Resenha - Um Perfeito Cavalheiro

Resenha - Um Perfeito Cavalheiro
Sinopse: "Sophie sempre quis ir a um evento da sociedade londrina. Mas esse é um sonho impossível. Apesar de ser filha de um conde, é fruto de uma relação ilegítima e foi relegada ao papel de criada pela madrasta assim que o pai morreu. Uma noite, ela consegue entrar às escondidas no baile de máscaras de Lady Bridgerton. Lá, conhce o charmoso Benedict, filho da anfitriã, e se sente parte da realeza. No mesmo instante, uma faísca se acende entre eles. Infelizmente, o encantamento tem hora para acabar. À meia-noite, Sophie tem que sair correndo da festa e não revela sua identidade a Benedict. No dia seguinte, enquanto ele procura sua dama misteriosa por toda a cidade, Sophie é expulsa de casa pela madrasta e precisa deixar Londres. O destino faz com que os dois só se reencontrem três anos depois, Benedict a salva das garras de um bêbado violento, mas, para decepção de Sophie, não a reconhece nos trajes de criada. No entanto, logo se apaixona por ela de novo. Como é inaceitável que um homem de sua posição se case com uma serviçal, ele lhe propõe que seja sua amante, o que para Sophie é inconcebível. Agora os dois precisarão lutar contra o que sentem um pelo outro ou reconsiderar as próprias crenças para terem a chance de viver um amor de conto de fadas. Nesta deliciosa releitura de Cinderela, Julia Quinn comprova mais uma vez seu talento como escritora romântica."
Julia Quinn entregou-se à mágica história da Cinderela neste terceiro livro da série Os Bridgertons. Em uma releitura do conto da mocinha que perde seu sapato e é encontrada pelo príncipe, somos apresentados à Sophie e Benedict.

A jovem é filha bastarda de um Conde e, por isso, sempre viveu às margens da sociedade, mas a sua condição piora quando o pai casa de novo e traz para dentro do lar a esposa e suas duas filhas. Desde então, graças ao desprezo que recebe da madrasta e de suas irmãs postiças, Sophie percebe que conviver com os empregados da casa é muito melhor do que relacionar-se com a sua própria família.

A partir de então, Sophie passa a ser tratada como uma serviçal da propriedade e, após a morte de seu pai, as coisas ficam ainda mais difíceis para a donzela. Quando a garota se dá conta, já passou da hora de debutar e ela, aparentemente, pulará essa etapa da vida de uma moça, tendo em vista que sequer é vista como dama da alta sociedade.

Mas Sophie quer experimentar a doçura de um baile e usar um belo vestido, valsar com vários cavalheiros e observar o mundo como qualquer jovem da sua idade. Então, em um dos bailes de Lady Bridgerton, Sophie recebe a ajuda dos empregados da casa e se apronta como uma bela dama. Ela está irreconhecível sem as roupas de empregada e toma todos os cuidados para não arranjar problemas, como voltar para casa à meia-noite para não correr o risco de ser pega no flagra por sua madrasta ou pelas filhas dela.

Porém, nem tudo acontece como ela deseja e, no dia seguinte, a madrasta expulsa Sophie de casa quando descobre a saidinha da garota. Todavia, Sophie não tem do que se arrepender, já que no baile conheceu Benedict Bridgerton, o homem que fez seu coração bater mais forte.

Na rua e sem qualquer perspectiva de futuro, Sophie começa a trabalhar como doméstica e é em uma das casas onde ela é funcionária que, três anos depois, reencontra Benedict, seu anjo salvador. Entretanto nem tudo são flores. Benedict não reconhece Sophie, e como poderia? E mesmo sentindo algo forte pela moça, não pode declarar amor por uma serviçal.

O relacionamento dos dois é no mínimo inusitado; mesmo na posição em que se encontra, Sophie não abaixa a cabeça e é topetuda e segura de si. Benedict, por sua vez, não consegue esconder seus sentimentos e é possessivamente ciumento, demonstrando o tempo inteiro o quanto está apaixonado por Sophie, mesmo não querendo admitir, fazendo o leitor cair na gargalhada.

É engraçado observar como Sophie quer, mas não consegue resistir ao charme de Benedict. Eles vivem numa corrida de cão e gato, onde você nunca sabe quem é o cão e quem é o gato.

Julia Quinn conseguiu, mais uma vez, surpreender em uma narrativa densa, divertida e empolgante. Com maestria, ela inseriu os outros Bridgertons na história, sem deixar de focar no casal protagonista. A mistura de drama e comédia é tão certeira que nos deixa ofegantes e nos perguntando como ela consegue fazer isso.

Indico muito a leitura. Essa é uma série de livros de romances de época que seguem o mesmo gênero e plano, mas que são completamente distintos entre si. Desse modo, podem ser lidos de maneira independente sem prejuízo da história. Até o momento, esta é a minha favorita das obras que já li. Aposto que será a de muitos de vocês.

Beijos e até mais!

Um perfeito cavalheiro - Julia Quinn
Livro 03
Série Os Bridgertons
Editora Arqueiro
304 páginas
Comprar: Saraiva / Amazon 

3 comentários

  1. Oiiii
    Lindo seu blog!!!!!
    Adorei a resenha! Mas ainda prefiro os de terror e suspense :D
    Abraço!

    http://diariodalulu.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Olá Bárbara!

    Eu tenho muita vontade de ler essa série da Julia. Só leio coisas boas sobre os livros e este em especial me chama muito a atenção. Adoro a Cinderela e gostaria muito de ler este volume.
    Adorei sua resenha, só me deixou mais curiosa!

    Bjo bjo^^

    ResponderExcluir
  3. Oi!
    Eu não sou fã de romance de época, mas só descobri nessa resenha sobre o que a série tão famosa se trata. Não tinha ideia de que era releitura e isso me interessou bastante! Já vou procurar sobre os outros da série. Que bom que não precisa ler na ordem, mas sou muito sistemática e vou querer na ordem kkkkkk
    A narrativa é em terceira pessoa?

    bjs

    ResponderExcluir