Resenha - Outlander: A Libélula no Âmbar

Resenha - Outlander: A Libélula no Âmbar
Sinopse: "Claire Randall guardou um segredo por vinte anos. Ao voltar para as majestosas Terras Altas da Escócia, envoltas em brumas e mistério, está disposta a revelar à sua filha Brianna a surpreendente história do seu nascimento. É chegada a hora de contar a verdade sobre um antigo círculo de pedras, sobre um amor que transcende as fronteiras do tempo... E sobre o guerreiro escocês que a levou da segurança do século XX para os perigos do século XVIII. O legado de sangue e desejo que envolve Brianna finalmente vem à tona quando Claire relembra a sua jornada em uma corte parisiense cheia de intrigas e conflitos, correndo contra o tempo para evitar o destino trágico da revolta dos escoceses. Com tudo o que conhece sobre o futuro, será que ela conseguirá salvar a vida de James Fraser e da criança que carrega no ventre?"

ALERTA! Esta resenha pode conter spoilers de Outlander: A Viajante do Tempo. Leiam por sua conta e risco!

A intenção de Jamie e de Claire consistia em viajar até Roma para arruinar os planos do Jovem Pretendente que queria reivindicar o trono da Escócia, mas as coisas acabam mudando no meio do caminho, já que Charles Stuart havia se refugiado na França, onde buscava o apoio financeiro do rei, para marchar contra o exército inglês.

A mudança veio a calhar para Jamie, cuja família possuía negócios em Paris e lhe propôs assumi-los temporariamente, assim, Jamie e Claire foram logo acolhidos na alta sociedade, dispondo de contatos importantes, uma ótima situação financeira e o mais importante: acesso a pessoas influentes do reino e ao próprio Charles Stuart. Esta era, sem dúvidas, uma situação privilegiada para levar a cabo o plano de evitar que a batalha de Culloden – e, consequentemente, a extinção dos clãs da Escócia – acontecesse. 

Todavia, nem tudo é fácil como parece. Jamie se passa por Jacobita fervoroso enquanto faz o possível para impossibilitar a tentativa de retorno da Casa Stuart, o que o coloca na posição de traidor caso seja descoberto. Os traidores tinham apenas um destino naquela época: uma morte dolorosa e cruel. Claire, por sua vez, realiza o mesmo trabalho entre as damas da sociedade, porém, seu principal risco pode estar na amizade com os integrantes menos respaldados pela sociedade, por lidarem com o lado oculto da natureza.

Uma tarefa arriscada para um casal que já precisou superar perigos demais, mas que se mantém unido na fé de evitar a morte de milhares de inocentes. Mas uma pergunta permanece no ar: poderiam suas ações alterar os rumos da história, ou seriam justamente estas que culminariam no triste final conhecido por Claire?

***

Ai. Meu. Coração. Desculpem, mas não tenho forma melhor de descrever como me senti ao começar esta leitura. Escrevi o resumo acima a partir da segunda metade do livro (que mais uma vez é dividido em sete partes), para evitar spoilers, caso contrário, deixaria vocês no mesmo estado em que eu fiquei: na mais pura negação. Titia Daiana Gabaldon é má! Muito má! E deixa o leitor sofrer por quase mil páginas para entender a torturante primeira parte da obra.

Não gosto de spoilers, vocês sabem que isso é algo do qual sou totalmente contra, todavia, pela primeira vez, abandonei o livro e corri para a internet para ler as sinopses dos próximos volumes, resenhas e afins, na tentativa de encontrar alguma informação que me fizesse crer que valia a pena continuar a leitura e resistir ao coração estraçalhado que eu carregava no peito. Se vocês passarem pela mesma dúvida que eu, digo uma coisa, não abandonem o livro. Leiam. Ele lhes dará uma resposta, e ela será linda. Acima de tudo, cá entre nós, Jamie Fraser é o tipo de cara por quem vale a pena sofrer.

Dito isso, vamos falar sobre o restante da história: Sigo com a minha periódica vontade de querer estapear Claire por suas imprudências e impetuosidades que acabam enfiando tanto ela quanto Jamie em situações indesejadas. Custava ser um pouquinho menos voluntariosa? Logo na chegada do casal na França, ela já arruma briga com um dos principais comerciantes de bebidas e concorrente de Jamie nos negócios. Claire, paciência é uma virtude. Mas é claro que nosso galante Jamie sempre está lá para, mais cedo ou mais tarde, resolver os problemas criados pela amada. Falando nisso, os dois formam um belo par, salvando um ao outro sempre que preciso. Uma pena que isso necessite ser com tanta frequência. Como já disse, Outlander é um teste de resistência para os nervos do leitor, mas também é divertido, lindo, romântico e educativo.

Existe todo um cenário histórico recontado na narrativa e, é claro, curiosidades da época que tornam o enredo ainda mais rico. Tive um surto de gargalhadas quando Jamie discute com Claire sobre depilação, o que ela finalmente conseguiu fazer na França. Esse choque de costumes entre eles é muito cômico. E é fantástico ler sobre Jamie convivendo com reis, grandes pensadores, escritores e pessoas de renome daquele tempo.

Entretanto, apesar de eu estar fazendo tudo parecer leve, não é bem assim durante todos os momentos. O fantasma de Jack Randall ainda paira sobre as cabeças do casal, e o trauma de Jamie não é esquecido. Temos novas informações sobre a fatídica noite em que Randall ataca Jamie e a autora não nos poupa dos detalhes fortes. Eu ainda não consegui terminar de assistir à série por causa das cenas em questão e sempre que esse assunto era mencionado em A Libélula no Âmbar, meu estômago se revirava mais uma vez. Mas nosso menino é forte e possui um amor lindo para ajudá-lo a superar o passado.

Eu poderia ficar horas aqui falando sobre Outlander, afinal, o livro não possui apenas um grande plot, mas vários. São quase mil páginas e todas elas maravilhosas. Estou irrevogavelmente apaixonada por Outlander e por Jamie Fraser. Não tem volta. E o casal Jamie e Claire? Eles são perfeitos, como há muito não via na literatura ou na vida real. A confiança, a entrega, a luta, o companheirismo e a cumplicidade existente entre eles são elevados a um nível praticamente utópico.

A escrita da Diana é linda e suas descrições fazem com que o leitor se sinta na pele dos personagens, vivendo aquela realidade e apreciando as paisagens e lugares por onde Jamie e Claire passam. Novamente, a autora fez uso da técnica de alternar as narrativas entre a primeira e a terceira pessoa, de uma página para a outra, sem ficar ruim de ler, na primeira e na última parte do livro. O texto de Diana é simplesmente mágico, segurando o leitor através de uma história infindável narrada por Claire, que possui uma razão de ser que vamos descobrindo, página por página, a cada acontecimento ocorrido na trama.

Com um dos casos de amor e confiança mais lindos da literatura atual, Outlander mistura romance, aventura e história em um livro impossível de largar. Diana Gabaldon remonta os diversos fatos históricos por meio da ficção de forma fascinante. Sem dúvidas, um novo clássico da literatura mundial.

Outlander: A Libélula no Âmbar - Diana Gabaldon
Livro 02
Série Outlander
Editora Saída de Emergência
944 páginas
Comprar: Saraiva 

7 comentários

  1. Meu Deus, Dany! Como ignorar uma resenha assim? Haha.
    Menina, ainda não li o primeiro volume, mas mesmo com spoilers sinto que ele traz tantos acontecimentos que não me frustrarei com informações privilegiadas. Li uma resenha sobre esse livro bastante empolgada, mas a leitora sentiu que a primeira metade estava muito lenta e arrastada. Ao que parece, o livro traz fortes emoções e você o curtiu por completo. Por isso, não temo… Acho que vou gostar também.

    Beijos!
    http://www.myqueenside.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Oie
    Eu já li os dois primeiros e estou mega curiosa pelo terceiro que a editora arqueiro publicou. Logo pretendo ler. Amo essa historia.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Olá, eu não li o livro ainda, mas me disseram que tem seriado dele. Assim que possível vou ler o primeiro volume. Sua resenha já me deixou com mais vontade de ler ainda.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  4. Dany,pensei em ler essa obra ,mas tenho receio dos últimos volumes,pois segundo alguns resenhistas a história mudou de foco...não sei,mas depois de sua resenha ,irei dar uma chance.Beijos!!!

    ResponderExcluir
  5. Amei a resenha. Sou mega suspeita, pois estou apaixonada por essa série (e por Jamie). Sinceramente essa autora é genial. Atualmente estou lendo a primeira parte do terceiro livro, já com dó de terminar. Bjs...

    ResponderExcluir
  6. Nossa parece bem interessante, é um tipo de livro que gosto muito de ler, ja incluir aqui na minha listinha

    ResponderExcluir
  7. Fico questionando na minha mente o motivo de nunca ter começado a ler Outlander... nunca é tarde para ler rsrsrs.

    ResponderExcluir