Resenha - Sem Esperança

Resenha - Sem Esperança
Sinopse: "Assombrado pela culpa e pelo remorso por não conseguir salvar Hope nem Less, Holder desenvolveu uma personalidade agressiva. Mas, quando finalmente se depara com Hope depois de tantos anos, não poderia imaginar que o sofrimento seria ainda maior após o reencontro. Em Sem esperança, Holder revela como os acontecimentos da infância de Hope, que agora se chama Sky, afetaram sua vida e sua família, fazendo-o buscar a própria redenção na possibilidade de salvá-la. Mas é apenas amando Sky que ele finalmente será capaz de começar a se reconciliar com si mesmo."

ALERTA! Esta resenha pode conter spoilers do primeiro livro, Um Caso Perdido. Leiam por sua conta e risco! 

Sem Esperança é a continuação do best-seller Um Caso Perdido, livro que impressionou muitos leitores e que rendeu opiniões bastante distintas. Aqui, temos o ponto de vista de Dean Holder sobre a mesma história do seu antecessor, porém, com a inserção de detalhes de seu passado que permaneceu um mistério no primeiro volume. Por ser um POV, ele pode sim ser lido como um livro único e você não precisa ter lido Um Caso Perdido para se deliciar com essa narrativa. E quando digo isso é porque é verdade, o livro é mesmo muito bom!

Infelizmente, muitos leitores consideraram Um Caso Perdido uma obra forte, já que trata de assuntos muito pesados, e acabaram desistindo de ler Sem Esperança por pensarem que o clima seria o mesmo. Bem, não é. Portanto, queridos leitores, podem ir comprando o seu exemplar, porque Holder é tudo de bom e, apesar de nos dar deslumbres dos mesmos dramas, tem o seu jeito todo especial de lidar com eles.  

Holder poderia ser um adolescente comum de 17 anos, mas, desde muito novo, ele aprendeu que o mundo não era uma maravilha e que as perdas deixavam marcas profundas. Aos 6 anos, Dean já carregava a culpa de ter permitido que sua vizinha, Hope, fosse levada embora por alguém sem ter feito nada para impedir. Ele era uma criança, não entendia o que estava acontecendo, mas perder Hope era algo que ele carregaria consigo para o resto da vida.

A dor acabou unindo ainda mais Holder e a sua irmã gêmea, Less, que também sentia muita falta da melhor amiga, Hope. Certo dia, o garoto chegou numa festa e deu de cara com o namorado de Less dando uns amassos para lá de íntimos em alguma garota desconhecida. Isso despertou os piores instintos do irmão protetor. Pouco dado à violência física, Holder limitou-se a enforcar o cunhado contra a parede até que ele ligasse para Less e terminasse tudo. A irmã sofreu muito, mas isso era melhor do que seguir namorando um cara que não a respeitava.

Holder estava pronto para lidar com a dor de cotovelo da irmã. Concordou em passar a noite em casa vendo filmes com ela ao invés de sair com os amigos e voltou de sua corrida diária para inesperadamente encontrar o corpo inerte de Less estendido sobre a cama. Se Holder pensava que parte de seu coração havia ido embora com Hope, agora ele estava certo de ter sido deixado com nada.

Ele não culpava o ex-namorado patife de Less pelo ocorrido. Também não culpava a terapeuta da irmã que, pelo visto, não serviu para evitar a sua morte, e não se culpava por ter sido responsável pelo término do namoro. Havia mais nessa história, e Holder se culpava por não ter visto o quanto a irmã precisava dele, e por não ter sido capaz de evitar o que aconteceu. Ele havia perdido as duas garotas que mais tinha amado na vida, e teria que lidar para sempre com a peso que sentia.

Algumas semanas após a morte da irmã, Holder acabou se envolvendo em uma séria briga e ficou decidido que ele deveria voltar para Austin para morar com o pai por um tempo. Todavia, ninguém podia mantê-lo em Austin depois de completar 18 anos, então, aproveitando a desculpa de uma desavença com o pai, ele retornou à cidade onde as fofocas sobre ele ganharam proporções impensáveis e a fama de rapaz violento passou a procedê-lo.

Logo após sua chegada, Dean esbarrou em uma garota que fez seu mundo parar por um instante. Ele estava certo de que acabara de encontrar Hope, mas, ao abordar a garota de uma maneira um tanto estúpida, descobriu que seu nome era Sky e que estudava na mesma escola que ele voltaria a frequentar. As semelhanças entre Sky e Hope eram grandes demais para serem passadas despercebidas, e existiam muitas peças que não se encaixavam na cabeça do garoto.  

Holder jamais superou a perda de Hope e de Less, mas talvez Sky seja a pessoa que possa lhe devolver parte do coração que ele um dia perdeu.

***

Como não querer ler até a lista de supermercado da Colleen Hoover? Essa autora está rapidamente entrando para a minha lista de “top escritores do coração”. A escrita dela é ótima e este foi sem dúvidas um dos melhores POVs que eu já li. Holder não ficou um personagem forçado e o leitor pôde tranquilamente entender todas as suas motivações e pensamentos nesta obra. E não, ele não é um bad boy brigão como alguns podem imaginar. Pelo contrário, ele é um fofo e não é à toa que a mãe da autora adotou o personagem como membro da família.

Sem Esperança começa sua narrativa um ano antes de Holder conhecer Sky, então podemos acompanhar todo o amadurecimento dele desde que as duas tragédias mudaram sua vida até o momento em que ele conhece a garota que pensa ser Hope. Enquanto Sky é cheia de restrições e possui uma carga emocional bastante pesada ao longo de Um Caso Perdido, Holder também tem problemas sérios com os quais lidar, mas mesmo com as perdas e dores que já sofreu e sofre ao longo do livro, o clima dos relatos dele é bem mais leve e tem muitas tiradas cômicas, até porque, o leitor tem em primeira mão o convívio de Holder com seu infame melhor amigo Daniel.

Após a morte de Less, Holder começou a escrever em um antigo caderno que ela tinha, mas que nunca utilizou. Esse caderno passou a servir de ponte entre os irmãos e como um catalisador para Dean desabafar seus sentimentos, escrevendo ali sobre tudo o que gostaria de conversar com Less como se ela ainda estivesse viva. Muitos capítulos são contados através dessas cartas que ele escreve por lá, onde relata seu pesar em relação à morte da irmã, seus pensamentos e dúvidas sobre quando conhece Sky e as pistas que vai desvendando em relação à Hope. Portanto, algumas cenas que o leitor acompanhou detalhadamente em Um Caso Perdido serão apresentadas de forma resumida nos relatos escritos por Holder, para Less, através do caderno.

A estada de Holder em Austin não é relatada no livro. Após dar uma surra em um garoto da escola por estar falando mal de Less e ser “exilado” por um tempo lá, Colleen retoma a trama contando a partir do dia do retorno de Holder, quando ele volta a escrever no caderno para Less. Assim, a narrativa se intercala entre fatos detalhados e narrados por Holder e as páginas escritas no caderno de cartas para a irmã. 

Eu adorei este livro e super recomendo. A leitura é fluida e rápida e a história é tocante, com uma belo enredo que retrata as perdas e os obstáculos da vida que parecem tirar seu brilho, mas também mostra que sempre existe um amanhã e, apesar de isso não deletar o passado, pode trazer de volta a esperança das novas alegrias do futuro. 

Sem Esperança - Colleen Hoover
Livro 02
Trilogia Hopeless
Editora Galera
320 páginas 
Comprar: Saraiva

2 comentários

  1. Sou apaixonada pela Colleen,os livros dela me tocam de uma forma! (também leria até a lista de supermercado dela). Fiquei doida depois que li um Caso Perdido e quando soube que tinha continuação tinha que ir atrás e comprei o livro,estou bem no começo e tenho certeza que vou amar,afinal visão masculina me conquista!
    Parabéns pela resenha!

    ResponderExcluir
  2. Eu quero ler Um Caso Perdido, fui procurar a resenha aqui e fiquei encantada! A trama parece ser ótima, quero ler.

    ResponderExcluir