Semana da Criança - Resenha Filme Peter Pan - Dia 3

Resenha Filme Peter Pan
Sinopse: "Abordando uma nova visão sobre a origem dos personagens clássicos criados por J.M. Barrie, o filme conta a história de um órfão que se transporta para a mágica Terra do Nunca. Lá, ele encontra diversão e perigos para, finalmente, descobrir o seu destino – se tornar o herói que será conhecido para sempre como Peter Pan."
Oi gente, aqui quem fala é a Ellen, sou nova no Recanto e também vim para dar uma ajuda para Mi nessa finaleira da gravidez.

Aproveitando a Semana da Criança especial que a Mi preparou para vocês, resolvi trazer a resenha do mais novo lançamento da Warner Bros., que tem tudo a ver com esta época do ano: Peter Pan: Toda lenda tem um início.

“Bem-vindo... à Terra do Nunca!”

Ambientado durante a Segunda Guerra Mundial, o longa produzido em 2015 nos conta a origem dos queridos personagens de J. M. Barrie. Peter ainda não é Pan e Gancho até então não é o Capitão.

Peter vive em um orfanato para meninos, controlado por uma diretora casca grossa, desde que sua mãe o abandonou, ainda bebê. Em um determinado dia, o garoto começa a desconfiar que a diretora está vendendo os órfãos, pois muitos deles começam a desaparecer misteriosamente à noite. Então, junto com seu amigo e companheiro de travessuras, Nibs, eles decidem permanecer acordados, a fim de descobrir a verdade, e se deparam com um navio pirata voador que invade o local e leva as crianças embora! Mas, para onde? Para a Terra do Nunca!

A Terra do Nunca é governada pelo Barba Negra, que escraviza as crianças sequestradas no intuito de encontrar pó de fada em forma de pedra (o nosso famoso pó de pirlimpimpim). Barba Negra praticamente extinguiu as fadas atrás desse pó, portanto, ele precisa dessas pedras para se manter bem.

Lá na ilha, Peter encontra uma profecia que pode indicar onde está a sua mãe, dando início à sua jornada. Contando com a ajuda do Gancho e da princesa Tigrinha, eles exploram a Terra do Nunca atrás da mãe de Peter e vão em busca da salvação das Fadas e da destruição do Barba Negra.

***

Estava muito ansiosa para assistir a essa versão de Peter Pan, pois, por incrível que pareça, eu nunca vi o primeiro longa! E posso dizer para vocês que eu não me decepcionei! Dei risadas e até quase chorei em duas horas intensas e cheias de sonhos! Filmes que se passam durante a Primeira e a Segunda Guerra Mundial me encantam e me emocionam, e esse não poderia ser diferente. Peter tem um grande desejo de encontrar e finalmente conhecer sua mãe, e ele faz de tudo para que isso aconteça.

Em Peter Pan, temos aventura do começo ao fim. As cenas são lindas e nos deslumbramos com criaturas fantásticas, fadas e sereias, além de sermos brindados com uma ótima trilha sonora, inclusive cantada pelos piratas!

Os efeitos especiais são um show à parte, sem contar que o figurino é de dar inveja. Entretanto, me senti incomodada com as passagens em que mostram os voos do Peter. Ficou claro que não se trata do ator realizando tal façanha, mas sim, de uma imagem computadorizada dele, voando, conferindo certa artificialidade ao longa. Todavia, este pequeno detalhe não tira o mérito da produção gráfica, que está excelente.

Peter é interpretado por Levi Miller, que encarnou maravilhosamente bem um jovem puro e inocente, me fazendo gostar mais desse novo Peter do que do antigo. Hugh Jackman (nosso eterno Wolwerine) está irreconhecível como Barba Negra. Sua atuação é bem caricata e teatral, mas isso faz parte da essência do seu personagem. E o Capitão Gancho está como conhecemos? Não! Nessa versão, representada por Garret Hedlund, nós temos um Hook mais charmoso e galanteador, no estilo Indiana Jones, misturado com Jurassic World. Ainda no elenco, contamos com a participação de Rooney Mara, que dá vida à princesa Tigrinha, Cara Delevingne, Amanda Seyfrend e a Fada Sininho.

Para finalizar, não posso deixar de mencionar as cenas de luta que, infelizmente, não foram das melhores, tendo em vista que os confrontos de espada se mostraram muito lentos e bastante teatrais, porém, não prejudicaram os momentos de ação do filme. Além disso, importante ressaltar que não há sangue nas telonas! No lugar de sangue, vemos pó colorido e, por se tratar de uma obra cinematográfica mais infantil, achei esse recurso fantástico, pois deixou o cenário que já era lindo ainda mais colorido.

Então, se vocês querem aproveitar esse feriado para ver um filme com a família reunida, podem apostar em Peter Pan (e fica ainda melhor na versão 3D!).

“Não pode ser criança para sempre. Nem na Terra do Nunca.”

* Agradeço ao Espaço/Z por ter me proporcionado assistir ao filme em primeira mão, numa cabine de imprensa. 

Título original:  Pan
Roteiro: Jason Fuchs e J. M. Barrie
Direção:  Joe Wright
111 minutos

TRAILER


7 comentários

  1. Desde que assisti ao primeiro que estou contando os dias pra assistir esse filme <3
    Estante de uma Fangirl

    ResponderExcluir
  2. Ellen,amo as histórias de Peter Pan,li os livros e vi o filme,com certeza verei esse também que possui algumas modificações na história.Mesmo que as cenas do voo e de lutas deixarem a desejar certamente não interferiram e não tiraram o mérito da produção gráfica,que com suas próprias palavras definiram perfeitamente ´´excelente``amei o trailer com certeza a versão 3D estará show.Mil beijinhos!!!!

    ResponderExcluir
  3. Oi Ellen, tudo bem?

    Gostei bastante da sua crítica sobre o filme, adoro essas releituras e sinceramente, não me lembro muito da história original, então com certeza veria para relembrar, embora algumas coisas tenham sido adaptadas. O trailer está ótimo e a cenografia, figurino também... adorei o elenco, alguns autores eu gosto bastante. E adoro filmes em 3D, e as cenas com o pó colorido deve ficar bem legal.

    Beijinhos,

    Rafaella Lima // Vamos Falar de Livros?

    ResponderExcluir
  4. Tenho assistido a todos os filmes e desenhos de Peter Pan, mas esse ainda não assisti e quero muito vê-lo. Amei assistir ao trailer.

    ResponderExcluir
  5. Ellen!
    Adoro o Peter Pan...menino que nunca cresce.
    Acho que se tivesse uma versão feminina dele, seria eu...
    Quero muito ir assistir no cinema essa nova versão.
    “Felicidade é a certeza de que a nossa vida não está se passando inutilmente.”(Érico Veríssimo)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista, serão 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
  6. A trilha sonora não poderia ser melhor, eles fizeram um bom trabalho aclimatando história. O filme baseado no clássico conto de Peter Pan foi trazido de volta para a tela grande com um roteiro original e bem feito, o ritmo do filme é constante e é adequado para pequenos e grandes.

    ResponderExcluir
  7. Ah aaaa amiga minha lindaaa Parabéns pelo seu trabalho e o que eu não vou poder ir no show do que eu amoooo

    ResponderExcluir