Resenha - O Tesouro da Encantadora

Resenha - O Tesouro da Encantadora
Sinopse: "Há muitos anos, quando objetos mágicos eram tão comuns quanto panelas nos lares de Augusta, a magia era controlada por uma feiticeira muito poderosa: a Encantadora das Terras do Norte. Certo dia, cansada de sofrer ataques de cidadãos que queriam usar os poderes de maneira ilícita, ela resolveu se vingar: recolheu a maioria dos itens mágicos do reino e desapareceu, deixando os cidadãos sem notícias de seu paradeiro nem desse magnífico tesouro. Anos depois, quando Hilary Westfield decidiu que queria ser pirata, nem imaginava que estava prestes a participar da caça ao maior tesouro de todos os tempos. Afinal, tudo o que a preocupava era fugir da Escola da Senhorita Pimm para Damas Delicadas, onde as jovens da alta sociedade aprendiam a valsar, desmaiar e se comportar à mesa. Hilary não via utilidade nenhuma naquelas lições e queria se juntar à Quase Honrosa Liga de Piratas. Qualificações não lhe faltavam, mas a Liga não admitia garotas em sua equipe de algozes e pilantras. Decidida a partir para alto-mar a qualquer custo, Hilary responde ao anúncio de um pirata autônomo em busca e membros para sua tripulação. De repente, ela se vê no meio de uma aventura marítima em busca do tesouro mais valioso do reino: o tesouro da Encantadora. Para encontrá-lo, ela contará com um mapa sem X e precisará enfrentar o vilão mais traiçoeiro — e surpreendente — de todos os mares."

Hilary sempre sonhou em ser pirata. Ela e sua gárgula mágica não se cansavam de ler o exemplar de A Ilha do Tesouro e sonhar com grandes aventuras e caças ao tesouro. Hilary tinha uma espada, surrupiada de uma armadura do salão de bailes de sua mansão, e sabia tudo sobre nós de marinheiro. Mas ninguém a levava a sério. 

Hilary estava disposta a provar que podia ser uma excelente pirata e inscreveu-se no Programa de Aprendizado de Pirataria de A Quase Honrosa Liga de Piratas por meio de uma carta, na qual foi prontamente aceita, em razão de suas façanhas, até se darem conta de que Hilary era uma menina, e pelo que consta nas regras, nenhuma mulher, jovem ou não, podia se juntar à Liga.

Se isso já não fosse humilhação suficiente para suportar, Hilary ainda foi obrigada a estudar na Escola de Aprimoramento da Senhorita Pimm para Damas Delicadas. Nada dissuadiu seu pai, Westfield, o almirante da Marinha Real, da decisão. Se dependesse dele e da Governanta de Hilary, a srta. Greyson, a jovem menina se transformaria numa digníssima daminha, pronta para entrar para a alta sociedade.

Mas Hilary não tinha nada de delicada, e a aterrorizava a perspectiva de ficar trancafiada num local cheio de meninas sendo ensinadas a cozinhar, bordar e valsar. Isso sim era tortura. Sua única chance de se livrar de uma vida entediante era fugir, porém, para que seus planos dessem certo, Hilary precisava encontrar um pirata que a aceitasse em sua tripulação.

Será que Hilary conseguirá se tornar uma temível pirata? Leiam e descubram :)

***

O Tesouro da Encantadora me enfeitiçou desde que vi sua capa pela primeira vez. Sou fã de ilustrações e este foi definitivamente um livro que me ganhou pela capa e me fez desejá-lo em ter em minha estante. Mas confesso, não sou fã de histórias de pirata, pelo menos não hoje. Então fiquei aguardando por algumas resenhas. Vocês sabem quando confiamos na opinião de um blogueiro que possui o gosto parecido com o nosso a ponto de lermos o que ele recomenda sem medo? Pois bem, sou blogueira, mas igualmente sou leitora, e isso acontece comigo também. Quando a Cida, do Moonlight Books, leu e amou o livro, não tive mais dúvidas e o solicitei para a Editora.

Logo de cara, me deparei com cartas trocadas pelos personagens, um recurso pouco usado para contar histórias, mas do qual sou muito fã. Estas cartas e bilhetes, que permeiam cada término de capítulo, não só tornam a narrativa mais dinâmica, como permitem que nos aproximemos ainda mais dos personagens, vendo a trama sob outros pontos de vista, levando em consideração que o texto é escrito em terceira pessoa.

Não sabia muito bem o que esperar de O Tesouro da Encantadora, mas não imaginei que se tratava de um livro para crianças. Senti uma certa dificuldade no linguajar levemente polido, apesar de simples e de fácil compreensão, utilizado pela autora, e também não consegui identificar a idade dos protagonistas, muito menos em que época viviam, mas no fundo, esses dados pouco importam para o entendimento da história. 

Preciso dizer, ri demais enquanto lia o livro, depois que decidi embarcar de peito aberto nas desventuras malucas vividas pelos personagens e na terra fantasiosa e cheia de magia na qual eles vivem. Enquanto lia, parecia que eu estava assistindo a um filme, uma mistura de Desventuras em série, com Matilda e Piratas do Caribe. As atrapalhadas protagonizadas por Hilary e sua turma são hilárias, mas o que mais gostei foram os ensinamentos aqui trazidos para o público infantil.

Caroline aborda preconceitos comuns e deixa claro que meninos e meninas podem ser bons tanto em costurar roupas, quanto em empunhar uma espada, que piratas nem sempre são ladrões e que podem ser gentis, que Governantas nem sempre são carrascas e certinhas e que importantes membros da sociedade também podem ser perigosos vilões.

Embarquem com Hilary nessa aventura pelos sete mares, em busca do tesouro da Encantadora! Vocês não irão se arrepender. Palavra de pirata!

O Tesouro da Encantadora - Caroline Carlson
Livro 01
Trilogia A Quase Honrosa Liga de Piratas  
Editora Seguinte
396 páginas 
Comprar: Saraiva

1 comentários

  1. Oi Mi! Eu sempre gostei de histórias de piratas, mas nunca tinha visto uma em formato juvenil, foi isso e a maneira divertida como a história foi conduzida que me conquistaram, eu adoraria quando mais nova ter tido a oportunidade de conferir esta aventura e fico feliz que leitores como meus sobrinhos tenham esta oportunidade. Li o segundo e gostei, mas o primeiro é melhor.

    Também confio na sua opinião, adoro trocar dicas com você.

    Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir