Resenha - Almanova

Sinopse: "ALMANOVA Ana é nova. Por milhares de anos, no Range, milhões de almas vêm reencarnando, num ciclo infinito, para preservar memórias e experiências de vidas passadas. Entretanto, quando Ana nasceu, outra alma simplesmente desapareceu... e ninguém sabe por quê. SEM-ALMA A própria mãe de Ana pensa que a filha é uma sem-alma, um aviso de que o pior está a caminho, por isso decidiu afastá-la da sociedade. Para fugir deste terrível isolamento e descobrir se ela mesma reencarnará, Ana viaja para a cidade de Heart, mas os cidadãos de lá temem sua presença. Então, quando dragões e sílfides resolvem atacar a cidade, a culpa deverá recair sobre... HEART Sam acredita que a alma nova de Ana é boa e valiosa. Ele, então, decide defendê-la, e um sentimento parece que vai explodir. Mas será que poderá amar alguém que viverá apenas uma vez? E será também que os inimigos – humanos ou nem tanto -- de Ana os deixarão viver essa paixão em paz? Ana precisa desvendar grandes segredos: O que provocou tal erro? Por que ela recebeu a alma de outra pessoa? Poderá essa busca abalar a paz em Heart e acabar por destruir a certeza da reencarnação para todos? “Incarnate tem algo de estranho e intrigante. Algo novo. Não dá vontade de parar. Precisamos, e como, saber como será o desfecho disso tudo.” Robin McKinley “Ao mesmo tempo lírico e provocador. Incarnate é aquele tipo de livro que nunca nos abandona. Eu amei!!!” Rachel Hawkins “Uma palavra: IMPRESSIONANTE! Quer mais palavras? Vai nutrir sua alma e mexer com a sua cabeça!” Jeri Smith"

Existia um mundo em que todas as almas eram imortais. Há mais de 5 mil anos, milhares de pessoas morriam para renascerem em novos corpos. A diferença é que cada uma delas mantinha um registro sobre seu passado, conhecendo sua real identidade e conservando todas as habilidades adquiridas pelas vidas afora.

Porém, houve um dia em que o Templo de Janan escureceu em Heart. Naquele dia, Ciana morreu. Quando Li deu à luz, toda a população ficou na expectativa pelo regresso de Ciana, entretanto, quando Contador de Almas segurou a mão da recém-nascida, pressionando-a no scanner de almas, não foi encontrada nenhuma vibração equivalente na base de dados. Aquela não era a alma de Ciana, aquela era uma alma nova.

Ana, a alma nova, cresceu com o peso de ter sido a culpada pela morte definitiva de Ciana. Sem contar que, depois de seu nascimento, todos passaram a temer pela sua imortalidade. Li, sua mãe, a detestava. Ensinou a menina desde cedo de que ela era uma sem-alma, não merecedora de estar viva. Incutiu em Ana diversos medos e inseguranças e tinha um prazer cruel de vê-la sofrer.

Aos 18 anos, Ana não suportou os maus tratos e decidiu ir embora, para o alívio de Li. Seu objetivo era regressar a Heart para tentar entender sobre sua origem e seu destino. Mas Ana ainda era muito jovem e inexperiente para lidar com os perigos de um mundo diferente sozinha e, rapidamente, se tornou alvo dos ataques das sílfides.

As coisas teriam acabado mal se não fosse por Sam, que a resgatou no último segundo. Ao invés de ficar agradecida, Ana o rechaçou. Ela tinha medo de que Sam a levasse de volta para Li, ou então a batesse como a mãe fazia. Para uma menina que a vida toda se sentiu inferior e foi alvo de inúmeras maldades sem motivo, era difícil de acreditar que existiam boas pessoas no mundo com o interesse de ajudá-la.

Mas Sam conseguiu conquistar sua confiança e amizade e, pouco a pouco, presenteou Ana com experiências antes nunca vividas. Infelizmente, as pessoas não viam com bons olhos a amizade dos dois, já que Ana não era bem-vinda em Heart, e fariam de tudo para atrapalhar o processo de inclusão da jovem na sociedade.

Será que Ana conseguirá encontrar seu caminho? Será que as pessoas estão prontas para aceitarem uma alma nova?

Querem saber o que vai acontecer? Então leiam!

***

Vou começar me recriminando: Por que não li este livro antes???????? Ok, eu já tinha me apaixonado pela belíssima capa holográfica, a premissa também havia me conquistado de imediato, mas não imaginei que esta história fosse tão incrível!

Só de pensar na possibilidade de reencarnarmos infinitamente, relembrando nosso passado, já me deixa sem fôlego. Sei que nem todos acreditam nos preceitos de reencarnação e de alma imortal e, talvez, para essas pessoas, esse livro seja um pouco difícil de engolir, mas para quem acredita, como eu, vai ficar com a cabeça cheia de ideias.

Não conseguia parar de pensar em como seria se tudo isso fosse verdade. Sempre acreditei que existisse um motivo para, quando reencarnássemos, termos a nossa "memória" apagada, sendo uma forma de vivermos novas experiências e zerarmos a nossa conta com o passado. Mas achei fantástica a forma como a Jodi lida com o assunto.

O fato de os personagens saberem quem são e quem foram, faz com que eles vivam a vida com muito mais calma, certeza e qualidade. Eles respeitam uns aos outros, e confiam entre si, não tendo nada a esconder porque já se conhecem há séculos. Sem contar que foram capazes de aprender com seus erros e a desenvolver habilidades a fim de preservar o planeta da maneira mais sustentável possível.

Cada um tem seu lugar na sociedade, contribuindo com o sistema, não porque são obrigados, mas porque possuem a liberdade de ser quem quiserem ser, e também para desenvolverem melhor o seu dom. Não importa que você fique uma vida inteira para compor uma única música perfeita, você pode se dedicar a isso, você tem tempo de sobra para futuramente, em outras vidas, fazer outras coisas que quiser!

Jodi também nos faz pensar sobre o corpo com o qual fomos presenteados, nos ensinando a viver com possíveis limitações ou benefícios. Não importa que em Almanova as pessoas sejam imortais, cada experiência de vida é única e deve ser apreciada e respeitada. E quando nascemos no corpo errado? Sei de muitos que se sentem exatamente assim, e vendo pela perspectiva da obra, é perfeitamente possível de compreender, afinal, as almas não podem escolher com qual sexo vão nascer.

Já deu para ver o quanto a minha cabecinha ficou a mil ao ler o livro, né? Mas não foram só todas essas indagações que me fizeram curtir a história, eu também me afeiçoei demais aos personagens. Me identifiquei muito com Ana. Ela é jovem, doce e perdida, mas com uma curiosidade sem fim que a faz questionar tudo e todos para buscar as respostas das quais precisa. Me doeu demais ver o quanto ela era maltratada por Li. Sei bem o quanto é difícil crescer se sentindo um erro, querendo sempre agradar, em vão, e tendo a vida manipulada ao bel prazer dos outros.

Por isso que quando Sam entrou na trama, não só encheu a vida de Ana de luz, como a minha também. Apesar de ter biologicamente só 18 anos, Sam é uma alma muito antiga, deixando claro pelo seu olhar e pelas suas atitudes o tanto de coisas pelas quais já passou. Ana reclama que Sam pensa demais, e é o que mais gosto no personagem. Enquanto Ana é impulsiva, está com sede de viver, Sam é comedido e já possui uma carga pesada de responsabilidades de muitas vidas.

Uma das coisas que mais amei em Almanova foram todas as lições aprendidas por Ana enquanto estava sob tutela de Sam. Como tudo é novo para Ana e para a gente também, foi delicioso conhecer a história sob os olhos dela. Por ser uma trilogia, o final me deixou com o gosto de "quero mais agora", e nos deixou com ainda mais perguntas que espero que sejam respondidas em Almanegra.

Almanova mistura fantasia e ficção com um mar de possibilidades reais, basta acreditar, e nos mostra que nenhuma alma é um erro, que todos possuem um sentido dentro de si e que podem voar, feito borboletas, tornando-se imortais pelos seus feitos.

Almanova - Jodi Meadow
Livro 01
Trilogia Incarnate
Editora Valentina
336 páginas 
Comprar: Saraiva / Americanas / Submarino
***
Essa postagem está concorrendo ao TOP COMENTARISTA DE NOVEMBRO.

Clique AQUI e saiba como participar.

14 comentários

  1. Oi Mi!
    Não imaginava que o livro era tão bom assim.
    Confesso que tenho um certo preconceito por alguns livros desse estilo, mas sua resenha em encheu de vontade de ler!
    Ótima dica

    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
  2. Sou uma das pessoas que não acreditam em reencarnação, carma ou algo do tipo, mas achei bastante interessante a história do livro e o leria.
    Gostei bastante dos opostos que Li e Sam representam na vida de alma e observo que pessoas muito feridas, tem uma enorme dificuldade em se deixar serem amadas, elas inicialmente resistem ao afeto.
    Uma outra coisa que me chamou a atenção foi o nome da cidade, Heart. Enfim, gostei da resenha, não sei se animo ler uma trilogia com esse assunto, mas deve ser bem legal.

    ResponderExcluir
  3. Eu só ouço elogios sobre esse livro e nunca vi uma história igual. Parece ser boa mesmo, tenho curiosidade de ler. É distopia? :D

    Autor de A Página Certa
    www.laplacecavalcanti.com

    ResponderExcluir
  4. Adorei a resenha, esse tema de conflito com a mãe é bem complicado (experiência própria). E é diferente do que vemos atualmente, almas reencarnadas e com tds as informações das vidas passadas?! Incrivel, louca para ler...

    ResponderExcluir
  5. Já estava bastante interessada em ler esse livro só pela capa e sinopse, agora então depois de ver essa resenha fiquei super ansiosa pra conferi essa história parece mesmo ser ótima.

    ResponderExcluir
  6. Eu não gosto muito de livros que tratam desse assunto, confesso que tenho preconceito com esse estilo de livro. Não faz muito o meu tipo, mas a gente precisa sempre estar aberto as novas possibilidades né, rs.

    ResponderExcluir
  7. Também me vi preso com essa capa. Muito bonita mesmo. Quando li a sinopse, gostei bastante, mas pensava que era um sobrenatural voltado mais para o entretenimento. Ao ler sua resenha, vi o quão complexa essa trama é. Espero ter a oportunidade de ler em breve.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  8. Oi, Mi!
    Já estou há tempos namorando essa capa, mas para ser sincera nunca nem tinha lido a sinopse do livro. E por isso digo: Que resenha?!
    Agora estou morrendo de vontade de ler o livro e ver como é, de fato, essa ideia da alma reencarnar. Na realidade eu nunca pensei muito sobre esse assunto na minha vida, mas eu gostaria muito de saber (caso isso exista de verdade) quem ou como eu fui na "outra vida". Sei lá... É um conceito interessante e fiquei com vontade de ler.

    Beijos.
    Blog Cantar Em Verso

    ResponderExcluir
  9. Gostei bastante da sua resenha! Faz tempao q estou de olho no livro principalmente pela capa!
    Acho q vou curtir bastante...

    ResponderExcluir
  10. Livro badaladíssimo que, confesso, me deixou um pouco perdida. E o que dizer de Sam? ♥♥♥
    Depois que vc pega o ritmo não consegue largar o livro e o meu principal motivo de interesse foi essa capa linda!

    ResponderExcluir
  11. Ana não tem uma vida nada facil, o que parece ser do começo ao fim do livro hah!
    Dar pra entendo o lado de Ana em relação a não agradece Sam
    ela ja sofreu tanta coisa, que qualquer um no lugar dela fica como medo de acredita na pessoas!
    Sam parece que deu luz ao livro, fez ele ser algo prendedor como nunca!

    ResponderExcluir
  12. Eu sempre achei a capa desse livro linda... Mas confesso que não me interesso pelo tema... Mas pra quem gosta com certeza é uma boa leitura :)
    Bjs

    ResponderExcluir
  13. Depois que li sua resenha foi que pude compreender melhor do que se trata o livro.a autora teve o capricho de fazer todo um universo próprio e fazer a leitura fluir. a capa também e linda adorei !!!!

    ResponderExcluir
  14. Achei a sinopse meio confusa mas o enredo em si é maravilhoso, sem contar que a capa é linda. Preciso arranjar tempo para conseguir ler todos os livros que eu adiciono à minha listinha de desejados, este com certeza é mais um encabeçando a lista.

    ResponderExcluir