Resenha - O Lado Mais Sombrio

Resenha - O Lado Mais Sombrio
Sinopse: "Alyssa Gardner ouve os pensamentos das plantas e animais. Por enquanto ela consegue esconder as alucinações, mas já conhece o seu destino: terminará num sanatório como sua mãe. A insanidade faz parte da família desde que a sua tataravó, Alice Liddell, falava a Lewis Carroll sobre os seus estranhos sonhos, inspirando-o a escrever o clássico Alice no País das Maravilhas. Mas talvez ela não seja louca. E talvez as histórias de Carroll não sejam tão fantasiosas quanto possam parecer. Para quebrar a maldição da loucura na família, Alyssa precisa entrar na toca do coelho e consertar alguns erros cometidos no País das Maravilhas, um lugar repleto de seres estranhos com intenções não reveladas. Alyssa leva consigo o seu amigo da vida real o superprotetor Jeb , mas, assim que a jornada começa, ela se vê dividida entre a sensatez deste e a magia perigosa e encantadora de Morfeu, o seu guia no País das Maravilhas. Ninguém é o que parece no País das Maravilhas. Nem mesmo Alyssa..."

Alyssa Garder não consegue ter uma vida comum. Ela vive apenas com o pai, já que sua mãe foi internada em um sanatório desde que a garota era pequena. A insanidade parece correr no sangue da família Liddel desde Alice, a menina que inspirou Lewis Carroll a escrever o clássico infantil Alice no País das Maravilhas. Alice era tataravó de Alyssa e, foi a partir dela, que todas as mulheres da linhagem tiveram surtos e acabaram suas vidas ou prematuramente, ou em um manicômio. 

As esperanças de Alyssa de que com ela as coisas fossem diferentes começaram a ficar escassas desde que começou a ouvir insetos e plantas falarem, quando atingiu a puberdade. Mas a garota é boa em disfarçar as alucinações auditivas em público, e também resolve seus problemas com os insetos capturando-os para serem usados como matéria prima para seus murais de arte sombria. Eles costumam parar de falar quando seus abdomes são perfurados por alfinetes e cravados no gesso. 

Durante uma das recorrentes visitas da família à mãe de Alyssa, toda a loucura vivida pela menina ganha um novo prisma. Alyssa descobre, durante o chá da tarde nos jardins da clínica, que suas até então consideradas alucinações auditivas coincidem com o que a mãe escuta de insetos e plantas. Ao questionar a mãe sobre o motivo de elas poderem ouvir coisas que pessoas normais não podem, ela descobre que a história de sua família sobre a qual ela foi tantas vezes caçoada pelos colegas, pode ter sido real e resultado de uma maldição. Sua mãe acredita nisso e ela implora para que Alyssa jamais procure a toca do coelho e se mantenha afastada do País das Maravilhas.

Indecisa a respeito das afirmações da mãe, Alyssa decide pesquisar sobre o assunto e desenterrar os tesouros e o passado de sua mãe atrás de respostas, recobrando fragmentos de memórias há muito apagadas de suas lembranças. Com sua família despedaçada, uma estranha voz sedutora em sua cabeça que a chama para o mundo intraterreno, a amizade com Jeb, o garoto por quem é apaixonada e todas as descobertas estranhas sobre a herança de Alice, Alyssa decide partir em busca da toca do coelho, e da única chance de quebrar a maldição que pode salvar sua mãe.

Utilizando-se da chave mágica encontrada entre os tesouros da família, Alyssa atravessa o espelho de seu quarto até Londres, onde está a toca do coelho que um dia levou Alice ao País das Maravilhas. Ao cair na toca, percebe que não está sozinha. Jeb havia voltado para sua casa após uma briga que tiveram e a segiu através do espelho, para dentro do buraco. Tarde demais. Não haveria mais volta. Agora Alyssa e Jeb estão juntos em um mundo estranho e sombrio onde precisarão lutar por suas vidas a todo o instante até que a garota cumpra seu destino, quebre a maldição e eles possam voltar para casa, como os sentimentos recém-confessados os fazem desejar estar. Mas nem tudo é tão simples assim.

No coração do País das Maravilhas, Alyssa encontra o dono da voz que clamava por sua presença ali. O belo e sedutor Morfeu deseja ajudar Alyssa em sua missão, mas isso não significa que não se colocará entre ela e Jeb, mostrando-se um rival inebriante e apaixonado. Em um mundo de mentiras, intrigas e um jogo no qual não se sabe quem dá as cartas, Alyssa está perdida em uma terra herdada por uma maldição sem saber em quem pode confiar e onde tudo é sombrio e potencialmente mortal. E se entregar à loucura pode ser a única forma de sobreviver.

***

Começarei meus comentários falando sobre as capas, que foram o que me atraíram para ler essa coleção. Gente, que capas mais divas! E todas elas, deste primeiro volume, passando pela do conto disponível em ebook gratuitamente para download, chamado A Mariposa no Espelho, até a do segundo livro, Atrás do Espelho, são absolutamente lindas! Elas foram mantidas conforme a edição original, o que achei ótimo. Estes exemplares são os típicos que a gente acaba comprando primeiramente pela capa, mas que, para felicidade geral da nação, se mostram ainda melhores do que apenas uma capa bonita.

Quando abri meu exemplar, fiquei de queixo caído pela perfeição da editoração da obra como um todo. Todas as páginas possuem detalhes de vegetação na barra inferior  e as páginas de apresentação, sejam do livro de forma geral, ou em cada troca de capítulo, possuem uma borda delicada emaranhada nos quatro cantos, em um cinza sombreado, com um ornamentado de plantas intrincado também. É muito delicado e agradável aos olhos e torna o livro um exemplar muito belo de se folhear, com um único porém: estes enfeites, por vezes, acabam dificultando a identificação da paginação, que fica perdida em meio aos adornos. Para completar, as páginas são amareladas e o espaçamento duplo torna a leitura muito confortável. Mas vamos à sombria e encantadora história.

Sei que muitas pessoas releram os clássicos de infância depois de adultos, mas salvo raras exceções, eu não sou uma delas. Assim sendo, meu conhecimento de Alice no País das Maravilhas beira o básico de quem não leu, mas isso não atrapalhou nem um pouco minha apreciação da obra, que tem a proposta de ser uma espécie de continuação do legado de Alice, apesar de modificar muitas coisas da história original, valendo-se do argumento de que Lewis Carroll teve sua livre interpretação da história real.

Os personagens estão todos lá, entretanto, em uma releitura de visual mais sombrio. Quem diria que um dia eu iria suspirar pela Lagarta do País das Maravilhas? Pois é, acontece, e Morfeu é do tipo “Misterioso. Rebelde. Problemático. Todas as qualidades que as mulheres acham irresistíveis.”, em suas próprias palavras. E a minha relação de amor e ódio por ele seguiu até o último capítulo, o que o tornou ainda mais arrebatador.

Mas Alyssa não vai parar sozinha no país das maravilhas. Seu melhor amigo Jeb, um jovem de 19 anos, com jeito rebelde e um piercing no lábio inferior, acaba embarcando na viagem junto com ela sem ter a menor noção de onde está se metendo, e acaba provando que não é apenas um peso morto que nunca chegou a retribuir os sentimentos da vizinha estranha. E, assim, se discorre a história de Alyssa no País das Maravilhas, que fica divida entre dois homens encantadores em que podem ambos ser seus heróis ou sua danação. Seria ótimo para uma garota que nunca havia sequer beijado na boca ser disputada desse modo, se não estivesse, é claro, sendo perseguida pelos exércitos da Rainha Vermelha e não precisasse enfrentar dificuldades para quebrar a maldição que paira sobre sua família.

Neste livro, a loucura pode ser algo bem-vindo, e saber equilibrar a entrega total ao lado bom e ao lado sombrio da personalidade pode acabar salvando vidas. A magia está em todas as partes assim como a sedução. Em um ambiente fantástico de cores vibrantes e seres bizarros, essa fantasia consegue remeter o leitor de volta aos cenários da infância, porém, com os devidos toques necessários para que esta não seja apenas mais uma história infantil. Gostei bastante de me aventurar pelas belas páginas desse exemplar, e mal posso esperar para saber o que me aguarda em Atrás do Espelho

Apoio que mais autores repaginem os contos de nossas infâncias. É sempre muito legal revisitar as histórias infantis, entretanto, com uma adaptação mais adulta. Qual cenário vocês adorariam visitar?
 
O Lado Mais Sombrio - A. G. Howard
Livro 01
Trilogia Splintered
Editora Novo Conceito
368 páginas 
Comprar: Saraiva
 

3 comentários

  1. Oi :) Tudo bem?
    Eu adorava que esse livro viesse para Portugal :S O meu conhecimento da história de Alice no País das Maravilhas também ronda apenas o básico, mas já vi adaptações cinamatográficas que me fizeram gostar da história.
    Talvez leia em e-book :)
    Beijo
    www.fofocas-literarias.blogspot.pt

    ResponderExcluir
  2. A história é boa, mas pra mim é meio difícil ignorar a capa... N faz meu estilo, o livro n me interessou muito, pelo menos essa foi minha primeira impressão. Talvez eu leia esse ano, e mude de ideia. Mas realmente n me agradou muito, fazer o quê neh :/ bjos

    ResponderExcluir
  3. Ainda não comecei a ler essa trilogia exatamente porque ainda não está finalizada, odeio ficar esperando a continuação,mas se o último já está "saindo do forno" acho que vou começar a ler. Adorei essa ideia da autora compartilhar suas playlists, já ouvi e adicionei lá no spotify pra não esquecer assim quando começar a ler os livros aproveito o embalo para ouvir as músicas que inspiraram ela,rs. Ótima resenha como sempre Dany ;-)

    ResponderExcluir