Resenha - As estranhas e belas mágoas de Ava Lavender

Resenha - As estranhas e belas mágoas de Ava Lavender
Sinopse: "Gerações da família Roux aprenderam essa lição da maneira mais difícil. Os amores tolos parecem, de fato, ser transmitidos por herança aos membros da família, o que determina um destino ameaçador para os descendentes mais jovens: os gêmeos Ava e Henry Lavender. Henry passou boa parte de sua mocidade sem falar, enquanto Ava que em todos os outros aspectos parece ser uma jovem normal nasceu com asas de pássaro. Tentando compreender sua constituição tão peculiar e, ao mesmo tempo, desejando ardentemente se adaptar aos seus pares, a jovem Ava, aos 16 anos, decide revolver o passado de sua família e se aventura em um mundo muito maior, despreparada para o que ela iria descobrir e ingênua diante dos motivos distorcidos das demais pessoas. Pessoas como Nathaniel Sorrows, que confunde Ava com um anjo e cuja obsessão por ela cresce mais e mais até a noite da celebração do solstício de verão. Nessa noite, os céus se abrem, a chuva e as penas enchem o ar, enquanto a jornada de Ava e a saga de sua família caminham para um desenlace sombrio e emocionante."

Nascer com asas não é algo normal ou natural para um ser humano. Mas foi o que aconteceu com Ava. Filha de uma mãe bastante jovem, ela viveria até a juventude trancada nos limites da casa onde a família morava. Mas esta não é uma história apenas sobre ela. Esta é a história que Ava buscou sobre seu passado para entender sua existência no presente. Assim, voltamos três gerações no tempo.

A narrativa começa remontando os fatos que levaram Beauregard e Maman Roux a deixar a França com seus quatro filhos pequenos e partir rumo aos Estados Unidos. Aparentemente, a pequena vila em que viviam não era desenvolvida o suficiente e um homem grande e forte como Beauregard necessitava de mais espaço.

Mas logo Maman se viu nos Estados Unidos abandonada pelo vigoroso marido e com cinco bocas para alimentar. Pierrete, que a esta altura já havia se tornado um pássaro, não exigia muita atenção. O mesmo não se podia dizer sobre René e suas incursões às casas de homens comprometidos e Emilienne e Margaux, que acabariam se desentendendo indefinidamente por conta de um romance em comum.

Foi com coração partido que Emilenne conheceu Connor Lavender, com quem se casou e se mudou para longe das lembranças terríveis de sua família. Em Seatle, o casal iniciou um próspero negócio que viria a sustentar a família Lavender por muitas gerações. Exceto pela estranha sensibilidade de Emilienne para predizer acontecimentos, o que fazia com que os vizinhos a considerassem uma bruxa, tudo ia bem para eles.

O nascimento de Viviane pareceu tornar a vida do casal ainda mais feliz, entretanto, logo os dias de boa sorte chegaram ao fim. Anos mais tarde, viúva e com a filha adolescente grávida, Emilienne seguiu trabalhando todos os dias para manter os Lavenders em pé. Especialmente após o nascimento dos estranhos gêmeos de Viviane: Ava com suas mágicas asas e Henry, com sua personalidade calada e esquisita.

***

É, eu sei, este não parece um resumo de uma história promissora, mas é uma das mais belas que li nos últimos tempos. Eu não quis dar spoilers e, portanto não mencionei os grandes fatos que marcaram cada geração, mas eles são muitos e intensos.

A história é narrada por Ava, todavia, temos acesso a diálogos e detalhes da vida de cada personagem em sua época e também dos que os rodeiam. Isso contribui para uma trama excepcionalmente bem contada e um melhor entendimento dos sentimentos e motivações de cada um. Ava apenas aparece como protagonista perto da metade da obra e é muito interessante conhecer todo o passado daqueles que a rodeiam e o que aconteceu ao longo dos tempos para que ela agora estivesse ali.

As asas de Ava não são exatamente explicadas no texto, mas o leitor pode perfeitamente substituí-las por qualquer deformidade física que a torne diferente. Portanto, o livro não é exatamente uma fantasia, mas um relato bastante sensível sobre família, paixão, amor, dor e destino através de gerações.

Amores fadados ao fracasso parecem ser uma herança cabulosa passada dos Roux para os Lavender. Ava cresceu sabendo que desventuras amorosas com consequências indesejáveis poderiam ser sua sina, caso não tivesse asas e saísse de casa para conhecer alguém. O que não era o caso.  Mas, acima de tudo, o legado da família Roux/Lavender é o fato de possuírem corações tragicamente humanos, que se apaixonam profundamente e sofrem de forma ainda mais dolorosa.

As estranhas e belas mágoas de Ava Lavender trata-se de um livro sobre as cicatrizes que as vítimas do amor carregam, oportunidades perdidas devido à cegueira ocasionada pela paixão e sobre seguir em frente, não importando as circunstâncias. Esta é uma história bastante feminina, apesar de contar com ótimos personagens masculinos, como o sempre gentil e apaixonante Gabe, que vive à sombra das migalhas do amor de Viviane e Jack, que apesar de parecer o vilão, está mais para uma vítima das circunstâncias e da covardia.

Lesye carrega o leitor para dentro do enredo com uma escrita muito bem desenvolvida que, apesar de possuir tantas tragédias e desencontros, em momento algum tem um clima melancólico, uma vez que a autora apela constantemente para o humor ou apenas para o toque delicado nas situações descritas. 

Ainda que muitas vezes vá partir seu coração pelas infelicidades que ocorrem nas vidas dos personagens, este livro também ensina lições importantes sobre como o amor de verdade possui muitas facetas e pode trazer tanto alegrias quanto tristezas. Lembrando que ele pode ser feio, não correspondido, abandonado, sufocado, mas sempre haverá mais amor ao nosso redor. Só precisamos aprender a nos permitir vivenciá-lo.

As estranhas e belas mágoas de Ava Lavender foi uma bela surpresa para mim e é o tipo de livro que deixa o leitor pensando.  A capa é bastante delicada e seguiu o modelo da edição americana. A pena que ilustra a imagem possui detalhes brilhosos nas pontas, mas não me pareceu condizer muito com as penas de Ava conforme ela as descreve no livro. A editoração é simples, com espaçamento duplo e letras grandes que permitem uma leitura bastante confortável. O livro é dividido em capítulos curtos, o que também torna a leitura bastante rápida.

E quanto a vocês? Suas cicatrizes ou seus legados os impediriam de recomeçar e amar de novo?
   
As estranhas e belas mágoas de Ava Lavender - Leslye Walton
Editora Novo Conceito
304 páginas 
Comprar: Saraiva

0 comentários

Postar um comentário