas de pais para filhos. Ficou bem mais bonito do que as capas das edições internacionais, por exemplo.

Enquanto Bela Dormia Elizabeth Blackwell

É claro que estamos com as expectativas nas alturas e resolvemos nos preparar para o lançamento com uma viagem pelos mistérios que estão escondidos no mundo da Princesa Aurora. Se vocês acham que conhecem todos os segredos desse conto, venham com a gente! E se preparem para revelações bombásticas...

A HISTÓRIA ORIGINAL NÃO É TÃO FOFA ASSIM...

Bela Adormecida Contos de Fadas

A maioria dos contos clássicos que ouvimos quando pequenos veio da tradição oral europeia e fica difícil de apontar uma versão absoluta ou “A Verdadeira” sobre eles.  Relatos em Francês e Catalão já citavam uma donzela adormecida desde o século quatorze, mas o italiano Giambattista Basile foi quem lançou o conto “Sole, Luna e Talia” em uma coletânea de histórias chamada Pentameron (1634). No texto, a princesa Talia cai em um sono profundo após uma farpa de linho ficar encravada em sua unha. O pai da moça, arrasado, deixa o corpo da filha no palácio, tranca a porta e vai embora, tentando aplacar a sua dor. Algum tempo depois, outro rei entra no local em busca de um falcão que entrou pela janela e acha a mocinha dormindo serenamente. O que ele faz? Chama a polícia? Grita por socorro? Traz todos os lenhadores do povoado para ajudar? NÃO!!! Ele faz sexo com a princesa e depois vai embora! Isso mesmo, caros leitores, a primeira Bela Adormecida oficialmente registrada na literatura foi estuprada! A pobre Talia acabou ficando grávida e gerou dois bebês que se alimentavam nos seios dela (enquanto a coitada seguia dormindo). Somente depois, uma das crianças, com fome, colocou o dedo da mãe na boca e sugou a tal farpa causadora de todo o problema. Talia acordou e chamou a polícia? Gritou por socorro? Chamou os lenhadores do povoado para dar uma surra no pai das crianças? NÃO!!!!! Ela acordou, reencontrou o rei-tarado e casou com ele! Ainda bem que essa história não vingou, porque é muita pamonhice para uma mulher só.

COMO TALIA VIROU AURORA? E AS FADAS?

Bela Adormecida Contos de Fadas

Foi nessa história bizarra que Perrault provavelmente se inspirou para lançar “The Sleeping Beauty in the Wood” em 1697. Na versão dele, o rei convida sete fadas para o batismo da princesa, achando que a oitava criatura mágica do reino está morta. O problema é que a dita cuja reaparece no dia da cerimônia, revoltada por não estar na lista de convidados. A fada má, então, amaldiçoa a princesa, declarando que ela morrerá ao ferir o dedo em um fuso quando completar dezesseis anos. Falando bom português: já existia barraco em festa de rico até nos contos medievais! Uma das fadas boas corre para reverter a sentença e diz que a menina “apenas” cairá em sono profundo por um século. Após esse período, ela é acordada com o beijo do príncipe e o casal têm dois filhos: Aurora e Dia. Bom, não me perguntem o porquê, mas essas crianças sumiram com o passar dos anos e a nossa princesa sonolenta herdou o nome da filha. Os irmãos Grimm também lançaram o conto "Little Briar-Rose" (1812) com a trama semelhante, mas introduziram doze “senhoras sábias” ao invés das fadas e contaram a história sem incluir os filhos no final. São versões diferentes, mas o fato é que as fadinhas foram acrescentadas para tornar o enredo um pouco mais agradável.

MALÉVOLA...

Bela Adormecida Contos de Fadas

Ih, essa vilã toda montada na pose é culpa da Disney mesmo. Como vocês leram, os textos anteriores, tinham sempre uma personagem que invadia o batismo da princesa e lançava a mesma maldição. Entretanto, nenhuma delas se chamava Malévola ou era descrita como a vilã criada pela animação clássica. É importante lembrar que as histórias de a Bela Adormecida são contos, e adaptá-los para um filme de 90 minutos não é tarefa das mais fáceis. O estúdio, provavelmente, precisou criar uma antagonista mais encorpada para manter a tensão do roteiro e fez questão de planejar alguém bem traste para atormentar a nossa infância. A decisão parece ter sido uma boa ideia, já que a personagem é considerada a vilã nº1 dos desenhos produzidos na terra do Mickey, e todos passaram a contar a história como se a megera sempre tivesse feito parte da trama.

ADAPTAÇÕES INUSITADAS:

Adaptações Bela Adormecida Contos de Fadas

Falando na sujeita do mal, sabiam que para algumas pessoas ela pode até não ser tão ruim? Essa foi a proposta do filme Malévola (2014), estrelado por Angelina Jolie e dirigido por Robert Stromberg. A trama acompanha os motivos que levaram a fada a seguir o caminho da escuridão e amaldiçoar Aurora. A própria princesa também já apareceu de formas bem inusitadas no cinema e literatura. Em A Princesa Adormecida, da Paula Pimenta, a jovem surge em dias atuais e atende pelo nome Ana Rosa Lopes. Sim! Temos uma Bela Adormecida brasileira... E a garota precisa lidar com os três tios super protetores que parecem esconder um terrível segredo. Se a adaptação da Paula tem ares de moderna, então vocês também vão se surpreender com o feito do autor Neil Gaiman. A Bela e a Adormecida traz uma princesa super atual que acorda com um beijo da Branca de Neve! O escritor afirmou que não tinha paciência para princesas que sempre precisavam ser salvas por homens. E para completar a nossa lista de adaptações espantosas, apresentamos o filme Beleza Adormecida (2011), no qual a atriz Emily Browning interpreta uma jovem que presta serviços eróticos completamente dopada e inconsciente. O longa australiano dividiu opiniões e não se saiu tão bem nas bilheterias.

Bela Adormecida Contos de Fadas

O interessante é que foi justamente assistindo a uma adaptação do conto que Elizabeth Blackwell teve a sua ideia. Ela via a animação produzida pela Disney ao lado da filha e resolveu acessar o making of do DVD para entender os bastidores da história. Blackwell ficou surpresa ao descobrir que os animadores se inspiraram em tapeçarias antigas para reproduzir a estética gótica medieval e construir os personagens do enredo. “Se algo foi poderoso o suficiente para ser registrado em uma tapeçaria, é porque foi real. O que pode ter acontecido para ser recontado tantas vezes e ser transformado nessa história?”. Ela ponderou “Como a Bela Adormecida poderia ser real?”. O primeiro passo foi se perguntar quem poderia ter presenciado os fatos que se tornaram lendas para nós. Nascia, então, a perspectiva de Elise, confidente da mãe de Rosa, que teria testemunhado o desenrolar de algo forte o suficiente para ser contado em todas as casas e para toda a humanidade.

Nesta segunda, Enquanto Bela Dormia chega às livrarias carregando os elementos de fantasia que sobreviveram aos tempos modernos e seguem nos fascinando. O burburinho em torno do livro mostra que as perguntas de Elizabeth são um pouco nossas também. Quem foram as princesas reais que originaram esses contos? O que elas realmente sofreram? O que aconteceu? Nunca saberemos ao certo, mas enquanto essas histórias nos mostrarem a força do amor e da pureza, elas continuarão tocando os nossos corações. Os contos de fadas reafirmam o seu poder e seguem – mesmo nos mistérios de suas entrelinhas – imortais.

Enquanto Bela Dormia Elizabeth Blackwell
 
Esse foi o nosso primeiro #Esquenta, pessoal! Gostaram? Os mais ansiosos podem baixar um trecho do livro no SITE da Editora. Logo, logo tem resenha no Recanto da Mi. Beijos e até mais!

4 comentários

  1. Laís,amei a capa nacional.Mil beijinhos!!!

    ResponderExcluir
  2. Oi Laís!!!!

    Mulher, que post maravilhoso! Adorei a nova coluna e claro, não poderia ter começado com um livro melhor! Enquanto Bela Dormia é um dos meus mais desejados no momento, estou ansiosa pela sua chegada! rsrsrsrs
    Adorei as versões que vc apresentou. Ficaram perfeitas!!!! *o*

    Bjo bjo^^

    ResponderExcluir
  3. adorei essa coisa de esquenta e já estreou com um livro pelo qual estou doida, esses recontos são demais e apesar de não tê-lo solicitado e prometido só trocar livros por um temo terei que abrir exceção!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Laís!
    Muito boa a ideia do #Esquenta, gostei!
    E gostei de saber sobre a releitura de mais um conto de fadas da Bela Adormecida.
    Adoro as releituras e essa me parece bem diferente das outras.
    A capa está lindíssima!
    “Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina.” (Cora Coralina)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participe do TOP COMENTARISTA de Janeiro, são 4 livros e 3 ganhadores!

    ResponderExcluir