Falando sobre a Bienal de SP #1 - Resumo da Viagem

Oi gente, demoramos, mas voltamos para contar para vocês como foi essa viagem surreal para São Paulo, para visitarmos a Bienal do Livro. Vai ser humanamente impossível resumir toda a nossa experiência em um só post, então decidi dividi-los em assuntos variados, combinando com alguns vídeos que farei para o Canal do Youtube. Assim vocês podem ficar à vontade para ler/ver o que quiserem. O post de hoje é apenas um resumão. Para quem quiser saber de detalhes, fiquem de olho no decorrer da semana.

Para quem quiser ver mais fotos, me sigam no Instagram.

Lembrando que hoje, às 18h, vai ter um bate-papo ao vivo sobre a Bienal de SP no Canal do Youtube, com direito a sorteios de brindes e livros autografados. Participem!

Como falar sobre a Bienal do Livro de SP de um jeito que todos entendam? Sinceramente, não sei.. ainda estou tentando colocar em palavras os sentimentos que permeiam o meu ser. Tive a oportunidade de ir na Bienal do RJ ano passado, sozinha, e achava que esta seria igual.. mas não foi.
Na sala de embarque, do aeroporto de Porto Alegre
Às vésperas da viagem, Dany e eu já estávamos com nossos estômagos virados ao avesso. O medo de esquecer de algo, de não dar tempo de fazer tudo o que precisávamos, de não saber o que encontraríamos por lá nos consumia.. mas lá fomos nós, nervosas, excitadas e felizes, pegar o nosso voo na tarde de sexta, dia 22/8.

Nossa desventura começou à bordo do avião, por causa de um certo Comandante e de um pouso terrível que tivemos que enfrentar. Assim, deu-se início as milhares de histórias que recheariam a nossa bagagem na volta. O voo atrasou e o Laplaceeee, nosso querido amigo e escritor de A Página é Certa, publicado pelo selo Ases da Literatura, não parava de nos ligar e mandar torpedos querendo saber se já tínhamos chegado.
À bordo do avião.. o Comandante ainda não tinha chegado :P
Mal a viagem tinha começado e já estávamos podre. O Dudu, meu cunhado, nos buscou no aeroporto, descarregamos as bagagens de 15kg cada depois de subirmos quatro andares de escada, trocamos de roupa, arrumamos as mochilas, e pegamos dois ônibus e um metrô até chegarmos ao Anhembi, quase às 18h. Desde logo, nosso roteiro sofreu alterações que, posteriormente, notamos ser providenciais.

E não é que tivemos a sorte de logo na entrada encontrarmos Hugh Howey, autor de Silo, e o motivo pelo qual fomos até a Bienal? Genteeee, eu quase caí durinha.. não sabia se berrava, se chorava.. meu inglês travou todinho.. kkk Pensem numa pessoa simpática, atenciosa e querida?! É o Hugh! Primeiro o Laplace queria nos matar por termos nos atrasado, depois ele queria pular de alegria, porque se não fosse nosso atraso, não teríamos ganhado esse enorme prêmio \o/ Preciso dizer que começamos a Bienal com pé direito?
Com Hugh Howey gato e divooooo!
Sexta-feira o dia estava perfeitooo! Não sei se era por causa do horário, ou porque era o primeiro dia, mas os corredores estavam vazios. Pudemos visitar a maioria dos estandes, coletar marcadores de livros e encartes, conhecer e pegarmos os autógrafos dos autores nacionais, etc.  
O trono do Game of Thrones estava vazioooo! 
Não tinha filas para tirar fotos com os vestidos de A Seleção!! Vocês têm ideia do quão incrível foi isso? kkkk
Foi tudo tão corrido que, quando percebemos, a Bienal já estava fechando. Não lembrei de ir ao banheiro, ou de comer, de tão eufórica que estava. Chegamos de volta no apartamento quase meia-noite. Sabíamos que tínhamos que dormir, mas a gente queria ficar conversando, postando fotinhos, etc. Resultado, tivemos apenas 2h de sono, já que acordamos mega cedo para tentarmos conseguir as senhas de Cassandra Clare e Kiera Cass no outro dia.

Contratamos um táxi para nos levar de madrugada até o evento, já que o metrô ainda não tinha aberto e adivinhem.. Não é que o pneu do carro furou?? Pensem em duas meninas em pânico, com medo de não chegarem a tempo e perderem as senhas dos eventos? Pois é.. mas vocês já devem imaginar que tudo na vida acontece por um motivo, certo?! Será que o destino existe mesmo? Enfim, quando chegamos no pavilhão, já tinham quase mil pessoas na fila e algumas inclusive chegaram a dormir por lá na noite anterior. Pensamos, "ferrou".

Mas, como que por um milagre, acabamos entrando na feira às 6h30 da manhã por causa das nossas credenciais, junto com a Scheila e a Carol, do Blog Guardiã da Meia-Noite, e algumas outras pessoas. Ainda não sabemos dizer como isso aconteceu, só sei que chegamos na entrada de serviço, apresentamos as nossas credenciais, e entramos, simples assim. Portanto, a sorte sorriu novamente para nós e quando os portões da Bienal abriram para o público, já estávamos com as nossas pulseiras/senhas no pulso.
Sábado foi um dia difícil de aguentar. Deu muita confusão, pisoteamento, quebra-quebra no estande da Galera, dentre outras coisas. O povo tava sem paciência e tinha empurra-empurra nos corredores, o ar condicionado não dava conta da quantidade de gente e nunca passei tanto calor na vida. Quem disse que dava para beber água ou ir ao banheiro? Só se a gente conseguisse aguentar 2h na fila de cada um. Um absurdo, uma falta de respeito com as pessoas. Detalhe, as mulheres estavam invadindo os banheiros masculinos que não tinham filas e diversas pessoas estavam tão enraivecidas que só diziam "eu vou processar a organização do evento".
Mal consegui tirar fotos.. eu só queria sentar, comer, me hidratar. Teve uma hora que me encostei numa parede, deitei e dormi mesmo, porque não aguentava. Fiquei longe da Dany na maior parte do dia, já que ela esteve na peregrinação para ver Cassandra, e posso adiantar que as coisas não saíram como ela queria. Mas em breve ela fala disso para vocês.

No final do dia eu estava tão irritada, tão cansada, com tanto sono, que estava soltando fogo pelas ventas. A vontade que tinha era de nem voltar no domingo, já que tinha feito quase tudo o que queria. A Dany também não estava mais empolgada, principalmente depois das decepções que enfrentou. Digamos que sábado foi o pior dia, foi o inferno na Terra para os visitantes da Bienal. Um dia que só sobreviveu com boas lembranças por causa dos amigos queridos que encontramos e cuidaram de nós.
Com Laplace, nosso salvador da pátria!
Domingo decidimos ir somente à tarde para a feira. Eu precisavaaaa dormir, muitooo! Chegamos eram quase 15h. Sei de gente que desistiu de entrar por causa da fila homérica, novamente. Mas ainda bem que estava "menos pior" que sábado. Alguns corredores ainda eram transitáveis. Praticamente abandonamos a nossa programação. Preferimos passear sem compromisso, ver o que ainda não tínhamos visto e, ao final da tarde, participar do Encontro de Blogueiros da Novo Conceito, organizado pela Bianca Branco, do Hello Star, que nos arrancou muitas risadas. Inclusive uma pagação de mico do século por causa do senhor Leonardo Amarante, que fez questão de dizer em público e em alto e bom tom que sou uma chefinha megera :P kkkkk

Por fim, fomos com o Laplace para a rodoviária do Tietê para jantarmos, e digamos que aquele momento foi um dos mais incríveis da nossa viagem. Imaginem juntar três escritores num mesmo ambiente, que não param de ter ideias e de falar... Pois bem, dali nasceu argumento para mais três livros que assim que der, Dany e eu escreveremos em coautoria, e prometo, vocês vão amar!

Segunda-feira começou com chave de ouro. Estávamos acabadas e ainda em transe, sem acreditarmos que tínhamos passado por tudo aquilo e sem querer nos despedir da Bienal. E não é que encontramos Cassandra Clare, sentadinha na sala de embarque, apenas acompanhada de um funcionário da Editora Galera? Era muito bom para ser verdade! Tratamos de tirar fotos e pedir autógrafo e, depois, caímos no choro sem acreditar no que vivemos.
Com Cassandra Clare
O mais difícil de tudo foi dar tchau para a Dany em Porto Alegre, quando aterrissamos. Dany se mostrou uma excelente companheira de viagem, parceira, alegre, entusiasmada. Nos tornamos ainda mais íntimas e em sintonia depois de compartilharmos esses dias tão intensos. Tenho muito a te agradecer amiga.

Aliás, tenho muito a agradecer a muita gente, mas já fiz um post enorme no face sobre isso e não quero soar repetitiva. Esse post já está enorme, e ainda assim, não chega nem perto de tudo que de fato vivemos. Mas quis pelo menos dar uma ideia para vocês de como foi a viagem.

Sobre as dicas de viagem que dei no vídeo que gravei, cheguei as seguintes conclusões: Nas próximas Bienais, irei de vestido longo e chinelo, levarei no mínimo um milhão de garrafas de água na mochila, levarei uma pochete para acessar rapidamente as coisas da bolsa, tentarei fazer xixi sempre que puder e NUNCA mais esperarei ficar apertada, levarei várias balinhas mentoladas porque a boca fica muitoooo seca, levarei uma mochila de rodinha, porque é insuportável carregar peso por mais de 16h, e JAMAIS me submeterei de novo a ser esmagada, pisoteada e prensada em filas desumanas para conseguir um autógrafo e uma foto. Não sirvo para isso!

Se tiverem alguma pergunta, sobre algo que eu tenha esquecido de mencionar, deixem nos comentários.

Infelizmente, não conseguimos gravar os vlogs como prometi que faríamos. Não tivemos tempo, estávamos podre, e quando tentei, o áudio ficou horrível por causa do barulho. 

Espero que tenham gostado.

Beijos, Mi
***
Essa postagem está concorrendo ao TOP COMENTARISTA DE AGOSTO.

Clique AQUI e saiba como participar.

17 comentários

  1. As suas fotos foram as melhores que vi até agora da Bienal.
    Parabéns!
    Nome de seguidora: Miriam Guiraldelli

    ResponderExcluir
  2. menina o evento foi demais, deu pra perceber o quanto você se divertiu e a experiência valeu a pena!
    parabéns pelas fotos!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Aí Mi! Que sonho! Queria muito um dia ir na Bienal! E esses vestidos divos da Seleção? Que inveja !!!! O trono de game of thrones :] senti a alegria só por suas palavras ! a Cassandra deve ser um sonho encontrá-la !!! E hoje tem live, Ebaaaaaaa! Beijo Mi

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. São lindos mesmo, vontade de roubá-los para mim.. kk Beijos

      Excluir
  4. Olá,
    É engraçado como a gente cria expectativa e acha que as coisas são tão imprevisíveis, quando na verdade elas são previsíveis e muito. Fico feliz pela boa viagem, apesar de todos eles problemas e um dia quero passar por essa experiência. Me lembrarei das dicas, rs.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. O comandante! \o/\o/\o/

    Nossa, mas como eu quis matar vocês pelo atraso na sexta. O pior era que eu estava com raiva e preocupado ao mesmo tempo, porque eu pensei também que o avião podia ter caído ou sido sequestrado, sei lá. Não sabia se ficava com mais raiva ou mais preocupado. kkkkkk

    Mas aí Hugh Howey chegou e eu passei a amar o atraso de vocês! Não deu nem tempo da gente se conhecer oficialmente, não foi? Quando nos vimos eu já fui puxando teu braço para a gente correr atrás do Hugh. kkkkkkkkk

    Eu queria muito ter visto a alegria da Dany ao ver a Cassandra no aeroporto. Acho que ela teria dito algo como: "MIREEEEEEEEEEEEELLE é a CASSAAAAAAAAAAANDRA!". kkkkkk

    E para fechar o post:

    MIREEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEELLE!

    ResponderExcluir
  6. Nossa Mi, você teve muita sorte. Queria tanto ter ido na Bienla, mas não deu, fiquei muito triste :(
    Que bom que aproveitou, espero ir para o Rio de Janeiro ano que vem.
    http://leit0res.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oi Mi,
    Eu jurava que já tinha comentado neste post.
    Eu me arrependi de não ter ido a Bienal de SP.
    No começo eu achava que era uma perda de tempo, mas eu to sentindo pelos seus posts e de outras pessoas que foi bem melhor que a Bienal do RJ.
    Espero que a do RJ de 2015 chegue muito rápido!
    Minha namorada surtou quando mostrei suas fotos da seleção.
    Muita sorte você encontrar a Cassie no Aeroporto.
    Ela veio até o Rio, mas eu estava tão atarefado que esqueci da data e só lembrei na parte da tarde.
    Mas na próxima eu consigo!

    ResponderExcluir
  8. Mireleee,
    Eu quase surtei com tanta foto no instagram (justo eu que quase não mexo hehe), toda diva nos vestidos ^^ e a felicidade no rosto? Os autores? Acredito que foi maravilhoso e espero poder ir na próxima.
    Beijocas ^^

    ResponderExcluir
  9. Eita que essa ida à Bienal se tornou uma aventura desde de Porto Alegre, hein?!?! Digna de um chick lit daqueles. Kkkkkk
    Sou daqueles que acreditam que o que tiver que ser, será. E isso se confirmou com vocês nessa viagem. O atraso que deu certo. Afinal, vocês conheceram o Hugh. E a bagunça e empurra-empurra pra pegar um autógrafo de Cassandra Clare, e vocês conseguiram isso no aeroporto. Acho que, mesmo com esses poréns, o saldo foi super positivo.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  10. Que linda a Mi toda de princesinha, gente, perfeito.
    Vocês numa sorte danada de encontrar o autor de Silo logo de cara.
    Arrasaram!

    M&N | Desbrava(dores) de livros

    ResponderExcluir
  11. Que aventura maravilhosa vocês tiveram na Bienal! Estava acompanhando seu instagram e já tinha visto as fotinhos mas agora com o post deu pra ter uma noção melhor do que realmente aconteceu. Encontro com Cassandra no aeroporto assim é uma daquelas chances uma em um milhão! Sortudas!!! E o encontro com o Hugh assim logo de cara? Com a loucura toda com certeza valeu muito a pena,não é? Bjs :-)

    ResponderExcluir
  12. Vcs tiveram sorte ein ^-^
    Queria muito ter ido, mas infelizmente não pude T.T

    ResponderExcluir
  13. Oi tudo bem?? Como vc tem sorte adooorei as fotos e resumo

    http://b-maluco.tk/

    ResponderExcluir
  14. Que inveja (BOA) das suas fotos com os vestidos de A Seleção!

    ResponderExcluir