Resenha - A Arte da Procrastinação: Como realizar tarefas deixando-as para depois

Resenha - A Arte da Procrastinação: Como realizar tarefas deixando-as para depois
Sinopse: "Pode soar contrário ao senso comum, mas funciona; você pode realizar muitas coisas deixando-as para depois. Essa é a filosofia apresentada no livro 'A arte da procrastinação'. Se você é do tipo que reluta em entregar as coisas no prazo estabelecido, se distrai facilmente, navega na internet em vez de pagar as contas, ou é do tipo que compra o presente do seu amigo a caminho da festa, este livro vai mudar sua vida. Com uma linguagem simples e direta, John Perry nos mostra, por meio de exemplos práticos, como repensar a importância de nossos afazeres e conseguir realizar todos eles (e muito mais!), mesmo quando adiamos aquelas tarefas mais chatas. Prepare-se para descobrir estratégias efetivas e cientificamente testadas contra a procrastinação, mas lembre-se que, acima de tudo, é necessário aceitar sua tendência a deixar as tarefas para amanhã. Crie coragem, faça o que tem de ser feito, mas não deixe, é claro, de aproveitar o tempo que você perde."

Desde que soube do lançamento deste livro, fiquei completamente intrigada sobre o assunto, mas ainda um pouco cética sobre o que seria trabalhado na obra. Sempre me considerei uma pessoa extremamente produtiva, que tenta fazer de tudo o mais rápido possível, deixando o mínimo de coisas para fazer depois, por pura falta de tempo. Costumava torcer um pouco o nariz para aqueles que tinham tempo sobrando e não conseguiam realizar metade do que eu. Certa vez escutei uma frase que achei perfeita: "Se você tem pressa para fazer algo, peça ajuda a alguém ocupado, ele sempre arranjará tempo." E é bem verdade.. peça a alguém que tenha tempo sobrando que vocês verão quantooo tempo essa pessoa vai demorar e quantas desculpas vai dar.. Ok, não estou generalizando...

Enfim, decidi ler o livro porque tenho andado tão, mas tão cansada, que pensei, "Vai que realmente posso aprender lições importantes com o autor e deixar algumas tarefas para depois, já que faz meses que não tenho finais de semana e há anos não tiro férias." O que não podia imaginar, nem em mil anos, é que quando lesse, John fosse pegar bem no meu calcanhar de Aquiles me fazendo enxergar que eu sou a campeã número um em procrastinar tarefas. E o pior, é que nunca me senti tão compreendida, nunca tive uma visão tão boa de mim mesma por alguém que nunca conheci na vida. Eu não estou sozinha no mundo. Pelo visto, existem milhares de procrastinadores por aí, iludidos, culpados, deprimidos, perdidos num mar de listas e de coisas a fazer. Mas afinal, como posso ser produtiva e procrastinadora ao mesmo tempo? É isso que Perry nos explica e compartilha as suas experiências, arriscando-se a dar dicas de como conviver com isso (porque não, a procrastinação pelo visto "não tem cura"), em seu livro A Arte da Procrastinação: Como realizar tarefas deixando-as para depois.
"Há um velho ditado que diz: “Nunca deixe para amanhã o que você pode fazer hoje”. Isso é bastante absurdo. Vamos assumir que cada dia termina à meia-noite. Enquanto não for meia-noite, de acordo com esse ditado, você deveria estar trabalhando em algo, mesmo se pudesse deixar para amanhã. Entre outras coisas, isso significa que você não vai ver The Daily Show with Jon Stewart ou Late Show with David Letterman — a menos que você conte isso como tarefas. Então não saberá nada dos eventos atuais e de importantes tendências culturais. Também significa que nunca conseguirá dormir antes da meia-noite, a menos que não haja absolutamente nada que poderia fazer hoje em vez de deixar para amanhã. É realmente um conselho tonto. O melhor conselho é: “Nunca faça hoje uma tarefa que pode desaparecer amanhã”. Mas se você é um procrastinador estruturado, não precisa desse conselho. Vai obedecê-lo automaticamente. É como um benefício adicional."
Aprendi que existem aqueles considerados procrastinadores estruturados. Mas o que é isso? Diferentemente dos completamente ociosos ou vagais, os procrastinadores estruturados são pessoas que adiam o cumprimento de uma tarefa realizando inúmeras outras. Imaginem a seguinte situação: Gabriela precisa urgentemente terminar seu TCC, mas ao invés disso, decide ocupar seu tempo limpando a casa, respondendo emails pendentes, pesquisando na internet sobre a cura do câncer que, no fim, a leva para demais pesquisas sobre os animais em extinção na África. Não satisfeita, opta por organizar em ordem alfabética seus livros na estante, e por cores suas roupas no armário. Assim, quando alguém perguntar para ela por que não está escrevendo seu TCC, ela vai dizer que está "muito ocupada" e vai discorrer sobre listas imensas de tarefas que deu conta naquele dia, passando a impressão de que é uma pessoa muito atarefada e produtiva. E não que ela não seja. Na verdade até é. Porém, gasta seu tempo com outras coisas enquanto podia estar realizando uma tarefa mais importante. Por isso que os procrastinadores são vistos como pessoas produtivas. Porque elas realmente fazem muitas coisas para não ter que fazer uma, no caso da fictícia Gabriela, seu TCC.

E sabem o que é pior do que um procrastinador estruturado? Um procrastinador estruturado perfeccionista!! Argh, e é exatamente aí onde me enquadro. Os perfeccionistas como eu geralmente têm medo de não atingir a perfeição e, por isso, muitas vezes deixam para depois ou evitam se comprometer com tarefas que sabem que não darão conta de realizar como gostariam. Eles criam uma fantasia tão absurda sobre como algo deve ser feito que se torna inalcançável para um simples mortal. Assim sendo, postergam, realizando outras tarefas de fácil alcance e mais plausíveis, que sabem que se darão bem.

Vejam o exemplo do meu dia: Sou autônoma e tenho três empregos: blogueira profissional, youtuber e designer de scrapbook digital. Meus dias basicamente resumem-se a pesquisar materiais para o blog, criar posts novos, contatar as editoras, ler e resenhar livros, responder comentários de leitores e divulgar o blog nas redes sociais. Além disso, costumo gravar no mínimo dois vídeos por dia, edito, renderizo, faço o upload e crio thumbnails, e depois divulgo e respondo os comentários no youtube. Por fim, crio kits, cadastro nas lojas, atendo os clientes e divulgo. Fora isso tudo, ainda tenho que cuidar da casa, ter tempo para o marido e para os gatos. Tudo isso, todo o santo dia, e provavelmente esteja esquecendo de algo. Isso quando não tenho que sair para fazer compras, ir no banco, correio, etc. Querem saber quantas horas eu durmo? De 3h a 5h por dia. Sim, não posso dormir mais.. até posso, mas se faço isso, as tarefas que por ventura ou imprevistos não foram cumpridas no dia, se acumulam desmedidamente no dia subsequente.

Entenderam por que me considero uma pessoa produtiva e multitarefa? Mas então, o que deixo para depois? Toda e qualquer tarefa que eu julgue importante ou que deve ser realizada com perfeição, como por exemplo, escrever e concluir os milhares de livros que tenho já iniciados. Isso me apavora e me bloqueia. Eu tenho certeza de que não vou dar conta ou de que vão ficar horríveis, então não levo adiante, e por causa desses bichos papões é que eu faço todo o resto :( Foi muito triste me dar conta pela primeira vez que eu podia ter um dia muito mais tranquilo se decidisse me dedicar a tarefas importantes deixando as "outras" para depois.

A minha intenção com esse relato foi de maneira alguma me exibir para vocês, ou comparar as tarefas e os dias atribulados de cada um. Sempre digo que todos têm seus próprios desafios e dificuldades e se organizam como podem. A intenção foi ilustrar um problema que acomete muitas pessoas que não têm nem ideia de que ele existe, ou de que pode ser contornado.

Depois de tudo que li da obra, realmente tentei colocar em prática muitas das dicas divididas conosco pelo autor, e até que algumas deram certo. O problema é que os procrastinadores estruturados têm grande facilidade de se auto-boicotar e de desviar o foco rapidamente. Então este é um exercício que devemos fazer diariamente. Entre as sugestões de John para aprender a "procrastinar" as tarefas certas, vão desde a criação de listas diárias do que fazer e do que não fazer, a descobrir coisas mais importantes ainda para se fazer, substituindo aquelas que estavam pendentes até então.
"No capítulo 1, vimos como boas habilidades de autoengano poderiam beneficiar um procrastinador estruturado, motivando-o a fazer coisas úteis como uma forma de não fazer coisas muito importantes, que na verdade realmente não são tão importantes. Mas às vezes, como naquele dia, boas habilidades de autoengano não são necessárias. O mundo dá um pequeno bônus por procrastinar. Eu poderia ter escrito aquela carta quando me foi pedido a primeira vez, algumas semanas antes. Em vez disso, adiei, supondo que ao chegar perto do prazo receberia um lembrete (ou dois ou três). Se tivesse escrito no começo, poderia ter sido uma completa perda de tempo. Ou poderia ter sido uma perda parcial de tempo — meu ex-estudante poderia escrever outro artigo ou conseguir outra bolsa antes de a carta ser solicitada e então eu teria de reescrevê-la. Há uma pequena chance de que eu perdesse a carta, preenchesse mal ou acidentalmente a apagasse ou meu HD tivesse algum problema antes que eu fizesse um backup. Também é possível que o mundo ou a profissão acadêmica acabasse antes que a carta fosse necessária."
A Arte da Procrastinação não é um livro de auto-ajuda, nem de dicas, muito menos um manual, ele é um livro bom, simples assim. John me cativou pela sua escrita sincera e intimista, instigante e informativa, divertida e extremamente reflexiva. Não é fácil ser um procrastinador, muito menos conviver com um. O mundo de hoje em dia não quer lidar com procrastinadores e não tem tempo para eles, portanto, muitos são excluídos das relações interpessoais e principalmente das cadeias produtivas por simplesmente funcionarem de maneira diferente. Parece um conceito bobo, uma piada de mal gosto, mas não é, este é um problema muito sério que leva muitos a depressão e ao isolamento. Portanto, se você se identificou com esse texto, saiba que é possível conviver consigo mesmo sem culpa e sem pressões demasiadas. O primeiro passo é reconhecer a auto-sabotagem para depois lidar com seus demônios internos.
"Use suas habilidades como um procrastinador estruturado para fazer muitas tarefas relativamente pouco importantes que o não procrastinador poderia nunca conseguir realizar. Pague o almoço. Toque um pouco de música. Deixe-os felizes."
Se eu pudesse, colaria aqui inúmeros trechos significativos e engraçados do livro, mas sei que a resenha já ficou enorme, e que muito provavelmente, vários de vocês não venham a se interessar por essa obra. Que pena. Como diz Perry, a procrastinação às vezes nos favorece, já que eu nunca teria lido esse livro se não tivesse procrastinado a conclusão do meu mais novo conto :) 
"O procrastinador estruturado pode não ser o indivíduo mais eficiente do mundo, mas ao deixar suas ideias e energias viajarem espontaneamente, ele pode conquistar todo tipo de coisas que teria perdido ao aderir a um regime sem procrastinador. Fique contente consigo mesmo pelo que conseguiu fazer. Use listas de tarefas, alarmes e outras formas de armadilhas no seu ambiente. Crie colaborações que vão impedi-lo de nunca conquistar nada. Acima de tudo, desfrute da vida."
A Arte da Procrastinação: Como realizar tarefas deixando-as para depois - John Perry
Editora Paralela
136 páginas 
Comprar: Saraiva
***
Essa postagem está concorrendo ao TOP COMENTARISTA DE OUTUBRO.

Clique AQUI e saiba como participar.

18 comentários

  1. Sou uma procrastinadora estruturada e não me orgulho disso, sei que preciso mudar meus hábitos.
    PRECISO ler esse livro! Obrigada pelas dicas.

    ResponderExcluir
  2. Nossa, acho que vou precisar de dois exemplares, um pra mim e outro pra minha mãe, haha. Eu não sei que tipo procrastinadora eu sou, eu até faço as coisas, mas enrolo muito. Num dia eu cuido da casa, faço comida, malho e estudo. Mas passo 2 hosras malhando, além da faculdade estudo mais em casa, cuido da casa sozinha, pois faço tudo com muuuuita calma, sou bem devagar, rs. E minha mãe quer tudo pra já, e faz muita coisa ao mesmo tempo, e sai berrando por aí. Enfim, uma acha que a outra é doida, haha.

    ResponderExcluir
  3. Caraca, sou uma procrastinadora inveterada, preciso descobrir se isso é bom ou ruim!!! #precisodesselivro

    ResponderExcluir
  4. A relação que o autor faz entre procrastinação e perfeccionismo foi brilhante. Ele ressalta as eventuais vantagens de se deixar para depois cumprir certas tarefas importantes e, melhor do que tudo, mostra o quanto você pode produzir enquanto estiver evitando fazer uma tarefa. Muito Bom !!

    ResponderExcluir
  5. Acho q o livro vai ser bom pra mim.. To precisando de um guia desse. Eu tb deixo de fazer algo importante para fazer varias oitras tarefas,,
    Fiquei surpresa com a quantodade de horas q vc dorme.. Serio mesmo??! o.O
    Não é saudável não..

    ResponderExcluir
  6. "Gabriela precisa urgentemente terminar seu TCC, mas ao invés disso, decide ocupar seu tempo limpando a casa, respondendo emails pendentes, pesquisando na internet sobre a cura do câncer que, no fim, a leva para demais pesquisas sobre os animais em extinção na África. Não satisfeita, opta por organizar em ordem alfabética seus livros na estante, e por cores suas roupas no armário. Assim, quando alguém perguntar para ela por que não está escrevendo seu TCC, ela vai dizer que está "muito ocupada" e vai discorrer sobre listas imensas de tarefas que deu conta naquele dia, passando a impressão de que é uma pessoa muito atarefada e produtiva."
    =O
    Vc me descreveu...kkkkkkkk
    Genten....q tristeza e q tapa na cara q eu levei agora com essa resenha e esse livro!!

    cara...preciso fazer meu TCC...urgente.

    ResponderExcluir
  7. Oi Mi xD

    Primeiramente não vou nem comentar sobre o livro, pois ainda estou abismado como um ser humano consegue durmir apenas de 3h a 5h por dia. Meu Zeus do céu.. eu sou o tipo de pessoa que domina a arte de dormir horas e horas e como tal estou assustado e preocupado com você... realmente, acho que este livro lhe caiu direitinho..
    Enfim.. achei super interessante o livro. Acho que realmente vai melhorar a vida de muitas pessoas, espero que seja você uma delas. Mas não acho que sirva taaanto assim para mim o mesmo, pois ainda não tenho tantas responsabilidades, sabe... mas vai que um dia sirva né, rsrs.
    Amei a resenha.

    Beijos, Lucas.

    ResponderExcluir
  8. Eu me lembro de tu falando bastante sobre o livro enquanto lia. Tenta usar tudo o que tem aí para terminar esses livros, vamos publicá-los!

    Autor de Mestre de Marionetes
    www.laplacecavalcanti.com

    ResponderExcluir
  9. Preciso muito ler esse livro! Pela resenha descobri que sou uma procrastinadora estruturada hahaha tem horas que consigo parar me boicotar e fazer as coisas seguindo seu curso direitinho mas tem horas que eu vejo e lá estou eu procrastinando de novo,rs. Ótima dica de leitura =)

    ResponderExcluir
  10. Eu NECESSITO desse livro! Já vi que sou um misto... Em alguns momentos sou uma procrastinadora estruturada, mas em outros sou a procrastinadora ociosa mesmo... Tem alguns momentos que simplesmente não quero fazer nada somente para descansar a cabeça das coisas da facul... E tantas vezes que invento qualquer coisa pra fazer só pra não ter que ler os textos chatos pra aula... Preciso urgente desse livro, pois cada vez deixo mais pra frente o que deveria estar estudando ou me dedicando... Em raros momentos tenho uma consciência e faço o que deveria, mas como eu disse são momentos raros... Procurando esse livro agora!
    Kisses =*

    ResponderExcluir
  11. Eu também preciso desse livro gente! Descobri que sou procrastinadora estruturada, me identifiquei rapidamente. Sempre deixo algumas coisas da escola de lado para fazer outras mil coisas: ler, cuidar do blog, limpar o quarto, organizar os livros, arrumar as roupas e por fim deixo de fazer algo muito importante... Eu sou a Gabriela kkk
    Adorei mesmo a resenha, bjs

    ResponderExcluir
  12. Nunca havia ouvido falar dele!
    Mas pelo que li ele e muito bom <3
    Me chamou muito atenção,vou procurar saber mais deles rs
    beijos
    Cantinho da Bruna


    ResponderExcluir
  13. Adoraria ter este livro!
    Sinceramente eu gostei da ideia do livro
    irei me ajudar muuito

    ResponderExcluir
  14. Aproveitando o assunto, a quem interessar, um teste para identificar seu tipo de procrastinador:

    http://www.playbuzz.com/sidartal10/que-tipo-de-procrastinador-voc

    É baseado no livro de uma psicóloga chamada Linda Sapadin (“It's About Time!: The Six Styles of Procrastination and How to Overcome Them”, Penguin Books, 1997).

    ResponderExcluir
  15. Acabei de descobrir que sou um procrastinador perfeccionista. E agora?!?! kkkkk
    Apesar de não ser muito fã de livros assim, confesso que esse acabou me chamando um pouco de atenção. Mas bem pouquinho mesmo.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  16. Olá Mirelle, gostei muito da sua resenha, agora fiquei doidinha pra ler o livro, pude me identificar com cada coisinha que você citou.
    Eu já sabia que era uma procrastinadora mas depois dessa descobrir que sou uma procrastinadora estruturada e perfeccionista...kkkkkk, isso é muito louco.

    Sucesso

    ResponderExcluir