Resenha - Vida e Morte: Crepúsculo Reimaginado

Resenha - Vida e Morte: Crepúsculo Reimaginado
Sinopse: "Em Vida e morte os leitores vão se maravilhar com a experiência de ler a icônica saga de amor agora pelos olhos de um adolescente que se apaixona por uma sedutora vampira. Os milhares de fãs de Bella e Edward não vão querer perder a oportunidade de ver seus tão queridos personagens em novos papéis."
Beau era um jovem de 17 anos e filho de pais separados. Durante quase toda a sua vida, morou com a mãe, Reneé, uma mulher muito atrapalhada e meio maluquinha que, mesmo inconscientemente, obrigou Beau a amadurecer muito cedo, já que ele assumiu rapidamente as tarefas e responsabilidades do lar, bem como os cuidados para com ela.

Porém, pelo visto, a presença de Beau não era mais necessária. Reneé havia se casado de novo e Phil estava cuidando bem dela. Em razão disso, Beau quis dar espaço aos pombinhos e resolveu ir para Forks viver com Charlie, seu pai, pelo menos até concluir o ensino médio.

Beau ainda não acreditava que havia tomado àquela decisão. Ele odiava Forks, a paisagem verde claustrofóbica da cidade e, principalmente, os dias constantemente nublados e chuvosos. Sem contar que ele e Charlie nunca foram íntimos. Como seria dividir a casa com um quase completo estranho? Apesar de tudo, Beau achava que estava fazendo o mais acertado, pelo bem de sua mãe.

Ao chegar em Forks, as coisas não pareceram tão ruins quanto ele imaginou. Charlie foi muito receptivo, a ponto de lhe dar um carro como presente de boas vindas. No colégio, logo fez muitos amigos e até conquistou o interesse de muitas pretendentes, algo nunca antes ocorrido. Mas nada disso se comparou ao fascínio que ele sentiu ao ver Edythe pela primeira vez.

Rapidamente, Beau desenvolveu uma obsessão pela menina de pele marfim, com os traços mais perfeitos que vira na vida.Todavia, desde logo, Beau percebeu que Edythe não era uma garota comum, e nem mesmo se parecia humana. Resoluto em querer se aproximar e descobrir tudo sobre ela, mal sabia Beau o risco que corria. Nunca a morte lhe pareceu tão tentadora.

Querem saber o que vai acontecer? Então leiam!

***

Quando soube que a Edição comemorativa de 10 anos de Crepúsculo contaria com um bônus completamente inusitado, consistindo na história que eu tanto amava escrita com o gênero dos personagens invertido, fiquei muito desgostosa. Havia acabado de sair de uma grande decepção com Grey, um livro que considerei desnecessário, e estava com medo de Stephenie Meyer macular a memória incrível que eu tinha de Crepúsculo. Estava decidida, eu não ia ler Vida e Morte.

No entanto, depois de eu muito me informar sobre essa nova trama e sobre os motivos que levaram a autora a escrevê-la, fiquei curiosa e até animada em conferir. Logo que o exemplar chegou em minhas mãos, enorme e lindo, não resisti e tratei de lê-lo.

Na medida em que conhecia Beau, fui me apaixonando. Ele é um fofo! Um garoto magricela, branquela quase albino, altão e desengonçado, com TOC por organização e limpeza, inteligente e irônico e com um coração maior que o mundo. Por mais que ele tenha características similares as de Bella, não consegui achá-los parecidos. Beau não é reclamão e depressivo, nem todo cheio de mimimis. Ok, ele tem seus maus momentos, afinal, é comum que um jovem que se ache feio e nada de especial tenha certas crises de autoestima e se sinta inseguro, mas nada que seja incomum a um adolescente, independente do sexo.

Assim como Beau, Edythe tem as suas particularidades. Apesar de sua aparência belíssima e impecável, e de seus traços delicados e de sua estrutura mignon, em seus trejeitos, ela parece ser uma adolescente como outra qualquer. Seu palavreado não é rebuscado e sua postura não é pomposa, além do que ela fala umas coisas que tenho certeza de que Edward nunca diria. Também tive a impressão de Edythe ser mais passional e de expor com maior facilidade do que Edward, os seus sentimentos e pensamentos para Beau.

Fico feliz com a existência dessas diferenças. Acho que teria ficado muito incomodada se Meyer tivesse simplesmente tentado reproduzir Edward em "outro corpo", porque, afinal, Edward é único e insubstituível. A única coisa que me atrapalhou um pouco foi o fato de que não consegui criar uma imagem mental de Edythe, portanto, demorei um pouco mais para me apegar a ela.

Afora isso, me diverti demais com a inversão de papéis de todos os personagens do enredo (com exceção de Charlie e Reneé, que se mantiveram os mesmos). Fiquei tentando identificar cada um e me senti meio perdida ao tentar comparar os dois textos na medida em que faz muito tempo que li Crepúsculo, e não conseguia me recordar de todos os detalhes. Senti que, para a leitura funcionar, precisava enxergar Vida e Morte como uma obra independente e me entregar a ela exclusivamente e, depois que fiz isso, deu super certo.

Entretanto, foi impossível não me lembrar de Edward ao ler diversas falas de Edythe que, confesso, para mim soaram meio estranhas e artificiais ditas por uma mulher, mas, enfim. Isso fez com que me desse uma vontade súbita de reler Crepúsculo.

Ao me aproximar das últimas páginas do volume, dei um grande berro quando percebi que a titia Meyer havia alterado o desfecho. Sim!!! O final de Vida e Morte é inédito e, posso dizer, eu surtei, no bom sentido. A autora tomou coragem para fazer tudo o que eu sonhei para Crepúsculo, apesar de que o rumo que ela tomou deixou claro que a obra não terá continuação, o que me deixou um pouco triste, porque sim, fiquei ansiando por mais.

Para quem não sabe, a ideia de escrever este exemplar surgiu do interesse que a Editora de Stephenie tinha em fazer algo de interessante para comemorar os 10 anos de Crepúsculo. Como Meyer sempre se incomodou muito com os comentários preconceituosos que faziam sobre Bella, acusando-a de ser a legítima donzela em apuros, decidiu reescrever a trama do livro invertendo o gênero dos personagens para nos provar que a história continuaria a mesma, independente do humano ser homem e do vampiro mulher.

Neste novo trabalho, Stephenie se divertiu muito e aproveitou para corrigir diversas coisas que a incomodavam, arrumando palavras erradas, explorando ideias que na época não passaram pela sua cabeça, reparando erros na mitologia vampírica e adicionando detalhes novos em razão de seu protagonista atual ser menino e precisar de certos ajustes para o enredo ficar mais coerente. Achei que todas as modificações foram válidas e a autora foi muito bem sucedida em sua empreitada.

Para quem quiser saber mais sobre a Edição Especial de Aniversário / Vira-Vira / Crepúsculo e Vida e Morte, cliquem AQUI.

Esta é, certamente, uma excelente oportunidade para aqueles que sempre torceram o nariz para Crepúsculo ou passaram a odiar a Bella por causa dos filmes, lerem Vida e Morte e conhecerem finalmente essa história sobre a magia, a obsessão e o frenesi do primeiro amor. E para quem já leu Crepúsculo e é fã, leiam Vida e Morte e surpreendam-se com esse presente que a Stephenie Meyer trouxe para gente.

Vida e Morte: Crepúsculo Reimaginado - Stephenie Meyer
Editora Intrínseca
391 páginas
Comprar: Amazon / Saraiva / Livraria Cultura

10 comentários

  1. Mi,realmente a história é de fato curiosa,contada ao inverso Bella é Beau e Edward agora é Edythe.Ficou um pouco engraçado e curioso, ver essas posições de uma quase mesma história trocada.Achei interessante ela ter colocado Toc,como uma das características do personagem.Legal ele não ser parecido com a Bella ,ou seja não é reclamão e cheio de mimimis.Amei saber que Edythe é diferente de Edward.Legal poder ser considerada uma obra independente. Pena que as falas de Edythe ficaram meio estranhas.Gostei também do desfecho ser diferente.Sim uma história de magia,obsessão e o frenesi do primeiro amor.Mil beijinhos!!!

    ResponderExcluir
  2. Oii Mi
    Eu li metade de Vida e Morte e não consegui ver nada de diferente de Crepúsculo a não ser talvez o gênero e sinceramente? Fiquei bem irritada com isso, porque achei desnecessário essa história, mas fiquei curiosa. Você disse que o final era diferente do original e quero saber como é e também fiquei curiosa pra ver a história como você viu. Então irei continuar a história :D
    Estante de uma Fangirl

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Dani, acho que a maior frustração que vejo em alguns leitores era o fato de esperarem algo de diferente. A proposta da Stephenie foi essa mesma, só inverter o gênero dos personagens e recontar o Crepúsculo que amamos. Ela fez isso como presente de aniversário, um bônus para os fãs, uma brincadeira divertida. Como li o livro já sacando toda a proposta por trás, fui sem expectativas e me surpreendi positivamente, porque adorei os "novos" personagens e, principalmente o final. Espero que você goste. Beijos

      Excluir
  3. Mi!
    Ai sim, com toda certeza a autora inovou e foi ainda mais criativa do que em Crepúsculo.
    Quando li a primeira vez sobre esse lançamento, fique imaginando como seria a receptividade dos fãs da série com essa inversão, é algo bem perigoso.
    E fiquei muito feliz em saber que deu tudo certo e talvez até melhor, né?
    “Sem a música, a vida seria um erro.”(Friedrich Nietzsche)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista, serão 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
  4. Amei Crepúsculo e fiquei um tempo apaixonada por Edward. Tinha um super pé atrás com esse novo livro, achei a ideia meio bizarra. Mas depois da sua resenha estou até pensando em dar uma chance para ele, nem que seja para dar vontade de reler crepúsculo.

    ResponderExcluir
  5. Curiosa para saber sobre esse livro, por isso preciso ganhá-lo na promoção!!!

    ResponderExcluir
  6. Oi Mi, sou nova por aqui, mas já estou amando o seu blog! Eu acabei de comprar esse livro vida e morte, sou apaixonada por crepúsculo, foi a primeira saga que eu li e estou louca pra ler esse livro, vou começar já. bjssss

    ResponderExcluir
  7. Oi Mirelle!

    Fico muito feliz em saber que a autora não só mudou o sexo dos personagens principais! Pensei que seria exatamente Crepúsculo, só que com os gêneros invertidos!
    Quero demais ler este exemplar! Adorei sua resenha!

    Bjo bjo^^
    www.livrosdeelite.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Na vdd eu gostei do livro...Acho q o Beau nao eh tao diferente da Bells em questao de reclamaçao.Acho ele quase tao birrento e diferentao como ela(acho q nela ficava ate mais bonitinho).Mas o personagem me conquistou.Acho ele fofinho e apaixonante.A autora conseguiu deixa-lo menos fragil q a Bells...Mas nao menos apaixonado e dependente da Ditty.Sim...Eu sou desses q leio e imagino como os personagens se parecem.Imaginei Nicholas Hoult como Beau e Sophie Turner como Edythe.E para Royal imaginei o Thor dos Vingadores(esqueci o nome dele).Os personagens restantes ainda nao consegui imaginar.Mas se fizessem um filme...Gostaria q fosse com esses tres atores q citei.A unica coisa q me deixou super triste foi o fim.Lendo-o...Agradeci por Stephenie ter escrito os livros apos crepusculo(quase chorei no fim de vida e morte,mas...Nem td eh perfeito).Enfim...Acho q qm ficou com raiva de nao ter sido Sol da Meia Noite a ter sido lançado...Ou qm nao gostava da Bella fkr sendo a mocinha salva...Devia dar uma chance ao livro.Confesso q nao tive taaaantoo animo e demorei uns tres dias para ler td Vida e Morte...Pq algumas partes eram monotonamente iguais a crepusculo...Mas as partes diferentes...Valem a pena.Nao gostei do fim...Mas eh muito bem conduzido e convincente.

    ResponderExcluir
  9. Primeiramente gostaria de parabenizar o canal pela linda iniciativa...
    Agora com relação à história...
    Gostaria de deixar claro que sou uma fã d carteirinha da saga, assisti a todos os filmes e comprei todos os livros ainda em (pré-esteia nas livrarias) e simplesmente me apaixonei perdidamente pela história original e desenvolvi um certo apego por seus personagens...
    Assim que soube deste livro fiquei extremamente curiosa, afinal uma inversão de gêneros seria no mínimo interessante li algumas críticas e spoolers... o que só fez aumentar minha curiosidade sobre a nova versão desta trama tão conhecida e querida por seus leitores fiéis...
    Qual não foi a minha surpresa ao iniciar a leitura... Tentei, juro que tentei não ser tendenciosa (com comparações a versão original) ou por ventura criar, mesmo que inconscientemente um bloqueio literário com preconceitos infundados por serem ...diferentes...
    Mas não gente... fui de coração aberto e cheia de expectativas...
    Literalmente CAÍ DO CAVALO... O que foi isso pelo amor de DEUS!!!!
    Eu sempre fui reticente com relação a criticas pesadas e principalmente desrespeitosas do tipo (tiração de sarro e piadinhas com o enredo e personagens), ficava triste e chateada quando isso ocorria com a saga original da qual tanto gostava.
    Agora me desculpem... este livro denigre a imagem que tinha sobre o poder criativo e corajoso da Stephenie e seu dom para transformar sonhos em realidade.
    EU mesma me peguei em vários momentos BRIGANDO com ela mentalmente durante a leitura, como ela pode fazer esta inversão de GÊNEROS e se esquecer completamente de inverter também as características e personalidades...
    CALMA QUE EU EXPLICO:
    Isabella Swan- É um personagem FEMININO com CARACTERÍSTICAS femininas e PERSONALIDADE feminina...
    Edward Cullen - É um personagem MASCULINO com CARACTERÍSTICAS masculinas e PERSONALIDADE masculina...
    E o que eu quis dizer foi que a inversão teria que ser completa e NÃO APENAS DE GÊNERO, e foi apenas isso que ela fez:
    Beau Swan- É um personagem MASCULINO com CARACTERÍSTICAS femininas e PERSONALIDADE feminina...
    Edythe Cullen - É um personagem FEMININO com CARACTERÍSTICAS masculinas e PERSONALIDADE masculina...
    O que me desculpem as fãs da Stephenie (porque também sou uma) mas o que resultou deste desastre foi justamente a onda de injurias e difamações que eram infundadas na primeira versão da saga, mais que caem como uma luva para esta obra:
    Afinal ela recriou uma realidade deturpada de um (Edward AFEMINADO e uma Isabella estilo Lara Croft) #Tipo..Oi...#
    Tudo poderia ter sido diferente se ela fizesse as adequações corretas aos personagens ou não fosse assim tão FIEL à história original... ("o que foi aquilo dele subir nas costas dela")... Destruiu com maestria uma das cenas mais icônicas do livro e do filme...
    Fala sério # Indignada..
    No final das contas a segunda versão da história nem é TÃO RUIM, se focarmos o final alternativo, mais faltou bom senso e pesquisa de público né gente, não é possível que ninguém tenha pensado na possibilidade de uma comparação e possível rejeição deste manuscrito...
    Pronto Falei!!!
    Desculpem-me novamente a sinceridade, mas esta é minha humilde opinião...
    Bjs a todos...

    ResponderExcluir