Resenha - Diário de um zumbi do Minecraft: Parceiros e rivais

Resenha - Diário de um zumbi do Minecraft: Parceiros e rivais
Sinopse: "A vida de um zumbi no ensino fundamental não é nada fácil. Seu zumbi de Minecraft preferido está de volta! (Falando sério: vai dizer que você conhecia outros?). Se você achava que o Ender Dragon e os golens de ferro eram perigosos, não imagina como é o dia a dia na Escola Monstro. Principalmente quando Mike Magma, o valentão da escola, une forças com Mutante, o aluno novo de 2 metros de altura com o peito do tamanho de uma casa. Nosso amigo zumbi será capaz de deter os valentões? E se conseguir, vai continuar inteiro para contar a história? Junte-se ao nosso herói, sua namorada, Sally Cadáver, e seus amigos Esquely, Slimey e Creepy para a derradeira batalha de suas vidas... uma partida de QUEIMADO! Prepare-se para mais emoção e mais sustos neste segundo volume!"
ATENÇÃO, esta resenha pode conter spoilers de Diário de um zumbi do Minecraft: Um desafio assustador. Leiam por sua conta e risco!

Zumbi e Steve continuam amigos, mas parece que os outros seguem não aceitando essa relação só por eles serem diferentes. Tanto é que, na última vez que Zumbi foi encontrar com Steve no vilarejo, os aldeões ficaram malucos e soltaram os gatos e os cachorros em cima dele e de sua turma. Desde este episódio que quase terminou em tragédia, Zumbi decidiu não mais visitar Steve.

No dia seguinte, para compensar o ocorrido, Steve deu ao Zumbi o seu jogo preferido: Plants vs Zombies. Zumbi ficou tão animado que convidou todos do seu colégio para dormirem na sua casa na sexta-feira e estrearem o jogo. Ele tinha certeza que, depois disso, se tornaria o aluno mais popular e descolado da Escola Monstro.

Mas o tiro saiu pela culatra. Não foi nada agradável para ninguém ver zumbis comendo cérebros e sendo mortos por plantas. Depois dessa noitada, Zumbi estava certo de que havia queimado a sua reputação de uma vez por todas. Será que teria jeito de reverter a situação?

Porém, mal sabia ele que as coisas podiam piorar, principalmente depois que um zumbi mutante foi transferido para o seu colégio e virou melhor amigo do maldoso Mike Magma. Sendo diariamente vítima de bullying, Zumbi terá que decidir se enfrenta a violência calado ou se denuncia a dupla de valentões.

Querem saber o que vai acontecer? Então leiam!

***

Vejam só quem está de volta, o Zumbi mais querido do mundo literário e pixelado. Confesso que já estava sentindo falta dele e das confusões na qual ele se mete. E gente, esse Zumbi é tão azarado que chega a ser cômico. Pode parecer improvável para alguns adultos, mas eu me mato de rir quando leio essas histórias de Diário de um zumbi do Minecraft. Ok, talvez por eu ser muito fã do jogo e conseguir sacar todas as piadas internas contidas no texto, mas, mesmo assim, para mim é uma leitura que vale muito a pena.

Enquanto no primeiro volume Zumbi estava preocupado em conquistar o coração de Sally Cadáver, agora seu maior sonho é se tornar o zumbi mais popular da escola, porém, Mutante e Mike Magma irão atrapalhar os seus planos.

Fiquei muito triste em ver todas as violências que Zumbi sofreu dessa dupla de valentões, porque, nem ele e nem ninguém merece ser vítima de bullying, algo tão comum nos colégios hoje em dia. Um dos maiores questionamentos inseridos na história foi justamente a respeito de o que se deve fazer para parar o bullying.

Por diversas vezes, Zumbi contava a algum adulto o que "um amigo" dele estava passando e perguntava o que deveria ser feito, mas nenhuma das respostas parecia aliviar seu peito ou ajudá-lo na decisão que ele devia tomar, afinal, qualquer uma de suas atitudes - denunciar os colegas ou ficar calado - poderia trazer consequências desastrosas.

Novamente Herobrine Books arrasou em sua escrita. Achei muito divertido o fato de ele ter citado na trama jogos que a maioria das crianças conhece e tem. Além disso, conseguiu inserir novos elementos de Minecraft que não havia mencionado antes, como o zumbi mutante, o coelho assassino de olhos vermelhos e o próprio Herobrine que, criativamente, fez parecer como um garoto muito malvado que machucava qualquer um que olhasse esquisito para ele, ao invés da entidade que todos temem no jogo.

Narrado em primeira pessoa, em formato de diário, o livro nos mostra que nem todos são o que parecem ser, que devemos sempre enfrentar os nossos medos e que até o pior dos valentões pode se regenerar. Tenho certeza de que todas as crianças irão se entreter e também se identificar com o enredo de Diário de um zumbi do Minecraft, principalmente àqueles que tentam, desesperadamente, sobreviver ao ensino fundamental.

E que tal, depois de ler o livro, brincar com o game gratuito dessa história? Ajudem o Zumbi a recuperar as páginas perdidas do diário dele AQUI e acessem as suas redes sociais para ficarem por dentro das novidades: Facebook, twitter e instagram.

Diário de um zumbi do Minecraft: Parceiros e rivais - Herobrine Books
Livro 02
Editora Sextante
112 páginas
Comprar: Saraiva / Amazon

5 comentários

  1. Mi,acho essa série bem divertida,pois fala além de aventura em valores e ensinamentos como o valor de uma amizade e que não devemos discriminar,através do bullying ,tema colocado ma obra que infelizmente ocorre cada vez mais atualmente em nossa sociedade.Amei o ensinamento que devemos enfrentar nossos medos.Com certeza quero muito ler essa série.Beijos!!!

    ResponderExcluir
  2. Mi!
    Acabei de ler esse livro e me diverti muito, principalmente porque era em forma de diário, embora alguns termos tenham sido complicados de entender.
    Achei uma forma bem interessante de abordar o bullying.
    “Como são admiráveis as pessoas que nós não conhecemos bem.”(Millôr Fernandes)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista, serão 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
  3. obg pelo resumo to fasendo tarefa e vc esta me ajudando mt

    ResponderExcluir
  4. esse jogo nao é infantil ele é para todas as idades e moça conheçomuitas pessoasda sua idade q o jogam

    ResponderExcluir
  5. Tenho um filho de 6 anos... achei muito sem graça o livro e não entendi nada! Pra qual idade é o livro? Crianças de 6 anos não entende o que é bullyng pq não as promove

    ResponderExcluir