Resenha - Amaldiçoado

Resenha - Amaldiçoado
Sinopse: "Ignatius Perrish sempre foi um homem bom. Tinha uma família unida e privilegiada, um irmão que era seu grande companheiro, um amigo inseparável e, muito cedo, conheceu Merrin, o amor de sua vida. Até que uma tragédia põe fim a toda essa felicidade: Merrin é estuprada e morta e ele passa a ser o principal suspeito. Embora não haja evidências que o incriminem, também não há nada que prove sua inocência. Todos na cidade acreditam que ele é um monstro. Um ano depois, Ig acorda de uma bebedeira com uma dor de cabeça infernal e chifres crescendo em suas têmporas. Além disso, descobre algo assustador: ao vê-lo, as pessoas não reagem com espanto e horror, como seria de esperar. Em vez disso, entram numa espécie de transe e revelam seus pecados mais inconfessáveis. Um médico, o padre, seus pais e até sua querida avó, ninguém está imune a Ig. E todos estão contra ele. Porém, a mais dolorosa das confissões é a de seu irmão, que sempre soube quem era o assassino de Merrin, mas não podia contar a verdade. Até agora. Sozinho, sem ter aonde ir ou a quem recorrer, Ig vai descobrir que, quando as pessoas que você ama lhe viram as costas e sua vida se torna um inferno, ser o diabo não é tão mau assim. Joe Hill, autor de A estrada da noite e Nosferatu, já foi aclamado como um dos principais novos nomes da ficção fantástica. Em Amaldiçoado, o sobrenatural é pano de fundo para uma história de amor e tragédia, de traição e vingança. Um livro envolvente, emocionante e cheio de suspense que nos leva a refletir: em matéria de maldade, quem é pior, o homem ou o diabo?"

Ig Perrish era um cara que tinha de tudo para ser feliz. Filho de pais ricos e com sobrenome renomado na pequena cidade de Gideão, nunca lhe faltou nada em casa. Desde pequeno sempre foi uma criança boa, preocupada com o bem-estar dos outros e em agradar aqueles de quem gostava. Cheio de princípios e valores, vivia se voluntariando para participar de trabalhos sociais realizados pela igreja.

Certo dia, durante uma missa, um raio de luz dourado ofuscou a sua visão repetidamente. Incomodado, começou a procurar pela fonte, até se deparar com uma jovem menina, de pele branca e cabelos de fogo, segurando um pequeno crucifixo. Rapidamente, ambos se envolveram, e o que começou com uma amizade, se transformou numa paixão avassaladora. Merrin e Ig tinham sido feitos um para o outro e, juntos, faziam do mundo um lugar melhor.

Até o dia em que Ig foi preso, acusado de estuprar e assassinar Merrin brutalmente. Sua vida nunca mais foi a mesma desde então, passando a viver um inferno na Terra. Ig só não imaginava que se transformaria no diabo em pessoa. Seus chifres cresceram depois de ter passado uma noite bebendo e profanando o local onde Merrin foi morta. Em princípio, Ig pensou que os chifres fossem frutos de sua imaginação, até perceber o efeito nefasto que ele causava nas pessoas que cruzavam o seu caminho.

Agora Ig terá uma longa jornada pela frente na tentativa de descobrir no que se tornou e o que deve fazer para recuperar a sua vida de volta. 

Querem saber o que vai acontecer? Então leiam!

***

Meu interesse em ler Amaldiçoado surgiu do nada. Sou muito fã das adaptações cinematográficas e televisivas das obras de Stephen King, mas nunca consegui ler um sequer livro dele. Não tenho paciência para narrativas extremamente descritivas e muito menos extensas, mas confesso, sempre tive curiosidade para saber como deve ser a escrita de um autor tão genial quanto ele.

Com isso em mente, pensei em começar dando uma chance ao Joe Hill, filho de Stephen King, que me chamou atenção desde que escreveu Nosferatu, lançado neste ano pela Editora Arqueiro. Acho importante relembrar, para evitar confusões, que Amaldiçoado foi inicialmente publicado em 2010, com o título de O Pacto. Porém, em razão da proximidade do lançamento do filme no Brasil, estrelado por Daniel Radcliffe, a Editora optou por imprimir uma nova edição, com outra capa e nome.

Joe inicia a trama, narrada em terceira pessoa, de maneira hipnótica, jogando no nosso colo o surgimento dos chifres de Ig e de todo mistério associado a isso. Amaldiçoado é dividido em cinco partes. Em cada uma delas, intercaladas entre passado e presente, vamos desvendando peças desse quebra-cabeça de terror.

Nunca demorei tanto para ler um livro quanto este, nos últimos tempos. Não porque não estivesse gostando, mas porque custei a engrenar na escrita de Joe, que é muito detalhada. Em certo momento me deu nos nervos, porque eu estava mega ansiosa para desvendar os segredos do enredo, enquanto o autor preocupava-se em discorrer sobre detalhes que a mim não pareciam importantes e que davam a impressão de atravancarem a obra.

Até eu perceber que esta era justamente a beleza da sua escrita. Os porquês, que até então pareciam ser primordiais, tornaram-se secundários na trama, ao passo que a construção da história e principalmente dos personagens, ganharam destaque. Foi incrível mergulhar na psique e na alma humana, nua e crua, me deparando com a maldade intrínseca e quase primitiva de cada indivíduo.

Apesar de se tratar de um livro classificado como terror, não me assustei com as passagens obscuras e sinistras do texto, muito menos com o surgimento do demônio que habitava o corpo de Ig. O que me impressionou foi me deparar com a podridão que cada pessoa guarda dentro de si e que costuma ser revelada apenas para o seu demônio interior, como aqueles pensamentos que costumamos esconder de nós mesmos, mas que ali estão, prontos para serem postos em prática no menor incentivo.

Como seria viver num mundo em que a sinceridade impera? Será que teríamos estômago ou fôlego suficiente para descobrir o que os outros realmente pensam de nós?

Outra coisa que me chamou atenção é que, por mais que Ig estivesse com ódio no coração, por tudo que tinha acontecido, ele não era completamente mau. Ao contrário, muitas das vezes evitou que coisas ruins acontecessem aos outros e foi atrás de punir os verdadeiros pecadores. Essa imagem que Joe criou para Ig me deixou meio confusa, porque me deu a entender que Deus seria a real razão para os nossos problemas, e não o diabo.

Isso certamente irá desagradar os religiosos, que provavelmente se sentirão ofendidos com tantas blasfêmias contidas na história. Mas, antes de tudo, devemos nos lembrar de que Amaldiçoado se trata de uma obra de ficção, e que devemos manter o distanciamento da realidade enquanto lemos fantasia, nos atendo apenas à história que o autor quer nos contar.

Joe Hill com certeza entrou para a listinha dos meus atores favoritos. Sua técnica de escrita é simplesmente fantástica, e mal vejo a hora de poder conferir seus outros títulos. Leiam Amaldiçoado e descubram o vazio no qual os homens mergulham quando seus peitos se tornam ocos e seus amores lhes são arrancados de maneira atroz, deixando espaço para seus demônios fincarem raízes.

Amaldiçoado - Joe Hill
Editora Arqueiro
320 páginas 
Comprar: Saraiva

2 comentários

  1. Cara, o livro me conquistou só pela capa! Genteeeeeeee, parece ser muito bom! Eu adoooro livros desse tipo! Parabéns pela resenha! Ela conseguiu me prender até o final. Até fiquei bem chateada quando ela acabou.. Queria mais!
    Bjs
    Se quiser visitar o meu blog, vou ficar feliz :)
    http://chuvacobertaelivros.blogspot.com.br/2015/02/resenha-correr-ou-morrer.html

    ResponderExcluir
  2. Ultimamente eu tenho lido muitos livros de suspense/thriller psicológico e afins. É sempre bom ler algo novo, se aventurar em outros mundos, mas nunca li nada semelhante a esse livro aí! Amaldiçoado me conquistou pela capa e sinopse. Nunca li nada do Stephen King pelos mesmos motivos que vc, minha irmã adora e já leu vários títulos dele! Tenho medo de ler e ficar assombrada, pq eu tenho um pequeno problema com coisas de terror e etc, kkk. Fica na minha memória e eu num consigo dormir de jeito nenhum! Mas vamos ver se eu consigo ler né, vou tentar algum dia!

    ResponderExcluir