Resenha - Amy & Matthew

Resenha - Amy & MatthewSinopse: "Amy e Matthew não se conheciam realmente. Não eram amigos. Matthew sabia quem ela era, claro, mas ele também sabia quem eram várias outras pessoas que não eram seus amigos.Amy tinha uma eterna fachada de felicidade estampada em seu rosto, mesmo tendo uma debilitante deficiência que restringe seus movimentos. Matthew nunca planejou contar a Amy o que pensava, mas depois que a diz para enxergar a realidade e parar de se enganar, ela percebe que é exatamente de alguém assim que precisa.À medida que passam mais tempo juntos, Amy descobre que Matthew também tem seus problemas e segredos, e decide tentar ajudá-lo da mesma forma que ele a ajudou.E quando a relação que começou como uma amizade se transforma em outra coisa que nenhum dos dois esperava (ou sabe definir), eles percebem que falam tudo um para o outro... exceto o que mais importa."

Amy e Matthew se conheciam desde pequenos, mas nunca chegaram a trocar palavras nas aulas que cursaram juntos no colégio. 

Amy tinha paralisia cerebral e a necessidade de utilizar um andador para se locomover e um computador com sintetizador de voz para se comunicar. Para ajudá-la nas tarefas mais básicas do dia-a-dia, como comer, ir ao banheiro, preencher provas, etc., Amy dispunha da assessoria de um professor auxiliar contratado que ficava sempre ao seu lado.

Apesar de sua aparência não agradar a todos, Amy levava uma boa e confortável vida. Podia não conseguir se expressar ou ser compreendida quando queria, mas era dotada de uma inteligência excepcional e de um incrível senso de humor. Ela só não tinha uma coisa: amigos. E estava determinada a mudar este panorama antes de se formar e ingressar numa faculdade.
"Viver em um corpo que limita minhas escolhas significa não ser uma vítima da moda ou das pressões culturais, porque não existe lugar para mim na cultura que vejo. Ao ter menos opções, sou mais livre do que qualquer outro adolescente que conheço."
Matthew nunca foi o mais popular da escola, mas sempre teve amigos e, quando mais novo, ia em festinhas e chegou a inclusive ser disputado por várias garotas numa brincadeira de verdade ou consequência. Até ser consumido por um medo irracional de que tudo na sua vida daria errado e de que todas as desgraças que ocorriam eram sempre sua culpa.

Esse sentimento foi agravado com a separação dos pais e, desde então, Matthew se tornou uma pessoa reclusa e soturna. Preenchia seus dias lavando as mãos constantemente, verificando se a torneira da pia estava realmente fechada, andando nas pontas dos pés e batendo em armários no corredor do colégio. Sim, Matthew tinha TOC e sofria demais ouvindo e obedecendo aquela voz incessante que martelava na sua cabeça, obrigando-o a fazer coisas insanas e o deixando cheio de preocupações e temores.

Matthew tinha verdadeira raiva da postura feliz e otimista que Amy sustentava. Como ela podia ser feliz e dizer que não sentia falta de nada se nitidamente tinha tantos problemas e limitações? Matthew não acreditava que Amy se sentisse desse modo. Para ele, a mensagem que a menina queria transmitir aos outros não era plausível. Quando Matthew decide ter coragem de dizer tudo o que pensa para Amy, algo surpreendente acontece: ambos se conectam e cultivam uma amizade que será capaz não só de destruir barreiras sociais, mas de também impulsioná-los para uma jornada de autodescobertas e de superação de limites.

***

Preciso começar dizendo a seguinte frase: Todo mundo precisa ler Amy & Matthew! Se a premissa da obra por si só já é atraente e diferente, a escrita da autora e as lições de vida aqui ensinadas são completamente apaixonantes!

Fui conquistada de imediato por personagens humanos, complexos, cheios de defeito, mas também cheios de vida e com uma vontade absurda de quererem superar os seus problemas.

À primeira vista, podemos achar que Amy é a grande "vítima" da história, a menina deficiente que precisa de tantos cuidados e que é uma pobrezinha por ter tantos problemas de saúde e limitações. Mas, rapidamente, Amy nos mostra a força que tem, e o olhar otimista que possui sobre a vida. Felizmente, foi abençoada com um cérebro perspicaz e afiado que a permitiu alçar voo e realizar seus sonhos.

Entretanto, Matthew tem razão em esfregar a realidade na cara de Amy. Por mais que ela ache que a sua vida é boa e que não sente falta de nada que nunca teve, no fundo, as coisas não são bem assim. A sociedade é cruel, competitiva e preconceituosa e, infelizmente, nem sempre tem lugar para pessoas com necessidades especiais, como as da jovem. Ela sabe que tem coisas que nunca poderá fazer, e que talvez tenha de viver à sombra de sua mãe controladora e obsessiva pela sua vida.
"(...) quando se tem uma deficiência, quase ninguém fala a verdade para você. As pessoas ficam constrangidas porque a verdade parece triste demais, eu acho. Você foi muito corajoso em ir até a aleijada e dizer basicamente: apague esta expressão feliz do rosto e enxergue a realidade. É isso que quero que você faça ano que vem. Que me diga a verdade. Só isso."
Lamentavelmente, algumas pessoas "normais" tendem a rotular os "deficientes" como desafortunados e fingidores, como se não pudessem se sentir sortudos ou felizes de verdade, porque costumam projetar neles seus próprios preconceitos e dificuldades, não conseguindo se imaginar em uma vida sem as coisas que consideram importantes, mas que, às vezes, não fazem falta para quem nãos as tem.

Mas, como é possível as pessoas terem certeza de que não lamentam o que estão perdendo se nunca as experimentaram?

Por sua vez, Matthew, que é fisicamente "normal" e que teria totais chances de ser bem sucedido, vive uma deficiência invisível e ainda mais aprisionante que a de Amy. É tão mais fácil nos compadecermos dos "defeitos" que podemos enxergar. As doenças psíquicas e emocionais ainda são tratadas como frescurites e esquisitices por alguns, que não percebem o quanto elas são sérias e incapacitantes.

Ao mesmo tempo em que Matthew fica revoltado com o eterno otimismo de Amy, a garota não admite que ele não enxergue o quanto a sua vida poderia ser boa, já que Matthew é bonito, interessante e cheio de potencial. Assim, uma relação improvável, pautada na sinceridade e na ajuda mútua, se inicia entre os dois adolescentes excluídos do mundo real. E é claro que com o tempo, a convivência e a intimidade entre eles, surge o amor, mas, para mim, este não foi o ponto central da história.
"Mas concluí que é possível amar alguém por razões inteiramente altruístas, por todas as suas falhas e fraquezas, e ainda assim não ter esse amor correspondido. É triste, talvez, mas não trágico, a menos que você fique buscando seus afetos esquivos para sempre."
O livro é narrado em terceira pessoa, apesar de possuir diversos trechos escritos pela visão dos próprios personagens, que são apresentados por meio de e-mails e mensagens trocadas, tornando a trama ainda mais intimista e reveladora. A diagramação da editora está impecável. Adorei o fato das falas da Amy terem ficado bem destacadas, com o uso de letras maiúsculas, como um artifício de mostrar a sua artificialidade frente à fala de uma pessoa "normal".

Tirei o chapéu para Cammie, que soube abordar um tema tão difícil e triste, de maneira tão direta e delicada. Amy e Matthew não fala apenas sobre a história de amor de adolescentes diferentes que enfrentam o preconceito da sociedade e encontram um no outro a esperança de uma vida melhor. A obra vai mais além e questiona até que ponto aceitaremos as limitações e os rótulos impostos, seja por nós mesmos ou pelos outros, permitindo que a opinião alheia governe o rumo das nossas vidas.
"(...) não acho que você tenha que cortar todos os seus relacionamentos para fugir das expectativas que as pessoas têm de você. Você pode simplesmente não fazer o que elas esperam, certo?"
Juntem-se a Amy e Matthew, embarquem nessa jornada e aproveitem para terem coragem de olharem para si mesmos, para os seus defeitos e qualidades e para perceberem que ninguém precisa ser perfeito.

Amy & Matthew - Cammie McGovern
Editora Galera
336 páginas 
Comprar: Saraiva

48 comentários

  1. Adorei sua resenha Mi. Primeiramente por se tratar de um livro que eu já estava louca para comprar e por ter uma sinopse que prende a nossa atenção.

    Não sabia das limitações dos personagens e depois de ler "O lado bom da vida", fiquei mais interessada em entender esta história, pois o livro "O lado bom da vida" deixa claro que duas pessoas com dificuldades e/ou limitações podem se ajudar e superar as barreiras da vida. E pelo o que você expôs, é exatamente o que acontece ou pode acontecer com Amy e Matthew.

    Adorei quando você diz que: "Amy e Matthew não fala apenas sobre a história de amor de adolescentes diferentes que enfrentam o preconceito da sociedade e encontram um no outro a esperança de uma vida melhor. A obra vai mais além e questiona até que ponto aceitaremos as limitações e os rótulos impostos, seja por nós mesmos ou pelos outros, permitindo que a opinião alheia governe o rumo das nossas vidas."

    Vivemos numa sociedade que aos poucos consegue aceitar as deficiências dos outros, o que na verdade deveria ser respeitar né?! E as leituras atuais têm nos mostrado a visão dessas pessoas que sofrem preconceito, fazendo com que pensemos sobre nossas concepções e opiniões a cerca das dificuldades dos outros.

    Parabéns! =D

    ResponderExcluir
  2. Oi, Mi!
    E eu aqui pensando que o livro era uma cópia de Eleanor & Park, porque as capas e títulos são parecidos, além do casal jovem... Me enganei, pelo visto.
    Já tinha lido a sinopse antes, e agora que li a resenha mudou um pouco o meu conceito. Realmente me empolga um tema tão diferente quanto deficiência e TOC sendo abordados em um livro para pessoas jovens.
    Fiquei mais empolgada ainda com este trecho "A diagramação da editora está impecável", que foi o momento culminante para eu desejá-lo ainda mais. E o fato de a autora saber como inserir temas como rótulos ( que quando mal escritos, soam clichê), deve fazer jus a beleza do livro.
    Beijos e até a próxima!

    ResponderExcluir
  3. Oi Mi,
    Pelo fato de trabalhar um tema tão delicado, acredito que a autora já merece os parabéns, mas inserir os problemas de uma pessoa "normal" e uma pessoa com diferenças físicas foi diferente de tudo que já li. Gostei do fato da autora usar maiúsculas para mostrar a "dependência" do computador para se comunicar. Espero conhecer essa obra da Cammie McGovern para me encantar com a história.
    Beijocas ^^

    ResponderExcluir
  4. Gosto de livros assim, que deixam algo, que quando você termina, vc fica meio que anestesiado, paralizado e olhando pra dentro de vc, procurando uma maneira de viver com o que vc tem e acima de tudo tentar ser feliz! Ainda não o li, mas já ta na minha estante do skoob! rzsss
    bjusss Aline Alencar
    aline_alencar268@hotmail.com

    ResponderExcluir
  5. Oi Mi!

    Me parece ser uma estória bem legal. Não me recordo de ter lido algum outro livro que tratasse deste assunto.
    Durante todo o ensino fundamental, eu convivi com uma pessoa que possuía deficiência, e ao contrário do que todos pensam, além de todas as dificuldades, ela era surpreendentemente normal: brincava com a gente, ouvia histórias, fazia as lições, sempre seguindo seu ritmo.

    Acho que estórias assim são bem importantes, nos mostram a real situação de algumas pessoas, e mostra que mesmo que não sejamos perfeitos, podemos viver normalmente.

    ResponderExcluir
  6. Olaa
    Eu to apaixonada por esse livro desde o momento que vi o booktrailer, é muito fofo, e a capa me conquistou em dobro
    Essa deve ser uma daquelas história que quando acaba a gente não sabe que rumo tomar hahahahaha
    Sua resenha só me deixou com mais vontade de ler
    Beijosss

    ResponderExcluir
  7. OLÁ Mirelle,
    já tinha visto a capa e me encantado, até porque me lembra Eleanor & Park, que eu amei.
    O primeiro livro do ano que eu li foi Extraordinário e também gostei, acho que Amy e Matthew é uma mistura de sentimentos. Adorei a resenha e vai para minha lista infinita de livros, bjs

    ResponderExcluir
  8. Vixee, já está adicionado na minha pequena lista de livros a ler, eu sei que vou chorar de balde quando o ler...e vivo e convivo com os problemas e manias que uma pessoa com TOC tem, pois meu filhinho de 7 anos tem isso desde os 2, ou seja, sim, é um problema psicológico, mas é fisiológico também, e só quem convive sabe realmente do que se trata.
    Eu conheço pessoas que tem problemas "muito mais graves" que todos nós e tem essa atitude otimista da Amy, admiro demais pessoas assim, acho que são seres que estão em outro nível de espiritualidade.
    Enfim, obrigado pela resenha e indicação!
    bjkasss
    Leila

    ResponderExcluir
  9. Essa semana vi o filme " A teoria de tudo " e agora lendo a resenha vi a semelhança na questão da deficiência, e realmente esse tipo de história me sensibiliza bastante. Ver como ao ter uma deficiência algumas pessoas desenvolvem autoconfiança e até mesmo senso de humor, sentimentos que muitas vezes quem não possui tais limitações não os tem.

    Adorei a resenha, se a capa já tinha me conquistado pela delicadeza e expressão agora tenho certeza de que será uma grande leitura.
    Bjus.

    ResponderExcluir
  10. Oi Mi!!
    Nossa fiquei encantado com a sua resenha!!
    Já tô de olho nesse livro tem um tempinho,porque a capa dele me atraiu bastante,achei bem bonita e chamativa.Quando fui procurar saber do que a história se trata fiquei bastante curioso pra saber como esse tipo de história vai ser abordado.Pela sua resenha dá pra perceber que a história tem um algo de John Green só que de maneira mais profunda,gostei disso.Amei também essas passagens que você colocou do livro.Dá pra ver que ele é feito de várias frases de efeito e pra nos fazer refletir também.
    Espero ler o quanto antes!!
    Beijos!!

    ResponderExcluir
  11. Eleanor&Park é da mesma autora e há tempos está na minha lista de livros desejados, mas nunca comprei e nem li! Amy e Matthew é aquele tipo de livro que te encanta logo pela capa. Traz a história de personagens reais e aborda dualidades de uma forma bem interessante, Amy tem deficiências e isso não a impede de sonhar, de ser otimista ou de buscar sua felicidade. Matthew, apesar de ter um corpo saudável, a sua mente o aprisiona e suas manias, o TOC, a forma como o otimismo de Amy o incomodam, fazem dele um adolescente infeliz. Mas parece que o livro vai além disso, não é apenas sobre os defeitos e imperfeições dos personagem, mas sobre uma jornada de redescobertas e aprendizado. Não precisamos ser perfeitos, devemos aprender a lidar com a nossa essência e aproveitar o que a vida oferece de bom!

    ResponderExcluir
  12. Oi, Mi!
    Já é a segunda resenha que confiro desse livro e, cada vez mais, fico mais motivada a lê-lo. Gosto muito de ler histórias que abordam temáticas de deficiências e síndromes, e quando divulgaram esse livro, peguei a amostra em Inglês na Amazon para conferir as primeiras páginas. Mas a desajeitada aqui acabou clicando - totalmente sem querer - em comprar e aí fiquei meio receosa de ter comprado-o involuntariamente e de acabar não gostando, mas, se a história é tão boa como muitos apontam, de repente estou mais incentivada a lê-lo. Mas por ser em Inglês, talvez demore um pouco; ao menos, espero que a linguagem seja fácil.
    Sua resenha ficou ótima, só aguça ainda mais a vontade de ler o livro! Espero poder conferir logo que possível essa leitura e conhecer Amy e Matthew mais a fundo.

    Beijos,
    Sâmmy
    ♥ SammySacional.blogspot.com.br ♥

    ResponderExcluir
  13. Impossível entrar aqui e deixar de ler tantos comentários com conteúdo inteligente e pensado, gostei disso. Quanto ao livro Amy e Matthew, é muito difícil entender o outro, entender a vida e forma como o outro pensa, como ele adquiriu a forma como é, e isso de pessoas ditas "normais"! Imagine de uma pessoa que tem necessidades especiais devido a complexidade do das suas dificuldades. Eu penso que o que somos nasce com a gente e aos poucos demonstramos e no caso de um limitação de fala, deve ser bem mais difícil. Tenho um pouco de experiência com pessoas com limitações e tudo que vivemos ao lado deles nos enriquece a alma com vontade de viver. Passei a dar mais valor para coisas que sempre achava simples e natural se ter. Percebi a importância de amar. Parabéns pela opção de pedir para que falem mais nos comentários dessa resenha Mirelle, realmente a vida é muito mais do que simples palavras, por que as palavras tem uma força real e verdadeira na complexidade de sentimentos que transmite.
    Beijocas

    ResponderExcluir
  14. Beijo para todos aqueles que pensaram ser continuação de Eleanor & Park ou livro da mesma autora. Não foi legal fazerem a capa tão similar àquela.
    E lendo a resenha dá pra ver que não parece em nada. Achei a trama delicada e bem bonita, os temas são complexos e deixam uma mensagem. Gosto de livros que não são só historias, que falam de coisas como a sociedade e os preconceitos enraizados, sobre as verdades humanas, sobre defeitos e como ninguém é perfeito e o que se sente por não ser. Quando o livro passa o sentimento isso é lindo,é uma obra prima. Espero que ler seja tão gostoso quanto parece.

    ResponderExcluir
  15. Quando vi a capa desse livro,relacionei ele de cara com Eleanor & Park. Quando li sua resenha,fiquei até receosa de ler o livro. Normalmente ao ler esse tipo de livro,leio muito rápido e fico dias com o livro na cabeça.Quanto mais próximo da realidade,mais frustrada eu fico. Devaneios a parte,fiquei comovida com a forma como definiste o livro. Fiquei agora na dúvida,se leio ou não. Parabéns pela ótima resenha :)

    ResponderExcluir
  16. A capa não tinha me chamado muito a atenção , mas depois de sua resenha o livro já foi pra listinha.
    A postura da menina me lembrou o livro Extraordinário. Parece ser o mesmo estilo, e foi um livro que gostei muito e que tbem acho que deve ser lido por todos.
    Se eu não for a sortuda a ganhar o livro, com certeza vou comprar.
    Valeu a dica!

    Bjs

    ResponderExcluir
  17. Oi Mi... me encantou sua resenha. Eu já estava de olho nesse livro e agora, depois de ler o que vc escreveu, só aguçou a curiosidade, minhas papilas gustativas estão a mil. Vou colocar na minha lista Buzz Lightyear (ao infinito e além...) de livros para ler... brigadão....

    ResponderExcluir
  18. Olá Mi!!! EU já estava encantada com essa capa e a sinopse e agora que fiquei louca pra ler a obra. Acredito que seja uma história de superação, de conquistas e de amor. O fato da AMy ser deficiente e possuir tantas limitações me deixou com a impressão que ela seria a "vítima" da obra, mas pela sua resenha percebi que na verdade essa vítima é o Matthew! Sabe as vezes eu penso que os problemas pessoais afetam mais nossa vida do que problemas físicos! Achei interessante a Amy ser bem otimista! Louca pra ler esse livro!


    Meu Diário

    ResponderExcluir
  19. Nossa o livro parece ser bem intenso e ao mesmo tempo passa uma lição a todas nos.
    Eu não tinha reparado no livro ainda, mas depois da resenha confesso que fiquei muito querendo ler,
    sofrer de Toc é bem complicado, uma doença que não se vê..apenas sente, tenho gente proxima que ssofre com ela...
    Curiosa para saber como a autora conduz esta historia e como este garoto consegue sair deste problema,
    beijos.

    ResponderExcluir
  20. Olá Mi! Esse livro entrou pra minha lista desde que vi um anúncio dele no skoob. A principio me chamou atenção pelo título e pela capa que me lembraram Eleanor & Park que é um dos meus livros preferidos da vida! Mas lendo a sinopse e a sua resenha, vi que ambos só tem isso mesmo em comum. Gostei da sua resenha, me deixou ainda mais curiosa. Gosto de livros delicados que nos fazem parar pra pensar. Esse tipo de livro mexe demais comigo! To muito ansiosa pela leitura <3

    ResponderExcluir
  21. a resenha esta maravilhosa!
    gosto muito de livro que ensina a olhar pra vida com outros olhos e a pensar na vida. A capa é bem parecido com Eleanor & Park rsrsrs mas fora isso ela entrou na minha lista que vou ler.

    ResponderExcluir
  22. Nossa Mi, que resenha linda! Ainda não tinha lido nada a respeito do livro e pelo visto é algo apaixonante. Nunca li nada referente a trama da história dos personagens e com certeza se ler a obra - e quero ler - vou me apaixonar, sofrer e troce por eles sempre.

    ResponderExcluir
  23. Relacionei a capa do livro imediatamente com a de Eleanor e Park! Nunca tinha um visto um livro que tratasse um assunto como esse, e não sei porque nunca fizeram, mas com Amy e Matthew com certeza fica aquela sensação de "dever cumprido" no fim do livro, ele deve fazer refletir, e muito! Isso que é o bom, certo?

    Bjs!

    ResponderExcluir
  24. sinceramente eu não tinha ideia sobre o que se tratava o livro. a capa não trai muita coisa.
    esse me parece ser o tipo de livro que quando vc termina, vc tem que parar e repensar muita coisa na sua vida.
    acho que o único livro que me deixou desta forma, foi a culpa é das estrelas.
    só de ler a resenha já senti essa necessidade de repensar algumas coisas.

    ResponderExcluir
  25. Se eu te falar que estou acostumada a ler esse tipo de livro estaria falando uma verdadeira e grande mentira .
    Mas estou muito anciosa para ler porque pra me tudo que é nosso é super bem vindo eu adoro novidades ,generos de livros que não estou acustumada a ler .
    Parabéns pela resenham eu gostei , e vou te falar sou muito critica quando a historia chamam resenha rsrs ,Bjos Querida <3 mourakatia37@gmail.com

    http://garotinhaadolescentea.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  26. Amei a resenha Mi (inclusive amaria ler um livro escrito por você mi ... na verdade leria até sua lista de super mercado),no começo jurei que seria mais uma história clichê onde eles se conheciam desde pequeno, mas quando envolveu a parte de como os dois vêem o mundo é tocante. Olha tava dificil para achar um livro empolgante e que provavelmente vai me fazer chorar. Espero que esse seja mais um livro que consiga tocar meu coração, não só o meu como de todos os outros leitores <3
    Bjos Mi, te amo <3

    ResponderExcluir
  27. Não conhecia ainda esse livro, mas fiquei muito interessada na história... Pela capa jamais imaginaria que era um livro que tratasse de um tema tão complicado e de maneira tão delicada... Pelo que pude ver é um livro que nos leva a repensar em muitas das nossas atitudes e enxergar o mundo com outros olhos... Na sinopse já fiquei curiosa, e quando li a resenha acabei de ficar doida pra ler assim que possível... Vou procurá-lo pra ler...
    Kisses =*

    ResponderExcluir
  28. Tenho certeza de que só pela capa, eu não compraria o livro. E começando a ler a sinopse, também não me interessei... mas depois de ler sua resenha, fiquei instigada a saber quais são as lições que esses dois tem a me ensinar... Quero saber como umas verdades podem aproxima-los...

    Bjinhos

    ResponderExcluir
  29. Nossa já estava bastante interessada em ler esse livro só pela sinopse, agora depois dever essa resenha fiquei ainda mais curiosa em conferi essa história que parece ser super emocionante.

    ResponderExcluir
  30. Mi, ainda não tinha lido a sinopse do livro e vi tantos comentários sobre a capa lembrar Eleonor & Park que acabei achando que fosse mais um romance adolescente. E como me enganei, heim?! A premissa é incrível e com certeza aguçou a minha vontade de ler. Parabéns pela resenha!

    Beijinhos!
    www.citacaonumclick.com.br

    ResponderExcluir
  31. Oi Mi :D

    Essa é a segunda resenha que leio do livro, e estou encantada. Quando me deparei com ele pela primeira vez imaginei um romance, completamente diferente do que o livro trata!
    Incrível como pessoas diferentes podem se tornar mais que bons amigos não é? E acho que nesse caso era exatamente do que os protagonistas precisavam. Como você disse, as pessoas "normais" tendem a rotular aqueles que são diferentes, por isso achei incrível a personagem Amy que a autora criou, acho que vou me impressioanr bastante com ela. A resenha ficou incrível!
    Bjs

    ResponderExcluir
  32. Amei a resenha, tinha lido a sinopse em algum anúncio da internet, que abri porque AMEI a capa - sim, julguei o livro pela capa! hahaha - e não havia chamado minha atenção, mas seu texto me fez perceber que a história é muito mais complexa do que eu imaginava. Parece triste sim, mas a lição tirada da leitura deve superar qualquer momento deprê presenciado no livro. Seu artigo ainda me fez lembrar de outros que li, sobre o livro Extraordinário, que já comprei mas ainda não tive tempo de ler: pessoas diferentes fisicamente que tem a capacidade de mudar a mentalidade de todos a sua volta. Parabéns pela resenha! :)

    ResponderExcluir
  33. Oi Mi,
    Quando vi a capa desse livro imediatamente achei que era continuação de Eleanor e Park haha.
    Gostei da autora ter feito a protagonista Amy com uma paralisia cerebral, pois esse tema é pouco explorado nos livros.
    Quero muito ler.
    Bjs

    ResponderExcluir
  34. Olá, Mi!!!
    Bem, lendo a sinopse, percebi que a premissa não é lá muito original, pois são inúmeros os livros do gênero que abordam a união, seja de amizade ou amor, de personagens "excluídos" do contexto social. Já o que percebi na sua resenha é que a condução da trama é que foi o grande diferencial. A autora soube fazer desse clichê uma ótima obra para refletirmos sobre muitas coisas. Principalmente as limitações físicas e psíquicas, e como conseguir supera-las. Enfim, acho que é um ótimo livro.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  35. Oi, Mi, tudo bem?
    Estou louca para ler esse livro. Já tinha me apaixonado pela capa, e pelo seu estilo meio Eleanor & Park de ser, mas depois que li a sinopse percebi que eu PRECISAVA desse livro!
    Amei sua resenha, você escreve super bem e me fez ficar com ainda mais vontade de ler esse livro. É inexplicável o quanto um livro pode te marcar de certa forma, te fazer mudar a visão das coisas, e acho que esse livro é um desses.
    Beijos,
    Lisa

    Seguindo Sonhos

    ResponderExcluir
  36. Oi Mi!
    Eu já estava morrendo de vontade de ler esse livro, só pela capa que achei super fofinha, e agora que li sua resenha fiquei com mais vontade ainda, ainda mais por ser um livro com um assunto delicado que até hoje em dia gera muito preconceito. Mas acredito que a história é maravilhosa, e que com certeza quem lê, vai passar a pensar, agir e a ver a vida de uma outra forma. Parece ser um livro bem emocionante e eu quero muito um "Amy & Matthew" pra chamar de meu!
    Bjs

    (Camila Feliciano)

    ResponderExcluir
  37. Oi, Mi.

    Via a capa desse livro, mas não tinha lido a sinopse. Fiquei realmente sabendo a premissa do livro por conta de sua resenha. Agora fiquei mais curiosa para conhecer a história de Amy e Matthew e esse romance tão incomum. Gosto de livros desse gênero e com certeza irei comprar. Deve ser um livro muito emocionante. Fico imaginando como esse casal é visto pela sociedade. Quero já.

    Beijos.
    Visite: Paradise Books BR // Curta: Facebook

    ResponderExcluir
  38. Uma história de superação e amor. Amy e Matthew e suas dificuldades transformadas em amor. Acho que o livro pode servir para que muitas pessoas reconheçam que são felizes e não sabiam. Resumindo, vou ter que ler logo.

    ResponderExcluir
  39. Nossa, quando vi a capa tive certeza que esse livro seria um tipo de continuação de Eleonor & Park, nem tinha me ligado que era de autoras diferentes.

    Esses dias eu estava conversando com uma amiga e ela me disse a seguinte frase: "as pessoas especiais tem muito o que nos ensinar". Lendo a sua resenha me lembrei dessa conversa e de muitas outras que me lembraram o que parece ser o ponto de vista do Matthew.

    Fiquei com bastante vontade de ler.

    ResponderExcluir
  40. Essa resenha só me deixou com mais vontade de ler!

    ResponderExcluir
  41. Fiquei sabendo desse livro através da Carina Rissi (Autora best seller de Perdida - um amor que ultrapassa as barreiras do tempo), desde que ela comentou eu fiquei doida pra ler porque realmente parece ser um livro desses que quando acaba, você passa a ter uma visão diferente da vida. Amo livros assim, se serve de exemplo, Um certo verão de David Baldacci também é assim. Amei sua resenha, muito bem escrita, parabéns.

    ResponderExcluir
  42. Ando encantada com esse gênero literário. Desde Eleanor e Park que venho buscando cada vez mais e mais esse tipo de escrita. As capas são uma atração a parte. E Amy e Matthew não ficou pra trás. Estou doida pra ler!
    Parabéns pela resenha!
    Nizete
    Cia do Leitor
    nizeteribeiro@hotmail.com

    ResponderExcluir
  43. Quem diria se fossemos julgar o livro primeiramente pela capa... jamais imaginaria que seria uma história assim. Legal que tenham mostrado também esse lado da humanidade em uma história, para percebemos que nem tudo é perfeito, mas que podemos criar a nossa própria perfeição dentro dos nossos limites... todo mundo merece ser feliz! Essa história, pelo pouco que vi, deve ser realmente muito linda! Estou morrendo de curiosidade pra saber como será o desfecho!

    ResponderExcluir
  44. Estou encantada com a história da Amy. Deve ser uma barra viver desse jeito. Fiquei muito comovida ao ler a resenha e gostaria muito de poder ler este livro logo. Pois estou curiosíssima pra saber como vai terminar. Doida pra saber como é a relação de Amy e Matthew.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  45. Adorei, resenha ótima. Realmente esse livro eh incrível, quando lia a sinopse do livro me lembre de um outro lindo livro "Como eu era antes de voce", agora com essa resenha, quero muito mais ler esse livro, quer saber como acontece o desenrolar dessa historia linda mas diferente.

    ResponderExcluir
  46. Oiee...
    A primeira vez q vi a resenha desse livro foi em outro blog, mas confesso q a pessoa me deixou um pouco confusa. Não deixava claro se era uma história q valia a pena encarar.
    Agora q encontrei a sua resenha, como sempre, bem escrita, definitivamente cheguei a conclusão q eh uma boa história e já coloquei na minha lista de desejados.
    Obrigada Mi!!!

    ResponderExcluir
  47. de cara pensei : Eleonor & Park ! Sem nem pensar atenção na autora. Mas resolvi ler sua resenha,que por sinal está otima. De inicio entao,pensei em Extraordinario, que adorei. E ao final da resenha decidi-me que não é nada igual a outras obras qe ja li,é algo profundo e encantador... já adicionei o livro a minha meta de leitura. Fiquei encantada com a historia .

    ResponderExcluir
  48. Antes de saber do que se tratava eu jurava que era algo parecido com Eleanor & Park, mas acredito ter me enganado, ouvi falar muito bem do livro e estou bem curiosa a respeito.

    Tudo que Motiva

    ResponderExcluir