Resenha - Filme Planeta dos Macacos: O Confronto

Resenha - Filme Planeta dos Macacos: O Confronto
Sinopse: "Uma crescente nação de primatas geneticamente modificados e liderados por Cesar é ameaçada pelos sobreviventes humanos de uma alarmante epidemia viral desencadeada há uma década. O momento de paz em que se encontram está fragilizado e dura pouco, quando os dois lados são levados à beira de uma guerra que determinará quem será a espécie dominante da Terra."

Há anos, a gripe símia assolou a Terra exterminando com a sua população. Os que não foram contaminados, acabaram sendo mortos por disputas internas. Desde então, Cesar vive com a sua família de macacos geneticamente evoluídos no isolamento da mata fechada.

Pela primeira vez, depois de muito tempo, há um clima de paz e comunhão. Cesar lidera seu bando com punho firme, mas com compaixão. Depois de tudo que já testemunhou, acredita que os macacos são o futuro do planeta, uma raça superior aos humanos, tendo em vista que macacos não matam macacos, diferentemente dos homens.

A vida seguia seu rumo, até que um inesperado encontro entre espécies faz ressurgir uma disputa há tempos encerrada. Humanos sobreviventes invadem a floresta dos macacos em busca de uma represa de água. Eles precisam religar o gerador já que estão em vias de ficarem sem energia elétrica, mas, para isso, devem convencer Cesar de que homens e macacos podem coexistir em harmonia.

Cesar está inclinado a cooperar, mas Koba, seu braço direito, não confia nos humanos. Ele guarda na pele cicatrizes de um tempo de tortura e enclausuramento e está disposto a tudo para provar a sua teoria e eliminar de vez a raça humana.

Querem saber o que vai acontecer? Então assistam.

***

Fui assistir ao Planeta dos Macacos: O Confronto, em cabine de impressa, na versão 3D, muito por insistência do Leo, que me disse ter gostado do primeiro filme. Não sabia o que esperar deste, já que não assisti ao Planeta dos Macacos: A Origem, mas confesso não ter sentido falta, já que O Confronto aparentou ter um enredo não muito atrelado ao primeiro longa, desenvolvendo uma história toda nova.

De início, assumo que muito me incomodou ver macacos evoluídos em tão pouco tempo. Ok, eles foram geneticamente modificados e conviveram com os humanos, o que pode ter contribuído para o seu rápido aprendizado, mas mesmo assim... Apesar disso, gostei do clima inicial do roteiro, em que os macacos são mostrados em seu habitat natural, vivendo em harmonia, sendo liderados por Cesar e tendo um código de conduta invejável.

Com isso, tive a nítida impressão de que o filme transcorreria nos dando uma ideia de que os macacos seriam a única esperança da Terra. Uma raça, sem sombra de dúvidas, mais desenvolvida do que a nossa, o que para mim teria sido satisfatório. Pensar que macacos, que sofreram por muito tempo nas nossas mãos, seriam capazes de aprender com os nossos erros e não voltar a cometê-los seria algo louvável de se presenciar. Mas não foi o que aconteceu.

Macacos e humanos não são tão diferentes assim, no final das contas, e o filme fez questão de enfatizar que independentemente da raça, existem seres bons e seres maus. Sei que teve muita gente que apreciou essa abordagem do enredo, mas acabei me decepcionando. Em O Confronto, presenciamos o nascimento de uma nova civilização, em que os macacos acabam reproduzindo os erros dos humanos na tentativa de sobreviver. Foi estranho não ter por quem torcer no decorrer da história, já que ambos os lados não são santos.

Mas, na verdade, tudo isso eu seria capaz de relevar. O que realmente me incomodou foram as cenas de violência gratuita e de uma, em específico, que rolou no meio da filmagem e que quase me fez levantar e ir embora. Cheguei a olhar para o Leo e pensei: "WTF". Parecia que eu estava vendo um filme trash de Rambo.

Lembrando que não sou fã da franquia Planeta dos Macacos, não estava aguardando avidamente a continuação, não vi o primeiro filme para trazer uma boa comparação para vocês e me irritei demais com o roteiro fraco, cheio de pontas soltas e algumas cenas de ação. Mas essa é a minha opinião, e sei que a grande maioria não irá concordar comigo, uma vez que, ao sair da sessão, só ouvi elogios por parte das pessoas que também estavam no cinema. Fui uma das únicas que não gostei.

Deixando as críticas de lado, não posso abster-me de mencionar os fantásticos efeitos visuais da película. Fiquei chocada com o realismo dos símios. "O diretor Matt Reeves, que criou uma nítida e inesperada sensação de realismo em Cloverfield – Monstro, suspense de 2008, diz: “Minha esperança é que a plateia, mesmo ciente dos efeitos visuais, diga: ‘Espere aí. Nenhum dos macacos do filme era de verdade? Como isso é possível?’". E foi exatamente assim que me senti, principalmente nas cenas protagonizadas por Cesar e Maurice.

Foi incrível terem conseguido captar as expressões faciais dos atores que interpretam os macacos e conseguirem reproduzir nas telonas. Tornou tudo muito mais emocionante a ponto de deixarem os humanos em segundo plano. O filme até tentou inserir o drama pessoal de Malcolm que, assim como Cesar, preocupa-se com o bem-estar de sua família e deseja desesperadamente construir um lugar seguro para eles, mas acabou ficando aquém no panorama da história.

Outrossim, Planeta dos Macacos: O Confronto, revolucionou nas filmagens em locações externas, com 3D nativo, inúmeros recursos complexos e uma equipe de atores interagindo uns com os outros e com o ambiente, proporcionando ao telespectador um espetáculo e tanto, principalmente ao tentar reproduzir um ambiente pós-apocalíptico com um mundo retomado pela natureza.

Uma curiosidade que achei muito engraçada é que dois chimpanzés foram levados ao cinema para assistir ao filme, nos Estados Unidos. No vídeo abaixo podemos ver as diversas reações dos símios ao assistirem as cenas, cobrindo o rosto nas de tensão e aplaudindo nas que mais gostaram. Fonte.



Por fim, posso dizer que, apesar de eu não ter gostado tanto, este é um filme que irá agradar a maioria, que se deleitará com os efeitos visuais, as cenas de ação e a promessa de uma guerra muito maior pela conquista da Terra. Quem irá vencer? Os homens ou os macacos? Assistam e façam as suas apostas.

* Agradeço ao Espaço/Z por ter me proporcionado assistir ao filme em primeira mão, numa cabine de imprensa. 

Título original: Dawn of the Planet of the Apes
Roteiro: Amanda Silver, Mark Bomback, Pierre Boulle e Rick Jaffa
Direção: Matt Reeves
130 minutos
TRAILER


***
Essa postagem está concorrendo ao TOP COMENTARISTA DE JULHO. 


Clique AQUI e saiba como participar.

14 comentários

  1. Mi,
    Eu adoro a franquia!!! Adoro as comparações que fazem entre nós e os macacos embora ache difícil considerar que somos a evolução daquela espécie... se assim fossem, porque pararam de evoluir?
    Enfim... pelo trailer amei os efeitos, a ideia de que nem todo mundo é mau ou bom e de que todas as espécies, sejam elas quais forem, vão lutar por sua sobrevivência... isso é instinto humano e animal... muito interessante!
    Quanto à evolução deles, que vc comentou, se somos a evolução da espécie, porque não poderiam evoluir novamente???
    Adorei e vou ver!
    Beijos
    Chrys Audi
    Blog Todas as coisas do meu mundo

    ResponderExcluir
  2. Assisti o primeiro filme só pelo Tom Felton e não gostei nem um pouco, por isso não tenho a menor vontade de ver esse.
    E eu vi essa dos chimpanzes no cinema e achei o máximo hahaha

    ResponderExcluir
  3. Vi um poster desse filme quando fui assistir 'A Culpa é das Estrelas' (ou foi em Divergente? Vish, não lembro), e me interessei um pouco. Só que quando assisti o primeiro não gostei muito. É complicado, rs.

    ResponderExcluir
  4. Mi, não sou lá muito fã de filmes de macacos por assim dizer. Acho legal as técnicas que eles usam para parecer tão real. Mas, não gosto de filmes que tem esse tipo de questão. Beijo

    ResponderExcluir
  5. Gostei muito do trailer desse filme e fiquei com muita vontade de assisti. Tomara que eu tenha chance de ir ao cinema.

    ResponderExcluir
  6. Assisti o primeiro filme e gostei muito. Foi um filme que me emocionou muito.
    Quero assistir ao segundo filme. Só fico um pouco temerosa com as cenas muito violentas.

    ResponderExcluir
  7. Oi Mi,
    Concordo que independente da raça sempre tem um lado bom e um lado ruiim..
    Enfim, não assisti a nenhum filme ..e apesar de você dizer que eles serem histórias dependentes me deu vontade de assistir..ksksks' gosteii do trailer ..os efeitos foram realmente muito incríveis .. e quanto essa história de evolução .ahh tem até horas que isso cansa de tanto escutar cientista falar que somos oriundos dos macacos ..
    beiijoos *--*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oh ..saiu errado eh"dizer que sao historias independentes"

      Excluir
  8. Nunca fui fã e nunca me interessei pelos antecessor (ou antecessores, não sei se tem mais de um) desse filme, a história não me convenceu e não sei, o filme não "bateu", é aquela coisa de ver e já não gostar.
    Bjos!

    ResponderExcluir
  9. Vi esse filme ontem mesmo, e admito que ainda não vi o primeiro. Mas tudo bem, consegui entender perfeitamente a história, que é surpreendente em algumas partes. Ao começar a ver o filme, nunca imaginei que a humanidade tinha sido praticamente extinta, sei lá. É um filme bom.

    ResponderExcluir
  10. Também não sou muito fã da franquia "Planeta dos Macacos", mas acho que daria uma chance pra assistir. Gosto de filmes com essa pegada de ação. Pelo que entendi, visualmente falando, o filme é ótimo, mas o desenrolar da história não é tão bom assim. Bem, só posso dizer que fiquei bem curioso pra assistir, e sabendo desse "probleminha" com o enredo, já vou sem grandes expectativas.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  11. Não assisti ao primeiro filme porque simplesmente não me atraiu e mesmo esse filme sendo independente, continuo sem vontade de conhecer a história, apenas concordo que as espécies são boas e ruins ao mesmo tempo.
    Beijocas ^^

    ResponderExcluir
  12. assisti o primeiro e achei bem interessante, agora esse filme parece que esta bem bacana, o trailer tãaao amorzinho com o macaco e humano se "abraçando" annnw, to louca pra ver

    ResponderExcluir
  13. O elenco traz ainda Tom Felton, Freida Pinto, Andy Serkis, Brian Cox e John Lithgow. Recentemente, Tom Felton apareceu no filme Risen, que é uma espécie de sequela do "Paixão de Cristo". Eu não sou um fã deste gênero de filme, mas eu gostei da perspectiva ateísta com uma estrutura narrativa realizada da maneira mais respeitosa, honesta e real. Vale a pena vê-lo como ele é uma adaptação do que acontece depois que Jesus ressuscita.

    ResponderExcluir