Papo de Sexta com Marina Carvalho - O que um mocinho bem construído não faz pela história!

Papo de Sexta com Marina Carvalho - O que um mocinho bem construído não faz pela história!
Há livros que marcam nossa vida. Alguns pela temática que bate com o momento que vivemos na época; outros pela capacidade do autor de segurar o leitor com seu modo único de desenvolver um enredo. Existem aqueles que revolucionam uma época e se tornam referência para várias gerações futuras.

Tenho vários exemplos para ilustrar essas afirmações, mas não vou fazer isso hoje. Sabem por quê? Porque, ao contrário de todas as menções que fiz acima, há um motivo, um gancho, que corre por fora, mas que é também responsável por manter nossa atenção completamente focada na história, às vezes até mesmo depois de virarmos a última página: O MOCINHO

Já passei por esta situação diversas vezes: começo o livro com uma expectativa mediana, até que o narrador resolve nos apresentar o personagem masculino que vai contracenar com a protagonista. Se ele não tiver as seguintes características.

a) Personalidade forte;
b) Habilidade para enfrentar os perrengues em que o autor gosta de colocá-lo;
c) Química com a mocinha;
d) Biótipo favorável – entendam como “bonitão”;

então, minha gente, já era. Minha empolgação cai consideravelmente. Por outro lado, se ele atende aos requisitos que para mim são importantes a um protagonista masculino de chick-lits e romances, não tem erro: vou me apegar à história e elevá-la ao patamar de “Favorita da Marina”.

Selecionei para vocês alguns nomes inesquecíveis da literatura, alguns atuais, conhecidos por uma parcela considerável de leitores, e outros das antigas, mas, ainda assim, marcantes.

Preparadas(os)? Então vamos lá:

1. Andrew Parrish – Entre agora e o nunca
2. Alex Fuentes – Química perfeita
3. Mr. Darcy (claaaro que não poderia faltar) – Orgulho e Preconceito
4. Fernando Seixas – Senhora
5. Mitchell Wyatt – Todo ar que respiras
6. Jack Townsend – Ela foi até o fim
7. Alex – Desculpa se te chamo de amor
8. Sean Rogan – Se eu morrer antes de você / Beije-me antes de morrer
9. Robert Langdon – Anjos e Demônios, O Código da Vinci, O Símbolo Perdido e Inferno
10. Leo – (em) Fazendo meu filme 1 e Fazendo meu filme 4
11. Capitão Rodrigo – Um certo Capitão Rodrigo
12. Miguel Defilippo – Como quase namorei Robert Pattinson
13. Warner – Liberta-me

A ordem da lista não indica necessariamente que o primeiro é o meu preferido e assim por diante. Não! É que fui me lembrando de cada um, de modo aleatório, relacionando-os à medida que pensava.

Todos eles possuem as quatro características essenciais que busco em um mocinho. Portanto, na hora de criar o perfil dos meus próprios personagens, mesmo que implicitamente, acredito que muito do que dou a eles é inspirado naquilo que leio de melhor no livro de autores que admiro. Taí! Acabo de descobrir que meus heróis são todos de papel e que a imagem que faço deles é um conjunto de características pertencentes a vários outros protagonistas. (risos)

Agora quero saber: e quanto a vocês? Que personagens masculinos lhes deixaram marcas? Estou morrendo de curiosidade...

Deixem uma resposta aqui para mim. Vou adorar trocar figurinhas literárias com meus leitores.

Espero que tenham gostado da coluna de hoje. Para semana que vem, já preparei um tema bem legal, que promete causar. :p

Um beijão e até a próxima!

3 comentários

  1. Vários destes são meus mocinhos favoritos também. E além deles, tem também o Alexander, é claro. E o Rafael e o Ian, das queridíssimas autoras brasileiras Bianca Briones e Carina Rissi.
    É muito amor... S2

    ResponderExcluir
  2. Também amoooooo alguns deesses que você citou!!! Outros, ainda não conheço kkkk
    Concordo plenamente, o livros que mais marcam são aqueles que têm os mocinhos mais maravilhosos! E as mocinhas também contam, porque as chatas, aiiii gente, dá uma preguiçaaaa de ler! kkkk
    Os meus preferidos da vida são:
    1. Maxon - Trilogia A Seleção
    2. Sr. Darcy (suspiroooos) - Orgulho e Preconceito
    3. Edward Culler (muitoooo amor) - Saga Crepúsculo
    4. Dante (aiiii, foi feito pra mim! kkk) - A Bandeja e Perdido Sem Você
    5. Colin - O Teorema Katherine

    E mais alguns, mas vou parar por aqui para não acharem que sou promiscua!! kkkkkkkkkkkkkkk
    Beijãooo! Amei o post!
    Ana,
    elvisgatao.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Oi, Marina.

    Vou citar cinco, rapidamente.

    Alex - Simplesmente Ana
    Luque - Mudanças Perfeitas
    Zhadist - IAM
    Andrew - Entre o Agora e o Nunca
    Grayson - Em Meus Pensamentos

    Beijos!

    ResponderExcluir