Divagando - Sobre a difícil arte de ser mulher!

Hoje é o Dia da Mulher e, antes de tudo, gostaria de parabenizar a todas as leitoras do Blog e as minhas queridas amigas, tias e minha mamis amada por esse dia tão especial.

É incrível como até hoje escuto piadinhas sobre a desnecessidade de haver um dia dedicado somente às mulheres no calendário, ou então, que todo dia é dia da mulher, e não teríamos motivos de celebrar apenas uma vez ao ano.

Independente do que o povo acha, considero essa data emblemática por diversas razões. Em primeiro lugar, gostaria de deixar claro que nenhum homem, jamais, irá entender o que é ser mulher. Não adianta, homens e mulheres são completamente diferentes e ponto. E não ressalto essas diferenças como algo ruim, não. Que bom que não somos iguais, ser igual é chato. As coisas são simplesmente do jeito que são.

Só sendo mulher para se entender a complexidade de sentimentos que temos a cada minuto; as dificuldades que lidamos desde pequenas com as transformações dos nossos corpos e com a imagem que nos é imposta pela sociedade; as batalhas que travamos para sermos mães, esposas e profissionais de qualidade; o aperto que sentimentos no peito a cada vez que vamos atrás de um sonho que nos obriga a negligenciar aqueles quem mais amamos; o ímpeto que temos de defender com a vida a nossa família, sendo capazes de anularmos a nós mesmas se for preciso; e os desafios diários que enfrentamos ao sermos multitarefas, porque mulher precisa conciliar milhares de atividades num curto espaço de tempo e se virar nos trinta todo santo dia.

Não quero dar uma de feminista porque, sinceramente, não sou dada a nada que é voltado para o radical, mas uma coisa é fato, muito do que fazemos ainda não é compreendido ou valorizado e, pasmem, muitas vezes, até por nós mulheres!

Numa era em que as mulheres gritam para defender a sua liberdade e independência ficou "feio" ver uma mulher que quer trabalhar em casa e cuidar dos filhos. Para algumas, elas passaram a ser a "vergonha da raça", um grande de um absurdo tudo isso! Cada uma sabe o que faz e o que é o melhor para si e ninguém tem o direito de julgar. Uma mulher do lar não é menos mulher do que uma executiva bem-sucedida e vice-versa. Assim como uma mãe que amamenta no peito não é mais mulher do que outra que alimenta o seu filho com mamadeira e vice-versa.

Temos que aprender a parar de julgar. É tão fácil olhar para a vida do outro e apontar, quando desviamos o foco e esquecemos de olhar para nós mesmas. A sociedade exige demais da gente hoje, principalmente das mulheres. Fomos moldadas para sermos supermulheres e não dependermos de ninguém, mas por mais forte que sejamos, ainda somos seres frágeis.

Frágeis porque também choramos, também sofremos, também temos medo, mas, muitas vezes, somos obrigadas a engolir tudo isso para sustentar a mulher guerreira que queremos ser e que queremos que o mundo veja.

Não é ruim ser frágil, como muitas feministas sustentam, senão, como poderíamos usufruir de mimos, colos e beijinhos quando precisamos? E sim, mulheres precisam de todo o amor do mundo que os outros têm para dar!

Temos que ter orgulho de sermos mulheres, na nossa individualidade, com os nossos defeitos, sem nos importarmos se estamos atingindo um padrão que nos foi previamente imposto.

Hoje é o Dia da Mulher. O mínimo que podemos fazer hoje é nos dar o dia de folga, é fazer aquilo que sempre queremos, mas que dizemos não ter tempo. Leiam um livro, vejam um filme, aproveitem um dia no salão de beleza. Façam o que quiser!

Mas também aproveitem para parar e para pensar: que tipo de mulher vocês querem ser? Que tipo de mãe e esposa vocês querem ser? Quais exemplos vocês querem dar? Estão sendo fieis à sua natureza? Estão correndo atrás dos seus sonhos? Se vocês disseram não para alguma dessas perguntas, bem, alguma coisa está errada. O bom é que nunca é tarde para recomeçar.

Então se dispam de preconceitos, de rótulos e de fantasias sociais porque, ser mulher, acima de tudo, é dominar a arte de mudar, de criar e de renascer, sempre quando for preciso!

Feliz Dia da Mulher!

E para aquelas que amam ler, se liguem porque daqui a pouco vai começar uma Promoção em comemoração ao Dia da Mulher, pois é claro, eu não consigo ficar sem mimar vocês <3 hehe

Beijos, Mi

1 comentários

  1. sem ser piegas, nós, mulheres damos conta de um recadão! trabalho, casa, família são desafios que irrompem nossos dias e com jogo de cintura damos conta de tudo da melhor forma possível!
    Quando der, de uma passada no blog, adorarei sua visitinha!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir