Resenha - Filme Boyhood - Da Infância à Juventude

Resenha - Filme Boyhood - Da Infância à Juventude
Sinopse: "Boyhood - Da Infância à Juventude" é um filme que demorou 12 anos para ser concluído, visando mostrar os atores envelhecendo em seu personagens, dando um ar mais realista à trama. O longa faz uma viagem pela infância do menino Mason (Ellar Coltrane) e mostra as mudanças que acompanham sua vida, dos 6 aos 18 anos de idade, do primário à entrada na faculdade. As primeiras paixões, a mudança de escola e a visão de como é ser filho de pais separados são alguns dos temas retratados no filme."

Olivia é mãe solteira. Acabou engravidando muito cedo de Mason e dando à luz a Samantha e Mason Jr. O pai, irresponsável e negligente, pulou do barco e decidiu morar e trabalhar no Alasca, ficando anos sem ver os filhos.

A mãe se virava em mil para dar conta de trabalhar, manter a casa e cuidar das crianças, mas o dinheiro não estava mais cobrindo as despesas e Olivia achou que era hora de retomar os estudos, mas para isso precisavam se mudar. Na nova cidade, Olivia contava com a ajuda de sua mãe para ficar com os pequenos, enquanto se dedicava na faculdade de psicologia.

Lá, se interessou por seu professor e com ele se casou, mudando-se com os filhos para a nova casa e dividindo o espaço com os enteados, praticamente da mesma idade de Sam e M.J. E assim ficaram por anos, vivendo uma ilusão e fingindo serem uma grande família feliz. Mas o padrasto era um bêbado e com o tempo, se tornou ainda mais violento, fazendo com que Olivia fosse obrigada a tomar uma decisão: continuar se submetendo aos abusos domésticos em prol de proporcionar um maior conforto aos filhos ou cair novamente na estrada, em busca de uma vida mais singela, porém, mais segura.

M.J. sempre foi uma criança quieta e tímida, afinal, era constantemente ofuscado pela Sam, uma menina espevitada, cheia de energia e que se achava a última bolacha do pacote. A cada mudança de cidade, M.J. e Sam eram obrigados a deixar tudo que gostavam para trás, tendo que recomeçar de novo, mesmo contra suas vontades.

O menino cresceu e se tornou um adolescente muito inteligente e reflexivo, que não via sentido no comportamento padrão dos colegas e no funcionamento da sociedade. Por que ele precisava decidir seu futuro tão cedo? Qual era a moral de ir para uma faculdade se tudo o que ele queria fazer da vida era tirar fotos? E ele era bom nisso. Mas ser bom não significa nada nos dias de hoje.

M.J. fica divido entre fazer o que os outros esperam dele e o que ele realmente quer e percebe que crescer não é fácil. Aliás, envelhecer muito menos. Olivia que o diga.

Querem saber o que vai acontecer? Então assistam.

***

Quando ouvi falar de Boyhood - Da infância à juventude pela primeira vez, não dei a mínima. Nem o pôster, nem a sinopse me chamaram atenção, até assistir ao trailer. Mas o que mais me fez ter vontade de conferir o longa foi descobrir o imenso projeto no qual Boyhood - Da infância à juventude esteve envolvido.

Vocês sabiam que levou 12 anos para Boyhood - Da infância à juventude ser filmado e concluído? Sim, o diretor escalou um elenco que se comprometeu por tanto tempo a filmar pedacinho por pedacinho da história. Gente, isso não é só ousado, é também impressionante.

A proposta do filme é meio que nos mostrar a evolução dos anos na vida de uma família. A história não tem uma moral em si. A intenção é nos convidar a olhar por um buraco de fechadura, ou então para um reflexo do espelho, e nos ver ali. Perceber o quanto é difícil crescer, amadurecer, envelhecer, tomar decisões, dar a volta por cima em situações difíceis, construir um relacionamento amoroso, ou seja, viver!

E isto é o precioso do filme, é assistirmos a uma história delicada, intensa e profunda, que retrata de certo modo a nós mesmos. Foi interessantíssimo testemunhar o envelhecimento do próprio elenco. Fiquei imaginando como deve ter sido difícil encontrar tão bons atores, ainda crianças, que continuassem na profissão por 12 anos e que se mantivessem tão bons quanto no início.
"Tudo começou com a vontade do diretor de  fazer um filme sobre as emoções muito íntimas, únicas e difíceis de descrever da infância. Mas a infância é um território tão vasto que o diretor não sabia bem por onde começar. Então, teve uma ideia. “Por que não explorar absolutamente tudo?” foi o que pensou."
"O grau de compromisso que seria exigido dos atores de Boyhood - Da infância à juventude também foi inteiramente diferente do que se costuma ver em filmes de cinema ou televisão. Em termos de logística, seria preciso coordenar as agendas de todos para encaixar as filmagens pelos próximos 12 anos. Mas o mais importante seria que eles estivessem prontos para explorar seus personagens não apenas em um curto período intenso, mas durante um período muito longo, bem mais a maioria dos personagens de teatro, cinema e televisão, além de revê-los e desenvolvê-los a cada ano em circunstâncias ligeiramente diferentes."
Foi muito fácil me identificar e me afeiçoar a cada um dos personagens. Quando criança, M.J. me fez lembrar o quanto é ruim viver sem um pai do lado. Na adolescência, o jovem me relembrou o quão difícil é ser adolescente e o quanto eu dou graças por ter ultrapassado essa fase. Por sua vez, Olivia me mostrou os desafios de ser mãe solteira e trabalhadora ao mesmo tempo, e o vazio na qual a nossa vida pode se transformar quando vivemos uma vida inteira nos dedicando ao bem-estar dos outros e se esquecendo de nós mesmo. Já Mason "pai" nos ensinou que é possível sim mudar e começar do zero, mesmo quando todas as probabilidades se voltam contra a gente.

Sei que este será um filme para poucos, inclusive por causa da sua duração prolongada de quase 3 horas. Alguns vão achar chato, outros cansativo, e talvez não consigam se conectar com a trama e não vejam sentido em nada do que está sendo mostrado. Mas terão alguns, de mente e coração aberto, que se entregarão a beleza dessa película e absorverão o que estão vendo de modo que mexa com as suas vidas. Estes serão presenteados com um dos mais belos filmes que já vi.

* Agradeço ao Espaço/Z por ter me proporcionado assistir ao filme em primeira mão, numa cabine de imprensa. 

Título original:  Boyhood
Roteiro: Richard Linklater  
Direção: Richard Linklater  
165 minutos
TRAILER


***
Essa postagem está concorrendo ao TOP COMENTARISTA DE OUTUBRO.

Clique AQUI e saiba como participar.

8 comentários

  1. Ahhhhh, eu tô super ansiosa para ver esse filme! Imagino que deve ser uma obra-prima e um grande candidato a receber muitas indicações ao Oscar. Muito bom, ótima resenha. Fiquei com mais vontade de assistir.

    ResponderExcluir
  2. Esse filme também não me chamou muita a atenção, mas tenho vontade de assistir só para ver a evolução dos atores, o envelhecimento, como a forma de atuação deles deve ter melhorado nesses 12 anos.

    Sempre que vejo algo desse filme só penso em 2 coisas: esses atores tiveram seus salários garantidos por muito tempo, e devem ter arranjado muito dinheiro para pagarem a toda equipe de produção ao longo desses 12 anos, antes de terem o retorno financeiro com o lançamento do filme.

    Autor de Mestre de Marionetes
    www.laplacecavalcanti.com

    ResponderExcluir
  3. Nossa! Fiquei impressionado com esse processo. 12 anos é muito tempo mesmo. A Saga "Harry Potter" durou 10 anos e, mesmo assim, foram 8 filmes. Confesso que acho um filme com 3 horas de duração um pouco grande demais, mas me parece que, nesse caso, o tempo é o que menos importa. Se tiver oportunidade, vou assistir.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  4. Não conhecia este filme! Não tinha ouvido falar!
    A historia parece ser bastante interessante e este garotinho
    e inspiração ! Espero um tinha esta assistindo deste filme

    ResponderExcluir
  5. Que interessante e incrível o diretor levar 12 anos para fazer um filmes e os atores se disponibilizarem a tal projeto um tanto inusitado. Gostei, mesmo sendo longo, acho que vou me dar bem com esse filme. Assim que tiver oportunidade vou assisti-lo. Valeu pela dica :-)

    ResponderExcluir
  6. Já vi em outro blog falando sobre esse filme e me interessei demais... Igual a você, a sinopse não me chamou atenção, mas o fato de ser gravado ao longo de 12 anos é um projeto inovador e ao mesmo tempo muito arriscado, pois a qualquer momento algo poderia dar errado em relação aos atores... Me parece ter uma história de vida muito bonita por trás... Fiquei bem curiosa pra assistir... No dia que eu tiver o tempo necessário pra assistir (3 horas?!) vou fazer isso, ainda que tenha que parar as vezes para comer alguma coisa kkk
    Kisses =*

    ResponderExcluir
  7. Não conhecia o filme.. E achei curioso o fato de ter levado 12 anos para ser concluído! Eu vou esperar as férias para ter tempo de ver o filme :)

    ResponderExcluir
  8. Oi Mi xD

    Gentii que coisa louca. Gravar durante 12 anos um mesmo filmes. Doidera mesmo. Só queria ver como é acompanhar a juventude de uma mesma pessoa em um filme, pois quando isso acontece tem a troca de atores. Inovador e crazy xD

    Bjs, Lucas.

    ResponderExcluir