Resenha - A Espada do verão: Magnus Chase e os Deuses de Asgard

Resenha - A Espada do verão: Magnus Chase e os Deuses de Asgard
Sinopse: "Às vezes é necessário morrer para começar uma nova vida... A vida de Magnus Chase nunca foi fácil. Desde a morte da mãe em um acidente misterioso, ele tem vivido nas ruas de Boston, lutando para sobreviver e ficar fora das vistas de policiais e assistentes sociais. Até que um dia ele reencontra tio Randolph - um homem que ele mal conhece e de quem a mãe o mandara manter distância. Randolph é perigoso, mas revela um segredo improvável: Magnus é filho de um deus nórdico. As lendas vikings são reais. Os deuses de Asgard estão se preparando para a guerra. Trolls, gigantes e outros monstros horripilantes estão se unindo para o Ragnarök, o Juízo Final. Para impedir o fim do mundo Magnus deve ir em uma importante jornada até encontrar uma poderosa arma perdida há mais de mil anos. A espada do verão é o primeiro livro de Magnus Chase e os deuses de Asgard, a nova trilogia de Rick Riordan, agora sobre mitologia nórdica."
Magnus Chase tem dezesseis anos e vive nas ruas de Boston há dois, desde a misteriosa morte da mãe. O garoto passa os seus dias tentando sobreviver como pode, buscando comida pelas lixeiras da cidade e dormindo embaixo de pontes. Ele até pensou algumas vezes em procurar o seu tio rico que mora ali perto, mas a mãe sempre o avisou para ficar longe do homem, ao passo que Magnus atendia aos pedidos dela.

Sem ter um teto para morar, Magnus fez amizade com dois outros mendigos, Hearth e Blitz, que acabaram se tornando seus pais e passaram a acompanhá-lo, feito sombras, o dia todo. Eles estavam na ponte no dia em que Magnus descobriu quem era seu pai biológico, encontrou sua espada, enfrentou um gigante do fogo e morreu. Tentaram até salvá-lo, de um jeito meio torto, mas de nada adiantou.

Depois do ocorrido, Magnus acorda em Valhala, uma espécie de hotel para onde os heróis mortos em combate são levados pelas Valquírias, para comporem o exército que lutará ao lado do deus Odin no juízo final nórdico, o Ragnarök. Magnus foi conduzido até lá por Sam, uma filha de Loki que não é muito bem vista no local, após ter cometido erros no passado.

Basicamente, "viver" em Valhala é passar os dias treinando, comendo, bebendo e se divertindo até que o Ragnarök comece. Parece uma rotina um tanto quanto tentadora, mas não para Magnus, que sabe que precisa voltar ao seu mundo e cumprir a sua missão.

Mas e que missão é essa? Bem, Magnus é um filho de Frey, o dono original da Espada do Verão, aquela que o garoto resgatou e perdeu poucos minutos antes de morrer. A espada é poderosa e é crucial para os planos de um gigante que deseja usá-la para destruir os nove mundos. Portanto, caberá a Magnus encontrar a espada e impedir o Ragnarök.

Ao lado de improváveis aliados, Magnus entrará em uma jornada perigosa e repleta de aventuras para cumprir seu papel antes que seja tarde demais. Só que essa tarefa não será nada simples e o jovem precisará de todas as suas forças para escapar com vida. Quando revelações sobre o seu passado começam a aparecer, Magnus percebe que há muito mais envolvido e que a sua incumbência pode estar bem longe de acabar...

Querem saber o que vai acontecer? Então não deixem de ler!

***

Que Rick Riordan gosta de falar sobre mitologia todos nós já sabemos. Foram cinco livros envolvendo a grega, mais cinco unindo a grega com a romana e outros três sobre a egípcia. Dessa vez, ele chegou para discorrer sobre a nórdica, assunto até então pouco explorado no mundo da literatura infanto juvenil. Mas, depois de escrever tantas obras com a mesma premissa, seu mais novo lançamento tinha de tudo para ser um fracasso, certo? Sim. E foi? Não mesmo!

A Espada do Verão é o primeiro volume da série Magnus Chase e os Deuses de Asgard e sim, segue a mesma forma de bolo que todos os outros textos de Rick. Novamente, temos um menino que descobre ser um semideus e precisa enfrentar inimigos da respectiva mitologia para completar uma missão e blá-blá-blá. Entretanto, Rick ainda consegue inovar dentro dessa mesma fórmula e surpreender o leitor.

Confesso que sou um completo ignorante tratando-se de mitologia nórdica e, por isso, fiquei com certo receio de me aventurar em uma série que aborda elementos desta cultura, que me são tão estranhos. Porém, Rick escreve de uma forma tão divertida, que nos ensina enquanto também nos entretém, fazendo com que não seja necessário você conhecer previamente sobre o tema para entendê-lo.

Magnus Chase é um personagem extremamente cativante e preciso confessar que destronou Percy Jackson para mim. O garoto é autêntico e super divertido, tem um humor ácido e contagiante e, em vários momentos da narrativa, me peguei dando gargalhadas com as suas piadas infames. Ao contrário de Percy, nada parece forçado, tudo soa muito natural.

É difícil para eu escolher uma série favorita do autor e nem quero ousar, tendo lido apenas A Espada do Verão, que nada mais é do que um livro introdutório de Magnus Chase e os Deuses de Asgard. Entretanto, posso garantir a vocês que o começo dessa série já mostrou que tem muito potencial e que vai agradar até aqueles leitores mais exigentes. Além disso, dá para notar um enorme amadurecimento na escrita de Riordan, que perdeu aquele ar extremamente juvenil que me incomodava um pouco.

Eu poderia ficar aqui horas e horas falando sobre as inúmeras referências que Rick faz às suas outras séries no decorrer da trama, mas não quero dar spoilers. Mas, como vocês já devem saber, Magnus e Annabeth são primos de primeiro grau e temos uma pequena participação da semideusa nesse primeiro livro. O final deu a entender que teremos mais e quem sabe até uma participação de Percy... Vamos ver no que dá.

A edição física do exemplar segue o mesmo padrão dos outros volumes do autor (dos últimos, Percy Jackson continua sendo a única série diferente na estante. #chateado). A tradução de Regiane Winarski está impecável, conseguindo trazer cada nuance da escrita cômica de Rick para o nosso idioma. A revisão está impecável, a diagramação é simples, as folhas são amareladas e a fonte é grande, o que facilita a leitura.

A Espada do Verão me conquistou e me fez relembrar do porquê de eu gostar tanto de Rick Riordan. É por isso que eu super recomendo essa história fantástica para vocês. Se vocês são fãs do autor ou apenas fãs de uma boa aventura, leiam. Garanto que não irão se arrepender!

A Espada do verão - Rick Riordan
Livro 01
Série Magnus Chase e os Deuses de Asgard 

Editora Intrínseca
448 páginas
Comprar: Saraiva / Amazon


2 comentários

  1. Leo,para quem gosta de mitologia e aventuras,narradas por Rick Riordan,essa obra é interessantíssima. E agora trará uma novidade,Mitologia Nórdica.Como é sofredora a vida de Magnus antes.Vive como um mendigo.Bem criativo essa coisa de morrer e acordar como um herói morto.É interessante como o autor sempre numa mesma premissa consegue se inovar e surpreender o leitor.Legal o personagem autêntico e super divertido,com humor ácido e contagiante .Legal a escrita dele ter amadurecido.Achei muito legal uma possível participação de Jackson.

    ResponderExcluir
  2. Ainda não li nada do autor, mas tenho os livros de Percy Jackson, e pretendo inclui-los na lista de leitura do ano que vem.
    A mitologia nórdica é algo que me deixa curiosa, ainda mais por não ser tão comum o contato com elas. Já estamos quase que saturados de grega e romana, mas nórdica é um território pouco explorado.
    Achei muito legal essa premissa, e o fato de o personagem principal iniciar vivendo nas ruas é bem interessante, ele vai do inferno ao céu, do nada ao tudo.

    ResponderExcluir