Resenha + Vídeo - Desaparecida

Resenha - Desaparecida Catherine McKenzie Editora Leya
Sinopse: "Emma Tupper não existe mais. E por que não, então, inventar uma nova Emma Tupper? “Só poeira. É como se eu tivesse sido apagada. Transformada em cinzas.” Quem nunca sonhou em recomeçar a própria vida do zero? A jovem advogada Emma Tupper se vê diante dessa oportunidade quando volta para casa, após passar seis meses desaparecida na África. Surpresa, percebe que todos acreditam que ela estava... morta. Emma descobre que sua antiga vida foi apagada. O apartamento onde vivia acaba de ser alugado para um novo inquilino, o misterioso fotógrafo Dominic. No escritório de advocacia, no qual construía uma carreira brilhante com chances de concorrer ao cargo de sócia, sua rival Sophie se apossou não só de seus clientes e de sua sala, mas também de seu namorado, Craig. Enquanto tenta resolver o caos no qual seu mundo se transformou, Emma se questiona: ela era feliz antes de sua viagem à África? Tinha valido a pena se sacrificar tanto em nome do trabalho? Amava Craig de verdade? Queria mesmo ter aquela vida de volta? Romântico e espirituoso, Desaparecida revela a envolvente trama de uma mulher à procura de si mesma."

Emma tinha sua vida sob controle. Namorava Craig, seu colega de trabalho, há alguns anos, estava prestes a se tornar sócia de um renomado escritório de advocacia e encarava a doença de sua mãe de maneira otimista, ainda na esperança de que a quimioterapia surtisse efeito. Até Elizabeth morrer. Emma e a mãe sempre foram muito próximas e, por isso, a sua partida deixou Emma completamente desnorteada e com um imenso vazio no peito.

Curiosamente, Elizabeth tinha um grande fascínio pela África, colecionando tudo que era artefato que podia comprar ou que ganhava de presente. Mas ela nunca teve a chance de visitar o país, entretanto, fez Emma prometer, em seu leito de morte, que realizaria esse sonho em sua homenagem. Elizabeth deixou de herança para a filha uma viagem, com tudo pago, para Tswanaland, por um mês. Emma não entendeu bem o porquê, mas não quis denegar o desejo da falecida.

E lá se foi Emma, para a África, contrariando o comitê de gestão da Thompson, Price & Clearwater, perdendo a sua chance de ser promovida imediatamente, e dando um até logo para o namorado que quis acompanhá-la nessa viagem, mas que foi deixado para trás. Logo nos primeiros dias, Emma adoeceu gravemente. Por estar mal demais para ser transferida para longe, foi levada pela agência de turismo para uma remota aldeia onde alguns funcionários de uma ONG estavam construindo uma escola e ainda dispunham de um pequeno estoque de medicamentos para tratá-la.

Estava tudo combinado para os guias voltarem e buscá-la, porém, logo em seguida, a região foi assolada por um terrível terremoto de 8,9 pontos na escala Richter, devastando tudo. Milhares de pessoas morreram e a infraestrutura entrou em colapso. Todos os estrangeiros foram orientados a procurar suas embaixadas e a voltar para casa nos voos de resgate programados para as semanas seguintes, mas Emma nunca apareceu.

Incomunicável, perdida a Deus dará, Emma por lá ficou durante seis meses. Assim que o aeroporto foi reaberto, Emma tratou de voltar para casa. Mas imaginem a surpresa da jovem quando aterrissou e não havia ninguém a sua espera. Mas o pior foi chegar no seu apartamento e encontrá-lo alugado para um estranho. Por que o número de Craig havia mudado e Stephanie não atendia o celular? O que estava acontecendo?

Emma descobriu da pior maneira possível que havia sido dada como morta. Suas coisas foram jogadas fora, seu emprego já era, o namorado estava com outra e todos já tinham a esquecido. A vida nitidamente tinha seguido em frente, e era isto que Emma devia fazer. Mas ela não queria abrir mão de tudo que havia conquistado com tanto afinco. Diante do caos que se tornou seu dia a dia, Emma precisa tomar uma decisão: deve recomeçar do zero ou batalhar para reaver a vida que tinha?

Querem saber o que vai acontecer? Então leiam.

***

Desaparecida me encantou de imediato pela belíssima capa. Solicitei para a Editora sem ter ideia do que se tratava, sem nem ter lido a sinopse, e só depois que li uma resenha a respeito e descobri se tratar de um chick-lit é que decidi lê-lo rapidamente, já que sabia que tinha fortes chances de gostar. Só não imaginava que fosse ser arrebatada por uma escrita em primeira pessoa, leve, delicada, romântica, bem-humorada e reflexiva.

A premissa da história é fantástica, não só de maneira literal, como também metaforicamente. Me deu uma dó da Emma quando a vi perdida, na frente do seu apartamento, sem conseguir entrar, sem ter para onde ir, sem encontrar nenhum de seus amigos ou o namorado. Imaginem como deve ser para alguém que é dado como morto e volta. Ser deletada da memória daqueles que ama, ser descartada sem a menor dificuldade. E o que fazer diante de uma situação dessas?

Emma tentou enfrentar sua nova realidade da melhor maneira que pôde. É óbvio que ela estava fragilizada, insegura e perdida. E de certo modo, foi interessante me deparar com diferentes facetas da personagem, contrastando enormemente com aquela Emma feroz, independente e que não entrava numa disputa para perder, que ela era antes de viajar. Ainda bem que Emma contou com a ajuda de queridos amigos para lidar com sua situação. Dominic foi fundamental para dar a Emma o espaço e o tempo que ela precisava para reorganizar as ideias, enquanto Steph lhe deu forças para juntar os caquinhos.

Uma coisa que não consegui entender foi por que Emma quis voltar a trabalhar num local estressante e exploratório, principalmente depois de toda a experiência que teve em solo africano, ajudando os necessitados e fazendo algo realmente importante da vida. Por que se submeter à humilhação, ao trabalho sem sentido, buscando infinitas brechas na lei para favorecer, muitas vezes, de maneira injusta, uma única pessoa, quando se é capaz de se dedicar a algo muito melhor? Mas talvez esses questionamentos sejam pessoais, já que abri mão da minha carreira jurídica justamente pelos motivos que faziam Emma amar a sua profissão.

Para muitos, "voltar dos mortos" é uma chance indispensável de se recomeçar. É como se a pessoa tivesse o direito de fazer tudo o que nunca pôde. Certamente seria mais fácil do que tentar reaver a vida que perdeu. E este é o grande dilema enfrentado por Emma. Todos esperam que ela dê uma guinada na vida, mas tudo o que ela quer é que as coisas voltem a ser como antes. Mas isso é impossível. Sabemos que não existe chance de recuperar o passado. A vida segue adiante, as pessoas mudam, nós mesmos não somos iguais ao que éramos há minutos. Foi impossível não me identificar com Emma e com seu problema, principalmente por ter passado por algo similar na vida.

Catherine foi muito hábil ao desenvolver a história, nos mostrando aos poucos trechos de diversos momentos da vida da personagem e nos possibilitando construir um quebra-cabeça sobre a sua personalidade a fim de que fôssemos capazes de compreender seus desejos e temores. Além disso, as cenas de amor foram muito bem trabalhadas. Em Desaparecida, não encontramos aquele romance meloso e repentino, difícil de engolir. A autora dá um enfoque muito maior no relacionamento de cumplicidade e intimidade estabelecido entre o casal de modo que deixe tudo ainda mais rico e real.

Devo dizer que McKenzie me surpreendeu ao colocar uma pitada de suspense na trama, mas nada que desvirtue os propósitos do texto. Lá pelas tantas, Emma embarca numa aventura policial com o intuito de desvendar o roubo de um Manet avaliado em milhões. Este acontecimento deu um certo dinamismo a obra e também foi o responsável por colocar tudo de volta aos eixos, de certa forma.

Vocês não imaginam a dificuldade que tive para escrever essa resenha. Eu amei tanto o livro que sofri para racionalizar e explanar sobre meus sentimentos e impressões. Desaparecida é um livro completo, que não só entretém o leitor, arrancando suspiros e sorrisos, como nos faz pensar sobre as segundas chances na vida e sobre como reagiríamos frente a diversidades tão avassaladoras. 

Os desafios enfrentados por Emma nos dão uns minutos para repensarmos nossas próprias escolhas e analisarmos o caminho que decidimos trilhar. Será que estamos plenamente satisfeitos com os resultados? E se não estivermos, será que realmente precisamos aguardar vivenciarmos situações tão mirabolantes para tomarmos uma atitude e mudarmos tudo ao redor? Se você está desaparecido, leia o livro e se dê uma chance de se reencontrar :)

VÍDEO RESENHA



Desaparecida - Catherine McKenzie
Editora Leya
320 páginas 
Comprar: Submarino
***
Essa postagem está concorrendo ao TOP COMENTARISTA DE OUTUBRO.

Clique AQUI e saiba como participar.

11 comentários

  1. Eu lembro que você comentou sobre esse livro em algum de seus videos e estava ansiosa pela resenha!

    E depois de ler isso "Desaparecida é um livro completo, que não só entretém o leitor, arrancando suspiros e sorrisos, como nos faz pensar sobre as segundas chances na vida e sobre como reagiríamos frente a diversidades tão avassaladoras. " agora que vou ler mesmo esse livro, amei, amei, mil vezes amei.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Nunca tinha ouvido falar desse livro, mas agora parece que tenho que ter ele em mãos a qualquer custo! ahaha Adorei a resenha, acho que se eu tivesse lido em qualquer outro lugar, eu não teria tanta vontade assim de ler, mas sua escrita me cativou. Esse vai para minha lista no Skoob!
    Beijos, nostalgemeas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Não faço ideia de como eu reagiria em uma situação dessas. Fiquei bastante curioso para ler o livro e ver o desespero da Emma. Imagina todo lugar conhecido que você chega, que deveria ser seu porto seguro, se tornar algo completamente estranho e você fica rodando a cidade sem rumo. Imagino que ela deve ter saído correndo pela cidade. E a reação do povo quando a viu retornar? Deve ter tido gente infartando.

    Autor de Mestre de Marionetes
    www.laplacecavalcanti.com

    ResponderExcluir
  4. Não havia havia ouvido falar deste livro,mas pelo que li,me arrependo loucamente por não ter o lido antes!
    Eu já amei a capa e a sinopse,e com sua resenha fiquei curiosíssima para ler !
    Espero ter e lê-lo em breve.
    Abraços
    Cantinho da Bruna


    ResponderExcluir
  5. Oi Mi xD

    A primeira coisa que devo falar é que a capa é belissíssima, muito meiga. A história é bem interessante e sua resenha só me deixou mais curioso sobre qual vai ser a atitude de Emma. Esse exnamorado dela é um traira, que safado! :C
    De certa forma, lendo sua resenha, fiquei pensando como seria o mundo e as pessoas da minha vida se eu sumisse por um tempo e fosse dado como morto. Será que todos prosseguiriam suas vidas normalmente? Ou, pelo menos alguém, sentiria minha falta?. Achei interessante, mas deixou só em pensamentos mesmo, rs.
    Adorei a resenha gata!

    Beijos, Lucas.

    ResponderExcluir
  6. Eu vi muuuitas resenhas positivas em relação ao livro por isso
    estou pensando em comprar! A historia e realmente linda, muuito doce!
    Gostei muuito da capa tambem!

    ResponderExcluir
  7. Não conhecia o livro, mas a sinopse e sua resenha chamaram muito a minha atenção, eu amo livros estilo "chick-lit, nossa que barra a Emma passa. Imagina voltar pra casa e ver que sua vida "não existe" e tentar recuperar tudo que foi perdido...? Parece ser uma obra interessante, acho que vou gostar! Amei a capa, é linda!

    ResponderExcluir
  8. Tô morta de vontade de ler esse livro desde que ele foi lançado... Começa pela capa, que eu achei maravilhosa, e pela sinopse que me mostrou uma história que eu nem mesmo consigo me imaginar... Somente lendo a sinopse eu tinha morrido de raiva do Craig, por ter largado ela pela concorrente, mas com a resenha vi que na verdade grande parte da culpa é dela... Mas acredito que isso deve ter sido um fator fundamental pra ela ter repensado a vida anterior dela... Não imagino como deve ser difícil recomeçar do zero, mas já to vendo que vou me apaixonar pela história e pela força da personagem... O fato dela voltar a trabalhar no escritório eu ainda entendo, pois querendo ou não essa era a fonte de renda dela, e no direito quando a pessoa gosta muito não há o que faça desistir... Com a sua resenha fiquei ainda mais curiosa para descobrir o desenrolar da história (e para conhecer o lindo do Dominic e a Steph fofa)... Espero ter uma oportunidade logo...
    Kisses =*

    ResponderExcluir
  9. Oi Mi.. Quando vi esse livro nos lançamentos ja fiquei interessada só pela capa mas confesso q nao me passou a sensação de chick lit..
    Pela sua resenha acreditp que vou gostar bastante.. Quero ler!

    ResponderExcluir
  10. Mi, li em uma entrevista da autora em que ela fala que essa situação aconteceu de verdade. Fiquei imaginando o que se passou na cabeça dessa criatura ao ver sua vida dar um solavanco desses. A história foi muito bem pensada e nos deixa com reflexões muito interessantes. Se tiver oportunidade, lerei, sim!

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  11. Estava ansiosa por essa resenha pois num vídeo você falou tanto da capa dele que acabei indo procurar na internet, me apaixonei pela sinopse e estava doida para ver se era tudo aquilo mesmo,rs. Saber que é chick-lit com um toque de suspense me ganhou... mais um para a lista (que cresce cada vez mais) de leituras futuras.

    ResponderExcluir