Resenha - O Príncipe dos Canalhas

Resenha - O Príncipe dos Canalhas
Sinopse: "Sebastian Ballister é o grande e perigoso marquês de Dain, conhecido como lorde Belzebu: um homem com quem nenhuma dama respeitável deseja qualquer tipo de compromisso. Rejeitado pelo pai e humilhado pelos colegas de escola, ele nunca fez sucesso com as mulheres. E, a bem da verdade, está determinado a continuar desfrutando de sua vida depravada e pecadora, livre dos olhares traiçoeiros da conservadora sociedade parisiense. Até que um dia ele conhece Jessica Trent... Acostumado à repulsa das pessoas, Dain fica confuso ao deparar com aquela mulher tão independente e segura de si. Recém-chegada a Paris, sua única intenção é resgatar o irmão Bertie da má influência do arrogante lorde Belzebu. Liberal para sua época, Jessica não se deixa abater por escândalos e pelos tabus impostos pela sociedade – muito menos pela ameaça do diabo em pessoa. O que nenhum dos dois poderia imaginar é que esse encontro seria capaz de despertar em Dain sentimentos há muito esquecidos. Tampouco que a inteligência e a virilidade dele pudessem desviar Jessica de seu caminho. Agora, com ambas as reputações na boca dos fofoqueiros e nas mãos dos apostadores, os dois começam um jogo de gato e rato recheado de intrigas, equívocos, armadilhas, paixões e desejos ardentes."

O pai de Sebastian havia perdido a esposa e os 4 filhos para o tifo aos 45 anos. Colecionador de títulos e de propriedades, casou-se novamente com uma jovem florentina de 17 anos. Ele precisava de um herdeiro, mas a monstruosidade que nascera a partir da comunhão do novo casal o causava asco. Sebastian era um menino feio, desproporcional e com um nariz que mais lembrava o bico de uma ave exótica.

De acordo com o marquês de Dain, sua jovem esposa era excessivamente criativa na cama e, provavelmente, devido às preferências dela, sua cria mais aparentava ser filho de Satanás. Ele se recusou a cumprir com seus deveres de esposo desde então, e não foi uma surpresa quando a jovem esposa fugiu para as Índias orientais deixando o filho de 8 anos para trás.

Abandonado pela mãe e rejeitado pelo pai, Sebastian foi enviado para um colégio interno, onde endureceu seu caráter a custo de muito sofrimento. Ele sofria agressões físicas constantes até os 10 anos, quando recebeu a notícia da morte de sua progenitora e, em um surto de raiva, nocauteou o maior valentão da escola. Nada como uma boa briga de igual para igual para tornar dois garotos amigos, e foi assim que Sebastian deixou de ser vítima e passou a fazer parte do seleto grupo de encrenqueiros.

Sebastian não conheceu o amor, já que nunca foi amado, mas estabeleceu uma relação íntima com a jogatina, as apostas, o álcool e as prostitutas desde muito cedo. Com sua inteligência aguçada, multiplicava por meios ilícitos a mesada que recebia do pai e pagou pelos próprios estudos universitários quando chegou o momento. Formado e órfão, herdou o título de marquês de Dain, juntamente aos negócios e propriedades dos Ballisters, mas decidiu organizar as finanças e partir para Paris com o propósito de viver de lucros e farra. Lá, era conhecido como Belzebu, o próprio Diabo, por viver em meio a orgias e muito trago. 

Invejado pelos homens e temido pelas mulheres, Dain as considerava como o sexo inferior, tornando as prostitutas um bom negócio. Serviço pago, serviço recebido. Sem laços ou incomodações. Jamais se envolveria com uma dama ou era o que pensava até topar com o estúpido Bert Trent em uma loja de antiguidades, acompanhado de sua indomável irmã Jessica. Dain se recusava a ter qualquer relação com damas, mas Jessica além de inteligente, era astuta e uma solteira convicta. Sebastian e Jessica eram dois ímãs de polos iguais, prontos para se repelir... ou, para alterar as leis da física.

***

Ah, os romances de época, como não gostar deles? Eu sei, alguns são repetitivos, mas O Príncipe dos Canalhas é simplesmente delicioso. O suposto par romântico, que de romântico não tem muita coisa, torna a história impossível de se largar. Sebastian, ou o marquês de Dain, desconhece a afeição e cresceu como um bruto, ciente de sua feiura e abusando da inteligência para se tornar absurdamente rico e poderoso. Jessica, por sua vez, é uma dama independente, altamente racional e não está disposta a ser domada por homem algum. Basicamente uma Catarina, de A Megera Domada.

Os dois possuem todos os elementos necessários para nunca manterem qualquer tipo de contato, mas, para infelicidade de Jessica, seu irmão mais novo, Bert, decidiu venerar o marquês de Dain, tornando-o seu ídolo pessoal e seguindo os passos de Belzebu, caindo em total ruína. Ao Bert faltava inteligência e estrutura física para torná-lo capaz de acompanhar o trágico herói e, agora, cabia a Jessica salvar o caçula. Brigas, farpas, trocas de ofensas inteligentes e muito conflito se sucedem a partir de então. Não preciso dizer onde isso vai parar.

O Príncipe dos Canalhas é um livro divertido e perspicaz. Além disso, é repleto de desejos primitivos e, confesso, isto foi o que mais gostei, pois o romance da história é bruto como os seus protagonistas. Sebastian nunca amadureceu emocionalmente e Jessica cresceu entre 10 primos homens. Dois poderosos gladiadores se enfrentando até a morte, ou até o amor, ou quem sabe ainda até à luxúria, é o que podemos esperar dessa história.

Ambientado em uma Paris do século XIX, O Príncipe dos Canalhas remonta a uma sociedade fofoqueira, invejosa e manipuladora que tenta influenciar a todo o custo o rumo do casal mais comentado da cidade, mas acaba como espectadora do show particular de dois atores que pouco ligam para o que os outros pensam e usam as armas oferecidas a seu próprio favor contra o oponente.

Se vocês gostam de comparações, poderia dizer que Sebastian é uma espécie de Fera, de A Bela e a Fera, ou ainda Rhett Butler, de E o Vento levou. Mas para chegar à composição certa, junte isso e coloque no corpo de Khal Drogo, de Game of Thrones. Com um belo porte físico e um rosto exótico, Dain pensa que apenas sendo pagas as mulheres se interessariam por ele. Inocente. Em virtude disso, suas suposições a respeito das atitudes de Jessica instigam nele respostas intensas.

Esta é uma obra que, certamente, pode ser comprada pela capa que, convenhamos, está perfeita. Os tons suaves das cores e a imagem do casal que não se encara ficaram doce e, ao mesmo tempo, intrigante. As páginas do exemplar são amareladas e cheirosinhas e a diagramação é simples. Os capítulos são curtos, facilitando a leitura, mas não iniciam em uma nova página, seguindo de onde o anterior parou.

Decididamente delicioso, O Príncipe dos Canalhas é um romance leve e prazeroso, que irá agradar a todos os leitores que são fãs de romances de época.

O Príncipe dos Canalhas - Loretta Chase
Livro 03
Série Canalhas
Editora Arqueiro
288 páginas
Comprar: Saraiva 

10 comentários

  1. Oi, Dany!
    Menina, a sua é mais uma resenha que me faz cobiçar demaaaaais esse livro. Você perguntou se tem como não gostar de romances de época… Pois bem, não me considero uma apreciadora deles. Mas como resistir a esse apelo todo? Eu achei a interação do casal muito convidativa, cheia de humor e situações que prendem a atenção do leitor. Não hesito em dizer que, assim que possível, vou comprar e ler esse livro.

    Beijos!
    http://www.myqueenside.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Fran!
      Pois é, menina, a autora soube faser um romance de época com um humor e falta de romantismo que fazem o leitor esquecer totalmente tratar-se de um romance de época. Este é do tipo que agrada a todos os públicos. Espero que goste! :)
      Beijos!

      Excluir
  2. Amei a dica , gosto de romances de época.e este parece ter um diferencial na história como na estética dos capítulos,já estou pensando em conferir.Beijos!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Aciclea! Como coloquei no comentário anterior, este é realmente bem diferente e vale a pena conferir. Espero que goste da leitura. Beijão!

      Excluir
  3. eu amo de paixão romances de época e ja estou louca para ler esse! só esperando meu exemplar chegar, aguardo ansiosa para curtir tanto quanto você!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que curta mesmo Thaila. Se você já gosta de romances de época certamente vai adorar este. Beijão e boa leitura!

      Excluir
  4. Assim que li a sinopse desse livro fiquei eufórica e essa capa então? Dai caio na besteira de ler sua resenha e PUMFF xonei

    ResponderExcluir
  5. Amoo romances de época, e logo que lançou esse livro fiquei louca para comprar, sua resenha me deixou mais interessada ainda, beijão

    ResponderExcluir
  6. Esse livro por se passar no século XIX tem um peso de bullying que nossa...Sem reação.
    Coitado do Sebastian baby, mais me parece que tudo o que ele se torna tem explicação na forma como ele foi criado e tratado durante sua vida. Fiquei intrigada, preciso ler esse livro!
    Adorei a resenha!
    Mila-Scraplivros

    ResponderExcluir
  7. Oi Dany
    Participei do Encontro de Romances de Época e desde então este livro está na minha lista
    Adorei a resenha :)
    Bjks mil

    www.blogdaclauo.com

    ResponderExcluir