Especial A Espada de Kuromori - Mitologia Japonesa

Em A Espada de Kuromori, Jason Rohan nos apresenta um pouco da mitologia milenar japonesa. São tantos nomes diferentes, tantos monstros, numa realidade tão distinta da nossa, que achei legal trazer um pouco delas para vocês, para tentar ambientá-los melhor na trama do livro.
TANUKI:
 
O primeiro youkai, ou monstro, que Kenny enxerga, é um tanuki, chamado Poyo, uma espécie de guaxinim. À primeira vista, ele aparenta ser algum bicho grotesco, mas só porque Kenny se assusta demais ao vê-lo, principalmente porque ele é o único no voo que consegue e tem medo de estar louco.

Mas Poyo é uma fofura ambulante, gorducho e peludo, com um apetite do tamanho do seu coração. Melhor amigo de Kiyomi, está sempre à postos para servir e ajudar a tirar a dupla das maiores confusões.

"O Tanuki faz parte da mitologia japonesa desde tempos antigos. Ele é uma criatura mística, travessa e alegre, mestre no disfarce e na troca de formas. (...) A principal crença em torno do Tanuki é a sua capacidade de mudar de forma, transformando-se, na maior parte dos casos, em homens. Contudo, o Tanuki, geralmente, não obtém tanto sucesso na execução de seus planos, como ocorre com as Kitsunes. Como exemplo, acredita-se que por gostar tanto de sake, ao sentir seu cheiro, o Tanuki esquece-se de seu disfarce e levanta o rabo, revelando sua  verdadeira identidade." Fonte.
ONI:
 
Logo depois de pisar em solo japonês, Kenny se depara com um monstruoso oni de pele vermelha. Taro, braço direito de Sato, era um ser intimidador, e estava resoluto em sua missão de caçar e prender Kenny. Os oni são monstros importantes para a história de Jason na medida em que afetam diretamente Kiyomi por algo que aconteceu em seu passado. Mas o autor nos lembra que devemos aprender a enxergar além dos rótulos criados pela a humanidade.

"O oni pode certamente ser encontrado torturando os pecadores no inferno, e ameaçam também seres humanos neste mundo, procurando nas montanhas e povoados de lugares distantes, e montando nas nuvens como os espíritos do vento e do trovão. Enquanto nos contos folclóricos os onis são geralmente criaturas maliciosas, antropófagas a serem temidas e destruídas por heróis errantes, o oni pode também ter uma função protetora." Fonte
KAPPA:
 
A primeira vez que Kenny e Kiyomi enfrentaram um kappa, não foi nada agradável. O monstro aquático estava disposto a devorar a menina, sem dó nem piedade. Mas, apesar do ocorrido, Kiyomi não queria vê-lo morto, já que ele estava agindo apenas conforme a sua própria natureza. Entretanto, ela também sabia que não podia abusar da sorte e que os kappa eram seres muito temidos.

"Kappa é o nome de um youkai aquático do folclore japonês. Ele pode ser tanto benéfico quanto maléfico e os japoneses acreditam que há algumas maneiras de se proteger contra um kappa maldoso. Quando plenamente desenvolvido, um kappa tem o tamanho de uma criança de dez anos e ele é hermafrodita. Sua pele é escamosa e verde-amarelada; tem cara de macaco, costas de tartaruga; as mãos e os pés têm membranas, para nadar mais facilmente. Talvez seu traço físico mais característico seja uma depressão em forma de pires no topo da cabeça, que deve sempre conter água, para que o kappa possa conservar seus poderes sobrenaturais e sua força extraordinária quando está em terra. Os kappas vivem em rios, lagos e lagoas, mas nunca hesitam em subir a terra firme em busca de sua presa. Tradicionalmente os contos retratam-nos como mal-intencionados, ávidos por sugar as entranhas de sua vítima e beber seu sangue. Diz-se que adoram especialmente o fígado humano. Mas também são representados como inteligentes e honrados. Diz-se que a humanidade aprendeu a arte de curar fraturas de ossos com um kappa, que ofereceu esse conhecimento em troca do seu braço amputado em uma de suas aventuras de pilhagem. Os braços e as pernas de um kappa, quando presos de novo ao corpo, ficam como novos em questão de dias. O melhor método para subjugar um kappa é cumprimentá-lo muitas vezes, curvando a cabeça, como fazem os japoneses. Como é uma cortesia fora do comum, o kappa vai sentir-se obrigado a curvar a cabeça, em resposta. Após vários cumprimentos com a cabeça, todo o líquido (que lhe dá poderes e força, fora da água) terá se derramado do topo de seu crânio e ele será forçado a voltar ao seu lar aquático. Outra estratégia para aplacar um kappa mal-intencionado é dar-lhe pepinos para comer, pois trata-se de seu alimento predileto. Diz-se que riscar o nome dos familiares na casca de pepinos e depois jogá-los dentro da água protege essas pessoa contra os kappas, que, ao aceitarem os pepinos para comer, ficam moralmente obrigados a não fazer mal a essas pessoas." Fonte.
KITSUNE:
 
Quando Kenny sonhou com um kitsune branco de nove caudas, nunca imaginou que tal ser pudesse existir, muito menos que podia se transformar em humano e que havia jurado lealdade à deusa Inari, a Deusa do Sol. Kiyomi o ensinou que cada cauda representa cem anos de existência, e que nove é o número máximo que se atinge quando um kitsune completa mil anos. Imaginem ter a oportunidade de conhecer e treinar com um mestre tão antigo e de tamanha sabedoria? Pois é..

"A lenda da Kitsune é muito popular na mitologia japonesa e, de acordo com as lendas, são animais com poderes mágicos (místicos), sagrados ou amaldiçoados. As lendas sobre as Kitsune, quase sempre englobam sabedoria. E, como diz o famoso ditado “Esperto como uma raposa”, elas simbolizam a inteligência e sagacidade. As Kitsunes geralmente são mais poderosas que os seres humanos e por isso tendem a agir com arrogância sempre que entram em contato com um. Geralmente são dotadas com poderes incríveis, incluindo possessão, habilidade de cuspir fogo, aparecer em sonhos, criar ilusões, dobrar o tempo e espaço, enlouquecer e até mesmo matar pessoas." Fonte.

***

Como vocês puderam ver, o que não falta em A Espada de Kuromori é muita fantasia, aliando mitologia à ficção com uma pitada do mundo moderno, combinação que não poderia ter ficado mais perfeita.

Espero que vocês gostem de embarcar neste mundo repleto de lendas que prometem ser mais reais do que vocês imaginavam.

Beijos, Mi
***
Essa postagem está concorrendo ao TOP COMENTARISTA DE SETEMBRO.

Clique AQUI e saiba como participar.

16 comentários

  1. Após a resenha anterior eu já estou suuper a fim de ler este livro!!
    Mto bacana nos ambientalizar sobre os elementos de fantasia q constam no livro!
    Sempre q leio livros assim dou uma googlada nos personagens q aparecem p melhor me identificar. hehe
    Kitsune é mto fofoooo

    ResponderExcluir
  2. Oiiii Mi, super legal você nos mostrar um pouco dos personagens, para nos ''ambientalizar melhor sobre na trama do livro''. O Tanuki parece ser muito fofo mesmo! igual a mim! kkkkk
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Oi Mi, eu particularmente não gosto de livros assim, sei lá, acho que é mais o gosto do meu irmão. Vou indicar para ele.

    Abçs :)

    ResponderExcluir
  4. ADOREI ESSE POST !!! serio msm ainda mais falando da cultura japonesa q eu gosto bastante kk * ----- *

    ResponderExcluir
  5. Eu achei os dois primeiros bem feiinhos!Não o culpo de ter se assustado! kkk O Kitsune até que é bem bonitinho! Amei o post, um pequeno vislumbre da cultura Japonesa, da qual eu não sabia e ainda não sei absolutamente nada!

    ResponderExcluir
  6. To com a Tamires heheh
    Acho que nao e muito meu estilo.. Meu irmao mais novo que gosta mais desse tipo de coisa..
    Forever a Bookaholic
    Curta a página do blog

    ResponderExcluir
  7. Oi Mi,
    Você já sabe o que achei desse livro.
    Beijos,

    www.enquantoestavalendo.com

    ResponderExcluir
  8. A cultura japonesa é fascinante!! Já sei o que vou dar de presente pro meu amigo Raphael, hehe. Espero que ele não leia esse comentário. *-*

    ResponderExcluir
  9. Curto muuuuito historia japonesas
    e me amarro na cultura de lá e tals
    acheiii livro perfeito e realmente queroo ler em breve !
    Acheii historia com enredo muuuito bom e muuuito bacana
    pois ele acha que visita em seu pai sera normal e nao sera

    ResponderExcluir
  10. Super bacana nos mostrar um pouquinho mais dos detalhes e personagens que habitam a trama.
    Mesmo assim ainda não senti vontade de ler o livro,realmente não é meu gênero.
    Bjus

    ResponderExcluir
  11. Adorei saber sobre esses personagens da mitologia japonesa ainda não os conhecia até me animei para ler o livro.

    beijos

    ResponderExcluir
  12. Adoro livros que trazem mitologia, seja ela grega, romana, egípcia, japonesa puddingjss tantas outras, sempre acabo querendo me aprofundar mais nas origens dos mitos .

    Adicionados o post, até hj só tinha ouvido falar dos Kitsunes .

    ResponderExcluir
  13. Li a resenha, depois desse especial e fiquei com uma vontade enorme de ler pra ontem 'A espada de Kuromori'. A tentação vai aumentando cada vez mais,rs.

    ResponderExcluir
  14. Não sou muito fã da cultura japonesa, mas curti esses personagens da mitologia deles... Sem falar que achei o Tanuki muito fofo e fiquei encantada com a Kitsune (que me lembrou muito Naruto: confesso que já assisti! kkk)...
    Não é o tipo de livro que eu goste, mas já to vendo que meu irmão vai adorar a história...
    Kisses =*

    ResponderExcluir
  15. Oi Mi xD

    Vim fazer um apelo. Por favor, chega de falar sobre esse livro. Por que se não eu vou morrreeeeeeer se não lê-lo logoo. Ahhhhhhhh, kkkkk. Ele é simplismente perfeitooo. Eu quero um Kappa para mim, rsrs, apesar de tudo, é muito fofo. huehuheu

    Beijos, Lucas.

    ResponderExcluir
  16. nao curto muito a cultura japonesa , mais adorei os personagens e confesso que tem alguns que me dao medo rsrsrsrsrsr , mais o Tanuki é muito munitninhuuuuuuu , acho que vou gostar deste livro !

    ResponderExcluir