Semana Cinquenta Tons de Cinza - Resenha Cinquenta Tons de Cinza - Dia 3

Resenha Cinquenta Tons de Cinza
Sinopse: "Adaptado para os cinemas e estrelado por Jamie Dornan no papel de Christian Grey e Dakota Johnson como Anastasia Steele, "Cinquenta tons de cinza" promete tirar mais uma vez o fôlego do público. Quando a estudante de literatura Anastasia Steele entrevista o jovem bilionário Christian Grey, descobre nele um homem atraente, brilhante e profundamente dominador. Ingênua e inocente, Ana se surpreende ao perceber que o deseja e que, a despeito da enigmática reserva de Grey, está desesperadamente atraída por ele. Incapaz de resistir à beleza discreta, à timidez e ao espírito independente de Ana, Christian admite que também a deseja — mas em seus próprios termos. Chocada e ao mesmo tempo seduzida pelas estranhas preferências de Grey, Ana hesita. Por trás da fachada de sucesso — os negócios multinacionais, a vasta fortuna, a amada família —, ele é um homem atormentado por demônios do passado e consumido pela necessidade de controle. Ao embarcar num apaixonado e sensual caso de amor, Ana não só descobre mais sobre seus próprios desejos, como também sobre os segredos obscuros que Grey tenta manter escondidos." 

ATENÇÃO!! Este livro possui conteúdo adulto e contém cenas de sexo, nudez e linguajar inapropriado para menores.

E aí pessoal, chegamos ao terceiro dia da Semana Especial Cinquenta Tons de Cinza. Se vocês não acompanharam os outros posts e não estão participando da super promoção, fiquem de olho. Agora falta cada vez menos para o lançamento nacional do filme. Então, que tal nos atermos um pouco mais à história, para quem não conhece, e saber o que esperar quando for ao cinema?

Pois bem, em comemoração a essa data especial, a Editora Intrínseca publicou uma nova edição do livro, dessa vez com a capa filme, que ficou um luxo! Perfeita para os fãs ter nas suas estantes. É quase como se fosse uma edição de colecionador.. hehe. Falando em filme, vale lembrar que os ingressos já estão à venda, e quem comprar antecipado, ainda garante um mini pôster do longa.

Chega de papo e vamos à resenha :)

Anastasia Steele sempre teve uma vidinha pacata. Morava em Vancouver com a sua colega de quarto Katherine Kavanagh, estudava Literatura Inglesa na WSU e trabalhava há quatro anos na Clayton's, a maior loja de construção em Portland. Não tinha a mínima ideia do que ia fazer logo depois de formar-se, algo que estava próximo de acontecer e, na verdade, não se preocupava muito com isso no momento.

Tudo o que ela queria era estudar para as provas finais e focar-se na sua mudança para Seattle, mas as coisas saíram do controle quando Kate adoeceu e pediu que Ana fizesse uma entrevista para o jornal da faculdade em seu lugar. O entrevistado seria nada mais, nada menos que o CEO da Grey Enterprises Holdings, Inc: Sr. Christian Grey.

Na correria, Ana se esqueceu de fazer uma breve pesquisa sobre o magnata, e não tinha a mínima ideia do que esperar, mas nunca, nem em mil anos, imaginou topar com um cara jovem, poderoso e divinamente lindo e sexy.

Por algum motivo inexplicável, Sr. Grey se interessou por Ana e começou a correr atrás da garota, que ficou sem chão. Ana nunca tinha namorado antes, muito menos se interessado romanticamente por alguém e, mesmo com 21 anos, ainda era virgem. Porém, contrariando seu juízo perfeito, Ana se viu completamente envolvida nessa história de amor que modificaria a sua vida para sempre.
"Eu sou a mariposa e ele é a chama, e vou me queimar. Eu sei."
Christian era um homem obscuro, enigmático e cheio de segredos. Agora, cabia a Anastasia decidir se estava disposta a desvendá-los, mesmo que isso significasse sentir dor, física e emocionalmente, ou se o que o Sr. Grey tinha a oferecer era muito mais do que ela podia suportar.

Querem saber o que vai acontecer? Então leiam.

***

Quando escutei falar de Cinquenta Tons pela primeira vez, ele já tinha se tornado um fenômeno mundial, e eu, completamente avessa como sou, não dei a mínima. Nunca tinha lido um livro erótico na vida e nunca imaginei que pudesse gostar de um. Porém, foi quando descobri que se tratava de uma fanfic de Crepúsculo, não aguentei e cedi à curiosidade.

Eu sou assumidamente apaixonada pelo universo de Crepúsculo. Apesar de não ser fã de Bella, sempre amei Edward e toda a história que a titia Meyer criou. Foi em Amanhecer que pirei por completo, porque tudo que esperei que acontecesse entre o casal começou a se desenrolar ali. A parte da lua de mel foi uma das mais lindas que já li, porém, nitidamente, senti falta de algo mais. Nunca imaginei que pudesse me interessar por ler uma cena de sexo explícito entre Bella e Edward, mas achava que a autora poderia ter explorado um pouco mais a sexualidade deles.

Quando soube que, no fundo, Cinquenta Tons era uma adaptação de uma história que eu tanto amava, com uma perspectiva mais adulta, eu surtei! Precisava conferir de perto a repaginada que James tinha dado em dois dos meus personagens favoritos. Quando li, cheguei a seguinte conclusão: Na minha opinião, Cinquenta Tons é uma versão melhorada de Crepúsculo em diversos aspectos que irei discutir com vocês nos próximos posts. Portanto, tinha como não me apaixonar perdidamente por essa obra?

Apesar deste livro ser considerado um romance erótico, Christian Grey é o típico bad boy dos livros New Adults que estamos acostumados a ler e a amar. Lindo, sedutor, mandão e um tanto quanto instável, arrebatou a Ana e a muitas mocinhas que passaram a suspirar por ele, incluindo a mim.

Entretanto, o que mais me atraiu em Christian, foi a complexidade emocional e psicológica do personagem. Sei que ele é polêmico e que é do tipo amem ou odeiem. Sei também que o fato de ser praticante de BDSM é algo que não atrai a muitos. Mas tirando todos os rótulos, Christian é uma pessoa frágil, carente e insegura, que se esconde por trás da riqueza e do poder que conquistou ao longo dos anos para se manter no controle. O controle é algo fundamental para que ele consiga simplesmente sobreviver. Imaginem, então, a confusão mental na qual ele se viu quando Ana decidiu tentar tirar isso dele.
"— Estou perfeitamente ciente de estar levando você para o mau caminho, Anastasia, por isso quero que pense com cuidado."
Ana, por sua vez, é outra personagem que suscita opiniões contraditórias. Taxada como chata, irritante, volúvel e até interesseira por alguns, mostra ao longo da trama o quão difícil é se relacionar com alguém diferente da gente e o quão dolorido passa a ser lutar entre a paixão e a razão. Quem aqui nunca enfrentou um romance avassalador ou um relacionamento tempestuoso e doentio que atire a primeira pedra.
"Ele me quer... de um jeito esquisito, é verdade, mas esse homem lindo, estranho e pervertido me quer."
De certo modo, me identifiquei demais com Ana. Não é fácil ser jovem e inexperiente e se ver envolvida, de repente, por uma pessoa que te provoca milhares de sentimentos diferentes com os quais nunca se teve que lidar. Por um lado, Ana sabia o quanto Christian era perigoso e o quanto se machucaria, literalmente, em suas mãos. Mas como impedir o desejo que crescia dentro de si de se atirar de corpo e alma num relacionamento como aquele? Ainda mais depois que ela conseguiu ter o vislumbre de quem Grey realmente era. Enfim, acredito que conseguiremos discutir mais a fundo todos esses aspectos no decorrer da Semana Especial e, para isso, conto demais com a participação de vocês, hein?
"Kate disse que ele era perigoso. Ela estava certíssima. Como sabia? Ele é perigoso para minha saúde, porque sei que vou aceitar. E uma parte de mim não quer. Uma parte de mim quer sair correndo aos gritos desse quarto e de tudo o que ele representa. Isso é demais para mim."
Cinquenta Tons de Cinza é um livro narrado em primeira pessoa, por Ana, escrito com um linguajar simples, porém divertido e sedutor, que irá agradar aos amantes de romance erótico e New Adults. Durante o texto, presenciamos diversas trocas de torpedos e emails entre os personagens que deixa a história muito mais interessante, e confesso que são as minhas passagens favoritas.

E no livro tem sexo? Tem sim, muito sexo, e boa parte dele é explícito, algo que sei que pode vir a desagradar a muitos. Sinceramente, para mim, apesar de ter tornado a leitura mais picante, não foi o que de fato me prendeu. E sei também de muita gente que simplesmente fez leitura dinâmica ou pulou as partes mais eróticas da obra porque queria se ater ao enredo que havia por trás. Ok, é uma opção viável.

Para mim, antes de tudo, Cinquenta Tons de Cinza é uma linda história de amor, quase que um conto de fadas. A diferença aqui é que o príncipe não é um mocinho que resgata a donzela em perigo, em seu cavalo branco, ao contrário, ele é o responsável por colocá-la em perigo e apresentá-la às nuances mais obscuras do prazer enquanto descobre o estranho significado do amor.

Cinquenta Tons de Cinza - E. L. James
Edição capa filme
Livro 01
Trilogia Cinquenta Tons de Cinza
Editora Intrínseca
480 páginas 
Comprar: Saraiva

13 comentários

  1. Olá. Concordo com você. Não consigo ver a história somente como um romance erótico, para mim o que mais me chamou a atenção durante toda a trilogia é o amor entre os dois, com as descobertas e nuances de ambos que são revelados ao longo da história, e principalmente, a transformação de Cristian ao longo do enredo. Acho que Ana é a luz que o tirou da escuridão. Enfim... sou apaixonada por Cinquenta Tons...

    ResponderExcluir
  2. Eu adoro Cinquenta Sombras de Grey (é o nome cá em Portugal), mas também só fui ler quando vi que era um fanfic de Crepúsculo. Tal como para você, para mim este livro representa sim uma história de amor, embora não da maneira habitual.
    Beijo
    www.fofocas-literarias.blogspot.pt

    ResponderExcluir
  3. Oi Mirelle, tudo bom?? Menina, realmetne esse livro virou febre mundial..quando o livro, ainda não tinha estourado assim... Confesso que achei esse livro legal, apesar que teve cenas que detestei...Me irritei bastante com a Ana,mas no geral curti a leitura.pois ela foi se desenvolvendo a medida que os capítulos avançavam.Ainda não os tenho na estante... Espero tê-los o mais rápido possível.
    bjs e parabéns pela resenha.

    ResponderExcluir
  4. minha relação com a trama é antiga! eu no principio não queria ler e depois fui convencida pelo preço promocional do box, assim que comecei a ler tentei encontrar o bafafá, mas o que li foi uma história de amor
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Adorei sua resenha, das muitas que li essa é a melhor. Adorei o fato de você falar sobre o romance por trás isso é importante, pois é só falar em 50 tons todos pensam em sexo e chicotes.
    Eu vejo o romance muito legal por trás de todo o sexo, e não eu não pulei nenhuma parte rsrs.

    ResponderExcluir
  6. O que mais me agradou foi a evolução dos personagens, a forma como eles se entregam ao relacionamento não só buscando a própria felicidade mas a do casal, a parte do sexo não dei muita atenção afinal cada um tem um gosto, cada um tem a sua maneira de ser feliz...

    ResponderExcluir
  7. A narrativa em primeira pessoa por Ana as vezes se torna chata e repetitiva. Já li algumas coisas na versão do Christian e achei bem mais interessante, acho que por ele ser um personagem mais complexo e a narrativa na versão dele permite uma aproximação maior. Quanto ao BDSM no livro achei muito Zzzzzzz, sei lá, acredito que o tema não foi desenvolvido com todo sua "potencialidade", talvez porque já li outras autoras que escrevem sobre o assunto. Acho o livro romântico e divertido e as partes eróticas poderiam ser cortadas que não interfeririam na historia de amor.

    ResponderExcluir
  8. Eu sou apaixonada por Crepúsculo então sempre estiver por dentro de tudo sobre a saga. Quando soube de 50 tons eu fiquei bem curiosa para ler e nem sabia exatamente sobre o que era, eu sabia que era bem quente mas não tanto. Confesso que algumas partes do livro foram demais pra mim e tive que pular hahah mas eu gostei do livro em geral, tirando o sadomasoquismo, o amor entre eles é algo que eu aprecio. Estou tão ansiosa para ver o filme ❤️
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Nunca li "Crepúsculo", nem o "Cinquenta Tons de Cinza", mas tenho bastante vontade. O meu problema com a primeira foram os filmes. Odiei Bella e Edward, então peguei meio que um ranço dos livros (sei que estou errado. kkkk). Já com "Cinquenta", minha primeira reação ao ver foi ler por se tratar de um romance erótico, e não por ter sido um boom na época. O tempo passou, mas minha curiosidade pra lê-lo, não. E pretendo dar uma conferida no livro antes do filme.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  10. Sou louca por este livro. Foi através dele que tive a oportunidade de conhecer esse universo de dominadores(BDSM). Nem conhecia. Porém passei a amar. Menina que coisa quente é esse cara. Queria eu ter um assim pra mim. Não esquentaria de levar umas palmadas de vez em quando, se tivesse esse gostosão do meu lado. Já pensou? Ai ai.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  11. Oi Mi, eu preciso confessar, demorei e muito para ler o livro, eu fui ler apenas no ano passado e li muito rápido, até por que a escrita proporciona isso, mas em relação ao enredo do primeiro livro achei que o livro poderia ter facilmente algumas páginas reduzidas. Algumas cenas de sexo são bem repetitivas e meio forçadinhas, tipo eu entendo que se trata de ficção mas ao perder a virgindade e já ter uma sequencia grande de sexo seguido acho meio forçada, a minha primeira vez foi horrível hahaha mas enfim...

    Mas no segundo livro eu gostei bem mais, a autora entra bem mais no intimo do Grey eu amei conhece-lo mais e entender, foi ali que entendi que o grande submisso da historia é ele e não Ana! Beijos,
    Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir
  12. Quando comecei a ler, fiquei com preguiça da Ana e a "Deusa Interior" dela; quando aparecia isso, eu dava um jeito de pular partes, e aí aconteceu que eu meio que cansei de ficar nessa de pular, porque me dei conta de que eu fazia isso porque a leitura não estava me agradando. Acabei largando a leitura e só retomei una bons meses depois, e ainda assim, depois de terminar, não tinha achado lá grandes coisas. Mas todo mundo que leu me diz que, se eu li o primeiro e não gostei tanto assim, é pra eu ler o segundo que vou gostar. O difícil é conseguir seguir esse conselho.

    ResponderExcluir
  13. Confesso que quando o livro se tornou um fenômeno mundial eu o ignorei completamente, acho porque ninguém soube ressaltar as qualidades do livro, e me falavam só que era puro sexo! kkkkk

    mas este ano, com o lançamento do filme, a curiosidade bateu, acabei assistindo.. e gostei muito da personalidade dos personagens. Então tive vontade de ler os livros (que os fãs dizem ser bem melhor que o filme), mas acabei adiando.. agora com esses argumentos da sua resenha a vontade voltou! :D

    ResponderExcluir