Entrevista - Autora Sarah Lotz fala sobre Os Três

Entrevista - Autora Sarah Lotz fala sobre Os Três
E aí pessoal, hoje trago para vocês a entrevista com a Sarah Lotz, autora de Os Três, lançado pela Editora Arqueiro.

Desde que li esse livro, fiquei completamente curiosa para descobrir maiores detalhes a respeito da obra e fiquei imensamente feliz pela Sarah ter respondido o meu email.

Esta entrevista foi feita por mim, no dia 11/06/2014, através de trocas de emails.

P.S. A tradução foi feita por mim, peço desculpas por algum eventual erro.

MC: De onde surgiu a ideia de escrever Os Três?

SL: Eu morro de medo de voar de avião e sempre quis escrever um livro que falasse a respeito de acidentes aéreos como uma forma de tentar lidar com a minha fobia (eu costumo escrever sobre coisas que me amedrontam, imaginando que seria catártico). Infelizmente, toda a pesquisa feita para compor o livro acabou me deixando com ainda mais medo.

MC: Seu livro possui muitos dados técnicos e precisos, desde os acidentes de aviões, as equipes de resgate, teorias conspiratórias, etc. Você fez muitas pesquisas para compor a história? Quanto tempo levou para escrever o livro?

SL: Teve uma enorme quantidade de pesquisa envolvida. Dentre outras coisas, eu entrevistei pilotos comerciais e investigadores de acidentes aéreos, viajei para Tokyo e visitei a floresta Aokigahara, estudei os relatórios da NTSB, acompanhei paramédicos sul-africanos, reli o velho testamento, mergulhei na escatologia, dei uma lida na história econômica do Japão e na influência da religião na política americana, bem como falei com teóricos conspiracionistas que acreditam que os aliens invadiram a sociedade. Muito disso foi perturbador, principalmente as leituras feitas dos relatos de pessoas que perderam seus entes queridos em trágicas circunstâncias.

Eu levei praticamente um ano pesquisando sobre o assunto e seis meses escrevendo o livro.

MC: Você já sabia como terminaria o livro quando começou a escrevê-lo? Por que optou por deixar um final aberto?

SL: Sim, eu sabia o final antes mesmo de começar a escrever. Não tenho certeza de que o final é aberto! Dito isso, muitos leitores acharam que eu expliquei demais, enquanto outros consideraram o final um tanto ambíguo.
 
MC: Por mais que você não tenha sido explícita sobre quem eram Os Três, você tem essa informação na sua cabeça? Eles eram mesmo alienígenas? Ou tudo na verdade não passa de uma alucinação?

SL: Você irá descobrir isso no meu próximo livro! Não posso dizer nada sem soltar spoilers.
 
MC: Como foi escrever um livro com tantos detalhes, personagens, informações e ambientes diferentes? Confesso que demorei um pouco até encaixar as peças do quebra-cabeça e criar familiaridade com os personagens. Você chegou a ser perder nesse emaranhado do enredo?

SL: Foi como brincar de quebra-cabeça! Eu tive que ser muito cuidadosa ao editar os fios da meada, tendo em vista que a remoção de uma pequena peça poderia causar impacto na linha de tempo da história mais tarde.
 
MC: Simplesmente amei a sua narrativa. Nunca li um livro escrito dentro de outro livro e contado por meio de entrevistas, artigos, posts de blogs, transcrições de bate-papo. Você imaginou escrevê-lo assim desde o início? De onde veio a sua inspiração para adotar essa técnica de escrita?

SL: Obrigada! Como a história é ambientada em diversas localidades, inicialmente eu tentei escrevê-la utilizando a narrativa mais tradicional possível, mas simplesmente não funcionou dessa forma. Eu tive que encontrar uma maneira de explorar o escopo global das tragédias sem recorrer a páginas e páginas de explicações maçantes. Eu realmente admiro a abordagem feita por Max Brooks, em Guerra Mundial - Z, e eu amo a ideia fazer uso de um narrador pouco confiável, então decidi seguir esse rumo. Na versão final, aproximadamente 80.000 palavras acabaram sendo cortadas da trama.

MC: Tive a impressão de que, por mais que a história girasse em torno do mistério de Os Três, o livro ia muito mais além. Senti um alerta a respeito dos fanáticos religiosos, da ditadura governamental e do sensacionalismo da mídia. Você teme que esses elementos possam mesmo nos levar ao fim dos tempos?

SL: Eu acho que temos assuntos muito mais urgentes para lidar no momento - o excesso populacional, a violência sexual e ambiental, e os riscos econômicos são alguns dos exemplos, em vez de fanáticos religiosos!  Mas o livro certamente aborda os perigos de como aqueles em posições de poder podem explorar os medos e as crenças das pessoas para promover seus próprios fins.

MC: Você sofreu alguma crítica como Elspeth por ter escrito Os Três, principalmente por parte de religiosos? Como tem sido o feedback do público?

SL: Sim. Recebi um monte de e-mails desagradáveis! (Eu acho que às vezes as pessoas esquecem de que isso é ficção!) Mas, no geral, o feedback tem sido positivo. Eu acho que este é um daqueles livros que você ama ou odeia.

MC: Os Três daria um excelente filme. Você já teve alguma proposta de adaptação do livro para a TV ou Cinema?

SL: Sim, a excelente Company Pictures do Reino Unido tem interesse de transformar o livro numa série para a TV.

MC: Muitos não sabem que você também é uma das autoras de Quando uma garota entra em um bar e tecnicamente estão lendo um livro seu pela primeira vez. É incrível o quão versátil você consegue ser como autora. Parabéns! Conte-nos um pouco sobre você, seus gostos literários, os seus outros livros, para seus fãs brasileiros conhecê-la melhor. 

SL: Obrigada! Eu leio de tudo, desde romance a jovem adulto - mas minha maior paixão é pulp fiction. Assim como a série erótica no estilo "escolha-você-mesmo" foi escrita em co-autoria com as autoras Helen Moffett e Paige Nick, também escrevo séries jovem adulto em co-autoria com a minha filha, sob o pseudônimo de Lily Herne, e sou colaboradora na série de horror urbano, com o autor sul-africano Louis Greenberg, chamada S.L Grey.

MC: Você tem algum outro projeto em vista? Pode nos falar a respeito?

SL: Eu estou ocupada terminando meu próximo livro, que irá referenciar os eventos de Os Três, e trará respostas para os questionamentos que os leitores de Os Três fizeram sobre o final da história. Será ambientado num cruzeiro e vai se chamar Day Four.

MC: Poderia deixar algum recado para seus fãs brasileiros?

SL: Muito obrigada por ter lido o livro. Meu marido e eu amamos o Brasil (ele quer se mudar para Buzios), então eu estou muito feliz e orgulhosa de ter livros publicados no Brasil.

***

Espero que tenham gostado de conhecer um pouco mais dessa autora incrível. E não deixem de ler Os Três, porque é um livro bom demais.

Beijos e até a próxima entrevista, Mi.
***
Essa postagem está concorrendo ao TOP COMENTARISTA DE JUNHO.

Clique AQUI e saiba como participar.

34 comentários

  1. Oi Mi :)

    Nossa, achei a autora muito simpática e espero conseguir ler Os Três em breve. Beijos!

    http://euvivolendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente Gabriel, a autora foi de uma atenção e simpatia ímpar, o que fez me tornar ainda mais fã. Espero que goste do livro. Beijos

      Excluir
  2. Legal conhecer mais a autora. O livro dela é um dos meus desejados e vou ler em breve. Tomara que eu goste e quem sabe me torne fã dela?!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tomara mesmo Gi, depois venha me contar o que achou. Beijos

      Excluir
  3. Oi Mi! Quem leu o livro realmente percebeu que foi um intenso trabalho de pesquisa, o que ficou provado nesta entrevista, e pelo visto aquele final aberto (sim, para mim foi), vai dar espaço para um outro livro. Legal, vou ler com certeza, adorei Os três.

    Bjos!!
    Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Cida, achei tão engraçado o fato da autora não ter considerado o final aberto. Como assim? kkk Sim, também mal posso esperar pela continuação. Beijos

      Excluir
  4. Adorei conhecer um pouquinho mais sobre a autora e como ela escreveu o livro. Imagino realmente que uma pessoa que já tenha medo de avião, fazer uma pesquisa sobre acidentes de avião só vai fazer esse medo aumentar. Então também o livro terá continuação? Interessante saber. E estou muito ansiosa pra ler Os três.

    Bjok

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, nem fala viu, eu também fiquei ainda mais medrosa depois de ler o livro.. kkk Agora sempre que pego turbulência brinco que é maldição da Sarah Lotz. :P Beijos

      Excluir
  5. Adorei esse post! Acabei de ler e resenhar esse livro e realmente fiquei enlouquecida. Sarah Lotz está de parabéns, o livro é incrível e saber esses detalhes sobre a pesquisa que ela fez só deixa tudo mais fantástico. Quero ler esse tal próximo livro que ela comentou nessa entrevista! Enquanto lia o livro fiquei pensando também que ele daria um excelente filme!

    Obrigada pela tradução!

    Beijos
    Aquela Borralheira

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Jana, eu precisava perguntar tudo isso depois de ler o livro.. e achei tão incrível saber dos detalhes. Beijos

      Excluir
  6. Esse é um livro que está na minha lista de desejados, e adorei a entrevista com a autora!
    Gosto quanto os autores realmente se dedicam às histórias, com pesquisas e tudo o mais para deixar tudo mais crível. Não fazia ideia de que ela era uma das autoras de Quando uma garota entra em um bar, tenho o livro me esperando para ser lido aqui em casa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também gosto, mostra ainda mais profissionalismo, dedicação e amor pelo o que eles fazem. Pois é guria, só depois que terminei Os Três e fui pesquisar pela autora é que a ficha caiu. Realmente a Sarah é muito versátil.. hehe Beijos

      Excluir
  7. Adorei a entrevista , mesmo não tendo lido o livro mais estando muito curiosa para ler .

    ResponderExcluir
  8. Não me interesso muito por esse livro, então a entrevista foi meio blé pra mim.
    Ouvi varias coisas boas, mas realmente não faz meu tipo.

    Um beijo,
    Livrologias.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que pena Pri, mas você tem o direito de pensar o que quiser. Independente de não fazer seu feitio, fico muito feliz quando os autores se dão ao trabalho de responder para os fãs, concederem entrevistas, contarem maiores detalhes sobre as criações de suas histórias, porque isso nos aproxima ainda mais deles e me faz admirar pessoas assim. Beijos

      Excluir
  9. A Sarah Lotz é muito bacana e super carismática ao responder essas perguntas... Isso faz com que, de uma certa forma, nos aproximemos dos autores né? Gosto disso (:
    Achei bem bacana ela escrever sobre seus medos, deve ser um tanto difícil. Ainda não li o livro, mas estou super curiosa! Acho a capa dele linda (:

    ResponderExcluir
  10. Adorei conhecer mais sobre a autora. Ela é muito simpática!! Os Três está na minha lista de desejados e quero muito ler. Não sabia que ela é uma das autoras de Quando uma garota entra em um bar, tenho ele aqui em casa mas nunca tive curiosidade de ler. Talvez agora eu leia até conseguir Os Três.

    Beijos!!

    ResponderExcluir
  11. Iniciei a leitura recentemente e estou gostando...
    Mas ainda não me envolvi na estória, estou dando meus primeiros passos nesse emaranhado de informações, tenho grandes expectativas e espero ser arrebata pela estória em breve.

    http://soubibliofila.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Parabéns pela entrevista Mi, adorei a forma como você conduziu as perguntas e simplesmente amei as respostas dela! Adoro conhecer um pouco mais dos autores e isso ajudou a aumentar mais a minha vontade de ler 'Os três', ainda mais agora vendo que terá uma continuação. Vou passar lá na resenha do livro para conhecer um pouco mais da história :-)

    ResponderExcluir
  13. Parabéns pela entrevista. Ficou muito legal. A Autora é muito simpática. Achei interessante ela ter escrito Três para superar o medo de voar.

    ResponderExcluir
  14. Haha, adorei a Sarah Lotz, achei ela super fofa. Pelo que vi, ela meio que fez um livro de auto ajuda mas BEEEM longe disso. Nunca tinha ouvido falar da autora ou do livro, mas dando uma pesquisada e lendo a sinopse, gostei bastante do mesmo!

    ResponderExcluir
  15. Eita que coisa mais chique, hein?!?! Mais uma bela entrevista internacional.
    Cara, fiquei impressionado com a quantidade de pesquisa que a Sarah fez. Uma gama enorme de assuntos, que inicialmente, não tem nada em comum, mas que ela conseguiu costurar de uma maneira incrível.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  16. Não curto Terror, já li Medo do Escuro e outras Histórias da Maud Epascolato - achei o livro bem interessante -, mas não é um gênero que procuro livros para ler. Mas fiquei curioso em ler Os Três, até para conhecer o estilo de escrita utilizado, e de tanto a Mirelle ter falado que o livro é maravilhoso. E para Mirelle gostar de um livro de terror, é porque ele deve ser bom mesmo. kkkkkkk

    ResponderExcluir
  17. Oi Mi.
    Como a autora é simpática.
    Ela passou bastante tempo fazendo pesquisa, não? 1 ano!
    Nossa, isso é que é desapego, ter aproximadamente 80.000 palavras cortadas da trama. rsrs
    Tenho muita vontade de ler Os Três, parece ser um ótimo livro! E fiquei curiosa sobre o lançamento de Day Four.
    Parabéns pela entrevista!

    ResponderExcluir
  18. Os três com toda certeza é atualmente o livro que eu mais desejo e cada vez que leio algo sobre ele fico com mais vontade ainda. Com essa entrevista então.
    Ótima entrevista, bem conduzida e com perguntas bem bacanas.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  19. Hello Miii *-----*
    Gente do céu, nunca andei de avião, mas também tenho um receio!!
    HAHAHAHAHAHAHAHHA
    Acho muito legal saber como é a composição da história, vinda diretamente do autor. E Mi, você fez tudo 'otimamente' ótimo! HAHAHAHAHAH
    Assim, conseguimos perceber o exato ponto de vista do autor e qual era a primeira intenção dele ao escrever a história, como a Sarah mesma disse que era pelo medo dela.
    Mi, adorei a entrevista!!!

    ResponderExcluir
  20. Minha vontade de ler esse livro acaba de aumentar mil por cento hahaha
    Normalmente estórias assim não chamam atenção, mas eu trabalho com aviação, então o livro acabou chamando minha atenção por ai.
    Achei ela super simpática e o livro parece realmente ser muito diferente (ainda não entendi muito bem isso de um livro dentro de um livro) e muito boa!!

    ResponderExcluir
  21. Gostei da autora, ela foi bem simpática e acho muito legal ler essas entrevistas pra saber um pouco mais das mentes que inventaram histórias que nós amamos. Os três é um dos meus livros desejados do momento e espero poder lê-los em breve!
    Beijos

    ResponderExcluir
  22. Eu tenho impressão de que se eu for ler esse livro, nunca mais ando de avião kkkkkkkk

    ResponderExcluir
  23. Ainda não tive a oportunidade de ler o livro :( mais achei bem curioso saber que a autora tem medo de voar e gosta de escrever sobre coisas que causa medo nela o.O

    ResponderExcluir
  24. Menina como que você consegue umas coisas dessa hein, você é demais Mi, eu amei a entrevista, eu ganhei o livro e estou esperando chegar para poder ler, espero gostar muito dele e nossa terá outro livro vixi o negocio vai ser bom hein, estou ansiosa pela leitura e será que vou ficar com medo? E que negocio diferente né, escrever sobre o que tem medo.
    Beijos!!!!

    ResponderExcluir
  25. MUUUUUITO OBRIGADA PELA ENTREVISTA.
    Li o livro e fiquei muuuito confusa. Agora sei que vai ter um próximo livro e sei que o livro exigiu bastante pesquisa e tudo mais. Foi bem esclarecedor!
    Gostei sim de Os TrÊs e acho que ela deveria apresentar melhor suas ideias no segundo livro!

    ResponderExcluir
  26. Oi Mi,

    Simplesmente amei a entrevista porque eu mesma, assim como você estava com dúvidas se haveria uma continuação ou não, afinal o livro não pode terminar daquele jeito. Bela entrevista e obrigado por dividi-la com a gente....beijos Elis

    Nota: Te mandei um e-mail...aguardo sua resposta.

    http://amagiareal.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir