Resenha - Uma chance para recomeçar

Resenha - Uma chance para recomeçar
Sinopse: "Victoria morreu em um trágico acidente, deixando sua filha Holly sob a responsabilidade do seu irmão, o solteiro convicto Mark. O tio Mark não se sentia muito preparado para cuidar da menina, mas assumiu o compromisso de devolver o sorriso aos seus lábios. No entanto, ele descon fia de que não esteja fazendo um bom trabalho, uma vez que Holly nunca mais falou desde que ficou órfã. Uma cartinha para o Papai Noel revela um desejo que pode ser a chave da felicidade de Holly: ela só quer ter uma mãe. Maggie perdeu o marido em uma batalha contra o câncer e não quer jamais - passar por tudo isso de novo. Por isso, ela fechou seu coração e prometeu a si mesma dedicar-se somente a sua nova loja de brinquedos em Friday Harbor, que permite às crianças viajar um pouco nas asas da imaginação. A amizade entre Maggie e Holly (que até passou a acreditar em fadas!) ao mesmo tempo comove e preocupa o tio Mark. Ele tem certeza de que a nova amiga fará bem a sua sobrinha, mas precisa decidir se a deixará entrar em sua própria vida... Nós também torcemos, do fundo do coração, para que Holly tenha uma linda noite de Natal."

Alex, Mark, Sam e Vick são irmãos. Eles tiveram a infelicidade de crescer num lar desestruturado, com pais em constante guerra, sem aprender o real significado de família e do amor. Depois de se tornarem adultos, foram cada um para um canto, mantendo um contato esporádico.

Vick foi a única dos Nolan que abandonou a ilha de Friday Harbor e se mudou para Seattle, se juntando a uma turma de boêmios e tendo vários relacionamentos curtos que lhe proporcionavam  toda a loucura artística pela qual sempre ansiou. Certo dia descobriu que estava grávida e, apesar das adversidades, quis ter a bebê.

Contrariando as expectativas, Vick saiu-se uma ótima mãe, sendo carinhosa e presente e dando a Holly todo o suporte e atenção que nunca teve. Porém, por um infortúnio do destino, Vick morreu num acidente de carro, deixando a guarda da filha para seu irmão Mark, em testamento.

Mark entrou em pânico. Como seria capaz de criar uma menina de 6 anos sem estragar tudo? Ele nunca tinha pensado em se casar, muito menos em ter filhos, e agora precisava criar a filha de outra pessoa? Por que Vick não deixou Holly para Alex ou Sam? O que seria da vida de Mark dali para frente?

Uma coisa era certa, ele não abriria mão da menina e não a colocaria para a adoção. Em pouco tempo, percebeu o quanto era fácil amá-la e acreditou que as coisas dariam certo. Mas Holly estava muito abalada. Desde a morte da mãe deixou de falar e passou a comunicar-se, timidamente, apenas por resmungos e sinais, e isso matava Mark pouco a pouco.

Contando com a ajuda de Sam, Mark fez de tudo para se tornar um bom pai, mas sabia que algo estava faltando, um vazio que jamais poderia suprir na vida da sobrinha. E isso se tornou ainda mais evidente ao conhecer Maggie, dona da nova loja de brinquedos da região. Holly se afeiçoou à moça de imediato, deixando a todos um pouco abismados com a conexão que se criou entre ambas.

Com o Natal se aproximando, Holly fez apenas um pedido ao Papai Noel: ela queria uma nova mãe.

Será que o bom velhinho conseguirá atender este desejo tão puro de uma garotinha como Holly? Vocês terão que ler para saber :)
 
***

Eu adoro livros que trazem como temática a magia do Natal. Pena que são poucos os lançamentos nacionais que abordam esse período de festividades. Mas não importa. De qualquer modo, me deleito com as tramas ambientadas no hemisfério norte, que incluem muita neve, um frio delicioso, e aquelas tradições que amo, que começam com o Dia de Ação de Graça e terminam com aquelas ceias de dar inveja a qualquer um, que costumamos não ter por aqui.

Uma chance para recomeçar me conquistou logo na primeira página, quando me deparei com a cartinha escrita por Holly para o Papai Noel. Meu peito ficou apertado e tive vontade de conhecer melhor a sua história. Me apaixonei pela escrita de Lisa, tão delicada, emocionante e ao mesmo tempo engraçada. Fiquei impressionada como a narrativa em terceira pessoa funcionou tão bem para este enredo, que costuma ser melhor de se ler quando é mais intimista.

A obra me lembrou muito do filme Três solteirões e um bebê, que amo demais. Gostei de ver o quanto algumas pessoas são capazes de abrir mão de suas vidas e rotinas para se doarem ao amor de uma criança. Holly transformou a vida dos tios, antes tão solitários e sisudos, trazendo cor para as suas vidas.

Mark nunca se achou capaz de amar alguém, até perceber que nenhum amor poderia ser maior ao que sentia por Holly. Sam abriu literalmente as portas de sua casa para abrigar o irmão e a sobrinha e não imaginou que pudesse se tornar o maior beneficiário dessa mudança. E Alex, até Alex, acabou se rendendo e se tornando mais presente.

Mas a família Nolan não estava completa, e Maggie veio para dar um toque especial a ela. Me encantei com esta personagem que, ao mesmo tempo que era tão sofrida, irradiava magia e doçura. Vocês sabem aquelas pessoas que parece que nasceram para ser mães? Pois é, Maggie era uma delas. A primeira cena em que contracenou com Holly chegou a me arrepiar de tão bela.

E é claro que não podia faltar romance neste livro, uma história de amor construída em bases sólidas de amizade e confiança, entre Maggie e Mark, mas que de certo modo é proibida, já que Mark é comprometido e Maggie é viúva, e acha errado paquerar outro homem. Os diálogos travados entre eles são tão reais, reveladores e, muitas vezes, tão irônicos e despachados, que me fizeram querer entrar no livro para conhecê-los e participar, de certo modo, de todos aqueles momentos.

Uma chance para recomeçar pode ter uma trama clichê e despretensiosa, mas é bem escrita e nos dá esperanças de um mundo melhor, em que as aparências não sejam tão importantes, em que as pessoas aprendam a se doar mais e, em que aprendamos que para nossos desejos se tornarem realidade, basta acreditarmos, afinal, a magia está dentro de nós.

Uma chance para recomeçar - Lisa Kleypas  
Livro 01
Série Friday Harbor
Editora Novo Conceito
176 páginas 
Comprar: Saraiva

4 comentários

  1. O livro também meu lembrou o filme Três Solteirões e um Bebê. Desde que o vi pela primeira vez quis lê-lo, essa história parece bela, e tua resenha só reforçou minha vontade. Ele já está na minha estande do Skoob.

    Autor de A Página Certa
    www.laplacecavalcanti.com

    ResponderExcluir
  2. Oi Amei a resenha! Vc sabia que tem um filme baseado nesse livro? Um natal para recomeçar Christmas With Holly. É lindo!! Bjos

    ResponderExcluir
  3. Parece ser um ótimo livro, gostei bastante da resenha! Já marquei no SKOOB e como o livro é curtinho, dá pra ser lido numa noite. :)

    ResponderExcluir
  4. A cada resenha sua que leio desenho o livro. Assim não tem bolso que aguente :)

    ResponderExcluir