Resenha - Aconteceu em Veneza

Resenha - Aconteceu em Veneza
Sinopse: "Bem-vindo a Veneza, a Cidade do Amor. Ele traiu, mas foi uma única vez! Evie Dexter prometeu perdoar seu noivo, Rob e todos os esforços para absolvê-lo de seus pecados estão valendo a pena: nos últimos 10 dias, ela só o chamou de cafajeste 11 vezes. Graças aos céus, sua carreira de guia de turismo está indo muito bem. Evie já conheceu a elegante Dublin, a estilosa Marrakech e a descolada Amsterdã. Quando é convidada para visitar, com todo o luxo e glamour, a sensual cidade de Veneza, com seu vinho delicioso e os italianos impetuosos, ela agarra a oportunidade com unhas e dentes. Se você está à procura de romance, já encontrou o seu destino: embarque em Aconteceu em Veneza, viaje com Evie e tente responder a esta pergunta: o que você faria se estivesse no lugar dela?"

ALERTA! Esta resenha pode conter spoilers do primeiro livro, Aconteceu em Paris. Leiam por sua conta e risco!
Evie estava certa de que vivia o melhor momento de sua vida. Sua carreira como guia turística ia de vento em popa, reatara seu namoro com Rob, que a pediu em casamento, e curtia tranquilamente sua viagem para Barbados com o amor de sua vida. E daí que ele a tinha traído, apenas uma vez? E daí que ficaram separados por dois meses de puro sofrimento e agonia? Evie era mais forte do que tudo isso. Com um bom coração, sabia que tal erro não se repetiria e decidiu deixar o passado para trás. Rob era mesmo um homem de sorte.

O problema é que não existem pessoas de meio caráter, ou se tem, ou não se tem, e quem já mentiu e enganou uma vez, pode muito bem fazer de novo, certo? Ainda mais quando a vítima está completamente iludida e cega para a realidade que a cerca. E bem, foi exatamente isso o que aconteceu.

Por mais que Rob tivesse boas intenções, de querer casar, ter filhos e um futuro glorioso pela frente, seu passado o condenava, e os amigos de Evie não iam deixar barato. Praticamente uma campanha foi criada para riscar Rob da face da Terra, enquanto Evie lutava para entender seus próprios sentimentos. Ela o amava. Ela não podia ficar longe dele e não parava de pensar no noivo a cada instante. Como resistir aos seus pedidos de desculpas e infinitas promessas de amor eterno?

Certamente John e Nikki estavam fazendo o possível para distrair Evie e ajudá-la a seguir em frente. John se mostrou uma excelente companhia para a garota, não só a mimando com presentes e excelentes jantares e eventos, como também a fazendo perceber o quão preciosa era e o quanto merecia mais. Já Nikki, bom, o vizinho esquentado de Evie sempre esteve por lá para juntar seus caquinhos e enxugar suas lágrimas. Ninguém sabe como ela nunca percebeu isso. E pelo visto, nem Nik aguentava mais o posto de ombro amigo.

De repente, Evie se vê no meio de um campo de batalha. De um lado, Rob inferniza seus dias implorando por perdão, de outro, Lulu e suas amigas malucas tentam fazê-la enxergar o quanto seria vantajoso namorar John, o multimilionário. Mas não podemos nos esquecer de Maria, mãe de Nikki, que nunca dormiria no ponto em se tratando da felicidade do filho, e da dela, é claro.

Quando o coração, e muitas vezes os prazeres sexuais falam mais alto do que a razão, como fazer a escolha certa?

Querem saber o que vai acontecer? Então leiam.

***

Aconteceu em Veneza, continuação de Aconteceu em Paris, caiu em minhas mãos meio que ao acaso. Até então, nunca tinha ouvido falar dos livros ou da autora. Mas quando a Editora Novo Conceito me convidou para participar de um hangout com Molly Hopkins, me obriguei a ler o livro, já que precisava me familiarizar com a história e com sua escrita. E que bom que fiz isso :)

Não tive tempo de ler Aconteceu em Paris, então parti logo para a continuação, que foi lançamento de setembro da Editora, e não me arrependi. Depois que concluí a leitura não me senti perdida e não dei falta de possíveis acontecimentos do primeiro livro. Portanto, tive a sensação de que, apesar de um ser a sequência do outro, eles podem sim serem lidos de maneira independente.

Como não conhecia a trama, não sabia o que esperar de Aconteceu em Veneza, e logo que comecei a leitura fui imediatamente fisgada por uma narrativa em primeira pessoa cheia de humor sarcástico, muito drama e confusões, ingredientes perfeitos para um chick-lit de sucesso. Não precisou de muito para que me viciasse na escrita de Molly Hopkins, querendo cada vez mais, afoita para descobrir a próxima reviravolta da história.

Apesar de Evie ter aparentado ser uma tremenda de uma chata, logo de cara, me afeiçoei demais a ela ao longo da trama. Ela é completamente exagerada e dramática, e justamente por isso, protagoniza cenas hilárias que me arrancaram inúmeras risadas. Apaixonada inveterada, é muito passional, se entregando de corpo e alma aos seus romances obsessivos e compulsivos e curtindo uma fossa a cada vez que se depara com uma desilusão.

Molly me chocou com o destino que deu a Rob. Não esperava aquilo do personagem e fiquei um tanto quanto decepcionada. Por outro lado, foi a maneira que Evie encontrou para finalmente acordar para a realidade. Ainda bem que Evie era cercada de amigos que a amavam e a aturavam. Todos foram fundamentais para ajudá-la a superar suas crises, até a desvairada da Lulu, umas das personagens mais incontroversas e fúteis que já me deparei por aí. Lulu testou demais a minha paciência, e me escandalizou com muitas de suas atitudes e pensamentos. Mesmo assim, não consegui odiá-la e acabei me divertindo em muitas das situações vivenciadas por ela.

Mas quem ganhou meu coração foi John. Genteee, que homem apaixonante. Sei que algumas leitoras irão torcer o nariz para ele, já que John tem quase sessenta anos, mas para mim, o fator idade ficou de fora, sendo abafado pelas inúmeras qualidades do personagem. Assim como Evie, não me impressionei com o tamanho da sua conta bancária. É claro que isso ajuda sim, afinal, todos precisamos pagar nossas contas, mas o que mais me impressionou em John foi sua maturidade, experiência e delicadeza no trato com Evie. Ele sabia ser enérgico nos momentos certos, sem ser grosso, ajudando-a a acordar para a realidade, assim como dava o abraço e o colo quando ela mais precisava. A sintonia e intimidade criada entre eles foi tão linda de se ver que nem preciso dizer que torci por John o livro todo, né?

Por sua vez, Nikki foi quem mais me causou uma oscilação de sentimentos. Inicialmente, o considerei um bom amigo e quem sabe, um bom pretendente para Evie, mas Nikki acabou cantando de galo em certo momento do enredo e me deixando muito irritada. Lá pelas tantas, Nik passou a ser completamente meloso e grudento como Rob, coisa que detesto, e mandão como John, mas de maneira rude, o que acho insuportável. Na minha opinião, seu crescimento na obra se deu de maneira rápida, rasa e superficial, me deixando levemente insatisfeita com o rumo da história.

Falando nisso, não posso deixar de confessar que fiquei muito chateada quando as coisas que sonhei não se realizaram. É óbvio que isso foi uma frustração completamente pessoal, afinal, a autora tem todo o direito de finalizar o livro como bem entende.. mas de certo modo, tive a sensação de que Molly quis nos confundir para tentar inserir um "fator surpresa" no final da trama. Sei que muitos vão gostar, mas a mim não convenceu.

Apesar de eu ter considerado Aconteceu em Veneza uma leitura fofa e viciante, alguns pontos me incomodaram, como o fato de haver muito sexo e álcool no texto. Fiquei impressionada com o fato de tudo se resolver com uma dose, ou várias delas. Além disso, parecia que a única coisa que importava para Evie nos seus relacionamentos era a boa química na cama. A abstinência do sexo é o que na verdade deixava ela louca de saudade de Rob, assim como foi um fator importante para que ela encontrasse seu "mais novo amor", e acho isso tão obsoleto no mundo real, em que outras coisas são muito mais importantes para se manter a relação.. mas, enfim.

Outra coisa que achei curiosa foi o fato de imaginei que a história toda fosse se desenrolar em Veneza, já que o título e a sinopse acabam enfatizando tanto essa viagem. Num primeiro momento, cheguei a pensar que Veneza fosse ser apresentada como um marco metafórico, pois já estava em mais da metade do livro e nada dela aparecer. E quando finalmente Evie foi para a cidade do amor, lá ficou apenas algumas páginas, me deixando levemente desapontada. Por mais que a "reviravolta" da narrativa tenha acontecido por lá, eu esperava "mais"... se é que me entendem.

Ainda assim, deixando de lado as minhas impressões particulares sobre o enredo, que se tivesse sido beta reader de Molly, teria amolado a sua paciência para ter feito diferente.. kkkk... super recomendo a leitura de Aconteceu em Veneza, principalmente para aqueles que adoram uma comédia romântica e estão atrás de uma obra despretensiosa, agradável e de leitura rápida como esta.

Embarquem nesse tour pela Europa, apaixonem-se sem medo, se entreguem a boas gargalhadas e reuniões com amigos, e não se esqueçam, seu grande amor pode estar bem ao seu lado, então, permaneçam atentos e não se enganem.. mas para isso, deixem o seu passaporte sempre à mão, como um bom guia de turista sempre faz. Sábio conselho Evie.. sábio conselho ;)

Aconteceu em Veneza - Molly Hopkins
Livro 02
Editora Novo Conceito
464 páginas 
Comprar: Submarino
***
Essa postagem está concorrendo ao TOP COMENTARISTA DE OUTUBRO.

Clique AQUI e saiba como participar.

14 comentários

  1. Oi Mirelle!
    Já sabia que o livro era uma continuação, mas nem o primeiro chamou muito a minha atenção, então acho que não leria, mesmo sendo um estilo que gosto... Eu também tenho mania de me apegar aos personagens "errados" da trama e acabo torcendo o livro inteiro para o mais improvável acontecer. Pelo título, também pensei que o livro todo, ou pelo menos boa parte, se passaria em Veneza.
    Beijos
    sobrelivrosesonhos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Eu jurava que esses livros da Molly eram um desses romances tão açucarados que podem nos causar diabetes só de ler a sinopse. O que não cheguei a ler a de nenhum deles até hoje, só havia visto o título e a capa. Gostei muito de saber que é um chick-lit, para mim o torna mais interessante. Não que romances exageradamente açucarados não possam ser bons, mas essas histórias de casais que bateram os olhos, se apaixonaram à primeira vista, não conseguem respirar sem a presença do outro e estão certo que nasceram um para o outro desde o momento em que se viram não me despertam muito interesse.

    Autor de Mestre de Marionetes
    www.laplacecavalcanti.com

    ResponderExcluir
  3. Ainda não li o primeiro, mas quero ler os dois. Vi em outro blog que é continuação mas são casais diferentes, deve ser tipo Anna e o beijo francês e Lola e o garoto da casa ao lado, né? Bom, parece ser um pouco clichê o romance, mas é disso que eu gosto, haha.

    ResponderExcluir
  4. Ainda não li o primeiro, então passei direto! kkkk
    Assisti o hangout que vocês fizeram com a autora e posso dizer que só fiquei mais curiosa pra ler as histórias dela! Sempre tive vontade de ler Aconteceu em Paris, mas ainda não surgiu a oportunidade de conseguir o livro e ler, então vou adiando... Ainda fiquei feliz por ter feito isso, pois não sabia que era continuação um do outro, e não aguento esperar continuações... Fico desesperada pra ler logo kkkk Bom saber que você gostou desse... Vou ler assim que conseguir os dois livros kkkk
    Kisses =*

    ResponderExcluir
  5. Ainda não li acomteceu em paris e apesar de vc dizer que da para ficar sem ler, gosto de ler os livros na ordem mesmo. Portanto assim q der lerei o primeiro!

    ResponderExcluir
  6. Este livro tem bem a cara de ser muito meloso, mas não gosto muito não.

    ResponderExcluir
  7. Não gosto muito de romances, mas estou querendo me inserir nesse gênero, mas tenho medo de ser algo muito meloso :/

    ResponderExcluir
  8. Oi Mi xD

    Não é de hoje, mas não sou muito chegado a romances. Prefiro uma boa aventura e fantasia. Então acho que não tem chace de ler este livro. Mas amei a resenha, como sempre! Devoro suas belas palavras.

    Beijos, Lucas.

    ResponderExcluir
  9. Nossa e eu que nem sabia que o livro era continuação rsrs Mas eu gostei um pouco da estória e fiquei curiosa para ler, apesar de achar meio clichê.

    "principalmente para aqueles que adoram uma comédia romântica e estão atrás de uma obra despretensiosa, agradável e de leitura rápida como esta." - então acho que devo ler, me identifiquei!

    Beijos MI <3

    ResponderExcluir
  10. Olá Mi tudo bem ?
    Bom eu nunca li nenhum livro da autora então não sei o que dizer sobre ela, mas quanto a história desse livro não me prendeu, a capa não é muito convidativa e a sinopse não me chamou a atenção nem um pouco. estou com certo trauma de livro com inicio maçante e voltas no enredo, bom eu não leria ele no momento mas não descarto a chance de lê-lo algum dia na vida :)
    Abraços
    Cantinho da Bruna


    ResponderExcluir
  11. Tô com Aconteceu em Paris no Kindle, nem sabia que tinha uma sequência... ainda não me animei pra lê-lo, mas quem saiba eu dê uma chance ao livro em breve. Só o comprei pq eu sou fissurada por histórias ambientadas em Paris e acho que esse deve ser bom!

    ResponderExcluir
  12. Aconteceu em Paris ainda não espero ler uma tinha!
    Aconteceu em Veneza muuuito menos espro ter oportunidade de ler um dia!

    ResponderExcluir
  13. Ganhei de uma amiga o 'Aconteceu em Veneza' mas ainda estou deixando ele de lado pois não li o primeiro volume. Apesar de você ter dito que deu para entender a história sem ter lido o 'Aconteceu em Paris' acho que vou esperar mais um pouco, até porque parece ser uma história do tipo que eu gosto, então com certeza vou embarcar no primeiro e devorar esse segundo,rs.

    ResponderExcluir
  14. Gosto de chick lit e quanto mais louca e desajeitada seja a protagonista, gosto mais ainda. Me parece que a Evie é assim. Só o que achei estranho foi a autora não explorar tanto o cenário que dá nome ao livro. Veneza é lindíssima e poderia render cenas incríveis. Uma pena!

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir