Resenha - Seriado Orange is the New Black 2ª Temporada

Sinopse: "Baseada nas memórias de Piper Kerman, Orange contará a história de Piper Chapman (Taylor Schilling), que vai para a prisão depois de ser condenada por ter ajudado sua namorada traficante de drogas na época da faculdade e precisa aprender a viver no ambiente pesado de uma prisão federal feminina. A segunda temporada está marcada para 2014, com mais 13 episódios."

ALERTA! Esta resenha pode conter spoilers da primeira temporada. Leiam por sua conta e risco!

ATENÇÃO! Este seriado possui conteúdo adulto e contém cenas de violência, sexo, nudez e linguajar inapropriado.

Depois de quase matar Pennsatucky a porradas, Piper foi parar na solitária, tendo muito tempo para pensar nas suas burradas. De repente, no meio da noite, foi levada misteriosamente num furgão por alguns guardas que se recusavam a falar sobre qual seria o seu destino.

Após viajar num voo de madrugada, cheio de outros detentos, Piper chegou ao Centro de Detenção Metropolitana de Chicago, que parecia ser seu novo lar. Chapman estava apavorada. Ninguém explicava a ela o que estava acontecendo ou se aquela condição era temporária ou definitiva.

Para piorar, o novo presídio não era nem um pouco parecido com Litchfield, com o qual ela estava acostumada. No Centro de Detenção, homens e mulheres dividiam o mesmo espaço, as detentas eram obrigadas a compartilhar uma cela minúscula e nela ficar o dia todo, com exceção do horário das refeições e da recreação, quando podiam desfrutar do ar livre e gélido, apenas uma hora por dia, a cada um dia da semana, e todos pareciam ser meio malucos ou completamente agressivos.

Quando Piper estava perdendo as estribeiras, descobriu que, na verdade, Alex e ela estavam lá apenas para deporem no julgamento de Kubra Balik, o poderoso chefão do cartel de drogas para o qual Alex trabalhou.

Seu advogado aconselhou Piper a contar toda a verdade em seu testemunho, afirmando que conhecia Kubra e revelando todos os podres que sabia sobre seus esquemas. Mas Alex implorou que Piper mentisse, já que Kubra era um sujeito muito poderoso e podia se vingar dela.

Chapman tinha a oportunidade de finalmente fazer a coisa certa e contribuir com a justiça. Mas será que a sua consciência falará mais alto ou Piper já terá se acostumado a uma vida de mentiras?

Querem saber o que vai acontecer? Então vejam!

***

Comecei a assistir a segunda temporada de Orange is the New Black logo depois que terminei de ler o livro de mesmo nome (resenha AQUI), e confesso que parei no primeiro episódio. Não gostei! Aliás, me irritei com o fato de terem mudado quase todos os fatos. Sem contar que detestei o novo presídio e as novas colegas de quarto de Piper, e fiquei com medo de a temporada toda ser assim. Por isso, parei de ver ali, e só agora, quase um ano depois, retomei o seriado, e me arrependi de ter demorado tanto tempo para vê-lo.. hehe.

Ainda bem que tudo o que me fez desgostar da história acabou ali, no primeiro episódio. Logo em seguida, Piper retorna a Litchfield, e as coisas meio que voltam a ser como eram antes. Não completamente iguais, porque, nesta temporada, Chapman não é mais a atração principal.

Infelizmente, fiquei triste por Alex aparecer apenas em poucos episódios, pois, por mais odiosa que seja, sempre gostei dessa personagem. Em compensação, adorei o fato de que pudemos conhecer melhor as outras detentas. A cada episódio, descobrimos um pouco mais sobre a vida delas e sobre os seus passados.

Uma das pessoas que me chamou atenção foi a Miss Rosa, que passou despercebida na primeira temporada. Em razão de sua doença terminal e do seu jeito único, me afeiçoei a ela. Nunca imaginei que Morello escondesse um segredo tão grande, daqueles que me fez enxergá-la de um jeito diferente, mas sem deixar de amá-la. Mas quem roubou quase todas as cenas, para mim, foi Poussey. Incrível como ela ganhou destaque e deu um show de interpretação.

Só não gostei de terem inventado muita moda, colocando gente nova, como a Vee, para dar uma carga extra de dramaticidade à trama. Odiei a Vee, e odiei as meninas do gueto terem virado as costas para as suas amigas e embarcado nas mentiras contadas pela maquiavélica Parker. Me decepcionei demais. A guerra declarada entre a família de Vee e de Red deixou tudo muito cansativo e repetitivo, sem contar que estragou com o clima da prisão, que parecia ter conquistado grandes avanços de harmonia e colaboração entre as meninas. Mas, enfim, isso é opinião pessoal minha.

O final desta temporada foi interessante, mas nada de muito impactante a ponto de me deixar louca de vontade de ver a terceira temporada. Orange is the New Black é um seriado interessante, que entretém ao mesmo tempo em que nos faz pensar a respeito do sistema prisional e das condições desumanas em que as detentas vivem. Às vezes, histórias desse tipo me fazem perder a fé na humanidade, porque são tantos problemas e podridões envolvendo o assunto, que desanima. Entretanto, sei que ainda existem poucas pessoas interessadas em transformar aquele infernal ambiente num local decente e apropriado à recuperação das criminosas. Afinal, somos nós que teremos que conviver com elas quando forem soltas e, do jeito que as coisas estão, certamente elas estarão piores do que quando foram presas.

Apesar de todas as ressalvas feitas achei o enredo desta temporada muito mais elaborado, complexo e rico, cheio de histórias paralelas que irão agradar a todos os gostos. Super recomendo!

Orange is the New Black
Netflix
2ª Temporada - 13 episódios
TRAILER


1 comentários

  1. Oi Mi, tudo bem?

    Depois de algumas indicações comecei a assistir a série e já estou no 8° episódio da 1° temporada. Apesar de estar gostando, não estou amando. Mas, já esperava algo morno. Beijo!

    http://euvivolendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir